História Akaibara 赤い薔薇 (Red Roses) - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 70
Palavras 1.121
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 9 - Otanjoubi omedetou


Fanfic / Fanfiction Akaibara 赤い薔薇 (Red Roses) - Capítulo 9 - Otanjoubi omedetou

Nowaki se deitou ao meu lado minutos depois e adormecemos.

Eu não iria exigir nada dele. Seria maldade, afinal, ele realmente estaria cansado. Quem não estaria? A exaustão emocional e física de ter a casa invadida por um estranho que queria te matar... Tudo aquilo foi um jogo de sorte e Nowaki estar vivo era um milagre.

Um milagre que ele mesmo causou.

Estava aconchegado em seu corpo, seu braço esquerdo abraçava meus ombros e minha cabeça repousava sob o osso de seu ombro, enquanto sua mão direita segurava minha cintura, um de meus braços estavam embaixo de seu corpo, circulando suas costas e o abraçando, e o outro, circulava seu abdome. Nossas pernas estavam entrelaçadas e formando um nó forte.

Foi incrível como conseguimos permanecer nessa posição a noite toda, sem sentir nenhum tipo de dor ou dormência. Era maravilhoso estar com Nowaki, ele me transmitia uma segurança fora do normal. Eu me sentia especial.

Já pela manhã, mal tive tempo de abrir os olhos, pois Nowaki segurou meu queixo, o levantando, e tomou meus lábios para um beijo. Um beijo delicioso e terno, quente.

Sorri levemente e subi ao seu corpo, sentando-me sobre sua pélvis, com uma perna a cada lado de seu corpo, desci meu tronco, aproximando nossos rostos e lhe dando outro beijo.

Suas mãos percorriam minhas costas e caminharam até minha bunda, a apertando com firmeza.

Mordi seu lábio inferior, soltando uma risada baixa e breve, logo depois selando seus lábios repetida e seguidamente.

Nowaki levantava seu tronco lentamente e quando sentou-se, beijando meu pescoço e segurando -me pelos cabelos, ouvimos o sino alto da porta de entrada.

Suspirei em reprovação, acariciei o rosto de Nowaki, segurando-o e lhe selando os lábios.

-Eu vou ver quem é. - Disse. -Quer que eu mande embora?

Rimos baixo por um breve momento, Nowaki beijou minha testa.

-Isso. Mande embora com toda sua braveza assustadora.

Eu sorri, me levantando e vestindo um yukata vermelho, amarrando meus cabelos em um pequeno nó e andando descalço pela madeira quente da passarela, até a pequena escada, que queimava os pés ao estar exposta ao sol.

A grama era um pequeno alívio para minha pele e finalmente abri a porta.

Reiiji.

-Vá embora. - eu disse, simplesmente, fechando a porta.

No entanto Reiiji segurou a porta e entrou, fechando-a logo em seguida.

Ele tinha uma caixa e algumas sacolas de papel nas mãos.

-Eu mandei ir embora! - Eu havia aumentado o tom de voz, mas Reiiji apenas levou o indicador aos próprios lábios.

-Fale baixo...! - ele suspirou, revirando os olhos. -Hoje é aniversário do Nowaki, seu camarão!

-Camarão? E que tipo de insulto é esse...? - Ironizei.

-Camarão, sim! Você tem sujeira na cabeça, ao invés de um cérebro! - Bufou. -E aí? Já estão juntos?

-O que? Que pergunta é essa? Isso não lhe diz respeito! - Respondi, impaciente.

-Olha, tem um cara esperando logo ali na porta, para levar Nowaki para o litoral. Eu não terei condições de ir com ele então infelizmente só restou você. É bom que se comporte. Então, eu te pergunto novamente: Vocês estão juntos?

Eu suspirei, pensativo. Eu estava junto de Nowaki? Não fazia a menor ideia, mas estávamos um pouco mais íntimos... Talvez isso fosse ajudar à nos aproximar mais...

-Eu... Acho que... - Fiz uma pausa. -Não sei... Nós nos beijamos bastante ontem e... - Corei e dei um pequeno sorriso. -Nós quase fizemos sexo...

-Provavelmente isso basta... Apenas o trate bem. Agora me ajude com isso.

Reiiji deixou a caixa no chão e a abriu. Havia uma porção considerável de mandius e onigiris doces, abriu uma sacola e puxou diversas velas, colocando-as na superfície de alguns doces, depois me encarou.

-Onde podemos acender isso? - Reiiji perguntara.

Me levantei, pegando uma vela acesa de uma luminária de pedra, a aproximando das velas dos doces e acendendo todas, logo devolvendo para a luminária.

-Vamos levar para o quarto dele... - Eu disse. -Ele está lá.

Ajudei Reiiji à levantar os doces, a caixa estava um pouco pesada e andamos lentos até a porta do quarto de Nowaki, mas antes que chegássemos lá, vimos sua figura sair pela porta do quarto, com uma expressão preguiçosa, ele estava lindo.

Ele nos olhou surpreso e depois sorriu.

-Otanjoubi ometedou! (Feliz aniversário.) - Reiiji dizia animadamente com um grande sorriso.

-Otanjoubi... omedetou... - eu disse, mais sobriamente e tímido.

Nowaki riu e assoprou as velas, nos abraçando com determinada força.

-Não precisava disso... - ele dizia, com uma humildade única dele, só podia ser Nowaki para agir de forma tão bela. -Mas estou feliz com isso. Vamos até a cozinha, vamos comer juntos.

Nowaki pegou a caixa de doces com mais facilidade e caminhamos até a cozinha, Reiiji dispôs alguns potes de porcelana sobre a mesa enquanto eu fervia água para um chá e Nowaki ajeitava os doces sobre a mesa.

Joguei pedaços de maçã verde na água fervente, e quando o chá já estava pronto, o dividi em três copos de bambu, que logo foram à mesa.

-Acho que nem preciso perguntar de quem foi a ideia... - Nowaki deu um sorriso cúmplice para Reiiji. -Você sempre foi tão extravagante...

Reiiji riu.

-Falou o cara que quase incendiou a minha casa, acendendo fogos no dia do meu aniversário... - ele respondeu.

Eu ri ao imaginar Nowaki fazendo isso e tentando apagar o fogo, todo atrapalhado.

-Se for assim, não precisa fazer nada quando eu ficar mais velho... - eu disse, comicamente.

-Incendiarei todo o Japão por você, Yuki-kun... - Nowaki disse com um sorriso doce.

Ele estava sentado ao meu lado e Reiiji à nossa frente. Eu toquei sua mão livre, que repousava no chão, ao meu lado, ao lado da almofada que nos sentávamos sobre o chão frio de bambu.

O dia estava extremamente quente e os doces estavam gelados, então caíam muito bem.

-Nowa-chan... Você pode achar que eu sou extravagante, mas não sabe o que o Yuki-kun fez por você, não é, Yuki-kun? - Reiiji me encarava.

Eu o encarei confuso, e logo depois para Nowaki, que me olhava com um sorriso doce.

-E o que você fez, Yuki-kun? - Hanyu acariciava meu polegar.

-Ele preparou uma viagem, não é Yuki? - Reiiji respondeu por mim. Isso era mentira, afinal, Reiiji que havia preparado. -Para o litoral.

Eu fiz que sim, com um sorriso leve.

-Iremos hoje à tarde... Está tudo bem para você...? - Perguntei.

-Bom... Acho que sim. - Nowaki respondia com uma doçura de gratidão na voz. -Será realmente divertido passar esse tempo com você, Yuki-kun... Muito obrigado.

Eu sorri, o abraçando e lançando um olhar cúmplice para Reiiji, que bateu três palmas silenciosamente, longe do olhar de Nowaki.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...