História After Dark - A Demons Fate - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Girls' Generation
Personagens Hyoyeon, Jessica, Seohyun, Sooyoung, Sunny, Taeyeon, Tiffany, Yoona, Yuri
Tags Taeny
Exibições 106
Palavras 1.958
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá!
Então, eu sei, demorei pra caramba...
Me desculpem... Tentarei não fazer isso de novo.
Boa Leitura...

Capítulo 6 - Seus Instintos?


 

Tiffany acordou com uma forte dor de cabeça, tentava inutilmente se lembrar do por que de ter bebido tanto, ela nem mesmo se lembrava de ter bebido, mas estava com uma ressaca horrenda. Sentou-se na cama lentamente e sentiu seu mundo girar por alguns instantes. Assim q se recuperou um pouco da tontura, olhou através do quarto em busca de seu celular, o cômodo estava totalmente escuro, mas sua intuição dizia q o Sol já tinha nascido a muito tempo. Antes de se levantar para começar sua busca, sentiu uma movimentação ao seu lado. Com um sobressalto, virou-se rapidamente para o lado oposto, encontrando Krystal totalmente adormecida e com o torso nu, somente com o lençol lhe cobrindo da cintura para baixo. 

Neste momento, vários flashes do que ocorreu na noite anterior vieram em sua mente. O corte em sua mão, o sangue, a sensação de prazer quando Krystal bebeu de si, e finalmente a essência da vampira tornando-se mais forte que seu auto controle. Se forçou a parar as lembranças aí, pois sabia o que tinha ocorrido e não estava nem um pouco afim de lembrar. Seus pensamentos foram interrompidos por uma forte batida na porta de sua casa. 

– Tiffany! – A voz berrava. – Tiffany, abra a porra desta porta. Antes que eu exploda a casa com você dentro! 

Krystal acordou assustada com os gritos, tentando se orientar rapidamente do que ocorria, logo encontrando o olhar assustado da caçadora ao seu lado. 

– Puta Merda. – A vampira murmurou. 

– Puta Merda digo eu. Puta Merda! – Tiffany levantou rapidamente, arrependendo-se prontamente, devido a vertigem. Caçou suas roupas apressadamente, às colocando em seguida. – Sua irmã vai me matar. 

– Tiffany! – Mais batidas em sua porta da frente. – Eu vou contar até três, sua pedófila desnaturada. Abra esta porta imediatamente! 

– Puta Merda! – Exclamou Krystal novamente, levantou-se e em menos de um segundo, já estava devidamente vestida. – E agora, o que a gente faz? – Indagou enquanto olhava para uma Tiffany desesperada correndo pelo quarto. 

– Você eu não sei, mas eu vou me transferir pra agência dos Estados Unidos. Sua irmã é lou- – Sua fala foi interrompida por um grande estrondo vindo da frente de sua casa. 

– Cadê você, sua vadia papa anjo! – Berrava Jessica, os passos pesados de seus saltos fazendo barulho no chão de linóleo, abrindo a porta do quarto com tanta força que quase à arrancou das dobradiças. – Você vai morrer! – Esbravejou, apontando para a Caçadora, que prontamente se escondeu atrás de Krystal. 

– Si-Sica. – Tentou contato timidamente com a amiga. – E-Eu p-p-pos-sso- 

– Pode porra nenhuma! – Rugiu a loira. – Você desvirtuou a minha bebê! – Falava dramaticamente, o rosto vermelho de raiva. 

– Sis, por favor. Acalme-se! – Krystal falou com a voz um pouco tremida, não por medo, mas sim porque Tiffany estava tremendo mais que vara verde enquanto se agarrava a si. 

– E você fica quieta! Eu estou falando com a meliante! – Berrava ensandecida. 

– Jessica! – A vampira falou firme. – Chega! A Tiffany tá quase enfartando de tanto medo. 

A bruxa parou seu ataque de ódio por alguns instantes e olhou para a amiga, que encontrava-se encolhida atrás de sua irmã. Respirou fundo varias vezes tentando se acalmar. 

– Jessica, eu não tive a intenção. – Falou Tiffany, quase em um sussurro. – Queria ajudar a Krys com o problema dela com o sangue, não esperava que a essência dela estaria tão forte. – Saiu detrás da vampira e seguiu até parar em frente a diretora da agência. – Você vai manda-la em uma missão, mas ela estava muito fraca, pensei que se eu deixasse ela beber um pouco de mim, estaria matando dois coelhos com uma cajadada. – A caçadora prosseguiu com seu discurso, ombros baixos, cabeça para o chão. – Você sabe que eu nunca tive esse tipo de pensamento quanto a Krys, mas eu não consegui me controlar. 

– É, Sis, eu ainda não sei controlar minha essência, e quando eu bebi sangue direto de Tiffany... – Krystal não terminou a frase, chamando a atenção das outras duas mulheres no ambiente, que a olharam atentamente. A respiração entrecortada, os olhos mudando de tonalidade, ficando num castanho extremamente claro, brilhando como dois faróis. As caçadoras sabiam o que isso significava. Ela estava Fascinada pelo Sangue. Era um estado de quase transe em que um vampiro novo e sem controle entrava, era tomado pelo frenesi e atacava qualquer coisa com um coração batendo que visse pela frente. Agora que tinha saído de sua dieta que consistia apenas de Plasma, um sangue sintético produzido pela Agência, a vampira estava finalmente sofrendo as consequências de ter se privado de sangue por tanto tempo.  

As caçadoras afastaram-se lentamente da vampira, que aos poucos ia perdendo o controle. Tiffany olhou rapidamente para Jessica, perguntando silenciosamente o que elas deveriam fazer. A bruxa suspirou lentamente e logo após estalou os dedos, fazendo com que Krystal caísse inconsciente no chão. 

 
 

:3 :3 :3

 
 

Dentro de um escritório, localizado no ultimo andar de um prédio sem identificação alguma, encontrava-se Tiffany, novamente encolhida, ouvindo o sermão infindável de sua Chefe e melhor amiga, Jessica. 

– Você perdeu a porra da sua cabeça? – Gritava Jessica enquanto andava de um lado para o outro dentro de sua sala. – Já pensou na merda que poderia ter acontecido se ela tivesse perdido o controle ontem à noite, se ficasse Fascinada? Já pensou no quanto seria horrível pra Krystal acordar do frenesi e se deparar com o seu corpo sem vida ao lado dela? Ela não iria suportar isso, não de novo, não com você... 

– Sinto muito, Jessi. Eu sabia dos riscos, mas eu senti que era seguro... – Falou baixinho enquanto brincava com seus dedos. – Meus instintos me diziam que eu podia- 

– Seus instintos? – A Diretora à interrompeu. – Seus instintos já te meteram em muita roubada... Ou você esqueceu da missão com a Hyuna? – Indagou com uma sobrancelha arqueada. – A garota não consegue entrar em banheiros públicos até hoje! Ou então aquele incidente na Austrália? Em que você quase matou minha atriz favorita. Eu não consigo imaginar um mundo sem Alycia Debnam-Carey. Eu te faria ir pro Outrolado só pra traze-la de volta! 

– Epa, espera um pouco aí! – Tiffany finalmente tinha tomado vergonha na cara e parado de agir como uma criança que foi pega fazendo algo errado. – Como eu ia saber que aquele cara era um doador legalizado? Eles estavam num beco escuro e o moleque estava berrando por socorro! Se eu escuto um galope, eu logo deduzo que é um cavalo! A culpa não é minha se sua atriz favorita tem fetiches estranhos. – Cruzou os braços birrenta. 

– E os outros incidentes, Tiffany? – Jessica sentou-se em sua cadeira, apoiando os braços na mesa à sua frente. – Você é uma ótima caçadora, você pensa em tudo, para minimizar as chances de algo dar errado, monta o perfil do seu alvo, executa o plano com perfeição, é rápida e eficiente. Mas isso é quando você planeja as coisas. Toda vez que você segue seus instintos e age sem pensar, eu sei que terei muita dor de cabeça pra consertar seus estragos. E esse foi um deles. O pior deles. Um em que eu poderia ter perdido minha melhor amiga e ainda de quebra perderia minha irmã também. – Finalizou. Passou as mãos pelos cabelos suspirando. 

– O que vai acontecer com Krystal agora? – Tiffany perguntou timidamente. Sabia que tinha vacilado feio. – Ela ainda está nas celas de contenção? 

– Não, eu à enviei para Amber. Solicitei a ajuda dela para uma missão. Vai treinar a Krys, eu não iria manda-la agora, mas... – Deu de ombros. 

Uma suave batida na porta fez a conversa das duas cessar. Sendo aberta logo após a devida autorização ser dada por Jessica, revelando uma Yuri sorridente entrando no cômodo. 

– Oi Fany, soube que teve uma noite difícil. – Falou enquanto cumprimentava a amiga com um beijo na testa. Dirigindo-se a Jessica e dando-lhe um terno selar nos lábios. 

– Pois é, e o dia já começou no modo hard também... – Disse bem humorada olhando para a interação das amigas. Gostava de ver como o relacionamento delas havia crescido desde que, depois de muita enrolação da parte de Yuri, haviam começado a namorar. 

– Pode apostar que ainda está fácil. Sente-se, Yuri. – A Diretora fez menção para a cadeira vaga ao lado de Tiffany. – Eu disse que iria investigar o que ocorreu naquela reunião com Taeyeon, não estava brincando. 

– Jessi, eu já disse tudo o que eu podia. – Respondeu impaciente. 

– Sim, sim, querida, eu sei. – Falou a Diretora, gesticulando com as mãos. – Por isso que eu chamei Yuri. Ela trabalha no prédio do conselho, tem mais informações do que você pensa. 

– Yuri, não faça isso! – Grunhiu a caçadora. – Você conhece Taeyeon melhor do que nós. Sabe que isso é confidencial. Sabe o que ela pode fazer, caso essa historia vaze. 

– Sim, eu estou ciente. E não é como se eu estivesse por dentro dos assuntos da reunião também. Eu só sei o que as pessoas comentam por lá. Até mesmo no conselho tem a rádio corredor. Sabemos de algumas coisas, mas também sabemos que essas coisas não podem sair de lá. E Tiffany, se eu fosse você, dava um jeito de forjar a minha morte, por que, só um milagre pra você sobreviver à isso. 

– Obrigada pelo voto de confiança, era disso que eu estava precisando. – Falou sarcástica. 

– Amigos são pra isso. – Yuri respondeu. – Mas, sério. Foi uma péssima ideia ter aceitado entrar nisso. Se você tinha qualquer esperança de ter uma vida longa e de envelhecer calmamente, pode tirar isso da cabeça. Mesmo que você sobreviva à missão, Taeyeon não deixaria alguém que provavelmente vai ter acesso à muitas informações importantes saia com vida, e se te deixar viver, vai ser como um vegetal igual ao Onew. 

Assim que esse nome foi pronunciado, o ar no escritório ficou pesado. Todos sabem quem é Onew. Um dos melhores caçadores da Agência, contratado pelo Líder dos Metamorfos ha cinco anos. Foi uma missão difícil, o mesmo quase não sobreviveu, e nem 24h depois da missão ter sido finalizada, Onew sofreu um terrível acidente no mercado próximo a sua casa. Misteriosamente uma estante cheia de produtos caiu e atingiu o caçador, quebrando vários ossos de seu corpo e ferindo gravemente seu crânio. O médico disse que ele teve sorte, pois com o peso de uma estante daquelas, a cabeça dele não ter explodido foi literalmente um milagre. O garoto ficou em coma por quase um ano, e quando acordou estava completamente catatônico, parecia que havia sofrido uma lobotomia. Sem chances de voltar a ser o que era antes. O que quer que seja que aconteceu naquela missão, não foi e nunca irá para os registros da agência. 

– Já havia pensado nisso. É por essa razão que eu não posso contar nada pra vocês. Eu já estou com um pé na cova, vocês não precisam vir comigo. Eu vou cumprir essa missão, fazer tudo que Taeyeon mandar, talvez quando isso acabar eu possa pedir que ela me mate dignamente. 

– Você não vai morrer, porra! – Jessica gritou. – Eu vou garantir sua segurança, nem que eu tenha que colocar todos os caçadores do mundo contra aquela capirota vesga! 

Tiffany sentiu uma pontada em seu peito, estava emocionada por sua amiga se importar tanto assim consigo, mas não iria arriscar a vida de mais ninguém. Seu destino já estava tragicamente traçado. Bastava aceitar. 

– Jessi, eu agradeço, mas sabe que não pode fazer isso. – Suspirou. – Não pode colocar a vida de outras pessoas em risco só por minha causa. O que está feito, está feito. Eu aceito isso, e eu espero que você aceite minha escolha. – Sorriu tristemente para a amiga. 

– Tem de haver um jeito. – Jessica falou com a voz embargada, seu lábio inferior tremendo um pouco, devido ao choro que tentava segurar. – Eu vou achar um jeito, Tiff. Você não vai morrer, disso eu tenho certeza.


Notas Finais


É isso... o próximo não vai demorar tanto, pinky promise!!!
Até a próxima!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...