História Akai ito- fio do destino - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Anorexia, Drama, Love, Magia, Misticismo, Original, Poderes, Romance, Wicca
Visualizações 1
Palavras 1.145
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Magia, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Super Power, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Voltei, decidi que a fic vai ser narrada internamente pela Aurora.
Desculpa pela demora

Capítulo 2 - Estranho sonho.


Fanfic / Fanfiction Akai ito- fio do destino - Capítulo 2 - Estranho sonho.

Durante os poucos segundos em que nossos corpos estavam próximos pensei que afinal não foi tão ruim mudar pra cá. Estava com medo dos sentimentos antigos voltarem,  mas sou dona de mim mesma, não vou permitir.                                                                  Soltamos os dedos e ele encarou algo atras de mim, nem ousei olhar, apenas abaixei a cabeça esperando que algo acontecesse.

-Olha que lindo. -procurei com os olhos mas não vi nada além do reflexo do Sol poente no lago. -O por do Sol -completou me virando e levando para a beira do lago.               Ele se sentou então imitei o gesto sentando a alguns bons centímetros de distancia dele, então ele ainda sentado se aproximo de mim. 

Agi como se estivesse tranquila,  mas por dentro lutava contra cada músculo do meu corpo para não olha-lo. E após alguns segundos agradeci mentalmente por isso. Senti seu olhar pesado sobre mim, cada movimento era captado.                                       Por extinto segurei a respiração e travei a coluna, então tentei relaxar.                                             "Relaxa,Relaxa,Relaxa"   isso se repetia varias e varias vezes, na minha cabeça. Não estava  muito na verdade. Porém me mantive o mais calma possível até que o Sol fosse finalmente embora. 

-Amanhã você me ajuda então?  -ele falou olhando o lago. 

-Sim... que horas ? -pergutei sem olhar em seu rosto com medo de corar. 

-18:30? -ele perguntou e eu apenas não respondi, algo começou a se passar na minha cabeça, como um filme. "Eu na frente de um lago, em um dia muito nublado (diferente de hoje ) um vento forte bagunçava meu longo cabelo, jogando o na minha cara. Então eu caia no lago, e me afogava. Algum tempo passou e eu me debatia, sem conseguir sair do lugar, até que eu desisti. Finalmente, quando eu ja estava quase inconsciente, apareceu uma mão e me  puxou ".                      Voltei então a realidade e o Paulo me encarava enquanto me segurava em seu colo, como se eu fosse uma noiva. Rapidamente desci e o encarei pensando no que falar, paa que ele não tivesse chances de perguntar o que ocorrera.

-Sobre o que estavamos falando? -eu decidi disfarçar, agur como se nada tivesse acontecido.

-18:30 na minha casa amanhã, pode ser? Você está bem?

-Ah, claro, perfeito na verdade. -eu balançava a perna impaciente. Ignorei a pergunta que veio por ultimo. Poderia puxar algum assunto mas nada passou na minha cabeça. 

-Grimorio legal esse seu. -eu olhei pra grama e o vi (grimorio é um livro com feitiços e essas coisas)- Tem quantos anos?  2 mil ? 

-Quase, 10 mil. -ele arregalou o olho e eu apenas ri- É uma relíquia de família. 

-Minha família não é tão legal assim, queria ter algo tão velho e cheio de energia. 

-Se você guardar o seu grimorio, daqui 10 mil anos ele vai ser bem legal. 

-Mas ai o seu vai ser ainda mais legal. 

-Claro que sim. 

Ficamos conversando por algum tempo, e não muito depois o clima meio tenso se desfez por completo; até que fomos juntos para casa, já que era na mesma rua. 

-Tchau. -falei e ele me olhou estranho  (não ruim, mas diferente ) 

-Até amanhã. -eu estava virando para ir pra casa -AAAH. -dei um pulo com o grito dele- Me passa seu número. 

- 123456789011 (número invetado) 

-Eu te mando mensagem. 

Entrei em casa, minha mãe ainda não tinha chegado, então decidi "jantar" já que eram 19 horas. Peguei duas fatias de pão, peito de peru, requeijão e fiz um sanduíche; assim que terminei peguei o lanche e sai de casa, ao achar a primeira lata de lixo, o jogeui fora e voltei para casa.                                     Liguei o chuveiro e tomei um banho bem quente, precisava relaxar e pensar um pouco.

-AURORA. CHEGUEI. -minha mãe gritou e o som que eu ouvi foi bem fraco, devido ao barulho do secador. Agora meu cabelo já estava completamente seco, esse processo levou uns 30 minutos, já que ele vai até a cintura.  

Desci as escadas e vi ela sentada, no balcão da cozinha comendo o jantar dela, que era muito parecido com o meu na verdade. Dei um beijo na sua bocheca e sentei ao seu lado. 

-Como foi o dia ? -ela perguntou e me encarou por alguns segundos- Sua aura ta uma loucura. 

-Foi bom, normal. Ai não foi mais -falei lembrando da escola e então do Paulo. 

-Como assim -ela falou dando mais uma mordida no sanduíche.

-A aula foi normal, na escola. Mas sabe quem mora aqui ? 

-Quem...?

-Paulo. -ela engasgou levemente dando uma tossida. 

-Sério?  -eu fiz que sim com a cabeça e ela piscou forte algumas vezes- E... 

- Bem eu tava no lago lendo, e ele apareceu e..... -eu contei tboda a história- Eu vou ajudar  ele a estudar magia na casa dele amanhã. 

-Você ta confortável com isso? 

-Eu to tensa, mas sabe suave. 

-Você que sabe bebe. -ela pegou o prato e o colocou na pia, então subiu as escadas e foi para o quarto dela, provavelmente tomar banho. Então sentei no sofa e acabei cochilando. 

-Aurora. -senti alguem me acordando e quando fui capaz de abrir os olhos vi que era meu pai. -Vai pra cama filha. Ta tarde. -ele disse e me deu um beijo na testa. 

-Eu apaguei. Que horas são? -Ele viu o relógio na parede, o que eu não conseguia por causa do sono. -21 horas bebê. 

-Ah, pensei que estivesse tarde, tipo 2 da manhã. -sentei e vi ele se afastando aos poucos. - Vou deitar pai. Boa noite. 

-Boa noite filha. 

Subi as escadas e sentei na cama, antes de deitar, peguei o celular e vi que tinham algumas mensagens. 

"Mensagem on" 

Desconhecido: Oiie, você vem aqui amanhã?                                                                  

Eu: Oiie, bem? Vou sim, 18:30 né.             

Paulo: Sim, to bem e vc?                             

Eu: Suave. Acho que vou dormir, boa noite 

Paulo: bjos, boa noite

--//--//

Anna bb:  Oiie, bebê vamo no shopping sexta?  

Eu: Claro, vamos, ai a gente vê algum filme no cine.  

Anna bb: Suave então. 

"Mensagem off"

Que bela merda, perdi o sono. Resolvi ligar o pc, e ver alguma série. As opção eram muitas, TVD, Once upon a Time,  Hemlock Grove, Bates Motel. Decidi ver Hemlock Grove.  

Agora eram 1 da manhã e finalmente o sono veio, desliguei o pc, e deitei de baixo das cobertas. Alguns minutos depois eu dormi. O sonho/visão de hoje de tarde voltou, era mais intenso. 

O alarme ainda não tinha tocado, mas abri os olhos assustada, olhei o relógio ao lado da cama e vi que faltavam apenas alguns minutos lara eu ter que levantar então não fiz questão de voltar a dormir

Fui para o banheiro do meu quarto e fiz a higiene basica do ser humano, limpei o rosto e sai do banheiro. Fui me trocar e coloquei um jeans capri (aquelas calças que vai até em cima do tornozelo) e a blusa da escola. Sai de casa e fui direto para a escola. 

{Continua ...}


Notas Finais


Espero que tenham gostado, acho que esse capítulo foi mais curto.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...