História Akatsuki Kindergarden - Especial Dia das Crianças - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Hidan, Itachi Uchiha, Kakuzu, Kisame Hoshigaki, Konan, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Pain, Sasori, Zetsu
Tags Akatsuki
Exibições 98
Palavras 1.421
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Ficção, Kodomo, Romance e Novela, Shounen
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Parte Três


Fanfic / Fanfiction Akatsuki Kindergarden - Especial Dia das Crianças - Capítulo 3 - Parte Três

.

 

Minutos mais tarde, estavam todos de volta à sala de aula. Tobi estava sentado em sua carteira com os pés na mesa e as mãos na nuca.

– Como eu ia saber que era canibalismo? – disse ele – Achei que tubarões comessem peixe.

– Melhor pra mim. – disse a cabeça de Zetsu na mesa, ao lado dos pés de Tobi – O vômito dele tava uma delícia.

Na frente do quadro, Tio Orochi tentava impor ordem na sala, mas o caos havia se instalado. Aquela era a última aula do dia, e todos estavam agitados demais para parar quietos. Gaivotas de papel voavam pra todo lado, crianças corriam, Sasori fazia desenhos no quadro e Kisame girava agarrado pelos dentes no ventilador de teto.

– Ei, Kakuzu! – gritou Hidan, correndo para a carteira do amigo – Quer brincar de vivo-ou-morto?

– Você sabe que dá muito trabalho limpar o sangue depois, Hidan.

– Ah, seu chato!

Tio Orochi já estava tendo um chilique de nervos, quando de repente a porta se abriu e duas novas crianças entraram. Imediatamente todas as outras se calaram, e voltaram quietinhas para seus lugares.

– Quem são aqueles? – perguntou Tobi, surpreso.

– São os representantes de classe. – respondeu a cabeça de Zetsu, sussurrando. – Pein o manda-chuva, e Konan a mensageira!

As duas crianças se posicionaram de frente para a classe, mas Pein se dirigiu primeio ao professor:

– Orochimaru. Recebemos uma queixa muito grave a seu respeito. Você está expulso do Jardim Akatsuki!

Orochimaru fez cara de choro, e saiu correndo enquanto sacudia os cotovelos.

– Mas eu só queria mostrar a minha cobra pra ele!

Pein estendeu a mão para a porta e fez ela fechar sozinha com força depois que ele saiu. Em seguida olhou com severidade para a turma, que estava muito comportada.

– Até arranjarmos um novo professor, nós assumiremos aqui. – anunciou. – Está aberto o Conselho de Classe!

A turma gemeu.

– Ah, de novo não..

– Silêncio! Vamos começar com a papelada.

Houve um burburinho e todo mundo começou a revirar as mochilas, tirando vários papéis de lá. Konan passou com um saco e foi recolhendo tudo.

– O que eles tão fazendo? – perguntou Tobi.

– Entregando cartinhas de amor. Todos os meninos entregam cartinhas de amor pra Konan, porque ela é a menina mais bonita da turma!

– Mas ela é a única menina da turma..

– Não tinha pensado nisso.. – disse Zetsu, confuso. – Mesmo assim, ela é demais. É ela quem escreve os avisos no mural com papel perfumado e giz de cera colorido! <3

Tobi olhou para a menina de cabelo azul e olhos laranja, que ia recolhendo muito feliz as cartinhas de amor.

–  Acho melhor você escrever também. – disse Zetsu – Todo mundo prepara alguma coisa. O Kakuzu mesmo já entregou três corações a ela.

– De papel?

– Não, de verdade mesmo.

Tobi olhou para o lado e viu Kakuzu tombado na carteira com uma poça de sangue em volta.

– Eu, hein. Então ela lê as cartas pra escolher quem vai namorar?

– Ah não, ela nem lê. Ela já namora com o Pein.

– What the fuck?! Então por que vocês dão cartinhas a ela??

– É que ela usa pra fazer origami.

Tobi viu um monte de borboletas e cegonhas de papel saindo do saco e voarem em volta de Konan. Naquele momento um raio de luz divina entrou pela janela iluminando a menina, e Tobi podia jurar que ouviu Céline Dion tocando no fundo.

– Ela não é um anjo..? – suspirou Zetsu.

Konan finalmente chegou na última carteira. Ela estendeu o saco para Tobi, e ficou esperando.

– O que foi? – perguntou Tobi.

– O seu papel. – mandou ela.

– Ah tá.. peraí um segundo.

Tobi vasculhou a mochila.

– Aqui. Toma.

Tobi colocou um rolo de papel higiênico no saco. Konan ficou vermelha e deu um tapa tão forte na máscara dele que doeu até na pele.

– Mas era da melhor marca!

– O que está acontecendo aqui!? – chegou Pein. Tinha cabelos laranja e olhos parecendo duas fatias de cebola roxa vistas de cima. – Por que não entrega uma carta pra ela??

– Foi mal. É que eu não curto emo.

A turma inteira ofegou chocada. Todos voltaram os olhos arregalados para Tobi, e Konan enterrou o rosto nas mãos e saiu soluçando.

– Como ousa insultar a minha namorada! Eu vou te dar uma lição!

E dizendo isso deu as costas e se afastou.

– Cé loko, velho?? – falou Zetsu – Ninguém mexe com os representantes de classe! Eles castigam a gente!

Pein andou até o centro da sala e abriu os braços. Percebendo o que ia acontecer, todas as crianças se levantaram e saíram correndo.

– SHINRA TENSEI!! – gritou Pein.

As carteiras foram lançadas contra as paredes, e um círculo aberto se formou no centro da sala.

– Vem aqui! – ordenou Pein para Tobi.

– Tu tá ferrado, cara. – disse Zetsu.

– Tá tranquilo. – disse Tobi.

E indo até Pein com os braços atrás da nuca, perguntou:

– Quem foi que grampeou o seu nariz?

– Isso aqui são PIERCINGS!!

– E pra que servem?

– Pra me fortalecer na dor!

– A Konan te grampeou sem querer quando foi pregar os avisos, não foi?

– Foi.. – admitiu Pein, baixando a cabeça. – Mas isso não vem ao caso!! Você tá muito zuero, aluno novo! Ainda mais pra alguém que não mostrou nenhum talento até agora!

– Bem, é que.. é o meu primeiro dia.. – se defendeu Tobi, bastante triste.

– Não interessa! Não há lugar no Jardim Akatsuki para fracos!

– Eu não sou fraco!! Eu aguento muito bem qualquer parada!

– Ah é? Por exemplo?

– Uma vez eu bati o mindinho do pé numa pedra, e nem gritei.

A turma inteira fez um “Ooooh” de surpresa.

– Hunf. – disse Pein – Isso não é nada. Uma vez eu comi um marshmallow assado na fogueira.. sem assoprar.

– Ooooooooh – exclamaram todos, ainda mais alto.

– Isso.. falem mais, falem mais.. – disse Hidan, fazendo anotações em seu caderno.

– Rá! – disse Tobi, cruzando os braços – Eu já pisei descalço num lego, e não soltei palavrão!

– Eu já pisei descalço num lego... e CONTINUEI ANDANDO.

– UAAAAU! – gritaram todos.

Hidan já estava babando em seu caderno. Tobi sentiu que estava perdendo a batalha, e resolveu usar seu trunfo:

– Mais cedo na piscina, eu caí quando tava correndo e ralei o joelho. Olhem!

Ele puxou a bermuda pra cima e revelou um joelho todo ralado e vermelho. Muitas crianças deram gritinhos, e até Konan ficou com pena:

– Tá doendo muito, Tobi? – perguntou com doçura – Quer que eu coloque um bandeide?

– Não! – gritou Tobi, colocando as mãos na cintura – Eu sou homem e não preciso de bandeide! Eu aguento qualquer dor sem chorar!

– Hunf. – disse Pein, fechando os olhos com um sorriso – Nesse caso, não se importaria de usar isso, não é..?

Ele tirou do bolso um vidrinho vermelho que dizia no rótulo:

 

“MERTHIOLATE”

 

Dessa vez todos ofegaram horrorizados levando a mão à boca. Até Hidan ficou paralisado de medo, deixando cair o lápis no chão.

– P..peraí.. – gaguejou Tobi, recuando – T..também não é bem assim...

– Você não disse que aguentava qualquer dor? – disse Pein, abrindo a tampa e retirando a pazinha molhada – Prove..

Tobi mandou sua masculinidade pro inferno, e se virou e saiu correndo.

– SOCORRO!!

– Volta aqui!! Eu vou lhe mostrar o que é dor!!

Tobi fugiu de Pein por toda sala, pulando por cima de carteiras e móveis. Então do nada apareceram outras cinco crianças do armário, todas de cabelo laranja e rosto grampeado, e agarraram e imobilizaram Tobi.

– Não!! Por favor, não!!! – berrou Tobi, enquanto Pein levantava sua bermuda.

Ele tremeu e viu a pazinha se aproximando do seu joelho em câmera lenta, o líquido vermelho pingando as gotas da morte...

E então a pazinha atravessou seu joelho, como se fosse uma miragem.

– Ué? – perguntou Pein.

As outras crianças também ficaram confusas, pois Tobi estava lá mas era como se agarrassem o vazio.

– O que significa isso?? – gritou Pein.

– Acho que ele despertou um novo poder.. – falou Konan – Isso é muito legal, Tobi!

Na mesma hora todas as crianças começaram a aplaudir com alegria, e Tobi sorriu e se curvou sem jeito pra elas.

– Hunf! – bufou Pein – Parece que você não é tão inútil quanto eu pensava. Pode ser que tenha futuro aqui.

Ele estendeu a mão para Tobi, que a apertou com muito prazer.

– Seja bem vindo ao Jardim Akatsuki!

As crianças aplaudiram mais ainda, e então o sinal tocou anunciando o fim da aula.

Na saída Tobi se despediu dos novos amigos ao pôr-do-sol, e então caminhou contente e saltitante de volta pra casa. Seu primeiro dia de aula na nova escola tinha sido um grande sucesso, no fim das contas. Ele ficou muito orgulhoso de si.

 Tobi era mesmo um bom menino!

 

.


Notas Finais


É isso! Espero que tenham gostado!

Se tiverem gostado, por favor comentem, favoritem, divulguem.. sei lá. Eu to realmente gostando desse negócio de escrever fanfics, e acabei de começar um novo projeto. Se chama "KURODARA!", e é um romance sobre Kurotsuchi e Deidara. Quem curtiu essa aqui experimenta entrar lá e dar uma olhada (não é só romance, tem comédia e ação também).

No mais, Feliz Dia das Crianças a todos! =)

.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...