História After -Camren Version - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Drama, Romance, Sexo
Exibições 104
Palavras 2.078
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Saga
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


LAUREN DRUNK NA CAPA
não vou mentir.. fico molhada

Capítulo 32 - Onde estão os curativos?


Fanfic / Fanfiction After -Camren Version - Capítulo 32 - Onde estão os curativos?

Corro pro carro do Austin e o meu telefone vibra com a mensagem da Ally.

"2875 Cornell Rd" diz a mensagem.

Escrevo o endereço no GPS do meu telefone e saio, diz que vou demorar quinze minutos. O que é que poderia estar acontecendo para que a Ally precisasse que eu fosse lá, eu e a Lauren nem sequer temos no falado, espero que essa idiota esteja bem e não tenha se machucada. Não consigo esquecer aquele barulho de choque como se fosse alguma coisa quebrando, ainda estou tão confusa quando chego a casa dela como quando sai do meu quarto. O Austin me ligou duas vezes mas ignorei, preciso que o caminho esteja no ecrã e honestamente o olhar confuso no rosto dele quando o deixei lá está me matando. As casas da rua são todas grandes, parecem mais com mansões. A da Ally em particular é pelo menos três vezes maior do que a casa da minha mãe, é uma casa antiga de tijolo e o jardim é inclinado fazendo com que pareça que está assente numa colina, mesmo sob as luzes da rua ela é linda. Deve ser a casa do pai da Lauren, é a única conclusão que eu posso chegar porque a Ally também está lá. Respiro fundo e subo os degraus da calçada e quando chego bato com força na porta de mogno escuro e ela se abre em poucos segundos.

-Mila obrigada por ter vindo, sei que tem companhia. O Austin veio contigo? -Ally pergunta e faz um gesto pra eu entrar.

-Não, ele está no dormitório. O que está acontecendo? Onde está a Lauren?

-Ela está nos fundos, no jardim e ela está fora de controle.

-E eu estou aqui por quê? -pergunto o mais simpaticamente que consigo. O que é que a Lauren estar fora de controle tem haver comigo?

-Não sei, eu sei que a odeia mas ela está bêbada e completamente agressiva. Apareceu aqui e abriu uma garrafa de Whisky do pai e bebeu mais da metade da garrafa! E então começou a quebrar as coisas, todos os pratos da minha mãe, um armário de vidro, basicamente tudo que conseguia colocar as mãos.

-O que? Por que? -A Lauren disse que não bebia.

-O pai dela disse que ele e a minha mãe vão se casar -ela diz como se isso explicasse tudo.

-Ok? Então ela não quer que eles se casem? -ainda estou confusa. A Ally me leva até a cozinha grande e eu suspiro ao ver toda aquela bagunça que a Lauren fez, há pratos quebrados espalhados pelo chão e um grande armário de madeira com os painéis de vidro partidos.

-Não, é uma longa história, logo depois de o pai dela dizer que ia se casar ele e a minha mãe deixaram a cidade durante o fim de semana. Graças a Deus eles não estão aqui mas acho que é por causa disso que a Lauren está aqui, pra confrontar o pai, ela nunca vem aqui -ela explica e abre a porta de trás, logo vejo uma sombra sentada numa pequena mesa do pátio. Lauren.

-Não sei o que é que você acha que eu posso fazer mas vou tentar -digo pra Ally e ela concorda se inclinando e coloca a mão no meu ombro.

-Ela estava chamando por você -ela me diz baixinho e o meu coração para. Ando em direção a Lauren e ela olha pra mim, seus olhos estão vermelhos por causa do sangue e o cabelo negro está escondido sob um gorro cinza, seus olhos se arregalam e depois escurecem e eu quero dar um passo para trás, ela parece quase assustadora sob a luz do pátio escuro.

-Como é que você chegou aqui? -Lauren diz e se levanta.

-A Ally, ela -respondo e desejo não ter dito nada.

-Oh porra, você chamou ela? -ela grita pra a Ally que caminha de volta para dentro ignorando a Lauren.

-Deixa ela em paz Michelle, ela está preocupada com você! -repreendo-a e ela senta novamente gesticulando para que eu me sentasse junto. Sento em frente a ela e vejo quando ela pega a garrafa quase vazia de licor escuro e a coloca na boca, assisto ao movimento do seu pescoço enquanto ela engole o líquido, quando termina a garrafa e pousa com força contra o vidro da mesa o que me faz saltar, estou feliz por não ter quebrado.

-Ah, vocês duas tem alguma coisa, são tão previsíveis. Pobre Lauren, está chateada então vem aqui conspirar contra mim para me senti mal por ter quebrado umas merdas chinesas -ela diz com um sorriso doente.

-Pensei que não bebia -digo e cruzo os braços.

-E não, até agora acho. Não tente me julgar, você não é melhor que eu -ela atira com aquilo e bebe um resto que ainda estava na garrafa. Não consigo negar que estar ao lado dela mesmo com ela embriagada me faz sentir viva, tinha perdido essa sensação que ela me dá.

-Nunca disse que era melhor que você. O que é que te fez começar a beber agora?

-E isso importa? Onde está seu namorado? -os olhos dela brilham para os meus e a emoção por trás deles é tão forte que sou obrigada a desviar o olhar, se pudesse adivinhar que emoção seria aquela, talvez fosse ódio.

-Ele está no meu quarto e eu só estou aqui porque quero te ajudar -inclino um pouco em cima da mesa para alcançar a mão dela mas ela recua do meu toque.

-Me ajudar? -ela ri. Quero perguntar porque é que ela estava chamando por mim se vai continuar a ser detestável mas não quero colocar a Ally em apuros outra vez -Se quer me ajudar então vai embora.

-Por que é que você apenas não me conta o que é que se passou que te fez quebrar todas as coisas deles? -olho para as minhas mãos e mordisco minhas unhas. Ela suspira tirando o gorro, Lauren passa a mão pelo cabelo antes de puxa-lo de volta.

-O meu pai decidiu só agora me dizer que vai se casar com a Patricia e o casamento é no próximo mês, ele já deveria ter me dito há muito tempo. Tenho certeza que a pequena e perfeita Allyson já sabia -Oh, não estava esperando que ela me dissesse por isso não sabia ao certo o que lhe dizer.

-Tenho certeza de que ele tinha uma boa razão para não dizer.

-Você não conhece ele, Michael não dá a mínima para mim, sabe quantas vezes falei com ele ano passado? Talvez dez! Ele só se preocupa cm a sua grande casa, a sua futura esposa e a sua nova filha perfeita -insultou a Lauren bebendo mais um pouco, fico calada -Devia ver o lixo onde a minha mãe vive na Inglaterra, ela diz que gosta daquilo mas tenho certeza que não, é mais pequeno que o quarto do meu pai aqui! Ela praticamente me obrigou a vir para a universidade daqui pra ficar mais perto dele, e podemos muito bem ver como é que isso funcionou -ela bebe mais.

Com esta pequena informação que ela me deu sinto que consigo entender muito melhor, o pai dela abandonou ela e a mãe na Inglaterra e veio para cá por algum motivo e agora vai se casar com outra mulher. A Lauren deve estar magoada e é por isso que ela é desse jeito.

-Quantos anos você tinha quando ele te deixou? -pergunto e ela me olha com cautela mas responde.

-Dez, mas mesmo antes de ir embora ele nunca esteve por perto, ele estava num bar diferente a cada noite e agora ele é o Sr. Perfeito e tem essa merda toda -Lauren diz e acena com a mão em direção a casa, o pai dela o deixou quando ela tinha dez anos como eu e ambos eram bêbados, temos mais em comum do que eu pensava. Essa versão da Lauren ferida e bêbada parece muito mais jovem, muito mais frágil.

-Sinto muito que ele tenha os deixado mas -ela me interrompe.

-Não, não preciso da sua piedade.

-Não estou com pena de você, estou apenas tentando -ela me corta novamente.

-Tentando o que?

-Te ajudar, estou aqui pra você -digo e ela sorri, e um sorriso lindamente assombroso e sei o que está prestes a acontecer.

-Você é tão patética, não vê que não te quero aqui? Não quero que esteja aqui pra mim. Só por que brinquei contigo não quer dizer que queira alguma coisa contigo mas aqui está você, deixou seu namorado que é o único que consegue te suportar e veio aqui tentar me "ajudar". Isso Karla, é a definição de patética -ela diz usando as aspas, sua voz é cheia de veneno tal e qual como eu pensava que iria ser.

-Você não quis dizer isso -ignoro a dor no meu peito enquanto olho para ela, penso na semana anterior quando ela estava rindo e jogando água em mim, não consigo decidir se ela é uma grande atriz ou uma grande mentirosa.

-Quis, agora vai pra casa -ela diz e levanta a garrafa para beber outra vez, vou para o lado dela e tiro a garrafa da sua mão jogando no quintal em seguida.

-Mas que porra? -ela grita mas ignoro. Caminho em direção a porta e ela se coloca a minha frente.

-Onde é que você vai? -o rosto dela está a centímetros do meu.

-Vou ajudar a Ally a limpar a bagunça que você fez e depois vou embora -a minha voz sai mais calma do que eu me sentia.

-Por que é que iria a ajudar -o desprezo na voz dela é claro quando diz "a".

-Por que ela ao contrário de você merece alguém para a ajudar -digo e o rosto dela sai, devia dizer muito mais, deveria gritar com ela por causa das coisas dolorosas que me disse mas sei que é isso que ela quer, isso é o que ela faz, ela magoa todos que estão por perto e se diverte com isso. Ela sai do meu caminho e eu vou para dentro, a Ally está agachada pegando os cacos e a Lauren ficou lá fora.

-Onde está a vassoura? -pergunto pra Ally e ela olha para mim com um sorriso.

-Ali no canto -ela aponta e eu encontro.

-Obrigada por tudo -ela diz e eu sorrio, começo a varrer os pedaços dos pratos há tantos, me sinto terrível pela Patricia quando ela chegar em casa e descobrir que todos os seus pratos se foram, espero que não tenham qualquer valos sentimental pra ela.

-Ouch! -suspiro quando um pequeno pedaço de vidro crava no meu dedo, gotas de sangue caem sobre o chão de madeira e eu salto para alcançar a pia.

-Você está bem? -A Ally pergunta e eu aceno.

-Sim, é apenas um pedaço pequeno, não sei por que é que há tanto sangue -digo, realmente não dói muito, fecho os olhos enquanto a água fria corre por cima do dedo e ouço a porta de trás abrir. Abro os olhos rapidamente e vejo a Lauren parada na porta.

-Camz posso falar contigo por favor? -ela pergunta, eu sei que devia dizer que não mas algo no vermelho ao redor dos olhos dela me faz concordar, ela olha para minha mão e em seguida para o sangue no chão.

-Você está bem? O que é que aconteceu? -ela diz e caminha na minha direção.

-Não é nada, apenas um vidro pequeno -digo. Ela estava me chamando de patética e agora está agindo como se estivesse preocupada com a minha saúde? Ela vai me deixar louca, louca literalmente como daqueles que ficam trancados num quarto acolchoado. Ela pega na minha mão e puxa para fora da água, ela franze a testa e andamos passando por cima do armário.

-Onde estão os curativos? -Lauren pergunta a Allyson, ela diz que estão no banheiro e dentro de um minuto a Lauren está de volta com eles e pega na minha mão outra vez, envolve um deles suavemente no meu dedo e eu fico quieta. A Ally parece tão confusa como eu estou com as ações da Lauren.

-Posso falar com você por favor? -ela me pergunta novamente.

-Sim, eu acho -respondo, eu sei que não devia mas desde quando é que faço o que devo quando a Lauren está envolvida? Ela envolve a mão em volta do meu pulso e me leva para fora.


Notas Finais


Tivemos algumas revelações sobre a Lauren nesse capitulo, tentem entende-la que ela tem motivos pra ser assim, e muitos motivos.

Acabo por aqui!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...