História Águas de Março - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Personagens Originais, Regina Mills (Rainha Malvada), Sr. Gold (Rumplestiltskin)
Tags Emma Swan, Regina Mills, Swan Queen
Exibições 95
Palavras 1.082
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Hentai, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Peço que tenham calminha ao ler esse capítulo.
Se acham que está indo rápido demais, repensem.
Boa leitura!

Capítulo 5 - Capítulo 5


>Autora

Emma estava sentada na poltrona do escritório de Margareth enquanto a mais velha estava atrás dela, andando de um lado para o outro até que parou abruptamente e se inclinou para ficar próxima à orelha direita de Emma.

― Ela vai sumir com o filho do seu irmão... Ela vai nos separar da única coisa que restou dele. ― Margareth sussurrava baixo e as expressões de Emma iam se endurecendo a cada palavra dita. O ódio já tomava conta dos seus olhos. ― É o que você quer, Emma? Que o filho do seu irmão fique longe da família? Você tem uma ligação com o bebê. Você e seu irmãos são gêmeos! O que fará, Emma?

― Provarei que Regina Mills não é capaz de criar um filho!

×××
>Regina

Depois que fui deixada sozinha, arrumei as roupas que comprei com o cartão de Emma, abri a minha bolsa e tirei a quantia necessária para cobrir os gastos. Eu não sou tao pobre quanto eles imaginam. Peguei um casaco grosso já que a neve não estava dando trégua desde uma hora atrás quando tudo aconteceu. Sorrateiramente sai pela porta dos fundos e peguei o táxi que pedi sem chamar muita atenção. 
Dei ao motorista o endereço de um chalé que consegui encontar em aplicativo de aluguel. Aluguei por duas noites, acho ser o suficiente para que eu consiga uma passagem para Califórnia. Sem contar que o chalé é afastado da cidade e duvido que as megeras consigam me encontar aqui. Saí do taxi, paguei ao senhor simpático e avistei a pessoa com quem tinha combinado todo o processo. 

― Senhorita Barcha? ― Perguntei assim que me aproximei.

― Senhorita Mills? ―

Sorri.

― Olá! Como vai?

Conversamos por alguns minutos, ela me deu algumas instruções sobre a casa e no final entregou as chaves. Entrei e como calma explorei o local. Logo senti um pouco de frio, fui até a lareira e ateei fogo em algumas madeiras. 
Suspirei e olhei ao redor. A casa é pequena, mas daria para ficar. Eu só precisava de uma passagem de avião que estava difícil de encontrar.

...
Três dias depois...
Infelizmente a neve causou cancelamento em inúmeros vôos, inclusive o meu então renovei o aluguel do chalé e estava me mantendo por mais esses dias. Tive que comprar alguns suprimentos e sempre que sai, tomei imenso cuidado para não chamar atenção. Queria passar despercebida.

Hoje pela manhã teria que renovar o estoque de comida. Não tinha comprado tantas coisas e a fome que o Henry está me deixando, faz com que eu seque a comida rapidamente.

Fiz uma análise da prateleira a minha frente, várias marcas de salgadinhos. Optei por um de cebola e salsa. Caminhei devagar para a outra ala, coloquei o que precisava na cesta e finalizei minhas compras e fui ao caixa.

Estava passando o último item quando vi barras de chocolate branco e tive o enorme desejo de derreter algumas e colocar sobre maçãs. Não pude conter o desejo. Pedi que a caixa esperasse, corri até as barras, peguei algumas e voltei para passá-las.

...

Tinha acabado de entregar o pagamento ao taxista quando me virei e vi Emma Swan parada na porta do meu provisório chalé. Tentei calmamente voltar de onde vim, voltando para a direção do lago. Caminhei com passos calmos e quando pensei estar me livrando de Emma, pisei em um galho e o barulho fez Swan se virar e me encarar com aqueles olhos malditos. Arregalei os olhos e dei passos para trás. Péssima escolha, não olhei para onde estava indo e o que tinha em minhas costas é o lago. Caí com tudo dentro da água extremamente gelada, minhas compras se espalharam ao meu redor e com os lábios batendo um contra o outro, fui até a borda e saí com a ajuda de Emma que nesse meio tempo tinha corrido até mim.

Swan me pegou em seus braços e correu para a porta, lhe entreguei as chaves e mesmo sabendo que não deveria, me agarrei ao seu pescoço tentando a todo custo me aquecer. Fui levada até perto da lareira, meus olhos estavam quase se fechando e eu consegui ver movimentação de um lado para o outro. Sem pedir permissão, Emma tirou a minha roupa e depois a sua camisa. Me pegou novamente no colo, arrastou o sofá cama para perto da lareira e me deitou no mesmo. Meus dentes ainda estavam batendo um contra o outro, contudo já sentia a quentura da lareira. Minutos depois, senti o espaço atrás de mim afundar e em seguida um abraço quentinho. Não fiz questão de raciocinar, apenas me agarrei ao resquício de calor e fechei os olhos, me entregando ao sono que surgiu repentinamente.

...

Acordei com o barulho do fogo trepidando. Abri os olhos e vi que não tinha ninguém comigo. Respirei fundo e ouvi o barulho de alguma coisa fritando. Levantei, cobri a minha nudez com o cobertor que estava sobre mim e caminhei até a fonte do barulho.

― Olá.

Emma se virou e sorriu?

― Olá, Regina. Eu fiz o nosso café. Sente-se. Já está quase pronto. ― Ok. Eu acho que a queda no lago me levou para um universo paralelo onde Emma é a pessoa mais gentil do mundo e eu sou uma retardada. Só pode. 
Fiz o que ela me pediu e vi algumas coisas que eu tinha comprado. ― Depois que eu achei que você estava quente o suficiente. Fui recuperar algumas coisas do lago. E espero que nao se importe de eu usar suas roupas. As minhas estavam molhadas. ― Ela falou enquanto colocava um prato com ovos e bacon na minha frente. Foi até a geladeira, abriu e eu pude ver a luz desligada no interior da mesma. Franzi as sobrancelhas e Emma conseguiu notar. ― Depois que eu entrei, você estava batendo os dentes então achei melhor voltar para te aquecer. Eu acabei dormindo e durante esse tempo a neve caiu forte. As portas e janelas estão obstruídas por neve. Não há sinal de telefone e nem energia elétrica.

Espera aí para eu ver se entendi direito. Eu estou presa nesse chalé com Emma Swan até que a neve resolva dar uma trégua ou até o sinal de celular voltar. Mas espera e se a energia não voltar? O celular não ficará carregado o tempo todo. 
Resumindo, eu estou em uma sinuca de bico e todas os caminhos me levam a destruição do meu psicológico.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...