História Agora você sabe porque me chamam de Suga II - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hentai, Hoseok, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kookie, Min Yoongi, Namjoon, Rap Monster, Romance, Suga, Taehyung
Visualizações 141
Palavras 4.297
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 21 - O céu estrelado


Fanfic / Fanfiction Agora você sabe porque me chamam de Suga II - Capítulo 21 - O céu estrelado

Suga's P.O.V

- Como assim jantar com outro casal?! Eu fiz reserva nessa mesa há semanas atrás!

Big Matthew apareceu, seguido da manager, que segurava a mão dele. Assim que me viram, arregalaram os olhos, enquanto eu engoli em seco. Era só o que me faltava… Ter que jantar na companhia da minha namorada falsa, do homem que eu mais odiava no momento e da mulher que eu amava.

BM cerrou os olhos para mim e disse para o dono do restaurante:

- O senhor só pode tá tirando uma com a minha cara, né?

O homem de meia idade sorriu amarelo e disse:

- Me desculpe, senhor Matthew, mas um dos garçons colocou eles aí sem me avisar.

O garçon, que devia ter uns 17 anos, começou a suar e disse gaguejando:

- M-me desculpem, eu não queria causar esse t-transtorno.

Somin me encarou e o dono do restaurante disse:

- O único jeito é vocês comerem todos juntos aqui, senão um dos casais terá que jantar junto com os outros clientes, e isso vai causar um tumulto muito grande.

Big Matthew e Somin bufaram, enquanto a manager me encarou por alguns segundos. BM se virou para a namorada e, segurando o rosto dela entre as mãos grandes, perguntou:

- O que você acha, amor? Eu queria que essa noite fosse especial! Só pra nós dois! Mas, pela incompetência de certas pessoas, estamos sendo obrigados a jantar com outro casal.

Somin se aproximou do amigo e o cutucou, dizendo:

- Ei, não diga "outro casal" como se eu e o Yoongi fôssemos dois estranhos.

O homem grande revirou os olhos e disse para a manager:

- Se preferir, podemos ir para um outro restaurante.

A mulher balançou a cabeça negativamente e disse:

- Não, não, Matthew… Os outros restaurantes devem estar lotados. Além do mais, eu quero muito comer comida brasileira.

BM deu um beijo na testa dela e eu desviei o olhar. Ele tratava ela com todo o cuidado do mundo, como se ela fosse uma boneca de porcelana, e isso me incomodava muito! 

Big Matthew parecia muito querer ir embora, mas a manager insistia em ficar. Escutei BM reclamar que não queria ter que comer comigo e Somin por perto, além de falar que tinha uma coisa importante e particular para falar para a namorada, e que nossa presença atrapalharia tudo.

Decidi me levantar e me aproximar dos dois. Cutuquei BM e ele se virou em minha direção, me encarando de cima a baixo.

- Olha, eu não me importo se vocês quiserem sentar aqui na minha mesa.

Falei e Matthew deu um sorrisinho sarcástico, dizendo:

- Sua mesa? Que eu saiba essa mesa é minha, pois ainda está reservada em meu nome!

- Que seja! Só estou tentando ser educado.

- Fica com a sua educação pra você, Yoongi. Eu me recuso a sentar aí com você e a Somin. Eu havia planejado uma noite super romântica com minha namorada. Você estragou tudo!

- Ei, calminha aí, meu amigo… Eu não sabia que vocês viriam pra cá. Foi tudo ideia da Somin!

Só aí me toquei de uma coisa… Somin, provavelmente, sabia que BM iria levar a manager para aquele restaurante e talvez tivesse armado tudo para que aquela situação estivesse acontecendo. Olhei ela de canto de olho e a mesma estampava um sorriso convencido nos lábios. Ela veio andando em minha direção e passou um braço por meus ombros, encarou Big Matthew e disse:

- Bom, já que é a única opção… Também não vejo problema em você e sua namoradinha jantarem conosco. A não ser que ela se sinta constrangida com a minha presença.

Revirei os olhos e a manager deu um passo para a frente, dizendo:

- Mais constrangida do que o seu namorado fica sempre que está com você? Acho que não, meu bem.

Ela deu um sorriso cínico para Somin e puxou Matthew pelo braço, sentando à mesa com ele.

Quando fiz menção de voltar para meu lugar, Somin agarrou meu braço e perguntou baixinho:

- O que aquela piriguete quis dizer com aquilo?

- Não sei, Somin. Vê se não começa com o drama!

Voltamos para nossos lugares. Eu estava sentado de frente para Big Matthew e Somin sentada de frente para a manager. Todos se encaravam como se um duelo estivesse prestes a começar.

BM pediu o cardápio e entregou o mesmo para a manager, dizendo que ela poderia pedir tudo o que quisesse, sem se preocupar com o preço.

Somin ficou com inveja e logo disse que pediria mais algumas coisas para comer.

Enquanto os cozinheiros preparavam os pratos, ficamos os quatro na mesa desviando a atenção uns dos outros. Aquilo era ridículo!

Somin, incomodada por eu estar encarando a manager, começou a provocá-la, dizendo:

- Como você se veste desta maneira, sendo que é comprometida?

A manager cerrou os olhos e falou:

- E qual é o problema?

- Bom, você é comprometida mas, se veste como se ainda vivesse na prostituição.

Dei um empurrão no ombro de Somin e ela quase caiu da cadeira. Como ela tinha coragem de dizer aquilo?!

Big Matthew cerrou os punhos e disse para a amiga:

- Se você não pedir desculpas pra ela agora mesmo, eu vou te matar engasgada com essa carne que você tá comendo.

Somin apenas riu sarcasticamente, enquanto a manager disse, colocando uma mão no ombro de BM:

- Não precisa não, amor, ela vai morrer engasgada mesmo, mas vai ser é com a própria língua dela.

Sorri disfarçadamente e Somin me olhou com cara de tacho, dizendo:

- Você vai deixar ela falar assim comigo, Suguinha?

- Quem fala o que quer, ouve o que não quer.

Respondi, colocando um pedaço de carne na boca, em seguida. Somin bufou e encarou Big Matthew, perguntando:

- Você não se importa da sua namorada se vestir assim?

Ele a encarou com desdém e disse:

- O que é bonito é pra se mostrar. Minha namorada tem um corpo lindo e deve usar roupas que realcem as curvas dela. Isso tudo porque ela pode! Ela tem corpo pra isso! Bem diferente de você né, Somin? Que parece uma minhoca com anorexia.

Ri baixinho e coloquei uma mão na boca para disfarçar. A manager também estava rindo e logo deu um selinho em Matthew, como se estivesse agradecendo a ele pelo o que o mesmo havia dito. Me senti desconfortável e me remexi na cadeira.

Assim que todos estavam comendo, conversamos um pouco sobre música, dança, rap, filmes e esportes. Até que BM era um cara legal e tinha conteúdo para conversar. A manager falava algumas coisas de vez em quando, mas Somin não abriu a boca para dizer nada. Ela apenas comia e encarava o prato e era como se ela nem estivesse ali.

Depois da janta, Matthew disse que iria embora, pois tinha alguns planos com a manager. Fiquei nervoso só de imaginar que planos seriam aqueles. 

Logo falei à Somin que queria ir embora mas, a mulher insistiu para que eu fosse caminhar em um parque com ela.

- Po favor, amorzinho…

- Somin, já está tarde!

- Mas eu quero ver as estrelas junto do homem que eu amo.

- Só que eu não tô afim.

Eu só conseguia pensar na manager e no que ela poderia estar fazendo com BM.


Leitora's P.O.V

Tinha sido um momento constrangedor ter que jantar com Suga e Somin. Aquela mulher fazia de tudo pra me irritar e Yoongi não tirava os olhos de mim. Mas graças a Deus tinha acabado e eu estava no Camaro de BM, que estava me levando para um lugar que eu não sabia qual. Meu namorado colocou uma mão sobre minha coxa exposta e disse:

- Amor, me desculpa por hoje. Eu tinha planejado uma noite perfeita pra gente, mas pra variar, Suga estragou tudo.

- Mas ele não sabia que a gente ia jantar naquele restaurante.

- Talvez sim, talvez não.

- A Somin sabia.

- É, aquela cobra em forma de gente… De qualquer forma, acho que foi um plano do Yoongi pra boicotar nossa noite.

- Que besteira, Matthew! Suga não faria esse tipo de coisa.

- Como você pode ter tanta certeza? Tá defendendo ele agora?

- Não é nada disso! Eu só conheço o Suga a muito mais tempo que você e sei que ele não faria isso.

- Eu acho que faria sim. O cara me odeia, dá pra ver na cara dele.

- Olha, Matt, eu não quero discutir por causa do Suga não. Se for pra ser assim, por favor, me leva de volta pra Big Hit.

BM parou o carro na beira da estrada, se virou em minha direção e, colocando as mãos em meu rosto, disse:

- Tá bom, me desculpa, eu também não quero brigar com você. Agora eu só quero recompensar o jantar horrível que a gente teve.

- E como você vai fazer isso?

- É surpresa.

- Eu sou curiosa, Matthew, você sabe.

- Sim, eu sei. E você vai ter que esperar, mocinha.

Revirei os olhos e ele me beijou. BM era muito carinhoso, apesar da aparência de ser um homem grosso e bruto. Seus lábios eram macios e escorregavam entre os meus. Eu não podia negar que ele beijava muito bem.

Depois de alguns minutos nos beijando, ele voltou a dirigir. Big Matthew entrou com o carro em um estacionamento subterrâneo e eu perguntei:

- Onde estamos?

- Na DSP Mídia.

- A empresa para a qual você trabalha?

- Sim. A empresa que criou o K.A.R.D e que é minha casa.

- E por que estamos aqui?

- Eu preparei algo lá dentro pra você.

- Logo aqui?! Não podia ser em outro lugar?

- E por que você não queria que fosse aqui?

- Ah, sei lá… Seus amigos moram aí também e eu não quero ter que dar de cara com a Somin de novo.

- Ah, amor, relaxa. A Somin deve ir pra algum motel com o Yoongi.

Ele disse, saindo do carro. Senti um arrepio na espinha só de imaginar Somin sendo tocada pelo homem que tinha sido o grande amor da minha vida.

- Você não vai descer?

Me assustei quando Matthew me perguntou isso e, só aí reparei que ele havia aberto a porta do carona e estendia a mão para mim. Saí e ele me indicou um elevador. Subimos, enquanto ele me abraçava de lado e beijava o topo da minha cabeça.

Eu não conversava muito com Big Matthew, o que era estranho pois, quando éramos apenas amigos eu falava tudo para ele, mas agora que ele era meu namorado eu não me sentia tão à vontade. Eu precisava ser mais carinhosa com ele, ser mais gentil e amorosa. Eu tinha que retribuir tudo o que ele fazia de bom por mim. Matthew era o que se podia chamar de "namorado perfeito". Pena que não era a ele que eu amava.

O elevador parou e um grande corredor apareceu quando as portas se abriram.

- Estamos no último andar?

Perguntei, enquanto BM enlaçava nossas mãos.

- Sim, aqui teremos mais privacidade.

-Matthew, você já tinha namorado alguma vez antes?

Ele me olhou surpreso e coçou a nuca, dizendo:

- Não. Você é minha primeira namorada.

Agora eu entendia porque ele me tratava tão bem. Eu era a primeira namorada dele… Eu deveria ser muito especial para aquele homem.

- Posso saber o porque de você nunca ter namorado, BM?

- É que você me conhece… Quer dizer, conheceu quem eu era antes. Eu não ligava pra nada disso de amor, só queria sexo sem compromisso.

- É eu sei… Mas como assim eu conheci quem você era antes?

- É porque depois que me apaixonei por você, eu me tornei outra pessoa. Você me mudou, gatinha.

- Pra melhor ou pra pior?

Ele riu e beijou minha bochecha, dizendo:

- Só saiba que com você eu sou mais feliz.

Big Matthew abriu a última porta do corredor e pediu que eu entrasse. Estava tudo escuro e eu não enxergava nada.

- Matthew, eu tô com medo.

Falei e escutei ele sorrindo, enquanto fechava a porta atrás de sí. O homem apertou o interruptor e logo a luz iluminou um quarto branco, com uma cama enorme ao meio e várias pétalas de rosas vermelhas espalhadas pelo chão e pelo edredom também branco da cama.

Olhei para Matthew e ele parecia meio envergonhado. Eu já sabia o que ele queria com aquilo tudo, e eu sabia também que essa hora ia chegar, afinal de contas, agora éramos um casal. E casais transam! 

- Escuta…

Ele disse se aproximando de mim e parando em minha frente.

- Eu sei que isso pode parecer precipitado e nós nem sequer conversamos sobre isso antes, então, eu só quero dizer que se você se sentir pressionada, a gente pode só ficar aqui e conversar um pouco e depois te levo de volta pra Big Hit.

- Matt, fica calmo. Tá tudo bem.

Sorri, abraçando ele e senti o mesmo soltar um suspiro aliviado. Ele me puxou para sentar na cama e depois foi para perto de uma cômoda, da onde tirou uma garrafa de champanhe do pote com gelo e a abriu, soltando um gritinho de felicidade. Ri e ele serviu a bebida em duas taças. Me entregou uma delas e se sentou ao meu lado. Fizemos um brinde e depois tentamos beber o champanhe do mesmo modo que os casais faziam quando estavam se casando. Porém, nos embaralhamos todos e acabei derramando um pouco da bebida na bermuda branca do homem. BM riu alto.

- Nossa! Me desculpa, Matthew! Eu posso limpar.

- Relaxa, mulher. Vamos apenas curtir o momento.

Me senti meio tensa. Apesar de saber o que estava prestes a acontecer, eu não sabia se estava preparada. Será que se eu fosse para a cama com Big Matthew, seria apenas sexo? Não teria condições de eu fazer amor com alguém que eu não amava.

Passei uma mão pelo rosto e ele colocou uma mão em meu ombro, perguntando:

- Tá tudo bem?

- Tá sim, só fiquei meio nervosa.

- Eu não quero te pressionar a nada.

- Eu vou ficar bem, tá? A gente só precisa conversar um pouco até eu entrar no clima.

Ele sorriu e tirou uma mecha de cabelo do meu rosto, depois ficou me encarando por um longo tempo, como se admirasse uma obra de arte. Senti minhas bochechas esquentarem e ele sorriu, dizendo:

- Não acredito que você tá com vergonha de mim.

- Claro, com você me olhando desse jeito não tem como não ficar com vergonha.

- É que você é muito linda e a cada dia que passa eu encontro alguma coisa a mais para admirar em você.

Desviei o olhar do dele e abaixei a cabeça, falando:

- Para, Matthew! Eu odeio quando me fazem ficar com vergonha.

- Boba!

Ele me puxou e riu. Seus olhos encontraram os meus e pela primeira vez senti algo diferente sobre Matthew. Era como se um novo sentimento estivesse despertando dentro de mim. Será que eu estava começando a amá-lo?

Senti uma vontade enorme de beijar aquele homem, então, logo me lancei pra cima dele. Matthew jogou longe a taça que estava em sua mão e escutei a mesma se estilhaçar em algum canto do quarto. Fiz a mesma coisa com minha taça e quando dei por mim, já estava sentada no colo de BM. Ele invadiu minha boca com sua língua e apertou com força minha cintura, colando nossos peitos.

- Eu esperei tanto por esse momento…

Ele sussurrou em meu ouvido com sua voz rouca, me fazendo arrepiar. Puxei os botões da camisa dele de uma vez, fazendo que com alguns voassem pelos ares. Matthew me olhou surpreso por alguns segundos, mas logo cerrou os olhos em minha direção, demonstrando que aprovava aquela minha atitude mais agressiva.

BM passou as mãos por dentro do meu vestido curto e subiu o mesmo até minha cintura. Apertou minha bunda com suas mãos grandes e soltou um grunhido em meu ouvido. Com certeza ele deixaria marcas ali. Terminei de tirar a camisa dele e ele aproveitou para tirar meu vestido de uma vez. Quando me viu apenas de lingerie, soltou um suspiro profundo, como se fosse um animal aliviado por ter encontrado sua presa.

Ele me segurou e me levantou em seu colo, numa rapidez impressionante. Que força tinha aquele homem! Ele me colocou sentada em cima da cômoda e se encaixou entre minhas pernas.

Big Matthew apertou minhas coxas e pressionou sua ereção em mim. Seu membro tocou exatamente onde eu precisava, me fazendo soltar um gemido sôfrego. O homem me encarou, mordendo os lábios, enquanto apertava um de meus seios.

- Eu tô louco pra arrancar essas suas últimas peças de roupa.

Ele disse, entredentes. Seus olhos ardiam em desejo e as veias de seu pescoço estavam saltadas.

Coloquei as mãos para trás, abrindo o fecho do sutiã. Matthew acompanhava todos os meus movimentos, como se estivesse esperando o momento certo para atacar. Foi aí, então, que senti vergonha. BM nunca havia me visto nua e, apesar de ser meu namorado, eu sentia uma sensação estranha. Ele havia sido meu melhor amigo, e ainda era. Antes eu o via como um irmão e agora estávamos prestes a ir pra cama…

Matthew pareceu perceber que algo estava errado e perguntou o que era.

- Eu só tô meio sem jeito.

Falei, encolhendo os ombros. Ele deu um sorriso de lado e perguntou:

- Prefere que eu apague as luzes?

- Se não for incômodo pra você, eu prefiro sim.

- Pra ser sincero, é um incômodo sim, pois eu esperava poder ver cada detalhe desse seu corpinho. Mas se você vai se sentir mais confortável, tudo bem.

Dizendo isso, ele se afastou de mim e apagou as luzes. O quarto não ficou numa escuridão total, pois a janela dava passagem às luzes dos postes que haviam do lado de fora.

BM veio andando para perto de mim novamente e terminou de tirar meu sutiã. Depositou um beijo na curva de meu pescoço e depois me pegou no colo com urgência, me levando para a cama, onde me deitou e ficou por cima de mim. O homem grudou nossas bocas e começou a esfregar seu membro duro entre minhas coxas. Gemi outra vez.

BM abochanhou um de meus mamilos e chupou, lambeu, deu leves mordidas… E eu não podia negar que ele sabia o que estava fazendo.

O homem foi descendo suas mordidas por toda a minha barriga e todos os meus pelos se arrepiaram. Ele me olhou provocante e eu mordi o lábio inferior como resposta. Era incrível como eu já tinha deixado a timidez de lado e começava a me entregar totalmente àquele homem.

Ele chegou até minha intimidade e ficou brincando com os dedos por cima da minha calcinha. Ele fazia movimentos circulares e de cima para baixo. Eu ansiava por sentir seus dedos e sua língua me tocando sem qualquer pano que pudesse atrapalhar. Como se adivinhasse o que eu queria, Matthew puxou minha calcinha de uma vez pelas laterais, rasgando a mesma ao meio. Depois abriu minhas pernas e beijou a parte interior de minhas coxas. Ele, então, colocou o próprio dedo indicador na boca e o chupou, umedecendo o mesmo. Depois me encarou e passou o dedo por toda a minha intimidade.

- Aaah, Matthew…

- Isso, geme meu nome…

Fechei os olhos com força quando senti a língua dele encostar em meu ponto mais sensível. Eu segurava com força o lençol da cama e de vez em quando tentava fechar as pernas por impulso. Porém, Big Matthew as abria novamente e as segurava com força, me deixando totalmente exposta a ele.

- Nossa, como seu gosto é bom…

Ele disse, lambendo os lábios. Eu conseguia ver apenas metade do rosto dele, a parte que estava iluminada pela luz que entrava pela janela.

Matt voltou a usar a língua para me proporcionar prazer, além de introduzir dois dedos dentro de mim. Contorci meu corpo quando o homem começou a rodar os dedos penetrados em minha vagina.

Depois de mais algum tempo, senti que meu orgasmo estava próximo e avisei a ele. O homem, então, parou o que estava fazendo e eu bufei em frustração. Ele subiu beijando minha barriga e seios, até chegar em minha boca. Senti meu próprio gosto misturado ao beijo dele.

BM aproximou a boca de meu ouvido e disse com uma voz sedutora:

- Você vai gozar pra mim de um jeito mais especial…

Respirei fundo quando vi ele abaixando a bermuda, juntamente com a cueca. Seu membro roçando em mim… E que membro! Era enorme e pude sentir as veias grossas quando coloquei a mão. Matthew gemeu com sua voz rouca e abriu a gaveta da cômoda que havia ao lado da cama. Tirou de lá um pacote de camisinha e abriu rapidamente, colocando-a em seu membro, em seguida. Depois me pegou de uma vez pela cintura e me levantou da cama. Andou comigo até chegar a uma parede, onde bateu minhas costas e disse:

- Se segura em mim.

Passei os braços pelo pescoço dele e tentei me segurar firmemente. BM passou a língua pelos meus lábios entreabertos e me penetrou com força. Gritei. Apesar de ter sentido uma dor, devido ao tamanho do membro do rapaz, logo comecei a sentir um prazer imenso.

Ele apoiou uma mão na parede e passou um braço em volta de minha cintura. Logo começou a fazer movimentos rápidos de sobe e desce, enquanto pressionava meu quadril de encontro com seu membro.

Eu gemia feito uma louca e Matthew mordia meu ombro, para evitar que gritos de prazer saíssem de sua boca.

Gozamos juntos. BM caminhou de volta para a cama e caiu na mesma, comigo sobre ele.


Suga's P.O.V

Estávamos eu e Somin sentados na grama de uma parque, observando o céu estrelado. Seria até romântico se eu amasse ela, mas aquele momento estava sendo uma tortura pra mim. Eu me sentia agoniado, sufocado perto da Somin.

- Vamos embora? Já faz umas 2 horas que estamos aqui.

Falei, olhando para a mulher, que admirava as estrelas com devoção. Se ela não fosse a cobra que era, diria até que ela era fofa e tinha sentimentos.

- Que exagero, Yoongi! Agora é que vai fazer 40 minutos que estamos aqui.

- Tanto faz, Somin. Tô cansado de ficar aqui olhando pro nada.

Falei, me levantando. A mulher fez o mesmo e segurou minha mão, dizendo:

- Só vamos embora se você passar a noite comigo.

- Eu tenho que acordar cedo amanhã, Somin.

- Por que você é assim, Suga? Sempre arranja uma desculpa pra não passar mais tempo comigo.

- Você ainda pergunta?

- Olha, eu nem consigo mais lembrar quando foi a última vez que a gente transou.

Coloquei as mãos na cintura e a encarei com tédio. A mulher se aproximou mais de mim e colocou uma mão por dentro de minha camisa social. Ela arranhou suas unhas sobre minha barriga e eu me arrepiei. 

Depois da noite que passei com a manager, eu nunca mais tinha tido nenhuma relação sexual e nem sequer bati umazinha. Eu ia passar a noite com a Somin, sim. Eu só precisava relaxar um pouco. Podem dizer que sou fraco, mas eu responderia: "sou homem!".

Segurei a mão da mulher e a puxei de uma vez, colando nossas bocas. Somin ficou sem ar e assim que nos separamos, ela pegou o celular e chamou um táxi. Não demorou muito e o taxista buzinou do outro lado da rua.

- Pra onde vamos?

Somin perguntou e eu dei de ombros, dizendo:

- Não tenho nenhum lugar em mente.

- E você quer o quê? Que a gente faça sexo no táxi?

- Você não gosta de aventura?

- G-gosto, mas…

- Mas?

- O taxista vai ficar olhando.

- Não sei que vergonha é essa… Fiquei sabendo que até suruba você já fez e agora tá fazendo cu doce?

- Quem te contou que eu fiz suruba?!

- Ninguém. Eu só falei por falar e você acabou de confirmar.

Entrei dentro do carro e ela fez o mesmo, se sentando ao meu lado. 

- Para onde o casal quer ir?

O taxista perguntou e eu olhei pela janela, indiferente. Somin pigarreou e disse:

- Nos leve para a DSP Mídia.

Olhei rapidamente para Somin e falei:

- Tá louca?

- Não. Fica tranquilo, eu conheço um lugar na empresa que a gente vai poder ficar à vontade.

Pude ver o taxista nos olhar pelo retrovisor e bati palmas, pedindo para ele prestar atenção na estrada.

Assim que chegamos na empresa, uma coisa passou por minha cabeça… Será que a manager e BM estariam ali?

Cutuquei Somin e perguntei:

- Quais são as chances do Big Matthew estar aqui com a namorada dele?

- Nenhuma. Pelo o que conheço dele e pelo amor que ele sente por aquela mulher, ele deve ter pagado o motel mais caro de Seoul pra passar a noite com ela.

Fiquei calado. BM deveria ter feito isso mesmo. E tocar nesse assunto me fez imaginar novamente ele tocando o corpo da manager. Fechei os olhos e os punhos com força. Segurei Somin pelo braço com força e comecei a andar para dentro da empresa com pressa. Eu precisava descarregar a raiva e frustração que estava sentindo.

Assim que chegamos no último andar onde, segundo Somin, havia um quarto grande, começamos a andar com passos lentos para não fazer barulho. Porém, precisei parar quando meu celular caiu e se abriu todo no chão.

- Merda!

Gritei num sussurro, enquanto via ao longe Somin abrir a porta do tal quarto. Escutei ela falar algumas coisas, mas não entendi bem. Até que quando me aproximei, ouvi ela dizer:

- Não precisa se esconder debaixo dos lençóis não, Big Matthew. Não tem nada desse seu corpinho que eu já não tenha visto e experimentado.

Ao ouvir aquilo, puxei a mulher pelo braço e perguntei:

- Como é que é?

Ela empalideceu. Olhei, então, para dentro do quarto e vi a cena que eu havia previsto tantas vezes naquela noite. BM e a manager nus em cima de uma cama. 


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...