História Ajude-me A Enxergar ¥yoonseok¥ - Capítulo 3


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Suga
Tags Namjin, Yoonseok
Visualizações 43
Palavras 998
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Fluffy, Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá eu sou a Biih a co-autora dessa história, hoje eu vos trago mais um cap. A Camz estava ocupada e me pediu para escrever o cap de hoje.
Espero que gostem da minha escrita. Desculpem-me os erros e boa leitura

Capítulo 3 - Finalmente um emprego


Fanfic / Fanfiction Ajude-me A Enxergar ¥yoonseok¥ - Capítulo 3 - Finalmente um emprego


Após ler o anúncio no jornal, foi como se eu tivesse visto uma luz no fim do túnel. Eu precisava de um emprego, e aquele veio na hora certa. Então peguei aquele jornal e o levei pra casa, para saber o horário certo da entrevista de emprego.

—Este emprego não poderia ter vindo em melhor hora.—digo para mim mesmo.

Como já estava um pouco tarde,decidi ir pra casa. Então fui até o ponto de ônibus que ficava mais próximo e esperei até que o que me levaria ao meu destino chegasse. Oque não custou muito. Paguei o valor necessário e entrei no mesmo. Não haviam muitas pessoas, tinham várias poltronas vazias. Fui até uma que ficava ao fundo e me sentei na mesma. Não demorou muito e cheguei ao meu destino, daí do ônibus e fui pra casa.

—Mãe, cheguei.—digo ao entrar em casa. E sinto um aroma delicioso, provavelmente ela estava na cozinha. Então fui até a mesma.—Tenho uma boa notícia para a senhora.—digo ao chegar na cozinha e vê-la cortando alguns legumes.

—Que bom. Qual é a notícia ?—ela para por um breve momento para encará-lo.

—Eu vi um anúncio no jornal, de um lugar que estão oferecendo emprego e eu vou fazer a entrevista.—digo animado e sorrindo. Afinal, se eu conseguir esse emprego, finalmente vou poder ajudar nas contas de casa.

—Isso é ótimo. Faça de tudo pra conseguir esse emprego, OK?—pergunta e eu assinto—Agora vá tomar seu banho e depois desça para almoçar.

—Estou indo—a obedeci, afinal, ela ainda é minha mãe. Não em porta quantos anos eu tenha, sempre irei obedecê-la.

Subi pra o quarto, fui até o banheiro, entrei no mesmo, me despi e entrei no box. Passei breves segundos ali, com a água morna caindo sobre meu corpo e consequentemente me relaxando. Depois de alguns minutos, terminei meu banho e sai do box.Me enrolei na toalha e fui até o guarda-roupa, peguei uma muda de roupa, que resumia em uma calça moletom e uma camiseta branca. Após me vestir, desci para almoçar.

O almoço se resumiu em conversas sobre assuntos aleatórios e nós comendo. Após terminar nos de comer, ajudei minha mãe a lavar as louças e subi para meu quarto para dormir.

(Quebra de tempo)

Acordei um pouco antes do horário combinado para a entrevista, mas o suficiente para que eu pudesse me arrumar e ir até o local

Levantei-me da cama, me espreguicei, peguei uma toalha e fui tomar banho. Tomei um banho gelado para acordar totalmente. Após terminar, enrolei a toalha em minha cintura e me dirigi até o guarda-roupa, peguei uma muda de roupa, que se resumia em uma calça preta, uma camiseta branca e uma jaqueta jeans. Desci pra tomar café e assim o fiz. Depois me despedi de minha mãe e sai de casa, chamei um táxi para me levar até o local, afinal, eu não queria chegar atrasado.

Depois de alguns minutos cheguei ao destino desejado, paguei o motorista e fui até a porta de entrada do local onde seria a entrevista. Onde havia algumas pessoas em uma fila, provavelmente vieram pelo mesmo motivo que eu.

Fui até o fim da fila—que não era tão grande, haviam no máximo 5 pessoas ali—e me pus a esperar que chegasse minha vez. As pessoas iam entrando e saindo daquela casa, algumas com expressões indignadas, outras tristes e outras com certa raiva. Oque eu não entendi muito, afinal, ficar triste por não conseguir o emprego era até aceitável, agora indignação e raiva? Não entendi o porque daquilo, mas me mantive calado até chegar minha vez.

Passei pelo segurança —que estava na porta—e fui guiado até um tipo de escritório, onde estava havendo a entrevista. Bati na porta, pedi licença e entrei.

—Bom dia.—disse um homem com sua voz grave. O mesmo trajava uma calça social preta, uma camiseta social branca e uma gravata vermelhas.

—Bom dia.—digo sorrindo sem mostrar os dentes.

—Sente-se—pede o homem e assim o faço—Claramente você veio para a entrevista de emprego, então vou lhe dizer do que se trata.—diz e eu assunto para que continuasse—A um tempo atrás, minha esposa, meu filho e eu, sofremos um acidente. Infelizmente meu filho foi o mais afetado, o acidente acabou tirando sua visão. E desde então, ele vive trancafiado em seu quarto e perdeu sua vontade de viver. Então, minha esposa me pediu para que eu contratasse alguém para ser amigo dele, já que seria difícil ele arranjar um por si próprio já que não sai do quarto.—agora entendi o porque de algumas pessoas terem saído indignadas, como alguém pode contratar um "amigo" para seu filho? Isso é um absurdo, mas eu preciso desse emprego, ao posso perder essa chance.—Então meu jovem, ja que já sabe do que se trata o emprego, vai querer ele?

—Sim, eu preciso desse emprego, não posso perder essa oportunidade.—dou um breve sorriso.

—Que bom. Você começa amanhã mesmo.—diz o homem, mantenfo sua feição séria e imponente.

—Obrigado, o senhor não irá se arrepender.—digo e após receber permissão saio do cômodo. Sai da mansão, peguei um táxi qualquer e fui em rumo a minha casa. O sorriso que rasgava meu rosto era bem evidente, minha felicidade em conseguir um emprego não cabia dentro de mim. Finalmente não vou mais ser um inútil, agora vou poder dar orgulho aos meus país. Como sempre desejei.

E lá estava eu, em um táxi qualquer, olhando atravez da janela a paisagem e as pessoas, que passavam apressadas e estressadas. Espero não ficar assim futuramente. Não quero ser uma pessoa chata que vive trancada em um escritório resolvendo mais e mais problemas, e viver sempre sem tempo para se divertir e curtir a vida. Mas esses pensamentos não vão me deixar pra baixo, não hoje. Hoje ninguem vai estragar meu dia.

Eu estava muito feliz por finalmente ter conseguido um emprego e poder ajudar minha família. Mal posso esperar pra contar isso pra minha mãe, ela vai ficar muito feliz. Meu pai também irá ficar muito orgulhoso. Espero que o dia de hoje passe bem rapido, estou muito ansioso e animado para começar a trabalhar.


Notas Finais


Eu sei que o cap está um pouco parado, mas assim me foi pedido e assim eu escrevi. Provavelmente no proximo Yoonseok(Sope) se encontre, mas não prometo nada.
Espero que tenham gostado e até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...