História After all - CAMREN - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camila Cabello, Camren, Fifth Harmony, Lauren Jauregui
Exibições 498
Palavras 1.120
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa pela demora.
Estou com muita dificuldade para escrever.

Capítulo 41 - Capítulo-41


Lauren:
-Amor, vamos buscar Eliza na escola?
-Por que?
-Porque eu quero contar logo a novidade pra ela.
-E por que não esperamos ela chegar?
-Se eu quisesse esperar eu não ia estar te chamando pra ir agora!
-Calma, amor.
-Eu estou calma, você vai ou não? Eu posso pegar um taxi.
-Eu vou sim.

Camila depositou um beijo em minha testa e levantou da cama.
Nos arrumamos e fomos em direção a escola de Eliza.

-Amor, será que ela vai gostar? Eu estou tão nervosa.
-Claro que vai.
-Mas e se ela não gostar da idéia? E se tudo voltar a ser como antes?
-Lauren, calma. Eliza vai amar a idéia de ter um irmão.
-Eu estou calma.
-Seus dedos dizem outra coisa.

Na mesma hora paro de bater os dedos em minhas pernas.
Droga! Maldita mânia.
Camila deu um sorisso de lado e voltou a prestar atenção no trânsito.
Em questão de minutos estávamos em frente a escola.

-Amor, eu vou lá rapidinho, você me espera aqui?
-Tem certeza que não quer que eu vá contigo? Você está grávida, não pode ficar sozinha.
-Camila, não me teste, eu estou grávida e não doente. Não precisa ir, já volto.

Eu dei um selinho nela e saí do carro. Andei alguns corredores e parei na secretaria.

-Bom dia.
-Bom dia, eu queria altorização pra minha filha sair cedo da aula.
-Qual é o nome dela?
-Eliza Cabello Jauregui.
-Qual turma?

Que ótima mãe eu sou. Nem a turma da minha filha eu sei.

-Agora eu não me lembro.
-Não tem problema, eu pesquiso aqui.

A moça baixinha pesquisou alguma coisa no computador e me entregou um papel.
-A sala dela é essa que está no papel, mostre-o para a professora que ela deixará Eliza sair.
-Obrigada.

Saí a proucura da sala da minha filha. O que foi um tanto difícil, pois tinha tantas portas que eu me confundia.
Quando finalmente achei a sala eu já estava com a perna doendo de tanto andar.
Bati uma vez e a porta foi aberta por uma mulher que deveria ser a professora.
-Posso ajudar?
-Sim, eu vim buscar minha filha.
-Qual é o nome dela?
-Eliza.
-Hoje é o meu primeiro dia aqui, então não conheço os alunos.

Ela riu um pouco sem graça.

-Eliza Cabello Jauregui.

A moça na minha frente ficou branca como um papel.
Ela me olhava de forma assustada. Tentei lembrar se conhecia ela de algum lugar, mas não lembrei. Apesar de seu rosto ser familiar, eu não me lembrei.

-A senhora está bem?
-S-Sim.

Ela abriu a porta e entrou na sala.

-Eliza Cabello Jauregui, sua responsável veio lhe buscar. Guarde o seu material e pode ir.

Eliza rapidamente fez o que sua professora falou.

-Oi mãe.
-Oi meu amor.

Peguei a mochila da minha filha e coloquei nas costas.

-Por que veio me bucar?
-Senti saudades, não posso?
-Pode sempre que quiser.

Disse ela rindo.
Paramos em frente ao carro, Camila logo saiu para abrir a porta pra nós.

-Bom dia, meu anjo.

Disse Camila passando as mãos nos cabelos da menina.

-Bom dia, mãe.

Entramos no carro e seguimos pra casa, mas no meio do caminho eu coloquei na minha cabeça que queria sorvete. Então, depois de muita briga com Camila, seguimos para a sorveteria.

-Amor, vai querer de quê?

Perguntou ela, se levantando da cadeira pra fazer o pedido.

-Eu quero de chocolate.

Respondi.

-E você, meu bem?

-Morango.

Respondeu Eliza.
Camila nos deixou sozinha e foi fazer o pedido.

-Filha, aquela moça que te chamou era a sua professora?
-Sim, hoje foi o primeiro dia dela. A outra professora saiu de licença.
-Ah, entendi.
-Por que?
-Ela me olhou de uma forma estranha. Não sei, talvez seja coisa da minha cabeça.
-Ela também me olhou assim, mas eu não entedi muito bem. Até por que hoje é o primeiro dia da professora Sofia lá na escola, então não tem como ela me conhecer.
-Sofia?
-Sim, esse é o nome dela. Quando ela se apresentou eu falei que tinha uma tia que chamava Sofia, mas eu nunca conheci.

Impossível. Claro que era impossível, não podia ser a mesma pessoa. Quanto Camila e Lauren fugiram Sofia tinha 8 anos. Lauren não se lembrava muito da menina, só lembrava que ela era grudade em Camila.

-Lauren!
-Oi.
-Seu sorvete está derretendo.
-Desculpe.
-Está tudo bem?
-Sim.

Tomamos o sorvete em meio a conversas.
Eliza nos contava como estava indo na escola. Meus olhos brilhavam de orgulho quando ela falou que era a melhor da turma.

-Filha?
-Senhora?
-Você gostaria mesmo de ter um irmão?

Camila perguntou de repente, e eu começei a gelar. Eu estava apavorada.

-Eu não sei.
-Como não sabe?
-No começo eu queria muito, mas agora eu não sei.

Respirei fundo, e comecei a bater com os dedos na mesa.

-Mãe, o que foi?
-Nada.
-Como a senhora me disse uma Vez: eu nasci de você, e conheço muito bem esses dedos nervosos.

Droga! Maldita mânia.

-O que vocês tem pra me contar? Eu sei que estão me escondendo alguma coisa.

Eu travo. Não consigo. Meu dedos batem na mesa.
Camila suspira e me olha.

-Queria, conte pra ela.

Camila segura a minha mão por de baixo da mesa me passando segurança.

-filha, a mamãe tem uma novidade pra contar pra você.
-Fala, mãe, está me deixando ansiosa.
Senti uma lágrima molhando o meu rosto e Camila logo a secou.
Eliza nos olhou sem intender. Seu olhar suplicava por uma esplicação.

-Filha, eu estou grávida. Você vai ter um irmão. Vamos aumentar a família.

Esperamos uma reação que não veio. Eliza não falou nada.
Eu me sentia péssima, precisava saber o que minha filha pensava sobre isso.
Acabamos o sorvete e voltamos pra casa em silêncio.
Eliza subiu as escadas e se trancou no quarto.
Subi pro quarto e tomei um banho rápido. Saí enrrolada na toalha.
Camila estava lá; me encarando.

-Dê um tempo pra ela.

Me sentei ao seu lado e deitei minha cabeça no seu ombro.

-Por que eu sempre faço tudo errado?
-Amor, não fala assim.
-Eu pensei que ela ia ficar feliz.
-Laur, olha pra mim.

Segurou o meu rosto e secou minhas lágrimas.

-Dê um tempo pra ela. Você vai ver só como ela vai ficar feliz.
-Camz, eu queria que ela ficasse feliz.

Uma vontade enorme de chorar me atingiu e eu não reprimi. Deixei que mais lágrimas caíssem.

-Querida, não precisa chorar.
-Amor, você está feliz?
-Eu estou me sentindo a pessoa mais feliz do mundo.
-Jura?
-Se eu juro? Eu sou casada com a mulher mais linda do mundo, eu tenho uma filha linda e a outra já está à caminho.
-Nós não somos casadas.
-Na verdade, nós nunca deixamos de estar casadas.
-Eu te amo.
-Eu sempre te amei.
-Não sei como eu fiquei cinco anos da minha vida longe de você.
-Isso é passado. Agora temos o resto da vida pra estarmos juntas. Você não vai enjoar de mim?
-Impossível. Por que você me faz ficar mais apaixonada todo dia.

Sem dúvida, Camila era o meu porto seguro. Sempre quando eu caía ela estava lá pra me levantar.
Mesmo na época do divórcio, ela nunca desistiu de mim. Mesmo quando eu a tratava mal ela estava lá pra mim, me chamando de Lolo e dando em cima de mim.
E sem dúvida, quando ela precisar de mim, como eu precisei dela, eu estarei lá pra dizer que eu a amo, que ela é a coisa mais bonita que Deus colocou na minha vida.


Notas Finais


Gente, esse cap ficou horrível, mas vou postar só pra vcs n ficarem sem.
(Uma leitora deu a idéia da Sofia ser a prof da Eliza e eu achei interessante)
Desculpas, e até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...