História Aishiteru - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Ino Yamanaka, Naruto, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Sasusaku
Exibições 231
Palavras 1.436
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura amores! <3

Capítulo 8 - Brigas e Reconciliações


Fanfic / Fanfiction Aishiteru - Capítulo 8 - Brigas e Reconciliações

Sakura

Minha conversa com Naruto foi tensa mas o clima entre nós está ainda mais. O caminho para casa foi silencioso, Naruto estava muito quieto então eu presumo que tudo isso está machucando muito ele, eu sei disso porque Naruto está sempre animado e sorrindo como um bobão mas agora...

– Ah! Chegamos! – Ino disse ao chegarmos em casa. – Estou tão cansada. – Deu ênfase no “tão”.

– Eu também. – Abrimos a porta de entrada e tiramos os sapatos para entrar em casa.

– Bem-vindos de volta! – Kushina-san sorriu. – O jantar está servido.

– Não estou com fome então vou para meu quarto. – Naruto disse.

Todos na sala olharam perplexos para o loiro.

– Você está bem? – Ino colocou a mão na testa de Naruto. – Está doente?

– Só não estou com fome. – Deu de ombros.

– É por isso que estou perguntando. – Ela tirou a mão da testa do loiro.

– Eu só quero ficar sozinho...– Sussurrou e olhou para mim.

Ele está mesmo sofrendo pelo que aconteceu. Eu nunca vi Naruto recusando comida na vida!

– Bom, vamos comer antes que esfrie! – Inoichi-sama falou.

– Vamos. – Ino correu até a mesa e me puxou com ela. – A propósito, eu chamei Hinata para dormir aqui esse fim de semana. Tudo bem?

O Inoichi-sama iria protestar mas Kushina-san o interrompeu.

– Claro!

O jantar seguiu silencioso, sem Naruto lá para nos animar com o jeito idiota dele.

[…]

Assim que o jantar terminou Ino me arrastou para nosso quarto, trancou a porta e me empurrou na cama.

– Okay…– Ino puxou uma cadeira e rodinhas da escrivaninha e sentou na minha frente. – Vamos ter uma conversinha, testudinha. – Me olhou séria. – E você irá contar tudo para mim.

– Contar o que? – Arqueei uma sobrancelha.

– Você levantou do banco gritando “NÃO!” aquela hora e saiu correndo pela escola! – Ela cruzou os braços. – E não disse mais nada a respeito depois disso.

– Eu não sei se quero contar o que aconteceu…

Eu não me sinto culpada somente por Naruto, mas por Hinata também. Agora que parei para pensar, talvez ele não tenha olhado para Hinata como deveria por minha causa, eu sou a culpada por tudo isso. Não quero que Hinata descubra que o garoto por quem ela está apaixonada gosta de outra, e essa outra sou eu.

– Então Naruto de contou todo mesmo hum? – Descruzou os braços e suspirou alto. – Eu falei tantas vezes para ele te contar e acabar com todo o sofrimento mas...

– Você sabia?

– Sabia, sempre soube. Eu não quis contar antes para proteger Hinata.

– Você não podia ter me escondido uma coisa dessas Ino! Se você tivesse me contado antes as coisas poderiam ter acontecido de outra forma.

– Não se trata de mim, Sakura! Se trata do meu irmão e dos sentimentos dele! – Falou um pouco mais alto. – Essa situação não mudaria de qualquer forma. Naruto te ama, você ama o Sasuke e acabou. A única coisa que muda é que vocês estão juntos agora, e não venha me dizer que isso seria diferente porque eu sei que você não hesitaria em ficar com Sasuke por causa de Naruto. É isso que machuca, ele sabe que você nunca irá amá-lo como ama o  Sasuke.

– Você está errada. – Levantei da cama. – Eu poderia sim abrir mão de Sasuke por Naruto.

Foi tudo tão rápido que eu quase não consegui acompanhar com os olhos, tudo o que eu consegui sentir foi o peso da mão de Ino em minha bochecha e o ardor do tapa.

– Não diga coisas sem sentido, Sakura! – Gritou. – Eu sei que você abriria mão de tudo por Naruto mas você está completamente errada de pensar assim! Meu irmão não se sentiria bem sabendo que você sacrificou sua felicidade por ele então se por algum minuto você pensou em terminar com Sasuke esqueça essa ideia, porque não vai acontecer. Eu não vou deixar.

Eu ainda processava cada palavra que Ino dizia, tudo entrava confuso pelos meus ouvidos e minha visão estava meio turva, devia ser por causa das lágrimas. Eu já estava chorando como uma criança de novo.

– Mas que merda? – Olhei em direção a porta do quarto, em direção a voz de Naruto. – Que merda vocês estão fazendo?

Coloquei a mão aonde Ino acertou o tapa e olhei com raiva para a loira mas não consegui revidar.

Peguei uma blusa de frio na minha mala (ainda não desfeita) e sai do quarto rumo a saída da casa.

– Sakura! – Naruto me pegou pelo braço forte. – Onde você pensa que vai?

– Me solta, isso machuca. – Eu queria poder dizer que seu toque estava me machucando mas, na verdade, aquela situação que me machucava. – Isso machuca…

Eu estava esperando qualquer sinal de protesto de sua parte, achei que ele fosse me obrigar a ficar ou gritar comigo mas não foi isso que aconteceu.

Naruto pegou a chave de seu carro em cima do sofá, abriu a porta da sala e me puxou para fora.

–  Eu vou com você. – Ele me arrastou para o carro e me colocou dentro do mesmo.

– Eu queria ficar sozinha, sabe...– Murmurei.

– Não vai acontecer. – Ligou o carro e deu partida. – Eu ouvi todo o papo de vocês.

– Estava ouvindo escondido? Mas que porra, Naruto! – Disse brava. – Quem você pensa que é para…?

– Posso terminar de falar? – Me interrompeu. – Meu pai pediu para ir até o quarto de vocês e chamar Ino então eu fui e...

– E acidentalmente ouviu toda a conversa? – Perguntei irônica.

Naruto me olhou com cara de merda e revirou os olhos mas não disse nada.

O resto do caminho seguiu em silêncio. Eu não sabia para onde estávamos indo mas o caminho que o carro percorria era nostálgico e familiar.

– Chegamos. – Ele parou o carro em frente a uma escola primária fechada. Era noite e quase não tinha ninguém na rua.

– Essa é…? – Desci do carro junto a Naruto.

– Nossa antiga escola. – Sorriu de canto. – E aquele é o nosso parquinho. – Ele apontou em direção ao playground. – Que nostálgico! Venha!

Eu não tive tempo para protestar, na verdade eu não tive tempo de ter qualquer tipo de reação. Quando eu me dei conta já tinha sido puxada para o parquinho e estava sentada no balanço junto ao meu melhor amigo avoado.

– A gente sempre vinha brincar aqui...– Ele sussurrou. – Eu me despedi de você aqui.

Assim como Sasuke, Naruto não foi se despedir de mim no aeroporto.

– É.

– Você o ama? – A voz de Naruto mudou, sua expressão mudou mas ele não tirava os olhos de mim.

– Sasuke? – Perguntei mesmo sabendo a resposta. – Amo.

Empurrei minhas pernas para frente afim de me balançar no brinquedo.

– Eu sei que o que você me disse mais cedo pode ser verdade. Sasuke pode se cansar de mim, pode quebrar suas palavras e pode me machucar mas eu já sabia disso quando disse “sim” ao pedido dele. Eu entrei nisso mesmo sabendo que as chances de dar merda são maiores que as chances de um namoro feliz. – Naruto passou a se balançar também. – Sasuke é rude, complicado e eu nunca sei o que passa na cabeça dele, eu não posso mudar o que ele é ou jeito como ele resolve as coisas, eu sei o motivo pelo qual ele é desse jeito e é isso que eu amo no Sasuke. Eu quero ficar ao lado dele e proteger esses motivos que ele não mostra a ninguém.

Naruto parou de brincar no balanço e fitou os pés. Eu achei que ele estava chorando mas ele estava sorrindo, sorrindo feito um idiota.

– Cuide bem dele. – Meu coração ficou em pedacinhos com a atitude dele.

– Naruto! – Pulei em cima do loiro e acabei fazendo ele cair na areia comigo por cima de seu corpo. – Eu te amo, idiota!

Eu não obtive resposta do loiro, não com palavras. Foi com um abraço, um abraço com direito a lágrimas e soluços da minha parte.

– Eu te amo, Sakura-chan. – Eu sabia que provavelmente estávamos resolvidos mas eu ainda sentia que Naruto estava distante de mim. Ele parecia perdido… – Vamos voltar.

– Não, vamos ficar e brincar um pouco. – Levantei de cima dele e corri pela areia. – Venha me pegar! – Mostrei a língua para ele.

– Que criança...– Naruto me zoava mas não negou a brincadeira.

Corri dele por horas até me cansar e deixar com que ele me pegasse.

– Você cansa muito rápido. – Disse quando me pegou no colo.

– E Você é muito energético. – Sorri. – Me coloque no chão agora, sim?

– É. – Me colocou no chão. – Vamos voltar.

Então foi isso, eu me acertei com Naruto e voltamos para casa cantando Rihanna e dando risada.

Mesmo assim, eu acho que tem alguma coisa errada com Naruto e ele não quer me falar...


Notas Finais


Continua... *-*


Até o próximo meus amores! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...