História Agora,minha vida vai mudar. - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Anjos, Bruxos, Demonios, Vampiros
Exibições 10
Palavras 1.039
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oie...
~Boa leitura~

Capítulo 7 - Tag, you're it


Já se passaram alguns dias dês de que o vampirinhos imbecil chamado Nathan me mordeu. Ro havia passado no lugar as mordida um negócio para cicatrizar então a marca desapareceu rápido.

   Nesse período de tempo de quatro dias eu posso dizer que não aconteceu muito coisa. Eu venho treinando muito a luta de espadas, e até que melhorei um pouquinho.

   Eu venho conversado muito com Rodrigo e Pedro, Matheus não fala muito, mas as vezes conversamos. Só não falo com Nathan— por motivos que não é necessário explicar e com Thomas que parece estar o tempo todo com cara de "to nem aí", "ah, que legal eu não ligo" e eu evito conversar com pessoas assim.

   Em relação as lembranças, tá na mesma merda...! Eu não entendo a maioria das coisas que vejo em meus sonhos e a maioria é dos treinamentos. Mas houve uma lembrança que me chamou muito a atenção.

  Nele Mady conversava com um homem cabelos roxos. Em meio a uma conversa sobre assuntos totalmente banais que eu preferi ignorar, ele começou a se aproximar e acariciar os cabelos dela.

   Ela reagiu positivamente à aproximação dele, pondo a mão atrás de sua cabeça, e logo seus lábios se encontraram.

   Sim eles se beijaram e eu queria muito saber quem era esse cara...

  Desço para tomar café da manhã com os meninos como faço todo dia. Descer aquelas escadas realmente me cansa.

   Olho de relance para uma das janelas que dava para o quintal e serio eu acho que vi um vulto. Olho novamente e não há NINGUÉM lá. Não, é sério eu acho que estou ficando louca, mas sinceramente não vou ficar aqui para descobrir.

   — Bom dia!— digo bocejando e me sentando em entre Matheus e Rodrigo.

   — Bom dia...! — todos respondem em coro.

   Depois de terminar Shinka decidiu que queria ver meu treinamento. E adivinha... Todos os meninos foram menos Nathan!

   Por sorte eu venci o cara com quem estava lutando, sem detalhes ele era meio ruim.

   — Parabéns— elogiou Matheus sorrindo, meu deus como aquele sorriso é perfeito!— Você melhorou bastante!

  — O-obrigada — corei, por ser muito branca acabo corando facilmente.

   — Gosta dele? — sussurrou Pedro para mim assim que sentei no chão ao seu lado.

   —N-não! Claro que não.— sussurrei também, corando ainda mais.

   — Você ficou corada... Coração acelerado...

   — Aí, Pedro me deixa em paz.— sussurrei, dando língua.

   Depois de ficar conversando decidi que iria para meu quarto tomar um banho, descansar. Aqui é difícil medir as horas, mas posso perceber que está anoitecendo.

   Passo pela porta que vai para o jardim, onde tem uma grande floresta. Vejo uma forte luz azul, não consigo resistir a me aproximar dela, mas cada vez que tentava tocar ela desaparecia e aparecia mais na frente.

  Já estou bem dentro da floresta, havia jurado que nunca mais entraria em uma floresta por curiosidade, mas não consegui evitar. Da última vez acabei em um mundo sobrenatural que me disseram que eu sou destinada a salvar.

    — É ela?— pergunta uma voz desconhecida por mim.

    — Creio que sim, irmão. — responde outra.

   — Q-quem está aí?— pergunto me afastando na direção contrária à da voz, por que não sou – tão – idiota.

   Nesse momento dois meninos, um de cabelo roxos e olhos azuis bem brilhantes e outro de cabelos azuis e olhos pretos. Espera... Esse menino roxo parece o de meu sonho. Ai meu deus!

   — Olá — disse o de cabelos azuis se aproximando, fazendo com que eu me afastasse. — Oh, não tenha medo.

   Por que eu não teria? Que tipo de pessoa está numa floresta a essa hora da noite? O outro garoto pareceu rir do "não tenha medo" o que só aumentou minha desconfiança.

   — Olá querida. O que faz aqui?— perguntou o de cabelo roxo.

   — Quem são vocês?— perguntei tentando ser firme. Só tentando mesmo.

   — Que falta de educação a nossa. Meu nome é Lewis, um demônio — se apresentou o de cabelos roxos.

   — Sou Alexy— disse o outro.— Sou um híbrido. Meio demônio.

  — E você, Madalena?

   — Vo... Vocês são dos Demens? —perguntei me afastando e preparando para correr.

   — Oh... Sim.

   Comecei a correr, será que era esse Lewis que falava com Madalena em meu sonho? Que se beijaram? Impossível!

  Depois de correr bastante olhei para trás para ver se eles estavam me perseguindo e para minha surpresa, não tinha ninguém. Quando voltei meu olhar para frente tomei o que deve ser o maior susto da minha vida.

   Lá estava Alexy, eu me esbarrei nele que segurou meus ombros eu me debati e magicamente consegui me soltar.

   — Como...? — indagou Alexy enquanto eu comecei a me afastar, andado para trás.

   Acabo batendo minhas costas em algo, ou melhor, alguém. Torci para que fosse um dos meninos, Pedro, Ro ou Matheus, mas eu já sabia que não era.

   Lewis me segura pelos ombros, me impedindo de me debater muito.

   — Peguei você.— sussurrou em minha orelha.

   — Ela é bonitinha— diz Alexy se aproximando.— pena que vai morrer.

  Começo a chorar, não tô aqui faz nem um mês direito e já vou morrer? Acho que prefiro minha vida monótona.

   — E pare de chorar— praticamente gritou, me assustando e rindo.

   — Não à assuste assim, Alex.— repreendeu Lewis.

   Lewis puxou meu rosto, me fazendo olhar em seus olhos azuis que brilharam muito, eu não conseguia desviar o olhar. Me lembro que no dia em que os meninos me encontraram na floresta, Matheus me fez dormir com uma espécie de hipnose, acho que é a mesma coisa.

   Mesmo resistindo acabei caindo em seus braços e tudo ficou escuro.
~~**~~**~~**~~**~~**~~**~~**

    PoV Narradora

    — Não encontro ela em lugar algum...!— anuncia Pedro, entrando no escritório de Shin.

   — Faz quase uma hora!— informa Shin, preocupado.

   — Como vamos encontra-la?— pergunta Rodrigo.

   — Na verdade é fácil...— diz Nathan, entrando na sala.— Os vampiros podem sentir o cheiro dela, ainda mais sendo uma humana em um mundo so de seres sobrenaturais.

  — Vai ajuda-los? — indaga Thomas, surpreso.

  — Oh... não— se joga no sofá.— só vou assistir de camarote.

  — Vamos, vamos. Estamos perdendo tempo!— diz Rodrigo, se concentrando em sentir o cheiro.


Notas Finais


Bom... Compartilhem com os migos se gostaram.
Dêem um gostei tbm... ❤❤
Imaginem o Lewis e o Alex como quiserem pq não achei uma foto que definisse minha visão de como deveriam ser.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...