História Agridoce - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Namjin, Taeyoonseok, Vhope, Yoonseok
Exibições 386
Palavras 5.598
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu teria postado ontem, mas infelizmente não tive tempo de terminar o capítulo, mas saiu no aniversário do Jimin e era isso que eu queria, espero que gostem.

Quero agradecer aos favoritos e comentários, vocês estão sendo tão amorzinhos comigo que nem sei como agradecer, me sinto feliz pela forma como me receberam, sério, isso tudo é muito importante para mim, obrigada novamente.

Capítulo 12 - Instintos


Agridoce.

Capítulo Doze.

Instintos.

Hoseok sorriu quando estacionou em frente ao local da festa, estava tentando se manter inteiro, ele havia terminado o relacionamento então deveria acatar com a obrigação de seguir em frente mesmo sendo doloroso se forçar a deixar para trás os bons momentos que teve ao lado de Yoongi.

Sentiu falta dos braços do menor ao seu redor enquanto descansava, sentiu falta de se sentar na poltrona de sua sala enquanto Yoongi andava pela casa resmungando palavrões irritado pelo trabalho, sentiu falta de ir até ele e beijá-lo para acalmá-lo, sentiu falta da voz rouca e serena lhe dizendo o quanto lhe amava. Sentiu falta de tudo nele.

Mas como suportar por mais tempo aquele relacionamento escondido? No começo achou incrível, era mais jovem, sentia a adrenalina em seu ser, os amassos escondidos, os beijos que trocavam quando estavam em alguma festa, tudo com a desculpa da bebida, mas com o tempo, logo após se beijarem sóbrios, a única desculpa foi a verdadeira, o desejo que sentiam e com o tempo passaram a desenvolver um carinho muito maior do que já tinham, não queriam apenas beijos ardentes ou noites inteiras de prazer, queriam se sentar juntos e abraçados apenas para sentir a presença do outro.

E para Hoseok estava tudo bem, ele amava Yoongi e o entendia, esperaria ele estar pronto para contar, somente aos amigos, era o desejo dos dois, porém aquele dia nunca chegava, os meses iam se arrastando e nada do grande dia chegar, e então findou-se um ano e meio e as brigas começaram, primeiro por ciúmes, logo depois por carícias negadas em lugares públicos e então, quando se aproximava do terceiro ano juntos, foi pela demora em contar, e aquilo começou e lhe corroer, primeiro porque sabia segredos de Namjoon e Jimin que se abrisse a boca geraria uma discórdia dos infernos, além de saber sobre alguns totalmente dolorosos, segundo porque Namjoon e Jimin nunca esconderiam um relacionamento daquela forma, e o terceiro motivo era porque aquilo era a coisa mais importante de sua vida no momento e não poder compartilhar com os amigos lhe matava.

E então deu fim aquilo.

E agora estava ali, em frente à uma festa de adolescentes da faculdade pronto para se divertir, era isso que tinha em mente, sentia que talvez não fosse sua melhor decisão, mas não procurava esquecer Yoongi, e nem os momentos bons que tiveram, ele apenas procurava superar para quando lembrar daquilo não sentir aquela dor sufocante que lhe acometia, ele queria sorrir de forma leve e descontraída e poder dizer que foi uma boa época de sua vida.

Mandou uma mensagem a Taehyung avisando que já estava em frente ao local e então saiu de seu carro acionando o alarme e esperando o mais jovem, alguns minutos depois o mesmo saiu de dentro da casa com o celular em mãos, falava algo perto do aparelho, parecia um pouquinho embriagado. Os olhares se cruzaram e os mesmos sorriram animados, já haviam ido em festas juntos, tinham uma pequena a amizade, nada a se comparar com a que tinha com seus outros três amigos, isso incluía sim Yoongi, mas era boa, ele confiaria no mais novo de olhos fechados e fazia isso indo em festas com o mesmo.

— Pensei que não viria. — Tae confessou se aproximando vagarosamente. — Estava estranho hoje, mais aéreo que o normal. — Apontou e Hoseok sorriu sem jeito.

— Só lembrei de algumas coisas da faculdade, nada demais. —  Falou e então observou os jovens animados entrando na festa. — E então, quem aguenta mais? — Perguntou sorrindo minimamente e Tae aplaudiu já seguindo para dentro com o mais velho atrás.

— Temos que fazer uma aposta alta. — Disse em um tom mais alto pelo barulho da música.

— Vemos isso quando estivermos bêbados já. — O mais velho falou sorrindo ladino. — O álcool não vai deixar que tenhamos vergonha de apostar nada. — Explicou e o outro concordou.

E assim fizeram, a primeira rodada e então um dança rápida, conversaram sobre como andavam as coisas e Hoseok escutou o garoto lhe contar sobre a briga com os pais, sentiu-se compadecido pelo mesmo, era um menino de muito talento, que sempre se esforçava, além de ter uma boa aparência, sabia que logo algum olheiro o entregaria as graças do público.

A segunda rodada já os deixou bem mais animados, até acabaram fazendo alguns passos de dança sincronizados para se exibir as outras pessoas, que gostaram aliás, ambos dançavam muito bem, mas Taehyung tinha que admitir que nunca conseguiria dançar como seu professor, era como se o mais velho se entregasse completamente naquele momento e deixasse a música entrar dentro de si, era incrível de se ver.

A terceira rodada já iniciou a quarta seguida da quinta, e mesmo assim eles ainda se encontravam de pé dispostos a voltarem para o meio do público e agracia-los com um pequeno show, e não deu outra, novamente estavam lá, dessa vez com uma música diferente do toque das outras, começava calma e ia do crescente, com uma batida envolvente, Hoseok gostava de músicas assim, sentia que podia se soltar mais e foi isso que fez, acabou puxando Tae para mais perto de si, o mais novo sorriu, os corpos colados, Hoseok levemente inclinado para trás com os joelhos dobrados minimamentes, enquanto o outro se encontrava mais ereto com um dos joelhos do mais velho no meio de suas pernas, faziam movimentos de ondas.

Aquilo estava deixando-os quentes e o mais novo não soube o que fazer sobre, mas já tinha uma ideia, uma experiência nova para alguém que adorava experimentar coisas novas era bem vinda, não podia negar aquilo, até porque sempre manteve uma curiosidade sobre o assunto de se envolver com homens, havia alguma diferença de com mulheres? Ele sentiria prazer ao ter contato com isso? Era perguntas que ele estava disposto a achar as respostas.

Hoseok percebeu o olhar afiado do garoto sobre si e tinha uma ideia de onde aquilo acabaria se não se controlasse, por enquanto não era uma boa forma de envolver o menino, sabia da fama de galanteador que ele tinha pela faculdade, até na sala dos professores as vezes era comentado por ser pego flertando com alguma garota, talvez aquele momento pudesse ferir a masculinidade do outro mais tarde.

— Quero mais uma rodada. — Falou quando a música chegou ao fim.

— Claro. — Taehyung concordou mordendo os lábios.

— Não vai pedir uma também? — Perguntou quando já estavam em frente ao pequeno bar improvisado.

— Não, vou esperar um pouco mais. — Disse sentando-se ao lado do mais velho.

— Isso é considerado derrota, sabia? — Hoseok sorriu malvado enquanto bebia de seu copo.

— Ah, então parece que terei que pagar alguma coisa. — Sorriu sugestivo.

O sorriso do mais velho se desmanchou lentamente enquanto olhava a expressão do outro, aquilo fodia com seus pensamentos e com seu auto-controle, não que tivesse muito, afinal era uma pessoa bem intuitiva, que seguia mais a emoção que a razão, que na maioria das vezes não se importava com as consequências, uma prova disso era Yoongi, e talvez outra fosse Taehyung. O que diabos estava fazendo com sua vida?

— Um stripper para o pessoal da festa. — Propôs brincalhão.

— Pode ser apenas pra você. — O outro retrucou e Hoseok ofegou em um engasgue misturado com uma risada desacreditada.

— Essa foi direta. — Comentou e recebeu um sorriso retangular de volta.

— É só que parece que você não percebe. — Explicou em defesa.

— Perceber o que? — Perguntou desentendido.

— Ah, não se faça de inocente, Hyung. — Falou com a sobrancelha arqueada.

— Não estou, apenas fica difícil de acreditar nisso. — Se defendeu e sorriu minimamente. — Espere mais um pouco. — Pediu e então tomou mais alguns copos de qualquer bebida.

Não conversaram muito depois disso, poucas palavras trocadas, o mais velho percebia o sentimento de ansiosidade que partia do outro e não pôde deixar de sorrir internamente com isso, não acreditava que realmente pensou na possibilidade de se agarrar com seu aluno, o que era exatamente o que iria acontecer, e sejamos sinceros, era isso que queriam, mas Hoseok não usava Taehyung para superar Yoongi, e nem Taehyung usava Hoseok para experimentar novas coisas, talvez em parte fosse isso para ambos os lados, mas não se beijariam como naquele momento que conseguiram um canto mais afastado se não sentissem desejo não é mesmo?

O beijo durou mais que o esperado, Taehyung era um poço de hormônios e não pôde esconder a excitação que sentiu, em sua mente a única coisa que se passava era como seu professor beijava bem, sem contar no destaque que deu no momento em que ele usou sua língua para fazer algo incrível que não soube explicar o que era, mas interrompeu o beijo animado.

— Eu quero tentar fazer isso! — Exclamou com os olhos brilhantes.

— Isso o que? — Hoseok indagou um pouco ofegante.

— Essa volta com a língua, eu não sei, esse negócio que você fez é incrível. — Explicou fazendo gestos com as mãos.

— Okay. — Sorriu com a animação do garoto e não conseguiu conter o pensamento de que independente do momento acabava agindo como um professor.

A explicação teórica foi precisa para não deixar dúvidas e então passaram para a prática, na concepção dos dois foi a melhor, assim como nas aulas de dança e atuação Taehyung aprendia rápido, e depois de finalizarem isso o garoto questionou se tinha mais coisas a aprender, e aquela pergunta soou extremamente erótica, e sim, Hoseok ensinaria muitas coisas ao menino.

.

.

.

Jimin observava a cidade através da porta de vidro da sacada trancada, se negava a abri-la e foi um pouco difícil fugir do questionamento de Jungkook, "porque queria deixar fechada" era uma ótima resposta se o mais novo insistisse naquele assunto mais pra frente, tinha certeza daquilo porque não estava disposto a deixar o mesmo se afastar, soava até meio psicótico, mas era apenas uma reação comum, quando gostamos de alguém queremos manter essa pessoa por perto. Apenas.

Sua perna passou a doer, o efeito do remédio estava passando, suspirou irritado e meio mancando caminho de volta para o sofá grande onde cuidadosamente se sentou apoiando suas mãos no assento antes de qualquer outra ação, esticou a perna e pegou a cartela de remédio que Hoseok havia lhe dado e engoliu a seco mesmo, era errado se medicar daquela forma, mas esperava um certo tempo para ingerir, algo entre quatro horas quando o efeito passava.

Havia passado a maior parte do dia na empresa com Yoongi, ele estava estranho e se esquivava de qualquer questionamento sobre, não conseguiu pensar em um motivo para o mesmo estar em um domingo na empresa marcando uma reunião sendo que dias atrás comemorava a folga que podia ter, era óbvio que algo aconteceu e ele queria ocupar sua mente, mas não insistiria naquilo, seu primo irritava-se facilmente e antes da reunião ter fim o expulsou da sala depois de patadas grátis que deu aos acionistas.

— Velhos babões. — Resmungou irritando-se.

O gatinho então surgiu pulando sobre sua perna machucada, ofegou pela dor e deitou o tronco todo sobre o sofá mantendo a mesma esticada, o bichano aproximou de seu rosto lambendo sua bochecha, resmungou um palavrão básico enquanto não evitava um sorriso, estava tudo bem, afinal, era até bom ter outra companhia naquele apartamento enorme, gostaria que Jungkook estivesse lá, o garoto adorava falar sobre qualquer coisa, as vezes dividida pensamentos de crises existências consigo que também passará por algo semelhante.

Afagou a pelagem macia do bichinho quando sua campainha soou pelo apartamento, deveria ser a vizinha do andar abaixo do seu pronta para reclamar sobre qualquer mínimo barulho que tenha feito quando chegou, até o barulho de chaves sendo largadas sobre móveis irritava a mulher.

— Já vai. — Gritou abafado de forma lenta e cansada. — Meu Deus, tira esse dedo daí! — Gritou agora irritado com a persistência da pessoa que mantinha o dedo na campainha. — Puta merda. — Levantou-se com cuidado e seguiu para a porta abrindo-a irritado. — Porra, Jungkook. — Soltou baixinho ao ver o menino sorrindo animado com uma garrafa em mãos.

— Vim buscar o Minnie e deixar essa garrafa aqui. — Avisou entrando no apartamento e já pegando o gato do sofá.

— O que é isso dentro da garrafa? — Perguntou com um careta ao ver a mistura exótica dentro da mesma.

— É pra fazer vodka. — Explicou. — Jin me ensinou depois que vimos no evento, tem batata, arroz, água e… Esqueci, mas tem algo a mais, eu acho. — Falou pensativo. — Pra falar a verdade, eu não faço ideia do resto das coisas que ele colocou, se colocou mais do que eu falei. — Confessou com os olhos estreitos para a garrafa tentando se lembrar se tinha ou não mais componentes ali.

— E como que vai sair vodka daí? — Perguntou agora interessado.

— Tem que deixar fechado sem entrar oxigênio, então depois de um tempo vai ocorrer a fermentação, tem que abrir um pouquinho, mas só um pouquinho se não pode explodir. — Explicou animado. — Daqui três meses podemos ferver e então vira álcool, vodka pra ser mais específico e pronto, ficamos bêbados. — Finalizou animado.

— E vai deixar isso aqui por que? — Perguntou arqueando a sobrancelha.

— Porque eu não quero que isso exploda na minha casa se algo der errado. — Respondeu de forma óbvia.

— Que animador, tô me sentindo muito seguro agora. — Retrucou ironicamente.

— Que bom, eu não me sinto nada seguro com isso por perto, mas enfim, eu tenho que ir. — Disse seguindo apressado para a cozinha com Jimin atrás de si.

— Não acredito que estou concordando com isso. — Murmurou enquanto massageava as têmporas.

— Acho que derrubei alguma coisa. — Escutou o resmungou logo depois de um baque seco.

— Sim, meu material. — Murmurou ao chegar na lavanderia e ver o mais novo abaixado ajeitando a garrafa em um canto.

Suspirou e muito lentamente passou a se abaixar para pegar sua pasta, no final acabou deitado em posição fetal no chão se perguntando como havia parado naquela posição, mas o importante era que havia conseguido pegar seu material.

— O que você está fazendo? — Jungkook indagou após se colocar em pé e ver Jimin deitado no chão abraçado a sua pasta e com uma expressão irritada no rosto.

— Pegando minha pasta. — Respondeu olhando fixamente para o chão com os olhos estreitos.

Ficaram em silêncio naquela mesma posição, Jungkook esperava o momento em que Jimin se levantaria, e este segundo esperava o momento que a dor no joelho pelo esforço posto em se abaixar passasse para então levanta e esperar a dor do joelho por isso passar. E foi exatamente assim que aconteceu, no final ele estava vitorioso e ofegante colocando a pasta sobre a bancada de granito do cômodo.

— Eu sou incrível. — Murmurou e Jungkook riu.

— Com todo esse seu um e trinta imagino que seja. — Brincou recebendo um tapa e um Jimin andando mancando em direção a sala.

As ações seguintes foram lentas, não foi algo que ele quisesse que fosse rápido, apenas suspirou e sorriu calmamente enquanto se aproximava e abraçava o mesmo pela cintura e trazia seu corpo contra si, o mais velho paralisou com aquela ação, as sensações clichês tomaram conta de seu corpo. Jungkook apertou-o mais contra si e então passou o nariz por seu pescoço, aspirando seu perfume, deixou um beijo ali e então suspirou novamente.

— Você se irrita facilmente. — Ele apontou.

— Você me irrita facilmente. — Jimin respondeu e apertou os braços do mesmo mais contra si.

— Namjoon convidou Jin para sair. — Contou passando o nariz pelos fios agora desbotados. — Poderíamos sair também, nós dois. — Propôs e Jimin não pôde evitar sorrir.

— Poderíamos. — Respondeu fechando os olhos e apreciando a sensação de tê-lo ali consigo.

— Eu tenho que ir, Tae está na minha casa, vai dormir lá por alguns dias e Jin quer conversar conosco amanhã. — Falou afastando-se do mais baixo que assentiu passando os dedos entre os fios do cabelo.

Seguiram em silêncio para a porta, no caminho Jungkook pegou Minnie novamente, soltou no corredor que dava ao elevador e virou seu olhar para Jimin, o mesmo fitava o chão com o olhar perdido, parecia pensar em algo importante, inconscientemente sorriu com a expressão vegetativa do mesmo e estendeu a mão acariciando o rosto dele lentamente, o mais velho forçou um sorriso e desviou o olhar do seu.

— Qual o problema? — Perguntou um pouco preocupado.

— Ah, você percebe o que anda fazendo, não é? — Perguntou mordendo os lábios.

— Eu percebo. — Assentiu sabendo do que ele falava.

— Eu não procuro diversão. — Falou ficando sério. — Estou realmente velho pra um envolvimento superficial. — Sua expressão não vacilou, a dureza no olhar e as feições sérias.

— Ah, que sexy. — Jungkook murmurou e Jimin arqueou a sobrancelha.

— Você ouviu o que eu disse? — Perguntou suspirando.

— Claro que sim. — O mais novo balançou a cabeça lhe dando um sorriso como pedido de desculpas. — Não quero um envolvimento superficial, eu já tenho uma noção do que quero. — Seu sorriso mudou drasticamente.

— Meu Deus, não quero saber o que você anda pensando. — Resmungou negando com a cabeça.

— Mas não é nada de mais, apenas penso em querer namorar com o Hyung. — Respondeu dando de ombros como se fizesse pouco caso daquilo.

— É claro que pensa. — Jimin ironizou com um sorriso pequeno.

— Bom, eu confesso que penso em outras coisas também, quer dizer, sua cama é bem grande né. — Riu soprado e sentiu seu corpo chocar-se com a parede.

Permaneceu de olhos fechados com um sorriso mínimo no rosto, os braços estavam presos sobre sua cabeça, a mão de Jimin segurava-os com firmeza, mantinha um joelho entre suas pernas e a outra mão pousada sobre sua cintura. Quando tentou se mover o mesmo apertou mais onde tocava, fazendo assim o mais novo abrir os olhos e ver a expressão totalmente feroz do outro. Aquilo era novo.

— Não brinque comigo. — Jimin rosnou aproximando os rostos.

— Não estou brincando. — Retrucou passando a língua sobre os lábios.

— Então posso te mostrar porque minha cama é grande. — Sussurrou mordendo o lóbulo do outro que ofegou em expectativa.

— Você pode? — A pergunta ansiosa o fez rir um pouco e então se afastou, soltando-o.

— É melhor ir pra casa, está tarde, pode ser perigoso. — Seguiu para dentro do apartamento fechando a porta e deixando um confuso Jungkook para trás.

O que era aquilo que acabará de acontecer? O mais novo ainda repetia aquele momento passado em sua mente e frustrado pegou o gatinho do chão e seguiu para o elevador, ele realmente queria saber porquê a cama de Jimin era tão grande. Já o outro sabia exatamente o que tinha acontecido, havia simplesmente agido de forma impulsiva, como antigamente, e talvez deveria deixar esse lado agir mais vezes quando estivesse com Jungkook, seria interessante, mas no momento anterior apenas sentiu um pouco de vergonha, quem sabe dá próxima, não é?

Depois de um momento vegetando no sofá se perguntou como não sentiu dor no joelho quando apoio-o entre as pernas do outro, talvez fosse a excitação que sentiu ao tê-lo tão entregue daquela forma, com toda certeza repetiria aquilo, era o que mais queria no momento, assim como o mais novo que no caminho todo de volta para sua casa não pôde pensar em outra coisa a não ser naquela proximidade repentina, talvez pudesse até ter a expectativa de um beijo pela iniciativa de Jimin.

Chegou em sua casa e colocou um pouco de ração para Minnie em um potinho que havia comprado, na verdade, havia comprado muitas coisas para o gatinho, além de comida e alguns petiscos também uma cama bem fofa e tigelas para colocar água e ração ao felino, havia gastado um bom dinheiro naquilo e sentiu uma dor no coração na hora de pagar, precisava urgentemente arranjar um emprego, não que realmente necessitasse, só que não gostaria de ficar toda hora pegando dinheiro dos seus pais, mesmo sendo seu agora.

O pensamento anterior lhe deixou mal, sentou-se no sofá observando o gatinho comer rapidamente e abraçou os joelhos sentindo fraquejar, seus olhos se encheram de lágrimas e acabou chorando ali mesmo, era tudo tão recente, sentia-se horrível por estar se divertindo e seus pais estarem mortos, mas o que poderia fazer? Não deveria seguir com sua vida?

Odiava isso, não saber o que fazer, estava na cara que precisava de alguém sempre mostrando como deveria agir e pensar, o que era ridículo, talvez não estivesse lidando realmente tão bem como achou que tinha passado a lidar, apenas fingiu que estava tudo bem, e novamente passou a fazer tudo errado, não era isso que Jimin queria que fizesse, não podia fazer dessa forma, tinha que aceitar, mas estava difícil.

O que fazer?

Precisava pensar cuidadosamente sobre isso, muito cuidadosamente, era complexo, deveria esperar mais um pouco talvez? Se afastar mais um pouquinho até ter a mente limpa novamente? Era uma boa opção, não precisaria de muito tempo para pensar, apenas colocar os pensamentos em ordem, talvez sair em uma viagem, visitar seus tios no campo, seus avós em Busan, decidiria isso com calma, daria um jeito, conseguiria passar por isso mesmo que fosse se machucando, uma hora tudo passaria.

Suspirou e levantou-se ainda com os olhos úmidos, acariciou Minnie e subiu para seu quarto, tomaria um banho e faria algo para comer, se bem que havia perdido o apetite, suas pequenas questões não lhe deixaram espaço para fome e logo depois acabaram levando seu sono também, novamente, para variar passou um longo tempo deitado de barriga para cima e encarando o teto e horas mais tarde escutou o barulho da porta se abrindo, a principio estranhou e ficou preocupado, mas relaxou ao lembrar-se de que era Taehyung.

Levantou-se e passou a descer pela escada lentamente, gostaria de ver a situação em que o amigo se encontrava, com certeza bêbado, e aquilo seria engraçado, seria muito engraçado se Kim Taehyung não estivesse se agarrando a Jung Hoseok no seu sofá. Parou na metade da escada com o cenho franzido e lembrou-se de Hoseok e Yoongi abraçados na casa de Jimin, para ele os dois mais velhos estavam namorando e agora não sabia muito bem o que pensar, pra ser bem realista não queria pensar então apenas subiu novamente sem atrapalhar os dois, por enquanto aquilo não era da sua conta.

Era quase seis da manhã quando a porta de baixo abriu-se novamente, espiou pela janela e viu Hoseok e Taehyung beijando-se mais uma vez como despedida e o mais velho seguiu para seu carro, suspirou e fechou as cortinas voltando a se deitar, uma questão que acabou ficando em sua mente era se Tae era homossexual ou bissexual, talvez a segunda opção fosse bem a cara do amigo, depois do que havia presenciado, e acabou se perguntando qual era a sua sexualidade, provavelmente bissexual também, afinal, não podia ignorar a enorme vontade de ficar com Jimin.

Esperou ter certeza de que o amigo havia ido tomar um banho e descansar um pouco, afinal o mesmo iria trabalhar no café perto do centro naquela tarde, sabia que ele precisaria estar ao menos apresentável, e Jin passaria ainda naquela manhã ali e isso foi mais um motivo para se obrigar a levantar-se e descer para fazer um café, obviamente passou bem longe do sofá, não queria nem imaginar o que Tae havia feito ali com Hoseok. Já tinha uma ideia. Não queria ter ela. Constrangedor. 

Enquanto deixava as coisas meio encaminhadas foi servir comida a Minnie e ronronou esfregando-se em sua perna, ele era extremamente fofo, não se conteve e pegou o animal no colo, tirou uma foto com o mesmo e postou em suas redes sociais, fazia algum tempo que não mudava as fotos de seus perfis, talvez aquilo fosse uma chance ótima.

— O que está fazendo? — Tae perguntou lhe assustando quando chegou na cozinha com o cabelo levemente úmido.

— Nada. — Deu de ombros guardando o aparelho e colocando as coisas do café na mesa.

— Precisamos conversar sobre algo realmente importante. — O mais velho disse começando a preparar algo para comer.

— O que seria? — Jungkook indagou já tendo noção de que era sobre os beijos dos dois mais velhos.

— Vamos esperar Jin chegar, certo? — Falou mais para si mesmo do que para Jungkook. — Vai ser melhor. — Sorriu levemente.

— Eu acho que também tenho algo para falar. — Confessou lembrando-se de Jimin e de sua ideia de viajar.

— Nossa. — Tae murmurou de boca cheia. — Prevejo brigas. — Comentou afiada e Jungkook negou com a cabeça.

— Você é o capeta. — Jin adentrou a cozinha apontando para Taehyung que sorriu culpado. — Vinte e três áudios! De dois minutos cada um! — Rosnou largando um pote sobre a mesa.

— Isso é bolo? — Jungkook perguntou em um murmurio sorrindo animado.

— Eu estava feliz, tá legal? Dá um desconto! — Tae se defendeu levantando as mãos.

— Não, você estava bêbado, assuma, que ridículo. — Jin suspirou. — Você me atrapalhou, eu te amo, mas cara, não, eu estava com Namjoon. — Falou sentando-se a atraiu a atenção dos dois.

— E dai? — Jungkook perguntou deixando o bolo de lado e interessado naquilo.

— É sobre isso que eu quero falar com vocês. — O mais velho assumiu uma pose séria. — Eu sei que não comento muito sobre minha vida com vocês desde que nos conhecemos. — Começou sentindo-se envergonhado.

— Verdade, vai fazer uns cinco anos que te conhecemos e eu só sei o básico, meio bosta isso, tá? Sempre me revolto.— Taehyung interrompeu inclinando-se na mesa e fazendo os outros dois rirem.

— Continua, hyung. — Jungkook pediu.

— Certo. — Pigarreou e sorriu. — Vou ser direto, minha família é muito conservadora, sempre me cobrou muito sobre tudo e eu sempre fui muito péssimo nas matérias que eles presavam, mas conseguiam ignorar isso com muita relutância, mas acabou que eu me assumi homossexual. — Soltou e esperou uma reação estupefata dos amigos, mas a única coisa que recebeu foi olhares de incetivo para continuar. — E eu fui expulso de casa. — Falou e deu por finalizado a questão.

— Nossa, isso foi pesado. — Taehyung disse de forma meio tensa. — Okay, muito pesado, cara, cê foi expulso de casa. — Murmurou e então arregalou os olhos. — Sério, você foi expulso de casa, tá difícil. — Ofegou e bagunçou os cabelos.

— Virou um gravador agora, Tae? — Jungkook perguntou meio irritado. — Mas está tudo bem com você e sua família? — Perguntou agora virando-se para o mais velho.

— Na verdade eu posso voltar para casa quando deixar de ser estranho, como minha mãe disse. — Sorriu de maneira amarga e tanto Tae quanto Jungkook sentiram-se mal pelo amigo. — Mas enfim, era isso, acho que agora vocês sabem o que precisam saber sobre mim. — Sorriu e os outros dois concordaram.

— Agora eu quero saber sobre você e o Namjoon. — Taehyung se pronunciou depois de um tempo em silêncio.

Foi naquele momento que Jin percebeu que havia dito que era homossexual e seus amigos reagiram de forma totalmente normal, não pode deixar de sorrir e abaixou a cabeça quando seus olhos lacrimejaram, não poderia evitar ficar feliz com aquilo, Taehyung e Jungkook eram as pessoas mais importantes em sua vida, saber que era aceito por eles independentemente de ser como era o deixava tão aliviado, afinal, não havia problema nenhum em ser como era desde que fosse ele mesmo.

— Ah, você tá chorando! — Jungkook exclamou levantando-se e quase derrubando a cadeira. — Foi aquele poste? O que ele fez? Hyung, respira! — Murmurou enquanto abraçava o maior que soluçou prendendo um riso ao ver o desespero do outro.

— Podemos bater nele, okay? — Taehyung disse seriamente. — Certo que vamos mais apanhar que bater, olha o tamanho daquilo, mas não se preocupe, vamos manter sua dignidade, se bem que chorando desse jeito você já perdeu ela, mas ignora. — Soltou fazendo Jin rir mais alto.

— Ele deve ser masoquista, Tae. — Jungkook comentou se afastando e limpando as lágrimas do rosto do mais velho. — Qual o problema, Jin? — Perguntou carinhosamente.

— Estou feliz. — Respondeu e os outros dois arquearam a sobrancelha rindo.

— Então tá. — Tae murmurou. — Ainda bem que o Namjoon não fez nada, eu disse tudo aquilo da boca pra fora, não aguento nem um contato visual com aquele ser. — Confessou e os outros dois gargalharam.

— Namjoon e eu estamos saindo. — Contou e Jungkook se engasgou com o café que tomava.

— Que adorável. — Taehyung sorriu amarelo dando tapinhas nas costas do Jeon.

— Que merda. — Jungkook murmurou azedo.

— Mas enfim, eu também tenho uma coisa pra contar e o Kookie parece que tem duas, olha que perfeito. — Tae chamou a atenção dos outros dois. — Hoseok e eu nos beijamos muitas vezes. — Falou e Jin arregalou os olhos paralisando.

— Eu vi. — Jungkook assentiu confirmando a afirmação do amigo.

— Você o que? — Taehyung virou-se assustado para o outro que deu de ombros.

— Vocês estavam se beijando na minha casa, quer o que? — Indagou arqueando as sobrancelhas e Tae bufou revirando os olhos.

— Por que? — Jin perguntou depois de um tempo.

— Sei lá, eu olhei pra ele e pensei no quanto tava gostosão naquelas roupa e depois que dançamos juntos subiu um calor em mim. — Disse brincando com o pano da mesa.

— Não quero os detalhes. — O mais novo resmungou dando uma cotovelada em Tae que sorriu devolvendo o gesto.

— Nem comecem. — Pediu Jin já prevendo que se deixasse aquilo seria eterno. — E você, Jungkook, o que tem a nos dizer? — Perguntou ao mais novo que desviou o olhar corando.

— Acho que estamos todos no mesmo barco. — Disse e Jin suspirou já entendendo tudo.

— Desde quando? — Perguntou e Taehyung arqueou a sobrancelha sem entender.

— Não sei, só aconteceu. — Respondeu e sorriu.

— Do que estão falando? — Tae perguntou sentindo-se excluído.

— Jungkook possou a sair com Jimin, ou quase isso. — Jin disse e Tae assentiu entendendo.

— Então todo mundo aqui é gay. — Disse e os outros dois arquearam a sobrancelha. — O que é?

— Vocês nem ao menos surtaram por causa disso? Eu meio que surtei quando descobri isso sobre mim mesmo. — Jin indagou agora curioso.

— Na verdade eu estou surtando internamente, sério, é muito estranho. — Tae disse dando um suspiro exagerado.

— Sério? — Jungkook perguntou sentindo-se mal por não estar surtando também.

— Não, eu tô de boa, na verdade eu tô ótimo, Hoseok beija bem demais, até me ensinou a fazer um negócio com a língua incrível, quer que eu ensine? — Começou sério e finalizou com um sorriso malicioso na direção dos outros dois que coraram.

— Você não presta. — Jin resmungou rindo.

Passaram as duas horas seguintes conversando, os mais novos tiravam dúvidas com o mais velho, aquilo foi totalmente constrangedor para Jin, mas não podia deixar os amigos na mão, só interrompeu o assunto quando quiseram saber como seria a penetração, aquilo com toda certeza poderia ser resolvido pelos parceiros deles, aproveitou e disse que iria embora, mas na verdade iria mesmo era almoçar com Namjoon.

Taehyung soltou uma gargalhada assim que Jin saiu da casa de Jungkook, então conferiu as horas e decidiu que deveria ir para não se atrasar no emprego, despediu-se de Jungkook e o outro disse que passaria lá perto das cinco para buscá-lo, obviamente o mais velho não pôde deixar de fazer uma piadinha deixando Jungkook constrangido.

Trabalhava em uma cafeteria perto do centro, era um local calmo e muito bonito, muitos clientes lhe conheciam já e até conversavam com o mesmo, o carisma de Taehyung conquistava muitas pessoas, sempre os atendia com total atenção, era educado e divertia as crianças, as vezes dava algum doce dizendo que era cortesia da casa, mas a verdade era que havia pagado com seu próprio dinheiro, era um bom rapaz, afinal de contas.

Perto das três um homem de terno adentrou ao local chamando sua atenção, aquele homem sempre sentava do lado de fora da cafeteria, era atendido sempre pelas meninas já que elas surtavam com a beleza dele, e agora olhando-o pôde concordar com isso, seu cabelo não levava mais a cor negra de antes, agora estava platinado, muito bonito, lhe caiu muito bem.

— Deixa que eu atendo ele. — Falou para uma de suas colegas de trabalho que bufou.

Foi andando até o homem observando-o totalmente, não conteve deixar de passar a língua sobre os lábios quando se aproximou mais e sentiu o perfume extremamente bom que vinha dele, sorriu então simpático quando o olhar do outro caiu sobre si, mas não teve uma resposta.

— O que deseja? — Perguntou sentindo-se um pouco envergonhado por isso.

— Um chá preto e bolinhos de canela. — Pediu sério voltando a atenção para os papeis que tinha na mesa.

Yoongi suspirou assim que o garçom se afastou, ver aquela aura serena e simpática lhe fez lembrar de Hoseok, mas percebia que aquela rapaz não deveria ser tão extrovertido quando o seu menino. Espantou aqueles pensamentos se focando nos papeis de contrato que havia tirado uma cópia antes de ir ali, não queria ficar na empresa, mas também não gostaria de voltar para sua casa, estava finalmente podendo ter um descanso daquele lugar, mas queria exageradamente tirar seu ex do seus pensamentos que trabalhar era sua única opção.

Minutos depois o garçom voltou lhe trazendo seu pedido em uma bandeja, afastou os papeis e o mesmo se curvou para colocar os bolinhos e a xícara sobre a mesa, suspirou quando teve-o tão perto, Yoongi sentiu aquele perfume instigante, sempre foi uma pessoa que teve sua vida sexual bastante ativa, e ficar muito tempo sem um contato mais íntimo o deixava assim.

— Obrigada. — Agradeceu pigarreando depois que o menino arrumou as coisas sobre a mesa.

— Por nada. — O mesmo lhe respondeu sorrindo, mas ficou um pouco sério o encarando.

— O que foi? — Perguntou estranhando aquela atitude. — Sou tão bonito assim? — Brincou e recebeu uma concordância muda do outro que sorriu.

— Na verdade, estou notando o quanto parece triste. — Confessou e aquilo pegou Yoongi de surpresa. — Me pergunto o quão machucado você está. — Sorriu por fim lhe dando as costas.

 

 

(Leiam as notas finais).

 


Notas Finais


É o seguinte, vou ir embora da minha cidade domingo e ainda nele eu chego na minha cidade antiga, eu vou morar em uma chácara, vai ser horrível, não sei se consigo escrever mais um capítulo até sábado para postar, vou me esforçar, mas provavelmente não terá mais capítulos da fanfic por tempo indeterminado, eu vou escrever ela no editor que tenho em meu celular e se tiver a chance irei postá-la, talvez ela não venha com essa formatação bonitinha que eu gosto, mas enfim, é isso.

Espero que estejam vivas depois do álbum que saiu, eu estou aqui no inferno, tem um wi-fi ótimo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...