História After You - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Arrow, The Flash
Personagens Barry Allen (Flash), Cisco Ramon, Detetive Joe West, Dr. Harrison Wells, Dra. Caitlin Snow, Eddie Thawne, Eobard Thawne / Flash Reverso, Felicity Smoak, John Diggle, Oliver Queen (Arqueiro Verde), Personagens Originais, Wally West (Kid Flash)
Tags Barry Allen, Caitlin Snow, Lily Snow, Snowallen, Snowbarry, The Flash
Visualizações 114
Palavras 2.505
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Capítulo V - Íris contra-ataca


​CAPÍTULO V - ​ÍRIS CONTRA-ATACA

​Caitlin

Se arrependimento matasse, Caitlin Snow já havia morrido. Ela não sabia onde estava com a cabeça quando decidiu aceitar o convite de Íris para ir para esse jantar. Lá estaria todo mundo; Oliver, Felicity, Joe... qualquer um que fosse mais atento que Barry perceberia a semelhança entre ele e Lily.  

Ela já sabia o que ia fazer: dizer que estava doente seria sua melhor chance. Ela não poderia ir para esse jantar de forma alguma, então uma virose iria impedir isso.  

Esse era seu plano. Bom, pelo menos até alguém bater sua porta. Assim que abriu-a, deu de cara com uma animada Felicity, que mal esperou a porta ser completamente aberta para dar um salto na amiga em um abraço apertado e demorado.  

— Caitlin! — exclamou a loira, animada. — Nunca mais faça algo assim, certo? Você sumiu por muito tempo! Por um momento achei que você tinha sido abduzida por algum E.T.  

— Oi para você também, Felicity. — disse ela, sorridente. — quanto tempo, não? Eu queria ter ligado para você, assim que cheguei, mas estava sem tempo.  

— Sem tempo para sua amiga, hum? — Felicity sentou-se no sofá da sala de Caitlin, que imitou o gesto da amiga. — Por que você fez isso, Cait? Por que foi para longe? Todos nós sentimos sua falta.  

— Felicity, eu vou te dizer o real motivo de minha ida para Nova Iorque. — Caitlin suspirou. Se era difícil contar para Felicity, imagina para Barry. — É que eu escondi algo, e preciso falar isso para alguém. Acho que já guardei isso tempo demais.  

— Está me assustando.  

— Eu tive... — Caitlin foi interrompida por Lily, que chegou na sala animada e rindo de algo.  

— Oh, me desculpe. — pediu a ruiva, um pouco envergonhada — Não sabia que estava com visitas, mamãe.  

— Hum, Felicity, essa é Lily, minha filha. — apresentou ela. — Lily, essa é uma amiga da mamãe, a Felicity.  

— Awn, que linda! — comentou Felicity, enquanto abraçava a menina, que também abraçou-a, apesar de ser a primeira vez que via mulher — Você é tão linda, Lily! Bem mais do que o Francis falou!  

— Conhece o Francis? Ah! É a mãe dele, não é?  

— Sou sim. — disse Felicity, bastante orgulhosa, pelo que Caitlin percebeu. — Espero que vocês dois sejam tão amigos quando eu e sua mãe somos!  

— Acho que seremos! — falou Lily, virando-se para a mãe. — Mãe, posso ir na lanchonete aqui em frente comprar um pouco de batata frita?  

— Pode sim. — respondeu Caitlin — Só não demore, o.k?  

— Não vou demorar, prometo! — Lily saltitou alegremente até a porta, mas parou logo em seguida. — Tchau, Felicity!  

— Como eu ia dizendo... — começou Caitlin, quando percebeu que a filha já tinha saído, porém, foi novamente interrompida, dessa vez pela própria Felicity.  

— Lily é filha do Barry, não é? — Caitlin olhou-a, surpresa. — Ei, não me olhe com essa cara, Cait! Eu não sou boba, certo? Está bem na cara que a lindinha ali é uma Allen, e só o Barry, o homem mais lento do mundo, para não perceber isso. Acho tão irônico o fato de ele ser tão lento em algumas coisas... mas, por que você escondeu isso de todos?  

— É complexo. — tentou explicar-se. — O Barry sempre amou a Íris, sempre quis ficar com ela. O que aconteceu entre nós foi apenas um deslize, deslize esse que resultou na Lily. Eu não queria estragar a vida dele com uma responsabilidade a mais, sendo que ele já salva Central City diariamente. Então eu percebi que essa seria uma ótima oportunidade para mudar, conhecer coisas novas. Eu sei que fiz errado.  

— Mais alguém sabe? — Felicity aproximou-se da amiga, dizendo a última palavra quase que em um sussurro.  

— O Cisco sempre soube — confessou Caitlin — Ele nunca gostou muito de eu ter escondido isso de todos. Para ele, o Barry seria o homem mais feliz do mundo ao saber que tem uma filha.  

— E ele não está enganado. Barry se sentiria imensamente feliz ao descobrir que tem uma filha e, principalmente, alguém tão esperta como a Lily. Deus sabe a frustração dele e da Íris por não terem filhos nesses anos de casado.  

— Íris! — Caitlin exclamou, assustando a loira. — Eu quase já tinha me esquecido.  

— O que?  

— Acho que a Íris está desconfiada de que a Speedy é filha do Barry. Aliás, ela nos convidou para um jantar hoje à noite na casa deles.  

— Speedy? — Felicity olhou-a de forma curiosa. — Não vai me dizer que...  

— Eu ainda não sei. — Caitlin suspirou, um tanto derrotada — Dei a ela esse apelido porque ela fala rápido demais. É estranho, confesso. E eu também tenho quase certeza que ela será uma velocista, até porque já dá alguns indícios. Além disso, Lily tem sonhos com dois velocistas, um vermelho e outro amarelo.  

— Isso é estranho mesmo. É bom ficar bem de olho na Lily, ao que me parece, ela herdou isso do Barry também.  

— Felicity, você vai ao jantar hoje?  

— Sim. Oliver fez questão de aceitar o convite do Barry, então é claro que eu vou. Disse que a Íris te convidou também, não foi? Você vai?  

— Vou fingir que estou doente. — Caitlin sorriu fraco — Se alguém perguntar, quando esteve aqui, eu estava com quarenta de febre.  

— E dar esse gostinho para Íris West? Cait, você é melhor que isso, e sabe disso. Você vai à esse jantar sim, e sem discutir.  

— Acha mesmo que isso vai dar certo?  

— Quer a verdade? Não tenho certeza. Mas, olhe, você vai estar comigo, vamos nos divertir, eu acho. Não precisa se preocupar.  

— Acho que vou me arrepender disso. — comentou Caitlin, fazendo Felicity sorrir com seu pessimismo.  

As duas amigas passaram a tarde conversando, colocando os assuntos em dia, afinal, já faziam muitos anos que não se falavam, e Felicity aproveitou para conhecer melhor Lily, que chegou logo em seguida. Um pouco antes das seis, Felicity foi para casa, não sem antes de obrigar Caitlin a ir bem arrumada para esse jantar, pois se tinha que ir para um jantar na casa de Íris West-Allen, tinha que ir arrasando, não é mesmo?  

×××  

Caitlin respirou fundo ao parar o carro na frente da casa de Barry, no endereço que ele passou por mensagem. Lily, ao seu lado, nem percebia que a mãe estava um tanto eufórica ou estranha. Caitlin percebeu que a filha parecia bem animada, talvez pelo fato de rever Barry.  

Tirou o cinto, sendo imitada pela filha e abriu a porta do carro, caminhando lentamente até a porta da casa. Respirou fundo novamente e segurou a mão de Lily antes de bater na porta, sendo aberta logo em seguida por um Barry, muito sorridente, por sinal.  

— Que bom que vieram! — cumprimentou ele, abraçando as duas.  

— Pois é, a Lily queria muito vir.  

— Só a Lily? — perguntou ele, olhando fundo nos olhos de Caitlin. Aquele simples gesto fez o mundo parar por um segundo, um misero segundo, até Íris aparecer ao lado do marido, sorrindo.  

— Que bom que veio! — disse ela, com um sorriso de lado. — Barry, onde estão seus modos, hein? Por que não convidou as duas para entrarem? Andem, vamos.  

— Barry — chamou Lily, pegando em seu braço — O Francis também veio?  

— Veio sim. — respondeu ele — O Francis está lá no quintal, é só seguir esse corredor. Ele está lá com o pai dele. — olhou para Caitlin e Íris, que se encaravam. Estava com medo de que as duas tivessem alguma briga, é verdade, o ar na sala estava pesado. Então fez o que julgava ser mais certo: — Quer saber? Lily, vou com você. Vamos brincar nós quatro de alguma coisa. — Saiu pegando no braço fino de Lily. É verdade, ele combatia o crime diariamente, mas não sabia se queria combater alguma briga entre as duas. Oras, Felicity poderia apaziguar uma eventual discussão entre as duas, não é mesmo?  

×××  

— Vamos para a cozinha — Íris chamou — Felicity está lá.  

— Tudo bem — seguiu-a. Íris, porém, parou antes de as duas chegarem na cozinha.  

— Posso te fazer uma pergunta?  

— Hum, sim.  

— Quem é o pai da Lily, Caitlin? Ela me lembra alguém...  

— É de Nova Iorque, morreu já faz tempo.  

— Estranho, ela me lembra o Barry. 

 ××× 

​Barry

Barry estava feliz, caminhando ao lado de Lily para encontrarem Francis e Oliver no quinta de sua casa. Ao chegarem lá, de mãos dadas, encontraram os outros dois brincando de tiro ao alvo com um arco e flecha de brincadeira, rindo e se abraçando.  

O velocista encarava os dois com ternura, sentindo-se um pouco mal por sentir inveja de Oliver. O arqueiro sim era sortudo, tinha o amor da sua vida a seu lado, um filho maravilhoso, com quem se dava bem... enfim, Oliver tinha a vida que Barry desejava ter, tinha família que Barry sonhava formar, não com Íris, e sim com Caitlin Snow.  

Quando os dois chegaram lá, Oliver e Francis viraram a cabeça, observando os recém chegados, e demonstrando o quão são parecidos, não só fisicamente. Oliver pareceu pensar um pouco, desviando olhar entre Barry e Lily. Já Francis, meio afobado, correu para dar um abraço na sua nova amiga, que retribuiu o gesto contente.  

— Francis, então essa é a garota de quem falou? — questionou, aproximando-se.  

— É sim, papai. — respondeu ele, soltando-se do abraço com Lily. — Lily Snow, como te disse. Speedy, esse é meu pai, Oliver.  

— É um prazer conhece-lo, senhor Queen. — cumprimentou, de maneira educada.  

— O prazer conhece-la. Olha, Francis, o que acha de ensinar arco e flecha para a Lily, hum? — Oliver apontou para onde estavam antes — Eu e Barry já chegamos lá.  

Os dois foram para o local onde Oliver e Francis estavam, saltando contentes. Barry virou-se para Oliver, com cara de questionamento. Oliver iria vai me dar algum sermão?, questionava-se mentalmente ao ver a cara séria do amigo.  

— O que fiz agora? — perguntou, erguendo a sobrancelha.  

— Eu realmente não sei se você fez o que estou pensando. — respondeu ele, simplesmente. — Barry, não acha Lily parecida com alguém que conhece, hein? Por que eu acho.  

— Com quem? — Barry não estava entendendo onde Oliver queria chegar. — O que está querendo dizer?  

— Barry, quem é o pai da Lily?  

— Eu... eu não sei. — disse Barry — Por que a pergunta?  

— Para alguém super veloz, você é muito lento. — riu Oliver — Barry, você e a Caitlin já... já... ah, você sabe!  

— Bem, nós já sim. — respondeu ele, constrangido, coçando a nuca — Já faz um tempo.  

— Quanto tempo, para ser mais exato?  

— Uns doze anos.  

— Mais exatamente?  

— Mais exatamente.  

— Então não acha que...  

— Oliver, você acha que...? — Barry começou a raciocinar e ligar os fatos. O real motivo de Caitlin ir, a razão pela qual Lily era tão especial, o porquê se davam bem. — Acha que a Lily pode ser minha filha?  

— É o que está parecendo.  

Barry não sabia o que estava sentindo, estava perdido por completo em seus pensamentos. Se essa suposição de Oliver estivesse certa... se isso fosse verdade, ele não sabia como reagir. Caitlin não poderia ter feito isso com ele, ela não tinha esse direito.  

Observou Lily, de longe, junto de Francis, e não pode deixar de sorrir de canto. Apesar de ainda estar confuso, olha-la sorridente, com os olhos brilhando enquanto observava o filho do arqueiro acertar um alvo. Lily poderia ser sua filha, sua menina, sua princesa.  

— Oliver, pode ficar olhando eles?  

— Claro. — respondeu — Boa sorte com a Cait.  

×××  

Barry entrou em casa com raiva, e seguiu por ela procurando por Caitlin. Achou-a na cozinha, conversando com Felicity e, provavelmente, arrumando alguma forma de irritar Íris, que apenas observava as duas com certo tédio.  

Sem dizer nada, apenas pegou no antebraço de Caitlin e tirou-a de lá, sob protestos de Íris e Felicity. Ela o seguiu, mesmo sem entender nada, até o quarto de casal da casa, quando finalmente pararam, e ele trancou a porta.  

— O que aconteceu, Barry? — perguntou ela, sem entender nada.  

— Eu quero a verdade, Caitlin. — pediu, com irritação na voz — Não minta para mim. Você não pode mentir para mim.

— Sobre? — questionou ela, temerosa.  

— A Lily. — Caitlin ficou pálida feito papel. — Cait, a Lily é a minha filha? Por favor, me diz a verdade. Você não pode esconder isso, por mais doze anos.

— Barry, de onde tirou isso?

— Caitlin! Todas as evidências apontam para isso. A Lily é minha filha?  

— Sim. — confirmou, abaixando a cabeça. — Lily é uma Allen. Ela é sua filha.  

— Por que você fez isso?! — explodiu ele, gritando — Me privou de conviver com a minha, MINHA, filha! Você não tinha o direito de fazer isso, nos separou! Caitlin, por que fez isso?  

— Eu não podia estragar sua felicidade com a Íris, estragar sua vida perfeita ao lado da mulher que você ama. Barry, eu não podia fazer isso com você.  

— Sabe qual era o meu maior sonho, Caitlin? — seus olhos estavam cheios de lágrimas — Eu queria ser pai! Formar uma família! Eu... eu queria poder conviver desde o primeiro dia com meu filho, minha filha, e saber que aquele pequeno ser dependia de mim para começar uma vida. Você tirou isso de mim, Caitlin. Eu poderia ter convivido com a Lily, a minha princesa, e estar com ela desde sempre. Eu queria tanto ter estado do lado dela desde o dia em que ela nasceu, ter visto ela, minha menina, quando nasceu. Eu queria estar com você, no momento em que nossa filha veio ao mundo. Você não tinha esse direito!  

— Acha que não me senti mal? — Caitlin desatou a chorar — Eu tive que criar a Lily sozinha, Barry, e fiz isso pensando na sua felicidade ao lado da mulher que ama verdadeiramente! Foram os anos mais mágicos da minha vida, mas também foram os mais difíceis! Acha que não sofri, cheia de dúvidas, sozinha e sem você? Deus, Barry! É óbvio que sofri, sem ter você a meu lado. Eu me sinto egoísta até hoje por ter feito isso, mas fiz pensando em você!  

— Pensando em mim? — Barry olhou-a, indignado. — Faz ideia de como estou agora? Da confusão que estão os meus sentimentos?  

— Eu vou embora. — comunicou, levantando-se — Minha cabeça está explodindo. Abre a porta.  

— Essa conversa ainda não terminou — disse, segurando o braço da mulher — Amanhã vou passar o dia com a Lily, e verei se tenho coragem de contar o que descobri hoje.  

— Só... só toma cuidado, certo? Não machuque os sentimentos da minha Speedy.  

— Não vou fazer isso.  

×××  

Da janela de seu quarto, Barry viu o carro de Caitlin sair de onde estava estacionado. Cansado, jogou-se na cama, tentando assimilar o que havia acontecido aquela noite, naquele jantar que nem sequer aconteceu.  

Íris, ao que pareceu, cansou de bater na porta do quarto, buscando por respostas pelo ocorrido mais cedo. Em vez disso, escutou a voz de Oliver chamando-o. Lentamente, caminhou até a porta e abriu-a, deixando o amigo passar por ela para logo em seguida fecha-la novamente.  

— Lily Allen, certo? — perguntou ele. Barry apenas acenou positivamente. — Parabéns, papai.  

— Minha menina. — sussurrou o velocista — A Caitlin não tinha esse direito... eu perdi o crescimento da minha filha, Oliver. Eu sempre perco as melhores coisas, não devia ser assim.  

— Vai ficar tudo bem, amigo.  

— É isso que espero, Oliver. 


Notas Finais


É seriamente difícil escrever a Felicity, então não saiu bem da forma que eu queria.
Gostaram? Odiaram? Vão me matar? Comentem o que acharam, meu povo lindo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...