História Ainda exista amor pra recomeçar. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Lauren Jauregui, Normani Kordei, Norminah
Visualizações 34
Palavras 1.599
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então mais um aí

Capítulo 2 - Capítulo 2.



CAMILA CABELLO.


— Obrigada — disse ao me sentar na mesma mesa que as recém casadas estavam.

— A gente quem agradece — Normani começou, mas eu a cortei.

— Eu estou sendo irônica, Kordei, não acredito que me colocaram na mesma mesa que os Jauregui, COM A LAUREN, DJ.

— Não achei que se importaria, você sempre amou eles — minha amiga sorriu amarelo em minha direção.

— Eu amo o senhor e a senhora Jauregui, mas eu odeio a Lauren! — respondi revirando os olhos para as amigas.

— Você está assim por causa da minha prima? — Normani perguntou com um misto de sorriso nos lábios.

— Ela é um ser repugnante, simplesmente, e eu não consigo suportar, desculpa, é sua prima, mas… — balancei a cabeça e desviei meu olhar de onde estavam.

— Achei que a birra do ensino médio ficava no ensino médio — Normani falou.

— Vocês… Não é birra, ela me irrita, aquele jeito dela todo — respondi.

— OK, irritadinha — Dinah levantou-se onde encontrava se sentada e veio até mim, pegando me pelos ombros — Pode aproveitar meu casamento, e somente esquecer a Lauren, OK? Você pode ficar na mesa com meus pais, eles vão adorar ter a melhor e mais rica empresária de toda NY, em sua mesa, enquanto sua filha é somente a gerente das empresas da empresária rica afilhada deles…

— A melhor gerente! — eu odiava quando DJ se sentia inferior a mim, mas caminhei calmamente para a mesa de seus pais, que me receberam com sorrisos gigantes.

Havia me tornado amiga de DJ desde muito cedo, nossas mães frequentavam o mesmo clube culinário, e por acaso nos levavam junto delas.

Isso criou um grande laço em nós duas, DJ sempre esteve me protegendo de tudo e de todos, era como uma irmã mais velha, fizemos todo o período escolar juntas, e até mesmo meu primeiro curso na faculdade.

Dinah Jane passou como pelos piores e melhores momentos da minha vida, me ajudou a criar meu príncipe Noah, me ajudou a erguer meu grande império. E eu sou extremamente agradecido por ela.

Sem contar de que Dinah era a melhor pessoa que poderia ter escolhido para ser madrinha ao meu menino, ela o leva a ao futebol, ao clube de luta, a todos os jogos esportivos possíveis, o ensina a ser o menino mais arteiro possível, o ensina as traquinagens que um dia nós fizemos juntas. E era nítido todo seu amor por ele, toda sua devoção, era capaz de Noah cuspir no chão e Dinah lamber e dizer que tinha o gosto mais maravilhoso do mundo.

— Steven, venha ver a Camila… — a mãe de DJ puxou o irmão mais novo da minha amiga, que veio todo tímido em nossa direção, uma mão estava no bolso de sua calça e a outra segurava seu smoking, seus cabelos estavam todo jogado para trás e brilhava como nos comerciais de televisão sobre shampoo masculino

— Steven quanto tem não o vejo — ele estendeu sua mão em minha direção e disparou o sorriso que somente os Hansen possuía, e bem, eu sempre dizia que aquele sorriso me conquistará um dia.

— Sim, depois que minha irmã mudou você nunca mais apareceu por lá — sua voz era grave assim como de DJ e muito harmoniosa apenas sua entonação mais masculina.

— Eu não tenho tido muito tempo, a empresa, filho, casa… E ainda tudo isso sozinha — lhe respondi.

— Bem, poderia não ser assim. Digo, você é linda — ele disse. — Desculpa, é só que eu não posso deixar de reparar o quanto bonita você está…

— Steven, eu tenho 10 anos a mais que você — sorri para ele, o garota já se encontrava completamente tímido, passava do seu tom de pele normal a um incrível rubor nas maçãs do seu rosto.

— Mas… Eu só estou te elogiando, Mila, me desculpa… — abaixou a cabeça, passou a mão por seus cabelos sem jeito, e então desviou seu olhar.

— Está tudo bem, Steven — passei a mão em seus cabelos e sorri, balançando minha cabeça.



NARRADOR.


Lauren olhava para além do lado, sua vida havia mudado de uma hora para outra em apenas alguns meses, perdido a ex mulher, sem saber ao certo como perdeu o tão sonhado emprego dos sonhos — ela sabia, porém não havia justificativa exata para serem tão radicais contigo.

Sua vida nunca mais seria a mesma após aquele acidente, olhou para o copo de whisky em sua mão e suspirou. A quanto tempo não bebia algo tão refinado em toda sua vida, a quanto tempo não comia tão bem igual havia comido naquele casamento.

Estava feliz por Dinah e Normani, elas eram um casal e tanto, de dar inveja a qualquer um. Suspirou ao imaginar que seu casamento poderia estar daquele mesmo jeito a alguns anos atrás, que poderia ser feliz e ter os seus tão sonhados filhos. Sua mulher para lhe receber todos os dias quando chegava do hospital, seus filhos correndo por todos os cantos da sua casa, alegrando sua vida, e todos ao seu redor. Suspirou ao recordar do rosto do seu pequeno Josh e de Melane, eles era seu maior tesouro, seus gêmeos perfeitos. Os cabelos negros como a noite e os olhos o mais verde do mais fundo da floresta, suas feições tão semelhante a suas.

Algo a chamou a atenção pelo barulho, ela focalizou seu olhar no arbusto ao lado de onde estava sentada, e apenas viu a pequena silhueta assustada, tentou identificar e quando seus olhos encontraram os castanhos puro na sua frente, o sorriso que o pequeno havia em seu rosto sumiu.

Noah apenas arregalou os olhos e cobriu a boca, Lauren nada disse, voltou seu olhar em direção ao grande lago.

— O que está fazendo aqui? — para uma criança Noah tinha uma voz bem marcante e rouca.

— Hum, bebendo… — balançou o copo no ar. — E você, não acha que está muito longe da festa e sozinho?

— Tecnicamente eu não estou mais sozinho, e eu estava querendo ver o lago de perto, lá de cima tem uma vista linda, mas aqui de baixo — suspirou aproximando-se de onde a mais velha se encontrava.

— O que sabe sobre vistas pirralho? — perguntou com desdém.

— Mais que você… — Lauren o olhou com um sorriso de lado.

— Filho da Cabello mesmo — balançou a cabeça e voltou a olhar para o lago.

— Sim, ela é minha mãe — ele disse se acomodando bem ao lado dela. Que por alguns instantes ficou sem qualquer tipo de reação. — Você já conhecia minha mãe?

A morena não tinha a menor ideia de quando uma criança havia se aproximado dela, depois de quando tudo aconteceu e perdida em pensamentos quando a voz do garoto a trouxe de volta.

— Sim, no ensino médio, nós tínhamos aulas de física juntas — respondeu.

— Legal — uma pontada de animação cortou a voz do garoto.


**

— Você não conhece o batman! — o menino falou um pouco exaltado enquanto caminhava de volta a festa, com Lauren ao seu lado. A morena se divertia com a animação na voz do garoto, e com seus olhos brilhando ao ouvi-la dizer sobre seus personagens preferidos.

— Claro que conheço seu pirralho! — disse bagunçando o cabelo do garoto.

— Não sou pirralho! — cruzou os braços diante do peito e fez uma careta feia em direção a Lauren. A mesma sorriu, e balançou a cabeça, ao ter lembranças rondando sua cabeça, poderia ser seu filho ali.

— Sua mãe — apontou onde Camila se encontrava, a mais nova estava a procura do filho.

— Onde você estava? Onde o levou, Lauren?!

— Eu? — a morena perguntou variando seu olhar de Camila para o garoto.

— Não mamãe, eu quem desci até o lago. E a Laur estava lá… daí a gente estava falando do batman, você sabia que a Lauren o conhece? — Lauren ao escutar seu mais novo apelido apenas arqueou uma sobrancelha, e então voltou seu olhar para Camila que parecia que iria explodir. — Mas eu disse a ela que ela está mentindo.

— Sim, querido. O batman é difícil de se achar — Camila o puxou para mais perto de si. O garoto ainda olhava com os pequeninos olhinhos brilhando em direção a Lauren que mantinha seus olhos fixos no copo de whisky em sua mão.

— OK, eu não vou discutir isso com vocês. Acreditem se quiserem eu o conheço! — disse por fim.

— Me leve para conhecê-lo então! — pediu o menino entusiasmo.

— Hum, carinha eu tenho que ver se ele aceita receber visitas… ele deve estar muito ocupado acabando com os crimes da cidade — Lauren olhou para Camila e baixou seu olhar para o menino.

— Qualé tia Laur, você liga pra ele nós o encontramos no parque depois do colégio — Camila observava aquele diálogo sorrindo para o filho, ele parecia bem mais feliz do que o de sempre.

— Vou tentar, mas você sabe, não crie expectativas…

— Mamãe eu posso? — pediu.

— Hum. — antes que Camila pudesse continuar.

— Por favor! — o menino insistiu.

Lauren novamente viajou na sua velha vida, quando tinha seus filhos ao seu lado, e sorriu consigo mesma, pela insistência seus meninos faziam a mesma coisa, aquilo a fez engolir em seco.

— Tá bem — Camila a dispertou. — Agora vá tirar uma foto com suas dindas elas estavam te procurando.

— Tá bom mamãe, até mais tia Laur.

— Até carinha! — Lauren bagunçou seus cabelos e o viu sumir diante as pessoas da sua família.

— Fica longe do meu filho! — disse virando as costas a morena que simplesmente ficou com um ponto de interrogação.





Notas Finais


Digam o que acharam!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...