História Agora Eu Tenho Você (Romance gay) T1 - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 266
Palavras 767
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Romance e Novela, Slash, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Bom, amanhã é dia dos pais então acho que não vou ter tempo pra publicar o capítulo amanhã então, aqui está. Os três primeiros são os menores, a partir do quarto os capítulos ficarão bem maiores. Bjs.

Capítulo 3 - A moto


  (ligação on)

-mãe, eu liguei só pra pedir pra senhora marcar uma consulta com o Dr. Fernando.

-claro meu amor, só isso ?

-sim mãe, e tenta marcar o mais rápido possível ok ?

- ok, tchau amor.

(Ligação off)

Todos entraram na sala, o João senta do meu lado, no caso, na cadeira dele e pergunta:

J- ta melhor ?

P- acho que sim.

J- deita e descansa um pouco, eu copio os assuntos e te passo depois só me passa teu número do Whats.

P-9947.....

Deitei encima do caderno e peguei no sono, só acordei na ultima aula com o João me chamando.

J- ei, acorda, falta 2 minutos pro fim das aulas.

P- am, oque, oi

J- só acorda

P- ta bom

Me estiquei todo com uma preguiça dos infernos. O sinal toca, coloquei as coisas dentro da mochila, coloquei-a nas costas e fui até a porta, quando sai do sala o Bruno me puxa pelo braço e me joga na parede.

B- me da a chave da moto agora.

P- isso é um assalto !!

B- logo, eu não vou deixar você ir pra casa nesse estado.

P- posso não ter 18 anos mas não sou tão imprudente.

B- me da a chave logo, o Henrique tá esperando agente la fora.

P- como assi....

J- Bruno fala pro meu irmão que eu não vou pra casa essa semana.

B- ok, vamos logo Pedro.

Além do Henrique o Bruno e o cara mais bonito e gostoso que eu conheço e ele tbm faz parte do time de futebol da escola. Ele coloca a mão no meu bolso direito na parte de trás da calça e balança a chave na minha cara. Ele pega na minha mão e me leva até a moto como se eu fosse uma criança. Subo na moto e ele me leva até em casa com a escolta do Henrique atrás de nos.

Henrique Ackles= chegamos na casa do Pedro ele só desceu da moto, abriu a porta e subiu as escadas feito um loco. Eu e o Bruno colocamos as motos na garagem e fomos até a cozinha. A mãe do Pedro estava lá.

B- bom dia tia ju.

J- bom dia Bruno, e quem e o seu amigo ?

B- esse e o Henrique.

J- bom dia Henrique, quer comer alguma coisa?

H- bom dia, não obrigado.

B- tia, o Pedro tem demostrado alguns sinais de raiva de novo ?

J- não que eu saiba ou tenha visto. Porque ?

Não aguentei ter o Pedro tão perto de mim e ficar vendo e ouvindo o Bruno e minha futura sogra conversando, então sai sorrateiramente, subi as escadas e fui procurar o quarto dele. Todas as portas abertas só uma fechada. Ok, vamos descrever a casa, garagem, cozinha, dois banheiros, três quartos, sala de estar e sala de jantar. Abri a porta devagar e ele estava deitado com a cabeça enterrada no travesseiro, sentei perto dele e comecei a fazer carinho no cabelo dele.

H- ta tudo bem ??

P- não.

H- me conta o que aconteceu, minha mãe e psicóloga eu posso te ajudar um pouco.

P- cadê o Bruno.

H- esta lá em baixo conversando com tua mãe, porque ?

P- quer mesmo saber oque foi ?

H- pode contar, tenho todo tempo do mundo.

Ele se levanta, encosta na parede e começa a contar a história.

P- 24/07/2015 eu e meu pai fomos para Recife assistir um jogo de futebol e meu irmão ficou em casa com minha porque ela estava doente. Agente foi assistiu o jogo e voltamos tarde da noite por volta das 2 da manhã, meu pai bêbado e eu dormindo no banco do passageiro. Quando eu acordo com meu celular tocando, era meu irmão perguntando se estava tudo bem, eu disse que sim e quando eu desliguei o celular meu pai tenta fazer uma ultrapassagem e como ele tava bêbado ele não viu o caminhão, ele jogou o carro de volta a nossa pista mais tinha uma moto do lado, a moto saio da pista e foi ladeira abaixo, pra o carro dele não descer, ele vira o carro de volta para direita e não consegue manter o controle, isso leva o carro de volta a pista do caminhão, o caminhão bate do lado do banco do motorista e meu pai morre na mesma hora. Eu fui pro hospital e quando acordei ele já tinha sido enterrado. E até hoje eu não sei porque minha mãe e meu irmão dizem que a culpa foi do piloto da moto, Porque meu pai estava bêbado.


Notas Finais


Segui o conselho do Sr. Alexander (acho que se escreve assim) e corrigi o capítulo com mais atenção. Espero que tenham gostado e comentem por favor para que eu possa saber oque vocês estão achando. Bjs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...