História Agridoce - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Namjin, Taeyoonseok, Vhope, Yoonseok
Exibições 378
Palavras 5.474
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu estou postando pelo aplicativo, assim que der tudo certo eu arrumo a formatação do mesmo.

Obrigada pelos comentários, favoritos, mais de 100! Isso me deixa muito feliz, sério. Minha meta no começo era apenas 20 e depois que passei disso pensei em 50 e agora já estamos em mais de 100, me sinto orgulhosa! Muito obrigada!

Capítulo 13 - Vilão


Agridoce.

Capítulo treze.

Vilão.

Quando Jungkook percebeu já fazia dois meses desde a morte de seus pais, o tempo estava passando depressa, nem podia dizer quantas coisas haviam mudado, além da perda recente, Jin estava enrolado com Namjoon, e ele havia se acostumado com a presença do mais velho, não por completo, sempre que se encontravam acabavam trocando algumas farpas, mas não podia evitar. Taehyung andava muito com Hoseok e com um outro cara ao mesmo tempo, aquilo lhe fazia crer que a canalhice do amigo passou para o lado homossexual dele, aliás, o professor citado estava bem próximo dos três amigos, geralmente saiam juntos para beber naquele bar que se relacionou com Sook, que acabou virando sua amiga.

Jimin estava estranho, mais distante, ainda conversavam, e até agora o jantar dos dois não havia saído, mas não podia forçar, percebia que seu ruivo andava preocupado com a faculdade, que Jungkook voltou a frequentar, com a empresa que cobrava reuniões quase toda semana de si e com algo mais, mas nunca conseguia uma resposta concreta, no início o mais velho inventava desculpas, mas agora apenas dizia que aquilo não era do seu interesse, o que lhe deixava irritado e acabava tendo pequenas discussões.

Seu luto não melhorou muito, na verdade sentiu como se tivesse piorado, continuava dormindo mal, sua fome diminuiu muito, até Jin havia notado, logo depois arranjou um emprego, duas semanas depois da conversa com seus amigos em sua casa na segunda, os pesadelos começaram, sempre que o sono finalmente aparecia com ele surgia os pesadelos, aqueles sonhos ruins que lhe faziam acordar suado e ofegante, as vezes tinha medo de dormir apenas por isso, era ridículo.

Taehyung continuava em sua casa, os pais do mesmo haviam falado consigo, pediram para convencer o garoto a voltar para casar e a, principalmente, largar a faculdade de artes cênicas, no mesmo instante Jungkook Levantou-se da cadeira do restaurante irritado como nunca ficou com os pais do amigo, era a primeira vez que sentia aquilo, não pôde evitar dizer palavras duras aos mais velhos, no final do discurso largou o dinheiro pela sua refeição sobre a mesa e se retirou do ambiente suspirando aliviado. Contou a Tae o que aconteceu e o amigo chorou perto de si como uma criança.

No dia seguinte ele estava se agarrando com Hoseok em seu sofá novamente. Garoto abusado.

Você tem certeza disso, querido? — Sua tia lhe perguntou pela terceira vez depois de conversarem sobre como estava. 

— Claro que sim, isso me fará bem. — Reafirmou suspirando enquanto se escorava na parede do beco do estabelecimento de seu trabalho.

 — Ah, Kookie, seria ótimo tê-lo aqui, nos avise quando virá, okay? — Pôde notar a animação e o carinho na voz de sua tia. 

— Obrigada, tia, eu vou avisar sim, não vai ser logo, tenho que me organizar em algumas coisas aqui. — Explicou e sorriu sentindo-se bem por finalmente estar organizando aquilo.

— Falou com seus amigos? Vai trazê-los juntos? — Sua tia adorava os meninos, sempre que tinha Jin por lá tagarelavam sobre receitas novas e adorava levar Taehyung para seu enorme jardim.

— Não, apenas eu vou. — Respondeu e então despediu-se de sua tia.

Suspirou e voltou para dentro do café, que era o mesmo que Taehyung trabalhava nas segundas e quintas, seu período era nas terças e sextas, era um ambiente aconchegante, as vezes Yoongi aparecia por lá e conversavam um pouco, o mais velho parecia um pouco abatido, bem mais branco que o normal, e tinha olheiras horríveis, além disso passou a ouvir fofocas de que Taehyung andava saindo com Yoongi, o que o fazia desconfiar que o Min era o outro cara que estava se relacionando com o amigo.

Assim que chegou até a entrada principal, segurando a bandeja prateada, deu de cara com Yoongi sentado à alguns metros dali, o mesmo estava com alguns papéis na mesa, bem concentrado enquanto comia bolinhos de canela e tomava chá preto, como sempre.
Ficou observando-o se decidindo se ia ou não falar com o mesmo, acabou apenas suspirando e mantendo-se ali, as vezes era chamado em alguma mesa, mas o movimento estava baixo demais.

— Jungkook. — Se assustou quando Yoongi apareceu ao seu lado sério.

— Sim? — Perguntou um pouco preocupado.

— Você tem um minuto para conversamos? É sobre Jimin. — Pediu de forma educada.

— Claro, podemos. — Respondeu prontamente achando estranho o assunto principal da conversa.

Tirou seu avental e largou a bandeja sobre o balcão da cafeteria pedindo a uma de suas colegas que o cobrisse por alguns minutos, depois ambos seguiram para a mesa do lado de fora de Yoongi.

— Aconteceu algo com ele? — Perguntou assim que se sentaram um de frente para o outro.

— Deve ter notado a forma como ele vem agindo ultimamente, eu só queria pedir mesmo que você se afastasse um pouco, ele não tem costume de ser próximo de outras pessoas como está próximo de você. — Pediu enquanto explicava.

— Mas qual o problema? — Jungkook indagou cruzando os braços.

— O que é isso agora? — Yoongi sorriu ao ver a expressão superior que o outro aparentava. — Pode abaixar esse nariz aí, pirralho. — Brincou e Jungkook rolou os olhos.

— Só quero ver se o assunto é realmente relevante. — Deu de ombros.

— Claro que é. — O mais velho franziu o cenho.

— E o que é? — O mais novo insistiu.

— Acho que isso não é da sua conta. — Respondeu. — Ele vai falar quando se sentir confortável. — Avisou.

— Que palhaçada. — Resmungou levantando-se irritado.

— O que foi? — Yoongi questionou segurando o riso.

— Só acho que depois de tudo ele poderia contar, eu sou amigo dele, não sou? — Reclamou voltando a se sentar.

Yoongi observou o rapaz em silêncio, ele concordava com aquilo, mas sabia que era mais complicado do que aparentava, e percebia a enorme hipocrisia que rodava Jungkook, ele mesmo e quem sabe mais quantas pessoas.

— Não seja hipócrita. — Yoongi repreendeu sério. — Concordo com você, mas todos tem seu tempo em falar sobre algo, não crie uma tempestade em copo d'água.

— Hipócrita? — Perguntou irritado.

— É, todo mundo já percebeu como você está. — Retrucou. — Só estão esperando o seu momento.

Jungkook bufou e passou seu olhar pelo ambiente, observou algumas pessoas antes de se voltar para Yoongi novamente e quando o fez deixou de lado o assunto Jimin e se perguntou o que estaria acontecendo com o mais velho, vê-lo daquela forma, tão inquieto, não nas expressões corporais, mas sim na forma em que movia o olhar para tudo ao seu redor.

— O que aconteceu com você? — Perguntou fazendo o outro arquear as sobrancelhas.

— Do que está falando? — Yoongi indagou meio confuso.

— Anda estranho ultimamente. — Deu de ombros. — Deve estar bem ruim mesmo, parece que anda saindo com Taehyung. — Jogou não tendo certeza se era ou não verdade.

— Ah, ele disse algo sobre? — Questionou um pouco envergonhado.

— Não, eu joguei verde. — Respondeu sorrindo ao vê-lo revirar os olhos. — Mas e Hoseok e você? — Assim que concretizou a pergunta percebeu o olhar melancólico do outro.

— Não estamos mais juntos. — Respondeu brincando com a xícara em suas mãos.

— O que houve? — Perguntou receoso.

— Eu estraguei tudo. — Deu de ombros suspirando.

Ficaram em silêncio e Jungkook decidiu que era hora de voltar ao trabalho, levantou-se sussurrando um sinto muito a Yoongi que apenas assentiu e então voltou para dentro do café. Passou o resto do expediente pensando sobre o relacionamento de Yoongi e Hoseok, não queria realmente se meter nisso, mas era perspectivel que ele ainda gostava do outro, e por isso acabava se doendo por Taehyung.

Quando chegou na casa de Jin mais tarde daquele dia não se surpreendeu ao dar de cara com Namjoon e Taehyung sentados na bancada da cozinha observando atentamente ao outro cozinhar concentrado, era uma cena até engraçada de se ver, pareciam dois gatinhos curiosos acompanhado o brinquedo com o olhar.

— Como foi lá? — Jin perguntou ao notar a presença do outro.

— O de sempre. — Respondeu dando de ombros.

Sentou-se junto aos outros dois enquanto Jin continuava cozinhando, Taehyung começou a conversa consigo enquanto Namjoon voltava sua atenção para o celular, o mesmo parecia preocupado. Após alguns segundos a campainha do apartamento de Namjoon soou fazendo o mesmo de levantar meio apressado.

— O que está acontecendo? — Jungkook indagou curioso.

— Pra ser sincero eu não sei não. — Tae Respondeu olhando questionador para Jin.

— Problemas pessoais. — Jin explicou com uma voz de assunto encerrado.

— Parece que todo mundo anda tendo problemas pessoais. — Jungkook ironizou um pouco irritada lembrando-se da conversa de mais cedo com Yoongi.

— É o básico da vida, querido. — Taehyung murmurou empurrando-o brincalhão com o ombro.

A porta se abriu e por ela passou Namjoon, Yoongi e Jimin, ambos sérios, mas o mais velho aparentava estar preocupado e um tanto quanto avoado.

— Boa noite. — Jin cumprimentou sorrindo amigável.

— Hoseok vira também. — Namjoon disse engolindo em seco e olhando para Taehyung que olhou preocupado para Jin.

Certo, aquilo com certeza daria problemas, nem Yoongi e nem Hoseok sabiam que Taehyung andava com os dois, muito menos Taehyung poderia imaginar que os dois tinham um relacionamento até três horas atrás quando conversou com Jin e Namjoon, o segundo havia acabado sendo confidente de Yoongi semanas atrás e descoberto tudo, comentou com Jin que já sabia do envolvimento de Taehyung com os mais velhos. Depois foi questão de tempo para falar com o mais novo.

— Vou precisar sair. — Namjoon avisou sério.

— O que? — Yoongi franziu o cenho meio irritado. — Eu tinha ótimos planos pra essa noite, mas tive que cancelar eles pra vir aqui escutar seu assunto sério. — Comentou jogando-se no sofá.

— Tipo dormir? — Taehyung perguntou ironicamente recebendo o dedo do meio de um Yoongi irritado.

— O que aconteceu? — Jimin perguntou ignorando o surto do primo.

— Tem relação com o que quero falar. — Disse enquanto colocava o celular no bolso e ia até Jin.

Os dois passaram a sussurrar entre si, Taehyung foi até Yoongi no sofá, meio indeciso se sentava ou não perto do mesmo, no final o mais velho acabou lhe puxando e usando-o como travesseiro enquanto tinha seus cabelos acariciados, Jimin sentou-se ao lado de Jungkook em silêncio, não o cumprimento com palavras, apenas com um aceno.

— Eu logo volto. — Namjoon disse, mas era palpável a indecisão em sua voz.

— Tudo bem. — Jin sorriu acariciando os fios róseos e então lhe deu um selinho pouco se importando com quem estava presente.

Ficaram todos quietos logo após a saída de Namjoon, Jin podia sentir a tensão no ambiente, tanto de Taehyung e Yoongi por saberem que logo Hoseok apareceria, por Jimin que parecia abatido, por Jungkook que, Ah, com certeza ele estava tendo por muitas coisas e Jin apenas estava esperando o amigo decidir qual era o momento certo de se abrir.

— Estou pensando em passar as próximas férias com meus tios. — Jungkook quebrou o silêncio chamando a atenção de todos.

— E quando vamos? — Taehyung perguntou animado.

— Não, só eu vou. — O mais novo falou e então Jin tirou a atenção completamente de suas panelas.

— Por que? — Perguntou sério.

— Ah, espairecer um pouco. — Deu se ombros.

— Isso é por causa de seus pais? — Jimin indagou fazendo Jungkook lhe olhar surpreso.

— Não, claro que não. — Disse rapidamente tentando evitar contato visual.

— Claro que é. — O alaranjado Retrucou irritado e Yoongi levantou-se ao ouvir o tom de voz do mesmo.

— Sem stress. — Pediu ajeitando os cabelos.

— Quando vai deixar de ser um covarde? — Jimin indagou de forma alta.

— Vamos com calma. — Taehyung levantou-se se aproximando.

— Talvez Jimin esteja certo. — Jin disse em um sussurro. — Estamos esperando a muito tempo você falar como realmente se sente, e o pior de tudo é que em muitas vezes você nos olha como se fôssemos culpados por não querer dizer. — Falou largando o pano de prato.

— A culpa não é para vocês. — Jungkook resmungou. — É para mim mesmo. — Disse.

— Então tire a merda da culpa. — Jimin rosnou. — Por que você sempre afasta as pessoas? Por que por mais próximo que eu pareça ou até por mais próximo que seus amigos pareçam sempre paramos e vemos o quanto estamos distantes de você? — O alaranjado se aproximou ameaçador.

— Falando assim soa ridículo. — Jungkook resmungou um pouco assustado com aquela face do mais velho.

— Que bom que percebe isso. — Jin cruzou os braços sério.

— Todo mundo tem seus problemas pessoais, mas quando se tem amigos a tanto tempo quanto nós somos, confiar é sempre bom. — Taehyung falou pigarreando.

— Tem coisas que o Tae me fala e que não fala pra você, e tem coisas que ele te fala que não fala pra mim porque sabe que você não pode ajudá-lo em determinado assunto assim como eu não posso, são assim que as coisas funcionam. — Jin disse ainda sem olhar para o mais novo.

— Eu não preciso mais de ajuda, já entendi. — Jungkook resmungou bufando.

— Claro que precisa! — Yoongi se pronunciou voltando a se jogar no sofá.

— Chega, isso não é problema de vocês. — Jungkook se irritou com o rumo da conversa, parecia tão difícil aceitar sua ideia de viagem?

— Então que se foda também. — Jimin aumentou sua voz algumas oitavas. — Quando decidir colocar algum pensamento coerente nessa sua cabeça de merda nós conversamos, enquanto isso não acontecer finja que eu não existo. — Avisou e então se dirigiu para a porta saindo pela mesma e a batendo com força.

— Porra. — Taehyung murmurou. — Ele não era assim. — Comentou e observou Yoongi dando de ombros.

— Nós temos que conversar melhor sobre isso. — Jin disse virando-se para Jungkook que bufou.

— Podemos fazer melhor. — O mais novo Retrucou, e então dirigiu-se para a porta. — Cada um pro seu lado. — Murmurou e saiu pela mesma.

— Ei! — Taehyung saiu correndo atrás do mesmo. — E aquela merda de conversa sobre família? — Perguntou em meio aos gritos.

Jungkook apertava o botão chamando o elevador loucamente e quando o mesmo se abriu, Hoseok saiu de dentro confuso com o barulho.

— O que houve? — Perguntou para Jungkook vendo Taehyung alguns passos atrás e Yoongi e Jin na porta do apartamento.

— Apenas o Jungkook complicando mais os problemas. — Tae respondeu bufando.

— Não estou complicando merda nenhuma! — Gritou dando um soco na parede. — Mas que merda! — Grunhiu sentindo a mão doer.

— Mas que merda digo eu! — Jin se aproximou preocupado, mas foi afastado por Jungkook.

— Isso está ridículo. — Yoongi comentou. — Estão fazendo drama à toa. — Resmungou suspirando.

— Como se você soubesse resolver algo. — Hoseok alfinetou e Taehyung olhou Jin sentindo a tensão crescer ao lembrar-se dos seus problemas.

— Isso não importa. — Yoongi bocejou. — Porque é sempre a mesma coisa, quando você dá o primeiro tiro, não importa o quão certo se sinta, nunca sabe quantas pessoas irão sofrer,  quantos corações serão quebrados até que todos façam o que deviam fazer desde o começo. — Falou calmamente. — Sentar e conversar. — Finalizou.

— Mas estamos tentando fazer isso. — Taehyung revirou os olhos. — Palavras lindas, Yoon, sério, mas não sei se Jungkook vai entender elas. — Resmungou.

— Yoon? — Hoseok indagou para si mesmo e todos lhe olharam.

— O que? Não é o apelido dele? — Tae perguntou ficando nervoso.

— Onde está Jungkook? — Yoongi desconversou não querendo presenciar aquela conversa.

— Já desceu. — Jin Respondeu da cozinha.

— Mas que merda. — Taehyung gritou bagunçando os cabelos.

— Jin está cozinhando? — Hoseok perguntou enquanto envolvia os ombros do menor com um de seus braços. — Vamos comer para desestressar. — Disse seguindo para dentro onde Yoongi já se encontrava.

— Acho que vamos ter que esperar para resolvermos alguns assuntos. — Jin comentou um pouco triste.

— Sempre. — Hoseok brincou. — Por que não foi a faculdade hoje, Tae? — Perguntou preocupado.

— Ele estava comigo. — Yoongi respondeu grosseiro.

Jin e Taehyung se olharam alarmados e Hoseok e Yoongi tiveram uma troca de olhares significativa e ambos perceberam o interesse pelo mais novo. E o ciúmes bateu. Nos três. Yoongi não podia suportar a ideia de Taehyung com Hoseok e Hoseok não podia suportar a ideia de Yoongi e Taehyung juntos, mas teve que concordar que imaginar ambos se pegando era um pouco excitante.

— Acho que nós precisamos conversar. — Taehyung disse receoso.

.

.

.

Jungkook levou um tapa de Sook assim que terminou de contar o que havia acontecido então logo após a garota começou a lhe xingar irritada enquanto lhe estapeava mais.

— Vai resolver isso agora! — Gritou histérica.

— Qual é! — Jungkook bufou bagunçando os cabelos.

— Você é idiota? — A mesma indagou retoricamente.

Depois de mais uma meia hora de discussão Jungkook tomou rumo em direção ao apartamento de Jimin, se resolveria primeiro com o alaranjado e depois com seus amigos, provavelmente, depois de escutar claramente as palavras da amiga, soube que precisaria se ajoelhar e pedir perdão, e se fosse preciso beijar os pés dos mesmos.

Percebeu, com pesar, que sua história não foi feita para ser um clichê romântico, até porque ele estava longe de ser romântico, mas infelizmente parecia que no momento ela tomava aquele rumo, enquanto acenava para si de forma desafiadora e irônica.

Sempre teve como frase de vida algo que Taehyung havia lhe dito anos atrás: Já que cursava artes cênicas, por que não atuar um pouquinho na sua própria história?

Notou que no ritmo que seguia não chegaria nunca na casa do alaranjado, decidiu então pedir um táxi, seria bem mais útil do que andar igual idiota pelas ruas, que a propósito estavam mais frias do que se lembrava, e nem no conforto do automóvel pôde deixar se sentir aquela sensação fria perto de si.

Assim que parou em frente ao prédio de Jimin, pagou a corrida e se dirigiu a portaria, o porteiro o deixou entrar, já o conhecia e o próprio dono do último andar havia autorizado sua entrada sem ser avisada ou questionada. No elevador não parava de pensar em mil diálogos para sua conversa com o mais velho, sabia que seria difícil, mas deveria concertar as coisas, sentia que tudo estava chegando ao fim e precisava ter seu final feliz.

Assim que chegou no andar do ruivo mordeu os lábios nervoso e apenas abriu a porta sem se anunciar. Jimin se encontrava sentado no chão e escorado no sofá que ficava de frente para a parede da porta, se olharam profundamente e Jungkook apenas sentou-se naquela parede o olhando angustiado, mas percebeu que nem aquele seu olhar aliviaria o seu lado.

— Desculpe. — Pediu, baixinho, desviando o olhar.

— Pelo que? — O outro indagou.

— Por tudo. — Respondeu ainda sem conseguir olhá-lo.

— Por que sempre faz isso? — Jimin perguntou em um suspiro sabendo que perdoaria o mais novo, mas queria entender. — Você está me machucando. — Falou em um tom que chegava a ser brincalhão, mas sua voz falhou no final.

— Eu não quero isso. — Jungkook murmurou. — Quero fazer você feliz, não quero te ver sofrer, ainda mais por minha culpa, eu só não quero envolver vocês nessa bagunça que sou agora. — Explicou.

— Estou pelo meu próprio risco e conta. — Jimin avisou e Jungkook riu.

— Meu Deus. — O mais novo sentiu os olhos lacrimejando e a voz falhar. — Me desculpe. — Pediu novamente.

— Poderia tentar me explicar melhor o que está fazendo, só para eu entender. — Jimin pediu.

— Se eu não posso ser o herói, então só me resta ser o vilão. — Resmungou para o ruivo.

— O vilão da sua própria história. — Jimin riu nasalado. — E quem vai ser o herói? — Perguntou brincalhão, não esperando uma resposta.

— Você. — Jungkook finalmente o olhou.

Jimin mordeu os lábios ao ouvir aquilo, um arrepio passou por sua epiderme, seu coração disparou e não pôde deixar de notar o quanto aquele menino mexia consigo, apenas com uma única palavra conseguia fazê-lo sentir sensações incríveis.

Se levantou sendo observado pelo mais novo e então aproximou-se dele ajoelhando em sua frente, segurou o rosto do mesmo entre as mãos e selou seus lábios vagarosamente, separou-se e ficou entre as pernas do maior, novamente voltou a beijá-lo, as mãos de Jungkook foram para sua cintura trazendo-o para mais perto de si.

— Vou pedir pizza. — Jimin avisou assim que se separaram.

Jungkook apenas assentiu e observou o alaranjado se afastar, depois levantou-se do chão e jogou-se no sofá. Observou a vista que o apartamento proporcionava, sentiu uma necessidade de abrir a sacada novamente e foi isso que tentou fazer, mas a mesma continuava trancada, era até irritante aquilo, sempre tentando e tentando abri-la e nunca conseguindo, parecia que Jimin fazia de propósito.

— De novo? — Jimin indagou assim que se aproximou do mesmo.

— Por que sempre mantém ela fechada? — Jungkook indagou irritado.

— Porque eu quero. — Respondeu dando de ombros.

— O que está acontecendo com você? — O mais novo perguntou. — Qual seu problema em deixar a sacada aberta? Por que está agindo assim ultimamente? — Confrontou-o seriamente.

— Isso… Meu Deus, será que pode esperar um pouco mais até eu me sentir confortável em contar? — Pediu rindo um pouco. — Que tal focarmos em você agora? — Perguntou bagunçando o cabelo do mais novo.

— Pode ser então. — Murmurou constrangido.

— Por que quer ir para casa de seus tios? — Jimin perguntou assim que sentaram-se no sofá.

Por alguns instantes Jungkook apenas fitou o chão, mas então virou Jimin de forma que o mesmo ficasse sentado com as pernas sobre o sofá e se colocou entre elas com as costas apoiada no peito do mais velho. O ruivo sorriu minimamente e apoiou o queixo no ombro do acastanhado.

— Pensei que talvez fosse me ajudar, sabe. — Começou. — Me sinto sozinho, aquela casa é grande demais e eu sou pequeno demais, não consigo encontrar algo que preencha esse vazio. — Murmurou e Jimin passou a beijar sua bochecha.

— Está vazio porque era o lugar de seus pais, mas isso não significa que deve continuar assim, eles se foram, mas o que viveram juntos continua inteiro e você tem que manter vivo nesse mesmo vazio que você insiste em se preocupar. — Aconselhou acariciando a mão do mesmo.

— Parece difícil fazer isso, penso que talvez isso só aumente a minha dor. — Riu soprado. — Estou com medo. — Confessou.

— Não precisa ficar com medo, eu estou aqui, seus amigos estão aqui, não vamos sair do seu lado. — Jimin tentou passar tranquilidade ao mesmo. — Se quiser ir nessa viagem pode ir, mas não vá com o intuito de esquecer que seus pais estão mortos, sei que nossa reação sobre isso pode ser um pouco exagerada, mas queremos que supere isso. — Afirmou apertando-o em um abraço.

— Você é quente. — Jungkook murmurou depois de um tempo em silêncio. — Não vai me falar porquê mantém sacada trancada? — Voltou ao assunto de mais cedo.

— Eu tenho duas opções para quando abri-la. — Disse passando o nariz pelo pescoço do mais novo. — Eu posso decidir entre viver ou morrer. — Beijou o local delicadamente.

— Como assim? — Perguntou em um sussurro tentando manter-se focado nas palavras do mais velho.

— A uma tela em branco, na verdade, ultimamente algumas cores respingaram nela, e quando eu abrir aquela sacada verei se a jogarei de lá ou se não irei expô-la a todos. — Explicou sentindo o mais novo tremer quando mordiscou o pescoço do mesmo.

— Estou mais confuso. — Jungkook confessou se remexendo para ficar mais confortável.

— Algum dia eu te explico isso melhor. — Jimin riu um pouco e então delicadamente trouxe os lábios do maior até os seus.

Gostavam de sentir o quão próximos estavam, a sensação de poder tocar os corpos era maravilhosa, Jimin sentia um enorme desejo de tê-lo, mas ao mesmo tempo se sentia receoso sobre qual seria a reação do garoto ao tentar avançar o sinal.

— O que está fazendo? — Indagou quebrando o beijo assim que notou Jungkook sentado em seu colo e com as mãos por dentro de sua camisa.

— O que? — O mais novo o olhou confuso. — Quero te tocar. — Deu de ombros e passou a distribuir beijos no pescoço do mesmo enquanto ainda passava as mãos pelo abdômen dele.

— Não acha que está indo um pouco longe? — Perguntou arfando quando sentiu o mais novo rebolar sobre seu membro semi ereto.

— Não acho não, na verdade, estamos indo exatamente para onde quero ir. — Falou puxando a camiseta do outro.

— Não vou parar se continuar assim. — Jimin sussurrou assim que endireitou seu corpo e espalmou suas mãos nas costas do outro.

— Não quero que pare. — Respondeu no mesmo tom.

Jimin mordeu os lábios observando o olhar brilhante do garoto, o mesmo passou a fazer leves movimentos de vai e vem sobre o colo do mais velho que subiu a camiseta do outro rapidamente e passou a beijar a clavícula do mesmo, ora beijava ora dava mordidas e chupões, mas evitava afastar seus lábios da pele do mesmo, queria senti-lo. Jungkook inclinou a cabeça para trás soltando um gemido assim que Jimin apertou sua bunda com força, aquela brecha fez o ruivo chupar seu pomo de adão enquanto sorria provocativo, suas mãos foram em direção aos botões da calça do mais novo, massageou a ereção do mesmo escutando um gemido mais alto e prolongado.

— Seus gemidos são adoráveis. — Murmurou deitando o mesmo sobre o sofá e ficando sobre ele.

— Não diga essas coisas. — Jungkook pediu descansando seu braço sobre seus olhos.

Jimin apenas riu e afastou-se ficando de joelhos entre as pernas do mais novo e passou a tirar a calça do mesmo, quando terminou isso jogou a peça no chão junto as outras e colou seus corpos novamente, apertou as coxas do mais novo o beijando de forma intensa, sua língua passeava pela cavidade do outro, o beijo produzia ruídos que apenas serviam para lhes excitarem.

Jungkook abraçou a cintura de Jimin com as pernas sentindo o mesmo sinalizar estocadas lentas contra sua virilha, sentia a excitação crescer e não podia deixar se soltar gemidos e arfares entre os beijos. O mais velho se afastou mais uma vez agora tirando suas calças, voltou a se aproximar sem antes deixar de dar um tapa estalado na coxa do mais novo que gemeu longamente. Apertou o membro do mesmo sentindo-o estremecer sobre seu toque e sorriu distribuindo beijos no peitoral do mesmo.

Segurou a cintura do mesmo com força e trouxe-o para perto de si rapidamente fazendo seus membros cobertos apenas pelas boxs se chocarem, obviamente havia sido minimamente doloroso, mas ainda mais prazeroso. Jungkook apertou seus ombros com força abrindo os lábios minimamente quando Jimin voltou a sinalizar estocadas, só que dessa vez massageava seu membro por cima do tecido.

— S-Seu celular… — Jungkook gemeu longamente quando Jimin chupou seu lábio inferior.

— Deixe tocar. — O ruivo murmurou preparando-se para tirar a peça íntima de Jeon.

— Pode ser importante. — Jungkook insistiu ofegando.

— Puta que pariu! — Jimin se afastou pegando o aparelho e vendo o nome de Namjoon. — O que foi, porra? — Indagou enquanto se afastava para conversar com o mesmo.

Jungkook gemeu ofegante quando se observou, então levantou-se minimamente e observou o mais velho parado na porta que dava ao corredor de costas para si, aquela bunda era maravilhosa. Deitou-se novamente e massageou seu membro dolorido, mordeu os lábios ao lembrar-se dos toques de Jimin, queria que ele voltasse para lá novamente.

— Deixa que eu te ajudo. — Assustou-se ao ouvir a voz do mais velho próxima a si e abriu os olhos rapidamente.

O mais velho não se preocupou em ganhar uma resposta, apenas tirou a peça do mais novo rapidamente começando a masturbá-lo. Jungkook gemeu surpreso com aquilo e fechou os olhos quando Jimin abaixou-se lambendo seu membro e logo depois chupando sua glande inchada.

Jimin o fez entrelaçar suas pernas ao redor de sua cintura e o carregou para seu quarto com rapidez, quando se encontrava no ambiente o jogou e sua cama seguindo para o criado mudo e abrindo o mesmo, tirou um pacotinho de lá e jogou ao lado do garoto que virou o rosto naquela direção observando o preservativo.

— Coloque para mim. — Jimin disse e pelo seu tom de voz era mais uma ordem.

Quando o ruivo sentou-se escorado na cabeceira da cama Jungkook se aproximou um pouco envergonhado, mas não pararia aquilo, estava adorando. Lentamente retirou a peça íntima do mais velho e mordeu os lábios ao visualizar seu membro ereto, sentiu suas bochechas queimarem quando abriu o pacote e retirou o preservativo de lá, segurou o membro enquanto o massageava e com a outra mão passou a colocar a camisinha, observou Jimin fechar os olhos e gemer enquanto deitava a cabeça para trás, não se conteve e chupou o pescoço do mesmo logo passando sua língua por toda a extensão do local e seguiu para os lábios do mesmo.

Jimin deitou-o e ficou por cima do mesmo, esticou sua mão para a gaveta do criado mudo e retirou de lá um tubo de lubrificante largando-o novamente ao lado de Jungkook.

— Chupe. — Ordenou colocando dois dedos perto da boca do mesmo que abriu-a sem questionar.

Ver aquilo lhe fez gemer internamente, era totalmente excitante aquela expressão que o garoto fazia enquanto chupava seus dedos, não saberia explica-la, mas com toda certeza a veria mais vezes.

Tirou seus dedos da boca do maior e os direcionou a entrada do mesmo, Jungkook apertou seus ombros mordendo os lábios ao sentir o desconforto do primeiro digito, mas não pediu para parar, não queria que Jimin parasse. Logo o segundo foi inserido, confessava que era um pouco doloroso, mas nada que fosse insuportável. Depois de um tempo passou a sentir um necessidade de querer mais velocidade naquilo, mexeu seu quadril contra os dedos do mais velho, que sorriu minimamente e retirou seus dedos do interior do mesmo ouvindo um resmungo.

Abriu o lubrificante e se entreteu em preparar o menino enquanto ouvia-o gemer. Com cuidado afastou-se e beijou-o novamente, desse vez com mais delicadeza, lentamente pincelou a entrada do mesmo o escutando gemer, mas o corpo dele estava tenso, quebrou o beijo o olhando profundamente.

— Isso não vai ser um pouco agradável no começo. — Jimin avisou. — Sabe que podemos parar. — Reforçou.

— Agora eu sei como uma garota se sente. — Brincou fazendo ambos rir. — Só vai logo. — Pediu abraçando-o carinhosamente.

Jimin o beijou novamente e então adentrou-o rapidamente sentindo o lubrificante ajudar no processo, Jungkook fechou os olhos com força, não mentiria que não doeu, porque doeu, mas não era um bicho de sete cabeças, até porque só tinha uma. Esse último pensamento o fez rir levemente enquanto mordia os lábios. O ruivo permanecia parado e de olhos fechados com a respiração pesada, ter o interior do menino o apertando tão fodidamente o fazia perder a linha de raciocínio, mas se manteria parado até Jungkook querer.

Um longo instante se passou naquilo, até Jungkook murmurar um consentimento para Jimin que lentamente passou a se movimentar, não deixando de tocá-lo, saia e entrava vagarosamente sentindo o mais novo arranhar suas costas.

— Mais rápido. — Jungkook pediu em um sussurro e prontamente foi atendido.

Não saberiam dizer por quanto tempo ficaram naquilo, mas logo Jimin estava entrando e saindo se Jungkook com força e rapidez fazendo ambos gemerem contidos, o mais novo mantinha os olhos fechados e os lábios levemente entreabertos que eram sugados hora ou outra por Jimin que observava com atenção as expressões do mesmo.

— Porra! — Jungkook abriu os olhos gemendo quando uma onde de prazer se arrastou por seu corpo.

— Achei. — Jimin brincou sussurrando.

O ponto de prazer do garoto foi acertado mais vezes enquanto era masturbado pelo mais velho. Jungkook inclinou o corpo para trás quando finalmente gozou, aquilo havia sido extremamente bom. Jimin continuou com as estocadas até atingir seu próprio prazer e depois caiu ao lado do mais novo.

— Isso foi incrível. — Jungkook disse em um arfar. — Na próxima vez quero ficar no seu lugar. — Avisou e Jimin gargalhou.

— Vamos conversar sobre isso direito. — Disse assentindo.

— Meu quadril está doendo. — Reclamou.

— Desculpe. — Jimin pediu ficando sobre o mesmo e o beijando longamente. — Vou ver porque estão demorando com nossa pizza. — Avisou saindo da cama e indo até o guarda-roupa vestindo uma cueca e um shorts.

Jungkook se levantou resmungando assim que Jimin saiu do quarto, sua atenção se voltou a gaveta do criado mudo aberta logo depois que vestiu sua peça íntima, uma chave prateada reluzia pela luz, curioso se aproximou da mesma, pegou-a e olhou ao redor procurando a possível fechadura dela, mas não poderia ser do banheiro, o mesmo tinha tranca embutida e muito menos da porta que já se encontrava com sua chave, mas talvez pudesse ser uma reserva, ou de algum cofre ou outra gaveta, quem sabe poderia ser do escritório do mesmo, ou quem sabe do armário da faculdade, mas queria testá-la na porta da varanda, e com uma chama de esperança seguiu até a mesma animado, não muito rápido também, observou Jimin ao telefone na cozinha e rapidamente chegou a porta da mesma, porém quando testou a chave nada aconteceu, ela nem estrou no buraco da fechadura.

Mordeu os lábios frustrado e voltou para o quarto sem ser percebido pelo mais velho, colocou a chave no lugar em que estava e deitou-se na cama esparramado e fechou os olhos bufando.

— A pizza já está chegando. — Jimin avisou sentando sobre a cintura do mesmo. — Dá tempo de um banho. — Murmurou mordendo a orelha do mesmo.

— Vamos então. — Jungkook se levantou portamento seguindo para o banheiro com um Jimin sorridente atrás de si.


Notas Finais


Logo, logo arrumo isso na formatação de sempre.

Obrigada novamente!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...