História Agência 007 Operação Zoeira - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Agenetes, Agente, Amigos, Artes Marciais, Aventura, Comedia, Gay, Lemon, Policia, Policial, Romance, Yaoi, Zoeira
Visualizações 10
Palavras 2.215
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Bishoujo, Comédia, Lemon, Policial, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Nóis vai pra Londres, Baby



C        A          P           4         -    " N  Ó  I   S   V  A  I    P  R  A   L  O  N  D  R  E  S  ,  B  A  B  Y"



Duas horas da tarde. Todos estavam parados em frente a Agência, pegando mais alguns materiais antes de finalmente partirem. Cada um levou o que tinha em casa. Somando tudo, tinham cinco câmeras (duas câmeras compactas, uma canon profissional, uma digital e outra que era da Agência, modelo especial, podendo assim ser facilmente colocada em qualquer objeto), três rastreadores, doze disfarces variados, os relatórios, escutas, celulares falsificados,  oito armas de cano curto e dez de cano longo, fora os bens pessoais.
Depois de alguns minutos, Barney levou todos para o ponto de encontro do jatinho, que era em uma parte do governo de Paris, onde ficavam todos os dirigíveis aéreos da polícia. Logo depois, falaram com o comandante e tiverem permissão para voar.


Dentro do Jatinho
-LUIZ, ME DEVOLVE O MEU SAQUINHO DE CHIPS - Gritou Leonora enquanto tentava arrancar sua comida da mão do "poste humano", que por sua vez esticava o pacote o mais alto que podia
-NUNCA! - Respondeu
-GENTE, CALEM SUAS MERDAS DE BOCA QUE EU TO TENTANDO ASSISTIR O EPISÓDIO 12 DE SCREAM QUEENS AQUI. A TRETA TA MALIGNA! - Berrou Abgail, enquanto tentava assistir sua série que passava na tv da sua poltrona
-A GRACE FALA QUE ODEIA ELE, PRONTO - Falou Kurt
-PORRA KURT, VAI SE FODER, ESTRAGOU A TRETA! - Gritou a loira - VAI PEDIR PRO BARNEY TE FODER BEM FORTE ANTES DE ESTRAGAR A TRETA DOS OUTROS
-EU JÁ FUI FODIDO O SUFICIENTE! QUASE NÃO CONSEGUIA ANDAR HOJE DE MANHÃ! - Falou Kurt
-TÁ PODENDO HEIN BARNEY? TA COM DOR KURT?- Gritou Renan
-TA TRANQUILO, TA FAVORÁVEL - Respondeu Kurt
-GENTE CALEM A BOCA! - Disse Belle
E assim foi o resto do voo. Entre tapas e beijos, gritos e berros, chutes e voadoras, socos e xingamentos, patadas gratuitas e cortes, tretas, brigas, episódios de séries, além de muita loucura. Quando o jatinho finalmente pousou em solo inglês, o comandante já estava a ponto de mandarem todos para o inferno, e então pegaram um táxi e foram para o hotel. Um hotél cinco estrelas, bem aconchegante, para a parte rica dos britânicos. Eles suspeitavam que a gang poderia estar ali, afinal era um ótimo ponto de encontro da alta sociedade, e todos os seus clientes pertenciam a classes sociais beneficiadas.


No Hotel
-Então a divisão dos quartos ficou: Abgail e Leonora no quarto 903, Eu e o Renan no quarto 705, Barney e Kurt no quarto 614, Clark e Luiz no 1006. Alguma pergunta? -Explicou Belle, e todos negaram -Ótimo. Liguei para Olivia, uma agente da Interpol, conhecida minha. Ela irá nos encontrar as nove horas no café L'a Treti és Maligne. O restaurante é para a alta sociedade, quero que todos usem roupas chiques. Irei levá-los de carro até lá, então quero todos aqui no saguão as oito em ponto. Quem se atrasar irá ser punido. Lembrando que agora são seis horas.


Quarto 903 - Abgail e Leonora
-NÃO ACREDITO QUE ESTAMOS EM LONDRES!! EU QUERO IR NO THE LONDON EYE, PASSEAR NOS ÔNIBUS DE TURISMO, USAR A CABINE TELEFÔNICA... -Começou Leonora
-Opa calma aí, primeiro de tudo, vamos desarrumar as malas e escolher nossa roupa para encontrar com a Olivia -Interrompeu Abgail


Saguão, Oito Horas
Belle estava usando um vestido longo da cor preta, com um decote V discreto. O vestido era de manga comprida, e tinha uma fenda no lado esquerdo. Sua cintura era bem marcada com a ajuda de um cinto. Seu cabelo estilo leãozinho estava ao natural, e para completar usava uma maquiagem nos tons de marrom e preto, com um nude nos lábios.
Abgail prendeu seu cabelo em um rabo de cavalo, deixando duas mechas soltas, uma de cada lado. Seu vestido era azul, terminava um pouco abaixo do joelho. Era grudado até a cintura, pois a partir daí era um pouco mais solto. Usava uma maquiagem nude.
Leonora deixou seus cabelos ao natural, fez uma maquiagem simples em tons nude e colocou um vestido vermelho aberto nas costas.
Todos os homens estavam de terno, e os que tinham cabelo mais comprido, prenderam. Os ternos iam de cinza claro ao preto, porém pareciam todos iguais.
Belle foi dirigindo até o restaurante, enquanto tocava sua playlist da Taylor Swift e tentava argumentar que "Confident" é o melhor álbum de todos.
-Já falei que "Demi" continuará sendo o melhor. -Falou Renan, de braços cruzados.
-Gente, como vocês são ingênuos! Sale el Sol é o melhor álbum do mundo. -Disse Kurt
-Obrigado, mas purpose is the best. -Confessou Barney
-Caralho mano, calem suas bocas. Yellow Submarine wins. -Falou Leonora
E com a grande discussão de qual álbum era melhor que qual, finalmente chegaram ao restaurante. A decoração era rústica e confortável, com paredes de madeira, igualmente as mesas. Avistaram ao longe uma mulher loira, de cabelos curtos, até o ombro, ondulados, com um vestido longo da cor branca. Mulher esbelta, porém parecia ser nova. Se aproximaram dela e se sentaram na mesa previamente reservada.
-Pontualidade nível 100 - Disse a mulher
-Oi Olívia, esses são Leonora, Kurt, Barney, Clark, Luiz, Abgail e Renan - Falou Belle
-Então nós temos a mulher do azul é a cor mais quente, um Kobain disfarçado, um dinossauro de programa infantil, um Clark Kent sem óculos, um zé ninguém, uma loira e um tapado. Ótimo time -Disse, ironizando.
-Ninguém aqui pediu para falar o que nós já sabíamos, projetinho de Agente 13 - Falou Leonora
-Ignorando sua audácia, por favor me mostrem os relatórios - Pediu a loira
-Toma -Disse Leonora, entregando de mal gosto a ficha.
A mulher começou a ler o que lhe foi entregue, porém em momento algum pronunciou uma palavra, ou fez algum som. Parecia ter morrido. Ela só rolava seus olhos de um lado para o outro, em uma tentativa aparentemente falha de tentar entender mais sobre o caso. Levando sua mão para o papel, aquele simples papel, ela continuou de onde havia parado, mantendo sua atenção.


Leonora ~Pensamento
Essa mulherzinha de merda está me tirando do sério. Quem ela pensa que é? "Hã, olhem pra mim, sou da Interpol". Grande bosta, eu sou do governo francês. Sabe a frança? Já estudou alguma coisa sobre a França? Pode ser que eu queira te botar na guilhotina, você ta se achando muito. Quero ver a revolução francesa, vai por mim, vou ser pior que o Robespierre e o Napoleão juntos se você abrir essa boca para falar algo inútil.
Ah mulher, sua beleza é o que te salva, porque você provavelmente vai ser apenas uma inútil. Porém, se quiser, te mostro algumas informações...Na cama...Transando.......


Keli-
O pensamento de Leo foi interrompido, pois Olivia havia acabado sua leitura.
-Conseguimos rastrear o carro de um dos membros, ele está hospedado no mesmo hotél que vocês. Fomos no outro dia ver qual era o quarto, 210. Não sabemos se os outros membros estão lá também, porém já temos uma pista do paradeiro. - Disse a loira.
Algum tempo se passou, conversa vai, conversa vem, porém nenhum dado realmente importante. Até que só sobrou Leonora e Olivia, pois os outros foram embora mais cedo.
-Então, acho que eu já vou indo. -Disse a azulada, se levantando


Olivia's Pov
Quando Leonora ia se despedir, um carro preto, aparentemente um camaro, passou pela rua, e um dos passageiros apontou uma arma em sua direção. Automaticamente gritei "CUIDADO" e me atirei na frente dela, recebendo sua bala. Antes de cair no chão, aproximei minha mão ao meu ombro, lugar onde foi dado o tiro, e vi o meu sangue, um tecido vermelho vivo, escorrendo pelos meus dedos. Assim que percebi, tudo ficou preto.
Quando acordei, minha cabeça estava doendo, meu ombro estava enfaixado e eu estava em uma maca. Ao perceber que eu havia acordado, uma certa azulada se aproximou de mim.
-    Pensava que eu finalmente ia poder viver sem uma certa loira. -Disse ela
-    Cala a boca, sei que você me ama -Falei, em tom arrogante. Duas podem jogar.
-    Eu nem te conheço -Ela disse, friamente
-    Eu sinto que te conheço - Afirmei. Era verdade. Alguma coisa me fazia crer nisso.
-    Eu sinto que quero te dar um tiro na sua cabeça - Ela disse
-    Eu sinto que salvei sua vida - Falei, vitoriosa
-    Eu me sinto agradecida por isso - Ela disse, e eu abri um sorriso tímido
-    Eu sinto que você ta querendo me beijar - Eu disse, olhando nos seus olhos. Merda, eles são bonitos. Pera o que? Ela é bonita. PERA O QUE? QUE PORRA É ESSA OLIVIA? QUEE?
-    Eu sinto que você vai levar um tapa - Ela disse
-    Eu sinto que você vai me beijar - Eu disse
-    Eu sinto que você quer me beijar - Ela falou
-    Eu sinto que você está certa - Confirmei
-    Eu sinto que....Opa, o que? - Ela não conseguiu terminar sua frase, e assim que vi sua expressão confusa, aproximei seus lábios dos meus, e lhe dei um selinho.
-    Isso, foi meu prêmio. - Falei
-    'Cê é lésbica? -Ela me perguntou, surpresa.
-    Sou, algum problema? - Perguntei
-    Nenhum - Ela disse, abrindo um sorriso. -Porém, um salvamento merece mais que um simples selinho, não concorda? -Ela perguntou
-    Concordo -Disse
E então, ela começou a me beijar. Como eu já estava sentada na cama, ela colocou um de seus braços ao redor de minha cintura, delicadamente, e com o outro, posicionou sua mão por trás do meu pescoço, iniciando um selar de lábios delicado, que foi se aprofundando, fazendo com que nossas línguas parecessem quase serem peças de um quebra cabeça, pareciam serem feitas por encomenda para a outra. Tudo estava indo bem..Até que alguém abre a porta. E com "alguém", quero dizer Belle, e com Belle, quero dizer "A FILHA DA PUTA QUE ESTRAGOU MEU BEIJO LINDO DIVO MARAVILHOSO PRA PROVAVELMENTE VIR FALAR MERDA"


Leonora's POV
Eu estava me levantando para ir embora, não pela vergonha, isso já estava sendo normal para mim, mas pelo respeito. Até que Belle me para pelo ombro e sussurra no meu ouvido "Essa garota é encrenca, vai por mim, ela te pega e te larga, não se involva, isso é apenas um caso, não um romance". Claro que eu já sabia disso, era uma coisa óbvia, apenas beijei porque foi coisa do momento, porra, ela salvou minha vida. Aquela bala ia pegar pelo menos de raspão no meu pescoço, se não pior. Não foi algo como "nossa, minha vida foi salva graças à Olivia", porém evitou uma dor horrível.


Belle's POV
-POR QUE CARALHOS VOCÊ TAVA PEGANDO UMA AGENTE, UMA COLEGA DE TRABALHO MINHA? - Perguntei exaltada, puxando a maldita daquela cobra pela gola do uniforme hospitalar. -Eu não sei exatamente o que você quer, e não quero saber, e aliás, se tocar nela de novo, vou levar isso pra Interpol. Com as palavras certas isso pode ser considerado assédio. -Ameacei.
Pude sentir seus olhos exalarem raiva, seu rosto ficar vermelho e suas veias saltarem.  Ela me puxou pela gola do meu blazer e me puxou para perto. Ah, sim, eu estava com um blazer preto, uma blusa social branca e uma salta cintura alta igualmente preta, com uma boto cano alto com um pequeno salto, mas isso não é importante. O importante é: AQUELA VACA ESTÁ COM A MÃO EM MIM?
-Não encosta em mim, seu ser desprezível do caralho. -Falei, e no final, cuspi no seu rosto -Não me faça te lembrar sobre seu passado. Eu te tirei da merda, eu sei o rato que você é. Pior que um rato. Já encontrei ratos, baratas, pulgas, e várias outras pestes, mas nunca uma praga tão grande quanto você. Eu te odeio, mas te tirei da rua para você tentar concertar sua vida, então não vai puxar outra pessoa para cobrir seu lugar no fundo do buraco. Porque de buraco fundo aqui já basta sua alma, se ela ainda existe. -Terminei e virei de costas, saindo do quarto e batendo a porta. -E você, projeto de aborto mal criado que só quer pegar as puta dos hospitais, vem comigo. -Disse para Leo, que estava num banco do corredor. Levei ela para uma parte mais afastada, e a prensei na parede. -Se eu ver vocês duas se pegando, vou mandar uma carta para a Interpol e ela será demitida. Não encoste um dedo nela sem saber do passado de merda que ela teve. Entendeu? - Ela afirmou com a cabeça. -Ótimo.
Cara, eu vou matar essa filha da puta da Olivia se ela encostar um dedo na vagabunda de cabelo azul. Tudo vadia. Pior que vadia, vadias pelo menos ganham dinheiro dando o cú, o que a Olivia faz de graça. A leo, sei lá, ela é de boa, provavelmente foi no calor do momento, mas a Olive, eu não confio nessa puta.
I don't look for trouble. But trouble looks for me. And it's been waiting around corners, Since I was seventeen. They say "Here comes a hurricane, Trouble is her middle name! ". But I don't look for trouble, Yeah, trouble looks for me



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...