História After the Storm - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Jack & Jack
Personagens Camila Cabello, Jack Gilinsky
Tags Drama, Romance
Visualizações 134
Palavras 2.120
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Drogas, Estupro, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLAAAAA!!! como vocês estão??? gente eu amei cada comentário no capítulo anterior, eu to tao ansiosa pra essa fanfic quanto vocês!! espero que todos estejam aqui até o final!!
boa leitura!!!!!
ps: o capítulo deve estar pequeno mas foi necessário. eu o dividi em duas partes, então eh issoooo

Capítulo 5 - She's making him crazy.


Jack Gilinsky P.O.V:

Acordei com o despertador soando nos meus ouvidos. Revirei os olhos e joguei o aparelho perturbador no chão, logo fazendo o mesmo parar de apitar.

Abri os olhos devagar — por conta da claridade do sol — e fui me levantando aos poucos, com certa dificuldade.

Olhei para o lado e vi Camila dormindo calmamente. Me aproximei da mesma e pude reparar mais seu rosto. Seus cílios são grandes, seus olhos são de tamanho médio. Ela não era tão branca e nem tão morena, sua cor de pele era bonita, meio bronzeada. Seu rosto é levemente redondo, suas sobrancelhas são um pouco grossas, bem escuras. Possui pouca covinha. Seus cabelos são negros e seus olhos são castanho-claros. Seus cabelos são meio ondulados. Suas bochechas são da cor de pêssego. Ela era tão baixinha e indefesa, nem parece que por dentro era grossa. Camila é magra, possui pernas, coxas e bunda bem definidas. Bem definidas mesmo.

Nate ia pagar caro por isso. Cada dia que passa ele vacilava mais ainda, e eu não poderia deixar isso acontecer. Não mesmo.

— O que você está fazendo? — ela sussurrou enquanto abria os olhos com dificuldade. Só depois fui perceber que estava acariciando sua bochecha.

— Nada, eu só... — me levantei rapidamente. — Vim te acordar, estamos em cima da hora. 

— Eu não quero ir pra escola. — ela disse se afogando no travesseiro. — Ninguém acredita em mim, Jack, eles me acham uma garota maluca. Hailee não fala mais comigo e eu só tinha ela. Eu não tenho mais ninguém.

— Ei, ei, ei. — falei a interrompendo. — Você tem a mim, tá bem? — coloquei minhas mãos na sua nuca. — Eu sei que fui um idiota por não ter te defendido, metade disso foi minha culpa, mas você precisa confiar em mim. Você não estará sozinha, ok? Eu não vou deixar que isso aconteça.

Camila apenas sorriu e me abraçou. Respirei fundo e retribui o seu abraço, sentindo seu cheiro doce entrando nas minhas narinas. Eu precisava lhe dar carinho e proteção. Ela estava com medo, sem rumo. E eu não vou deixar que nada aconteça com ela. E se for pra enfrentar o Nate, então assim farei.

Camila Cabello P.O.V:

Jack e eu trocamos de roupa e fomos pra cozinha. Sentei em cima da pia e peguei uma banana que estava ali, logo comecei a comer.

Era estranho estar com ele ali. Depois do ocorrido de ontem eu nunca mais tinha que olhar na sua cara. Ele não me ajudou. Ele havia defendido um estuprador. Mas o meu coração dizia outra coisa, para perdoá-lo. Eu sei que é estupidez da minha parte mas eu preferi seguir o meu coração. Eu acreditava na bondade das pessoas, eu acreditava que Jack podia mudar e podia se tornar uma pessoa melhor. 

— Onde estão os seus pais?

— Eles vivem fora. — Jack deu de ombros. — Eles viajam o tempo todo por causa do trabalho, acho que da última vez que eu os vi foi mês passado. — arregalei os olhos. — Eu já me acostumei com isso.

— E você vive sozinho? — perguntei novamente. Jack assentiu com a cabeça. — Que merda. — falei e ele arqueiou as sobrancelhas. — Não que seja uma merda você ficar sozinho, é que... eu... — comecei a gaguejar. Droga, Camila, você é uma tola.

Jack riu nasalado e seu celular começou a tocar. Agradeci mentalmente a Deus por isso. Não pude deixar de evitar minha curiosidade e olhei para sua tela.

— Quem é Madison? Não vai atender?

— Não. — ele disse guardando o celular. — Madison é apenas uma garota. 

— É aquela garota que estava entre suas pernas ontem? — falei não deixando de evitar minha cara de nojo. 

Jack arqueiou as sobrancelhas e riu nasalado.

— Tipo assim? — ele se enfiou  cuidadosamente entre minhas pernas.

Meu coração se acelerou e meus olhos se arregalaram. Não sei porque mas eu havia ficado sem reação. Jack estava muito próximo de mim e ele, como sempre, tinha aquele maldito olhar que sempre me intimidava. Meus olhos rolaram pela sua boca e eu fiquei um bom tempo encarando seus lábios.

— É, tipo assim. — falei gaguejando. — Quem é essa garota?

— A gente ficava. — ele deu de ombros. — Mas ela acabou se apaixonando, afinal, quem não se apaixona por mim? — ri nasalado. — Enfim, eu não queria nada sério, e ela entendeu isso. Ela é só minha ficante.

Ficamos um bom tempo nos encarando. Eu apreciava cada detalhe do rosto de Jack. Como sempre, eu havia me perdido nos seus olhares.

— É melhor irmos. — falei saindo de cima da pia. 

— Sim, é melhor irmos.  — ele falou gaguejando. — Vamos? — assenti com a cabeça. Jack abriu a porta e eu saí pela mesma. Ele trancou, guardou a chave no bolso e fomos a caminho pra escola.

(...)

— Jack, eu não quero. Sério, eu já mudei de ideia. Não vou entrar nessa escola, nunca mais. — falei enquanto tentava fugir, mas Jack sempre me puxava.

— Olha, entenda uma coisa. Você ficar fugindo não adianta nada. O Nate quer ver isso, você com medo. E ontem a noite foi uma prova disso, não tenha medo dele, Mila. 

Mila?

— Eu não vou deixar ninguém te machucar, eu já falei. — ele disse. — Agora vamos. — Jack colocou sua mão pelo meu pescoço e abriu a porta da escola.

Todos os olhares se dirigiram a nós. Eu estava com receio, algumas garotas me olhavam com cara de nojo e o restante sem entender. Afinal, o que uma garota maluca estava fazendo ao lado do garoto mais popular do colégio?

— Te vejo no intervalo? — paramos em frente ao meu armário.

— Sim, pode ser. — falei gaguejando.

 — Você tá bem? — suas mãos que estavam pelo meu ombro, deslizaram calmamente pelo meu braço. Foi como um choque pra mim, eu estava arrepiada.

— Sim, estou. Por que não estaria? — ri nervosamente.

— Ok. Até mais. — Jack depositou um beijo na minha testa e se dirigiu para sua próxima aula.

Respirei fundo e me virei. Peguei meu material de Biologia e quando virei novamente dei de cara com a Lauren.

— Jack Gilinsky? Sério? — ela falou unindo as sobrancelhas. — Eu pensei que você achasse ele um babaca. Até porque ele não te defendeu e é amigo de Nate Maloley.

— É, eu sei. É complicado. — falei e começamos a andar. — Eu não sei explicar, Jack é diferente dos meninos. Eu acredito que ele possa ser uma pessoa diferente. — dei de ombros.

— E você acha que você vai mudá-lo? — ela perguntou e logo soltou uma risada abafada. — Desculpa acabar com suas expectativas, Camila, mas ninguém nunca vai mudar Jack Gilinsky. — ela finalizou a frase assim que entramos na sala de aula.

Uni as sobrancelhas. Por que ela estaria me falando isso? Lauren nunca conversou com Jack, ela não o conhecia. Eu tinha certeza que Jack poderia ser uma pessoa melhor, eu acreditava nele apesar de tudo o que já aconteceu.

— Você quer ir lá pra casa hoje? — perguntei e Lauren me olhou logo semicerrando os olhos. 

— Pode ser. — ela deu de ombros.

Sorri sem mostrar os dentes, Lauren fez o mesmo. O professor entrou na sala e começou a dar sua aula e tudo que eu pensava era em como fazer a Hailee acreditar em mim. Eu não iria deixar Nate se livrar dessa. 

Jack Gilinsky P.O.V:

O primeiro tempo de aula havia terminado. Saí rapidamente de sala e guardei meu material no armário. Fui até o armário de Nate e encontrei o mesmo mexendo nas suas coisas.

— Nós precisamos conversar.

Ele me encarou por alguns segundos e depois voltou a mexer no seu armário. Reparei que seu braço estava com um corte profundo.

— Que merda é essa? — perguntei segurando seu braço fortemente.

— Nada, porra. — ele falou alterando o tom de voz e fechou seu armário fortemente, atraindo atenção dos demais.

— Nada? — disse no mesmo tom que ele. — Por que você apareceu na casa da Camila ontem? — Nate revirou os olhos. 

— Eu só queria dar um susto nela pra ela nunca mais abrir aquela boca. 

— Acho que você já fez demais, não acha? — arqueei as sobrancelhas. — Ela está com medo, Nate, tenta se colocar no lugar dela. Então, por favor, deixa a Camila em paz. — ele assentiu com a cabeça, porém não olhou nos meus olhos. — E outra coisa, nunca mais ouse em tocar de novo nela, entendeu? Se eu descobrir que você fez isso, não só com ela mas com qualquer garota, eu acabo com você. — falei pausadamente e ele me encarou com os olhos arregalados.

Respirei fundo e fui para o refeitório. Peguei minha bandeja e coloquei alguns lanches que haviam por ali. Caminhei até a mesa onde estava Samuel e Johnson conversando e rindo.

— O que tá rolando? — coloquei a bandeja na mesa e comecei a comer o hambúrguer. 

Os dois pararam de rir na hora. Uni as sobrancelhas e vi que Samuel estava segurando um papel, o mesmo tentou esconder mas fiz questão de puxar a folha e ver uma coisa bizarra.

No desenho estava escrito: Miss bunda mais gostosa do terceiro ano. E haviam duas bundas, uma pequena que estava com o nome da Hailee, e uma grande que estava com o nome da Camila.

— Quem fez isso? — perguntei trincando meu maxilar e encarei os dois, que se entre-olharam. — Me respondam, caralho!

— Eu. — o Samuel falou. — A Hailee me deu um fora e eu fiquei muito irritado. E ainda tem esse boato de que ela foi estuprada pelo Nate, então pra me vingar eu fiz isso. — ele abaixou a cabeça.

— A Camila já viu esse desenho? 

— Cara, a escola toda já viu esse papel. — Johnson falou e eu arregalei os olhos. — Foi espalhando de sala em sala, agora todos já sabem, até Hailee e Camila.

Respirei fundo e me controlei pra não voar em cima de Samuel. Apenas me levantei e apoiei minhas mãos na mesa, ficando de frente para o mesmo.

— Você vai procurá-la e vai pedir perdão, entendeu? — falei. — E depois vai jogar o papel no lixo bem na frente dela. 

Samuel apenas assentiu com a cabeça. O som irritante ecoou pelos meus ouvidos, me fazendo revirar os olhos. Deixei minha bandeja em cima da mesa e fui para a próxima aula.

Eu realmente não sei o que estava acontecendo comigo.

Camila Cabello P.O.V:

Eu estava chorando pela décima vez no banheiro da escola. Abri a torneira da pia e joguei água no meu rosto, tentando limpar as lágrimas que não paravam de escorrer.

Ouvi uma batida na porta, mas não me liguei. Peguei um papel e sequei meu rosto apressadamente. Quando me virei, dei de cara com Hailee lavando as mãos.

— Hailee... — minha voz saiu falha. — Eu juro, eu não tenho nada haver com aquele papel, foi o Samuel que fez, eu...

— Eu sei que foi o Samuel que fez. — ela disse secando as mãos. — Camila, você não precisa chorar pelos cantos. Mostre-se forte, você precisa...

— Eu não consigo. — a interrompi. — Está tudo dando errado, as pessoas são malvadas, Hailee. — lágrimas começaram a cair no meu rosto novamente. — Eu preciso que você confie em mim sobre o Nate, eu preciso da sua amizade. Eu sinto sua falta.

Hailee me encarou. Seus olhos estavam marejados e seus lábios tremiam. Ela cruzou os braços e uma lágrima escapou de seu olho.

— Jack me contou tudo. — ela disse e eu arregalei os olhos. 

— Como? — perguntei.

Meus olhos estavam cheios de lágrimas. Eu não conseguia acreditar que Jack fez isso. Ele deixou seu amigo de lado e me ouviu. Ele fez isso por mim.

— Ele me disse ontem. Eu estava em casa e ele apareceu lá falando que queria conversar comigo. — ela respirou fundo. — Ele me contou toda a verdade, Camila. E eu me senti tão suja e idiota por não ter acreditado em você. Eu me senti um lixo. — a essa altura nós duas estávamos chorando. — Eu queria me desculpar por isso, Camila. Desculpa por não ter ficado no seu lado. — assenti com a cabeça e suspirei pesadamente. — Eu vou embora. — arregalei os olhos. — Eu não consigo mais encarar essas pessoas como se nada estivesse acontecido. Eu vou embora e vou recomeçar a minha vida. Eu preciso disso. — ela deu um sorriso sem ânimo. — E em questão ao Jack... dê uma chance a ele, Camila. Eu não sei o que está acontecendo mas ele está diferente. Ele nunca faria isso por uma garota. Acho que realmente ele está gostando de você. — ela riu nasalado. — Não desista dele. Faça-o tornar uma pessoa melhor. — assenti com a cabeça. — Eu vou sentir sua falta, Camila. Adeus.

Ela se virou porém eu a puxei. Dei um braço apertado na mesma. Eu precisava muito disso. Saber que Hailee estava guardando essa angustia o tempo todo e que hoje ela iria embora da cidade, me fez surpreender. Ela era forte. Ela aguentou isso tudo sozinha. E eu acho que deveria fazer o mesmo.










Notas Finais


então..... OQ ACHARAM??? ESPERO QUE TENHAM GOSTADO!!!
antes que comecem os "ai mas só tem cinco capítulos como o jack já pode tá gostando dela?? mas já??" gente entendam que não eh "gostar", o jack assim que viu a camila pela primeira vez sentiu uma atração ENORME por ela. os dois sentiram na verdade. eles se desejam, entende? por enquanto ele não tá gostando, qm sabe daqui pra frente? hehe
ENFIM
comentem muito por favor, vocês comentando me incentivam a escrever e atualizar mais rápido ainda, então tudo depende de vocês!!
até mais, bjss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...