História Aftertaste - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ashley Benson, Justin Bieber, Orlando Bloom, Ryan Butler, Selena Gomez
Personagens Ashley Benson, Justin Bieber, Orlando Bloom, Ryan Butler, Selena Gomez
Tags Jelena, Justin Bieber, Selena Gomez
Visualizações 352
Palavras 2.531
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpa a demora meus bebês, mas ta ai mais um capítulo pra vocês.

Capítulo 12 - Estou gostando de ficar com uma pessoa só


Fanfic / Fanfiction Aftertaste - Capítulo 12 - Estou gostando de ficar com uma pessoa só

6 semanas depois

O loiro a minha frente parece se divertir com o que lhe digo sobre o que tem acontecido comigo e Selena. Nos últimos dias, ele se escora na cadeira enquanto eu o encaro pela minha mesa.

Às vezes, Ryan vem até a minha sala quando estamos com pouco trabalho, só para conversar. Apesar de sermos da mesma empresa, trabalhamos em setores diferentes e por isso não nos encontramos sempre.

— Ela fica me provocando o tempo todo, e quando estamos quase transando, sempre inventa algo. Diz que está com sono, que precisa ir embora, que está cansada. Eu estou achando que ela está fazendo um jogo comigo. — passo as mãos nos cabelos e Ryan solta uma pequena risada.

— Olha, cara, você não acha que ela pode ser um pouco insegura sobre sexo? As mulheres têm algumas paranóias a respeito disso, sabe? — quando Ryan diz, eu até cogito a opção, mas não acho que seja o caso. Selena não é insegura, dá para perceber.

— Não acho que seja isso. Selena realmente faz isso para me provocar, eu só não entendo o porquê de ela estar fazendo isso comigo. Na semana passada, ela foi para a minha casa com uma blusa transparente e sem sutiã. Eu fiquei maluco, mas ela falou que tinha que ir embora. — reclamo. — Estou ficando maluco. Faz uns três meses que eu não transo, nunca fiquei tanto tempo sem sexo. — a todo tempo que falo, Ryan tenta se segurar para não rir da minha cara, o que eu não acho nada engraçado.

— Uou, tudo isso, cara? Eu já teria caído o fora ou arranjado alguma para transar, afinal vocês não estão em um relacionamento.

— Você tem razão, mas eu estou curtindo muito esse lance nosso, não quero que acabe. E outra, eu estou louco para transar, mas é para transar com ela, entende? — confesso para ele como me sinto em relação a isso.

— Justin, você está sendo domado — Ryan ri de mim depois de zombar.

— Eu não to sendo domado, ela é minha amiga que eu beijo. E eu a respeito. Alias, Roxie gosta muito da Selena, sabe? Estou gostando de ficar com uma pessoa só, não é muito a minha praia fazer isso, mas esta sendo legal. — Ryan me olha com os olhos arregalados e eu o encaro franzindo o cenho.

— Então, peraê, você cogitaria a opção de namorar com ela? — ele pergunta.

Eu me espanto, nunca tinha pensado nessa possibilidade, apesar de já estar ficando com a Selena há algum tempo. Namorar, namorar mesmo, não tinha passado pela minha cabeça. Eu sempre fujo de relacionamentos e Selena é a única mulher que está me conquistando a cada dia mais, porém, não acho que estaria pronto para me amarrar a alguém, mas confesso que Ryan ter perguntado isso me deixou pensativo.

— É... Não, claro que não. — balanço a cabeça, sucessivamente negando o que havia perguntado.

— Tem certeza disso, cara? Você não pareceu muito convicente em dizer isso. — ele põe as mãos no queixo e ri de mim, como se quisesse que eu admitisse algo que não tem que ser admitido.

O barulho do meu celular interrompe o nosso diálogo. Minha mãe está me ligando.

— Oi, mãe. — atendo e peço para Ryan esperar um segundo enquanto falo com Pattie.

Esqueceu que tem mãe? — ela pergunta. soltando uma risada sacana.

— Mãe eu te liguei na semana passada. Pare de drama.

Estou brincando, filho. Mas, então, como está você e a Roxie?

— Estamos bem, mãe, e a senhora continua linda? — falo, ouvindo uma risada vindo do outro lado da linha

Deixe de ser bobo, filho, liguei porque estou com saudades suas e da Roxie. E como amanhã é sábado, eu queria que vocês viessem almoçar comigo. — uma pequena ideia surge na minha mente.

— Ah, vou sim, amanhã não tenho nada marcado mesmo. A propósito, vou levar uma pessoa comigo e com a Roxie, tudo bem? — Ryan me olha e manda vários beijinhos. Em consequência, mando meu dedo do meio para ele.

Hmmmm, vai me apresentar alguma namorada? — Pattie pergunta toda felizinha.

— Não, dona Pattie, é apenas uma amiga, okay? Sem insinuações.

Tudo bem, vou fingir que acredito. Então, espero vocês amanhã. Te amo, filho, dê um beijo na Roxie.

— Pode deixar, mãe, tchau, te amo. — finalizo a chamada e quando olho para Ryan, ele está com um sorrisinho no rosto.

— Isso não quer dizer nada, tá, Ryan? — sento na cadeira e pego alguns papéis.

— Ué, falei nada, você quem está dizendo. — ele levanta sua mão em rendição e ri.

Passo minhas mãos na nuca e começo a pensar.

Na verdade, eu nem sei o porquê de querer levar Selena conosco, só acho que gostaria que minha mãe conhecesse a pessoa tão boa e meiga que está fazendo parte da minha vida. Talvez seja bom, isso não significa uma grande coisa, né? Ou significa?

Pov Selena

Sábado 11:07 AM

Subo o elevador para o apartamento de Justin, que se localiza no 8 andar. Devido às visitas frequentes que faço a esse lugar, o porteiro nem me estranha mais, e logo permite com que eu entre sem precisar de algum tipo de identificação.

Quando Justin me falou do almoço na casa da sua mãe, confesso que fiquei receosa. Por que ele me levaria à casa da mãe dele? Mas somos amigos, ele deve ser acostumado a levar diversas mulheres lá, então por mim tudo bem.

Ao chegar ao apartamento, Roxie abre a porta, feliz. A garotinha mostra exuberância em me ver, pois alarga um sorriso e, por consequência, me abaixo para abraçá-la.

— Oi, meu anjinho. — falo, passando a mão em seus cabelos aloirados e lhe dando um beijo na bochecha.

— Tia Selena, o papai está todo enrolado, ainda está se arrumando. Eu já me arrumei todinha, olha meu vestidinho. Eu estou bonita? — Roxie tem a mania de falar as coisas rápido demais, o que faz tudo ficar mais engraçado.

— Você sempre está linda, princesa. — entro, sorrindo para ela. — Roxie, seu pai irá demorar? Porque se for, eu preciso colocar o pudim que eu fiz na geladeira. — quando falo, Justin aparece na sala terminado de botar a camisa.

— Não, a gente já está indo — o rapaz sorri enquanto vem me abraçar.

— Papai é todo enrolado — Roxie fala, agora sentada no sofá com os braços cruzados.

— Filha, por a caso você falou que eu me enrolei todo porque você sujou o seu vestido e teve que se trocar? — Justin põe as mãos no queixo e vai em direção à garota, a pegando no colo. — Acho melhor a gente ir logo, sabe como sua vó é, né?

— Tá, papai, deixe eu só pôr os meus sapatinhos lá no quarto. — ele pousa a meninha no chão, que logo corre em direção ao quarto.

Justin, em seguida, me olha e abre um belo sorriso. Ele é muito atraente. Vem em minha direção, pega em meu rosto e me dá um pequeno beijo.

— Justin, sério que é de boa eu ir com vocês? Sei lá, sua mãe não vai achar que temos algo? — isso me causa uma dúvida extrema.

— Ei, relaxe, e se ela achar, o que tem de mais? O que importa é a gente, né? — ele passa meus cabelos para trás dos ombros e beija meus lábios suavemente, arrastando as mãos por trás da minha cabeça e chegando a minha nuca.

Quando estamos prestes a aprofundar o beijo, Roxie chega à sala, me fazendo separar-nos de imediato e assim garantir que a garotinha não veja o que acabara de acontecer.

— Vamos para vovó. — ela vai até a porta.

Assim que chegamos à casa da mãe de Justin, é um pouco depois do meio-dia. Confesso que me encontro minimamente desconfortável com toda a situação. É tudo muito diferente, um diferente bom, mas diferente.

A moça abre a porta e logo nos recepciona. Ela é baixinha, consigo perceber que há uma grande semelhança com Justin, não tanta, mas um pouco.

Ela sorri simpática assim que me olha.

— Mãe, essa é a Selena, minha amiga. E, Selena, essa é minha mãe. — o loiro, que já se encontra dentro da casa, nos apresenta.

— Sou Pattie, seja bem-vinda. — ela me abraça. Até então, sorrio em gratidão por toda sua simpatia.

— Prazer em conhecê-la. — é normal ficar sem graça, posso sentir o nervosismo em minha pele. — Eu trouxe a sobremesa. — pego a bolsa onde contém o pudim que preparei ontem à noite.

— Ah, que gentileza! — Pattie sorrir e recolhe a bolsa da minha mão.

Por fim, entramos. Roxie, a todo momento, parece estar animada com toda a situação. Ela pega em minha mão e me guia para a sala, enquanto Justin, com as mãos nos bolsos, nos segue.

— Tia Selena, aqui tem fotinhas do papai pequeno. Veja aquele quadro ali. — quando olho para o quadro perto da escada vejo a foto de Justin quando criança aparentando ter uns dez anos.

— Ah, que coisa bonitinha. — falo, olhando para Justin enquanto ele revira os olhos.

— Vou pedir à vovó para te mostrar outras fotos. — Roxie está animada e bate palminhas.

— Pode aquietando aí, vai pedir nada, não — Justin fala, olhando para Roxie e pegando a garotinha no colo.

Pattie aparece na sala com um pano nas mãos, ela nos encaminha à mesa, dizendo que almoço já está pronto e que é melhor irmos comer logo antes que esfrie.

Quando estamos almoçando, conversamos sobre diversos assuntos; eu começo a me sentir confortável com tudo, a mãe dele é bem simpática e como é só a gente, eu não me sinto estranha.

Enquanto conversamos, acabo descobrindo que Justin cresceu sem uma presença paterna, pois seu pai mora em outro lugar. O via poucas vezes, até o Justin crescer e não querer mais saber do pai por conta do abandono.

— Mas então, Selena você é daqui mesmo? — Pattie começa um assunto em minha direção, até então eu estava meia calada

— Na verdade, eu sou do Texas, mas na minha adolescência, tive que vir para cá cuidar da minha vó, que estava passando por alguns problemas, e desde então moro aqui. — conto.

— Ah, entendi, mas você ainda vive com sua avó?

— Não, minha avó faleceu anos atrás, então resolvi seguir com minha vida por aqui mesmo. — explico enquanto todos na mesa me olham com gratidão.

— Oh, que triste — Roxie diz com a boca cheia, causando risadas em todos.

— Está tudo bem, meu anjo. — falo sorrindo.

— Então, Selena, soube que você é professora da Roxie, foi assim que você e o Justin começaram a namorar? — quando a mãe de Justin fala isso, eu engasgo com a comida, tossindo um pouco.

O clima fica engraçado, bebo um copo de água e me recomponho.

— Mãe, eu já falei que somos amigos. — Justin fala, tentando deixar claro para sua mãe a nossa relação.

— Justin, eu não sou boba, você nunca trouxe nenhuma garota aqui antes, nem mesmo a Britanny você trouxe aqui. Vocês só não rotulam a relação que têm, mas para mim já está claro. — confesso que fico surpresa com isso, eu não sabia que ele nunca tinha trazido alguém aqui. Agora tudo me faz ficar pensativa.

— Ah, vovó, se acostume, eles ficam negando e achando que ninguém sabe. Hoje estavam de beijinhos na cozinha, acharam que eu não vi. — solto uma gargalhada; Justin olha para a menininha perto de sua vó tomando o seu suco.

— Roxie! — ele a repreende.

— O quê? Eu vi mesmo. — isso é muito constrangedor.

— Gente, vocês estão deixando a Selena sem graça, vamos mudar de assunto. — agradeço muito Justin estar fugindo do assunto, eu não saberia como lidar com essa situação.

(...)

Quando já está anoitecendo, Justin resolver querer ir embora. O tempo está meio estranho e uma chuva se aproxima, o que pode dificultar nossa volta, sendo assim, é melhor irmos embora.

— Papai, posso ficar com a vovó? — Roxie pergunta, sentando-se no colo de Justin.

— Você quer ficar com sua vovó hoje? Mas você não trouxe roupa, filha.

— Aqui tem roupa minha e faz tempo que não fico aqui, deixa, vai. — ele dá um beijo em sua bochecha.

— Sendo assim, pode. — ele sorri. — Então, eu e Selena já vamos, né? Vai começar a chover, é melhor irmos logo. — me levanto do sofa, consequentemente com Justin.

— Ah, eu adorei vocês terem vindo. Selena, volte sempre, tudo bem? — Pattie diz me abraçando e abraçando Justin logo em seguida.

— Tchau, dona Pattie. — nos despedimos e vamos para casa.

O caminho é bem tranquilo, porém começa a chover quando estamos perto de chegar no apartamento de Justin. Ele diz que é melhor eu esperar um pouco antes de ir para casa, pois a chuva está muito forte. Devido a isso, estou no apartamento dele agora, faz alguns minutos que chegamos e estamos na sala sentados no sofá, apenas esperando a chuva passar.

— Eu realmente adorei sua mãe, ela é um amor e bem simpática.

— Ela tem esse dom, mas queria me desculpar pela inconveniência na hora do almoço. Eu sabia que ela faria aquilo, mas não imaginei que seria dessa forma. — ele se aconchega no sofá, ficando mais perto.

— Ah, relaxa! Isso é coisa de mãe, mas confesso que fiquei curiosa, você nunca levou ninguém lá. — quando falo, Justin solta uma risadinha sem graça e coça a nuca.

— É... Não.

— Então, por que você quis me levar? — realmente quero saber. Isso tem que significar alguma coisa.

— Ah, eu não sei. Tipo, me deu vontade, eu gosto da sua companhia e queria que minha mãe conhecesse você. Eu não sei explicar, eu só queria que você fosse mais íntima das pessoas que são importantes para mim. — é impossível não sorrir quando ele se explica.

As minhas intuições podem estar erradas, mas acho que ele pode estar gostando de mim e isso é bom, porque se ele estiver mesmo, o sentimento é totalmente recíproco.

A única reação que tenho na hora e me aproximar é beijá-lo, o beijo logo é retribuído e se encaixa de uma forma fora do normal. Então, hoje eu começo a pensar no quanto eu o quero, por essa razão eu o empurro e subo em cima do seu colo, botando as pernas de cada lado da sua cintura. O beijo vai ficando cada vez mais urgente, já sinto a necessidade de tê-lo.

De repente, Justin para de beijar e me olha.

— O que foi? — pergunto, um pouco assustada.

— Ué, você nunca quer nada, então... — quando ele fala, uma risada sai dos meus lábios.

— Cale a boca. — respondo, em seguida, beijo seu pescoço.

— Espere! — Justin me puxa de novo e volta a me encarar.

— Justin, você quer transar ou não?

O loiro me olha como se fosse me devorar, e sem dizer nada, ataca meus lábios de uma vez, com urgência. Finalmente vai acontecer o que tanto eu e Justin esperamos.


Notas Finais


AAAAAAAA SERÁ QUE VAI TER HOT ?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...