História After The Storm - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camren, Drama, Fifth Harmony, Romance
Exibições 8
Palavras 1.248
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Primeiramente, eu estou bastante nervosa! Qual é? Nem motivos eu tenho. Creio que ninguém além dos meus amigos irá ler isso... Okay, chega de ser negativa!

Então, não sou a melhor pessoa para apresentar a minha humilde obra. Primeiro porque, quem escreve sempre acha que tudo está divino e devido a esse motivo deixo as críticas com vocês, mas, já adianto logo: Não esperem muito de mim ,pois uma pessoa que empurra a porta que possui a placa "PUXE" não merece confiança (Risos). Sempre tive muitas ideias para elaborar uma fanfic e o engraçado é que quando decidi começar a escrever eu tive um bloqueio criativo bem semelhante ao bloqueio continental que Napoleão impôs à Inglaterra em 1806, todavia os meus preciosos (amigos) apareceram da mesma maneira que Portugal apareceu para a Inglaterra, me dando assim toda a força necessária para escrever e por esses motivos quero fazer um breve agradecimento a cada um deles...

Vamos começar pela duplinha que faz maravilhas: Jeff (Pernambucano mais arretado) e Alex (Príncipe do Agreste), meninos, muito obrigada pela capa da fanfic e cá entre nós, vocês arrasaram porque olha eu ainda não superei e continuo babando nela. Não posso deixar de citar as três patetas que vivem fazendo o favor de enlouquecer a minha pobre cabeça e me xingam de tudo que é nome... Obrigada por cada xingamento e por todas as brigas que me fizeram ter (devido a minha mania de não prestar atenção quando falam comigo) Sara linda, Carol o filhote mais ingrato do mundo e Aninha... Amandenha e Geo não se preocupem porque na play vai ter The 1975, sim!(Risos). Aos meus bolinhos mais lindos um muito obrigada, não sei o que seria de mim sem a Lareeeenha e a "ninha" Bia. Por último e não menos importante gostaria de falar da Julinha a minha eterna balinha de goma, obrigada pela força e pela fé que tu colocou em mim afirmando que eu iria ser escritora... Só posso levantar as mãos para os céus e agradecer a Deus por ter colocado pessoas tão especiais como vocês em meu caminho.

Não pensem que possuo caráter amnésico, eu jamais me esqueceria de você. Isso mesmo querido(a) leitor(a), desde já agradeço a cada um de vocês por se sentirem interessados em ler algo escrito por mim e do fundo do meu coração espero que se divirtam com essa fanfic que vem animando meus dias e me encorajando a mostrar aos outros o que escrevo.

Beijo em cada um de vocês, bolinhos!!

Capítulo 1 - Reencontros


Fanfic / Fanfiction After The Storm - Capítulo 1 - Reencontros

07 de Agosto de 2014 – Miami, Flórida.

Enquanto esperava o sinal abrir, ela tamborilava sobre o volante impacientemente. Estava um pouco nervosa naquela manhã de quinta-feira, ansiava encontrar suas amigas que não via há bons anos. Com o objetivo de acalmar suas emoções ligou de imediato o som de seu carro, logo se ouvia uma voz profunda e inconfundível ecoando pelo interior do veículo. Mais uma vez Nina Simone salvara o dia de Lauren. Era incrível a maneira que suas músicas acalmavam aquela jovem e a faziam pensar, a cantora tão prestigiada possuía sua admiração, não apenas por ter um talento nato para música, mas também por sua inteligência, resistência, persistência... Por sua fibra de mulher.

Lauren conhecia por inteiro a vasta obra e a vida da grande diva do jazz, a jovem estudante de medicina fez questão de ler a turbulenta trajetória da mulher com quem ela tanto se identificava. Nina compôs e interpretou a sua verdade, sua luta encantando assim o mundo com sua tão potente voz juntamente da sua invejável coragem... Perdida em seus pensamentos ela lembrou-se de algo importante "E o amor? Será que Nina o conheceu?". Inúmeras vezes a morena de olhos esverdeados foi embalada pelas várias fases do amor cantadas naquela voz, porém não acreditava que Nina conheceu o amor, ao menos não o amor que ela almejava. "Mas, e eu? Eu conheço o amor?" ela acabou se perguntando, essa resposta ela conhecia e era um tanto dolorosa para alguém que passava horas a sonhar com determinado acontecimento. Não, ela não conhecia o amor, ainda não.
 

Era o terceiro sinal desde que começara a divagar. Estava distraída refletindo sobre o amor até que escutou repetidos barulhos de buzina atrás de si. Olhou para o sinal e viu que o mesmo já estava verde. Voltou sua concentração para o trânsito, sorrindo ao ouvir as últimas frases da música.

It's a new dawn

(É um novo amanhecer)

It's a new day

(É um novo dia)

It's a new life

(É uma nova vida)

For me

(Pra mim)

And I'm feeling good...

(E eu estou me sentindo bem)
 

Não demorou muito para Lauren chegar ao seu destino. Já se encontrava no estacionamento da Universidade Internacional da Flórida quando seu celular começou a tocar, ela o retirou de seu bolso e visualizou a tela: "Goleira de Totó". Atendeu logo em seguida.

- Oi Ally! - Falou em tom animado.

- Onde você está? – Ally perguntou de forma curta e grossa.

Lauren começou a sorrir de maneira descontrolada à medida que caminhava até o Panda Express.

- Qual a graça, Lauren? Eu e Normani não estamos achando nada engraçado esse seu atraso, sabia? – A baixinha perguntava sem parar de forma irritada do outro lado da linha.

A estudante de medicina continuou a sorrir e desligou a chamada no momento seguinte...

- Acredita que filha da puta desligou na minha cara? –  Ally perguntou virando-se com expressão séria para Normani.

- Nossa Ally! Que mau humor é esse? Não te conheci assim mulher de Deus... Relaxa, okay? Ela já deve está chegando. – Normani respondeu na tentativa de acalmar os nervos da amiga de infância.

- Sinto a falta dela, Mani. As vezes eu nem acredito que nossa caçulinha passou 4 longos anos distante de nós... Estou muito contente com a volta dela.

Ally e Normani suspiraram para depois encararem a porta do estabelecimento e observar a jovem que por ali acabara de entrar. Lauren caminhou rápido em direção as amigas para receber os milhões de abraços que ela tanto sentiu falta.

- Meu Deus, Lauren. Você está linda sua demônia! – Ally gritou sem se importar com as pessoas ao redor.

- O que fizeram com a minha escultora de suspiro favorita? Você era quase uma pastora quando deixei Miami. – Lauren falava com a baixinha enquanto Normani abraçava a amiga e ria daqueles apelidos ridículos que ela tratava Ally.
 

Depois de muitos beijos, abraços e gritos de Ally, as três amigas sentaram e resolveram por todas as conversas em dia. Ambas contaram sobre a faculdade, em como estão se saindo com os empregos, o quanto sentiam falta uma da outra... Estavam ali pouco mais de uma hora e meia até que o celular de Mani tocou interrompendo a conversa que as envolvia.

- Você não vai atender? – Perguntou Ally.

- É um número desconhecido. Não faço ideia de quem seja e se for importante irão ligar de um número que eu saiba identificar. – Normani respondeu.

- Uh, temos aqui uma mulher difícil! – Lauren afirmou. – Vem cá, me dá isso aqui que eu vou atender. – Falou puxando o celular das mãos de Mani.

A garota não gostou muito da atitude de sua amiga e olhou para Ally como se pedisse ajuda para controlar uma criança birrenta, a baixinha dava de ombros pois sabia o quão teimosa Lauren poderia ser.

- E então? Quem era? – Ally perguntou controlando uma risada quando viu sua amiga encerrar a ligação.

- Uma tal de Dinah. Nem conheço, mas já considero muito... Temos uma festa para ir, ás oito em ponto estarei passando com Vero para dar carona a vocês duas. – Lauren finalizou retirando seu celular do bolso para olhar a hora.

- Calma. Deixa eu ver se entendi direito. – Normani começou a falar. – Você disse a Dinah que nós íamos à festa?

- Sim. – Lauren falou encarando o celular sem dar muita atenção a Mani.

Um silêncio insuportável caiu sobre aquela mesa. Lauren continuava a mexer no celular, Ally encarava seu suco controlando as risadas e Normani tentava digerir o que acabara de acontecer. Sua amiga havia confirmado a presença delas na festa onde ela encontraria seu ex-namorado. Aquilo era uma tragédia aos seus olhos.

- Eu não vou! – A garota negra falou em tom firme.

- O QUÊ? – Ally e Lauren gritaram em uníssono.

Normani encarou-as incrédula enquanto as pessoas ao redor voltaram os olhares para a mesa das três amigas. Lauren olhou em volta com uma expressão séria se aproveitando de seu olhar penetrante para encarar todos os curiosos que ali estavam. Em poucos segundos todos voltaram a prestar atenção em suas devidas conversas.

- Essa é a minha garota! – Ally falou sorrindo abertamente.

- Agora eu preciso ir, meninas! O papo foi ótimo, mas ainda quero falar com meu pai antes de avisar a Vero que temos uma festa para ir. – Lauren disse se levantando e deixando um beijo no topo da cabeça das duas amigas que já a olhavam de maneira triste. – E antes que eu esqueça, Manibear você vai a essa festa sim... Nem que eu te leve a força. – Finalizou deixando cem dólares sobre a mesa para ajudar as amigas a pagar a conta. – Amo vocês e até mais tarde!

Após perder Lauren de vista, Normani virou-se para Ally e perguntou:

 - Quando que ela se tornou tão confiante e ousada assim? 

- Bom, isso eu não sei. Só posso dizer que estou adorando e vou pedir em minhas orações para continuar assim porquê está muito lindo. – Ally respondeu fazendo Normani sorrir. 

Aquela manhã de sete de agosto havia sido maravilhosa. Lauren havia se divertido, tinha reencontrado suas tão amadas amigas e aquilo a enchia de felicidade. Ela não poderia ser mais grata. Levava uma boa vida, tinha uma boa família, bons amigos e ainda teria uma festa mais tarde...

- Esse dia não poderia ser melhor! – Falou para si mesma enquanto acelerava sua sw4. – Ou poderia? – Sorriu enquanto olhava sua imagem no retrovisor e seguiu caminho para casa.

 


Notas Finais


Olá, bolinhos! Como estamos?

Ahhh, eu estou nervosa!

Enfim, quem quiser ouvir a música que Lauren escuta enquanto está no carro vou deixar ela aqui abaixo para vocês...

Feeling Good – Nina Simone.

Ps: Amo forte essa música.

Beijinhos na testa mozamores!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...