História After You - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Arrow, The Flash
Personagens Barry Allen (Flash), Cisco Ramon, Detetive Joe West, Dr. Harrison Wells, Dra. Caitlin Snow, Eddie Thawne, Eobard Thawne / Flash Reverso, Felicity Smoak, John Diggle, Oliver Queen (Arqueiro Verde), Personagens Originais, Wally West (Kid Flash)
Tags Barry Allen, Caitlin Snow, Lily Snow, Snowallen, Snowbarry, The Flash
Exibições 182
Palavras 1.829
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hey! Como estão?
Adivinhem quem está morrendo de cansaço após fazer uma prova super complicada em pleno domingo? Isso mesmo, EM PLENO DOMINGO. É a autora que vos fala que, apesar de toda acabada vem com capítulo novinho para o deleite de todos vocês.
Agora, obrigado pelos 21 favoritos, vocês são maravilhosos <3
Obrigado também pelos comentários, sério, eu amo vocês <3
Agora, enho quase certeza que vocês vão querer me matar pelo final.
Até lá embaixo!

Capítulo 5 - Capítulo 5 - Tarde Agradável


Fanfic / Fanfiction After You - Capítulo 5 - Capítulo 5 - Tarde Agradável

Lily Snow não saia muito de casa, pelo simples fato de que não possuía amigos em Nova Iorque. Crianças da sexta série poderiam ser tão horríveis quanto os vilões dos filmes que a ruiva assistia; mais malvados até que Darth Vader e Voldemort juntos. Sua mãe, inclusive, não gostava muito de ver a filha solitária, pois ela é uma apenas uma criança.

Em sua nova escola não era muito diferente. Já estava estudando a quase uma semana e nada de fazer amigos, apenas um ou outro colega, por assim dizer. Ela tinha que admitir; não levava o mínimo jeito para fazer novos amigos.

Esses dias de adaptação em Central City haviam sido bastante legais, pois a menina havia se aproximado mais de sua mãe. Não que Caitlin fosse uma mãe ausente, longe disso. O trabalho dela a fazia ficar mais tempo longe da filha, só isso. Mas agora, com o período de adaptação já concluído, a velha rotina já tinha se estabelecido.

Lily estava mais inquieta do que o comum, irritada por os ponteiros do relógio passarem tão lentamente. Ela só queria ir para casa e assistir algum filme, em companhia da empregada, já que sua mãe estaria no trabalho.

Assim que o sinal bateu, a pequena correu o mais rápido possível para a saída, e surpreendeu-se ao ver seu padrinho, Cisco Ramon, esperando-a em frente a seu carro. Ela saltitou, sorrindo para ele, até chegar a seu encontro.

— O que faz aqui, tio Cisco? — perguntou Lily.

— Hoje é o meu dia de folga, então pedi para a Caitlin dar permissão para eu passar o dia com a minha afilhada favorita.

— Sério?! — Lily não podia negar, estava feliz em fazer algo com o padrinho, que parecia estar sempre tão ocupado quanto Caitlin.

— Sério! — Cisco parecia uma criança ao lado da afilhada, ele gostava muito da pequena e não entendia o fato de alguém tão animado e simpático não possuir tantos amigos, mas sua ideia não era apenas passar uma tarde com ela. — Vamos, entre no carro.

— Para onde vamos?

— O que acha de irmos à uma pizzaria que fica aqui perto? — Cisco pôs o cinto de segurança, sendo imitado por Lily. — Tenho certeza que você vai gostar. E a pizza de lá vai fazer você querer repetir muitas e muitas vezes.

— Vamos sim, tio!

×××

Assim que chegou no local, Lily logo acomodou-se em uma das mesas, sendo seguida por Cisco, que parecia distraído com algo mais interessante em seu celular. Ele logo fez o pedido e começou uma conversa animada com Lily, que parecia maravilhada por receber a atenção de um adulto que não fosse sua mãe.

— Tio Cisco, posso te fazer uma pergunta?

— Já está fazendo, Speedy.

— Então eu posso fazer outra pergunta? Além dessa, é claro.

— Vamos, pergunte.

— Não conte para a mamãe que te perguntei isso, o.k? — o brilho presente no olhar da garota foi se apagando aos poucos. — Você conheceu o meu pai?

— Bom... eu, o conheci. Sim, o conheci. — Cisco não sabia o que responder para a garota, então optou por uma verdade um tanto distorcida. — Eramos amigos, muito amigos.

— Você ficou triste quando ele sumiu?

— Quando ele sumiu? Ah, sim, claro. Quando ele sumiu. Sim, fiquei muito triste, pois eramos muito próximos. — respondeu ele, enquanto a pizza que tinham pedido chegava. — Não vamos comer agora, o.k? Eu sei que é rapidinha, Speedy, mas vamos esperar.

— Esperar pelo que?

— Não pelo que, mas por quem.

Na entrada da pizzaria, Cisco avistou Barry, procurando-o. Quando o viu, sorriu e foi em sua direção. Lily estranhou o fato de Barry ter ido para onde estavam, mas logo se tocou que ele era o "quem" que estavam esperando.

— Desculpe a demora, Cisco. — falou ele, sentando-se. — É que tive um problema com a Íris.

— Não vamos falar sobre isso agora, certo? Olha, hoje eu tenho a tarde livre e vou passa-la com a Speedy. O que acha de se divertir um pouco com a gente e se esquecer um pouco dos problemas da vida?

— Ah, oi Lily. — cumprimentou, simpático.

— Oi, Barry. — Lily não podia negar, simpatizava muito com Barry. Talvez fosse pelo ar descontraído que o homem exalava, ou talvez fosse pelo simples fato dele ser amigo de sua mãe. A menina só sabia que, provavelmente, teria uma bela amizade com ele, apesar de este ser um adulto. — Podemos comer agora?

— Parece que tem alguém aqui morrendo de fome, não é, Cisco? — Barry riu divertido. — Vou te contar um segredinho, Speedy, eu também não aguento ver uma pizza, que quero logo comer ela toda.

— Você já comeu uma pizza inteira, Barry? — perguntou, admirada, arregalando os grandes olhos verdes.

— Já sim. Você não?

— É melhor não dar ideia a Lily, Barry, porque depois ela come uma pizza inteira, fica doente, e a Caitlin vem reclamar comigo.

— Aliás, onde está a Caitlin? — Barry não podia negar, esperava muito que Caitlin estivesse com eles. — Por que ela não veio?

— Decepcionado, Barry? — Cisco estava gostando do rumo que a conversa ia seguindo, diferente de Barry.

— Por que você tá decepcionado, Barry? — os dois pareciam ter esquecido que Lily estava com eles, e só perceberam isso após a menina questjona-los enquanto comia seu pedaço de pizza. — Você queria que a minha estivesse aqui?

— Sim, porque... porque já faz tempo que não conversamos, sabe? Ela chegou por esses dias e nem tivemos tempo de sentar para conversar um pouco.

— Fico feliz que você seja amigo da minha mãe. — Lily abriu um grande sorriso, capaz de contagiar qualquer um. Barry não resistiu e retribuiu o sorriso. — Você é legal.

— Você também é muito legal, Speedy. Sabia que eu gosto muito do seu apelido?

— Foi minha mãe quem colocou. Segundo ela, eu falo rápido demais.

Cisco estava estranhamente calado durante o resto da tarde, quando os três foram para um parquinho próximo da pizzaria onde estavam, apesar dos protestos de Lily, pois, segundo ela, não era mais criança para brincar naquele tipo de brinquedo. Cisco estava mais interessado em aproximar Barry de Lily, o que estava dando muito certo, pois os dois já pareciam muito amigos.

Não era uma tarefa muito complicada fazer os dois se tornarem amigos, afinal, ambos possuíam uma personalidade bem parecida. Além disso, os dois se pareciam muito fisicamente, dando a verdadeira impressão que eram pai e filha.

×××

Barry estava bastante irritado, aquele dia. Principalmente após discutir com Íris pela décima vez só pela manhã. Aquele devia ser o recorde em brigas do casal. Por isso, ele não pensou duas vezes antes de aceitar o convite de ir comer pizza com seu amigo Cisco e com Lily, filha de Caitlin.

Ele não podia negar, esperava muito que Caitlin estivesse com eles. E ficou um tanto decepcionado quando viu apenas Lily e Cisco. Porém, sua decepção logo cessou quando começou uma conversa Speedy.

Barry simpatizava muito pela menina, e a achava extremamente agradável e simpática. Tanto que, em uma tarde, os dois se tornaram grandes amigos.

Já ao anoitecer, Cisco levou os dois para seu apartamento. Lily, cansada, logo adormeceu no sofá. Aquela era a hora perfeita para Barry ter a conversa que queria ter tido alguns dias atrás com Cisco.

— Cisco, acho que precisamos conversar. — chamou ele, um pouco irritado.

— Já estava esperando por isso.

— Por que não me falou que a Caitlin tinha feito uma nova vida em Nova Iorque? Que ela se casou e teve uma filha? Por que não me contaram, hein?

— Ela não queria contato com ninguém de Central City. — respondeu ele, calmamente.

— Mas ela manteve o contato com você.

— Não é a mesma coisa.

— Ah, não é a mesma coisa? Cisco, você está querendo me fazer de bobo?

— Não. — disse Cisco, mais sério do que de costume. — Só estou dizendo que, talvez, a Caitlin só tenha tido a vontade de mudar de vida, e esquecer tudo o que a machucou algum dia. Você deveria conversar com ela, entender os motivos dela para apagar Central City e as pessoas dela durante esses anos todos.

— Talvez esteja certo. — falou Barry, após alguns segundos de silêncio. — Acha que a Caitlin está zangada comigo?

— Isso é com você. Ela teria algum motivo para se zangar? Olha, eu tive uma ideia. Por que não leva a Speedy para casa e aproveita e conversa com a Caitlin? Quem saiba hoje você nem precise dormir no sofá, se é que me entende. Eu empresto o meu carro, porque não é muito bom que a Speedy saiba do Flash.

×××

Barry olhava de segundo em segundo para o banco traseiro, onde Lily encontrava-se dormindo, ainda com o uniforme da escola e completamente suja, como qualquer criança que passa o dia brincando.

Inconscientemente, o homem sorriu, admirando a menina. Barry não sabia a razão, mas sabia que tinha que proteger Lily de qualquer coisa que lhe acontecesse. Seu extinto para com a criança era de proteção. Ele não compreendia isso, mas achava que era pelo fato da garota ser filha de Caitlin.

Quando virou uma última vez para ver Lily, percebeu que a garota não parecia muito bem, pois fazia uma careta estranha.

— Lily. — ele não obteve resposta. — Lily. SPEEDY.

— Barry? — ela se levantou rapidamente, abraçando os joelhos. — O que...?

— Estou te levando para casa. Você está bem?

— Tive um pesadelo.

— Odeio quando tenho pesadelos.

— É sempre a mesma coisa, Barry. Eu sempre tenho os mesmos pesadelos.

— Sério? — admirou-se. — Eles são tão ruins assim?

— Podemos não falar sobre isso? — pediu ela, tristonha. Barry não gostou de ver a menina desse jeito, então fez o que ela pediu, não tocou mais no assunto.

Logo os dois chegaram no prédio em que a garota morava com a mãe, e Barry sentiu um frio na barriga logo que entrou no elevador. Aquele prédio trazia algumas lembranças... Não ia pensar nisso, só ia focar na conversa que teria com Caitlin.

Assim que chagaram no andar de Caitlin, Lily logo correu para porta e bateu nela, esperando ansiosamente a mãe abri-la.

— Que demora, Speedy! — disse ela, em tom de censura. — Cisco, por que dem...

— Eu que vim deixa-la. — falou Barry. — Posso entrar? Queria conversar com você.

— Cla... claro, Barry, entre. — disse ela, dando espaço para que ele entrasse. — Speedy, vá tomar banho para dormir.

— Certo, mamãe. — Barry logo perdeu a ruivinha de vista, que correu rapidamente em direção a um corredor do apartamento.

— Acho que temos assuntos para pôr em dia.

— Sim. Temos. — respondeu Caitlin.


Notas Finais


Gostara? Odiaram? Vão me matar?
Beijos! Até os comentários, seus divos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...