História After midnight - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Big Bang, G-Dragon
Personagens G-Dragon, T.O.P
Tags Bigbang, Choi Seung Hyun, Gtop, Kwon Ji Yong, Top
Exibições 41
Palavras 421
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Cada capítulo dessa história será contado por um personagem de cada vez, revesando entre Choi Seung-Hyun e Kwon Ji-Yong.
O capítulo a seguir é contado por Choi Seung-Hyun e escrito por Elly.

Capítulo 11 - Seung-Hyun


Fanfic / Fanfiction After midnight - Capítulo 11 - Seung-Hyun

 Kwon estranhou-me nitidamente, mas acabou comendo e puxamos alguns assuntos referentes à empresa e o seu aumento. Eu tentei não dar muita corda para ele, mas, mesmo sendo forçado, procurei sorrir um pouco mais e ser mais gentil possível. Eu ainda o tinha como principal objetivo de sucesso. Depois de pagar a conta, acompanhei-o até o prédio e disse-lhe que depois de terminar tudo, podia ir para casa e descansar. Vi então o seus recados no quadro, que fizeram-me revirar os olhos e xingá-lo mentalmente de retardado.

Em duas semanas, que passaram como lesmas, fui o mais compreensível e educado que pude com ele, chegando a pergunta-lhe se estava cansado ou gripado - não que eu me interessasse, mas se ele ficasse doente, quem ferraria-se no final seria eu -. Ele era uma boa pessoa, esforçado e, quando queria, educado. Não digo-lhe que era o melhor funcionário que tinha, pois era de longe, mas havia começado a acostumar-me com ele e suas roupas do lixão. 

Os bebês de Lucy nasceram e eu fui visita-los. Ela questionou--me sobre Kwon e contei-lhe todo o ocorrido, fazendo-a ir espontaneamente e falar que ele, de algum modo, acabaria fazendo bem ao meu humor, mais do que já estava fazendo, poi, para ela, eu estava sorrindo um pouco mais e minha desculpa fora que adorava crianças.

Minha ex-mulher, Hyorin, havia dado sinal de vida depois de quase 9 meses desde que o juiz havia declarado nosso caso como encerrado. Era incrível o fato de que, de alguma maneira, ela ainda queria herdar a MK - o que obviamente não aconteceria, pois eu tinha a razão e um ótimo advogado. Ela e eu ficamos casados por oito anos, sem filhos, pois mesmo gostando de crianças, nunca deixei que ela deitasse de tomar a pílula anticoncepcional todos os santos dias de manhã e de noite e que fizesse exames de gravidez a cada duas semanas. Mesmo com isso, não surpreendi-me com sua ligação, dizendo que ainda não desistira e que precisávamos conversar.

Separei uma certa quantia em dinheiro em um envelope e entreguei-o então para Kwon. "São 7,500", eu disse à ele. Fechei negócios com duas empresas e deixei o prédio mais cedo que o costume, para poder descansar, onde pedi para prepararem um banho para mim e terminei de ler um livro sobre sucesso profissional.

Eu tinha os contatos de Kwon, fazendo-me enviar-lhe uma mensagem, dizendo: Traga-me os relatórios que te pedi. Mesmo sabendo que ele não sabia meu endereço, seria divertido ver até onde ele iria.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...