História Alaska - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Girls' Generation
Tags Girls' Generation, Snsd, Taeny, Taeyeon, Tiffany Hwang
Exibições 249
Palavras 4.075
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Orange, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 22 - Capítulo 22



O coração de Tffany estava batendo tão forte quanto seus dedos estavam apertando na barra de sua jaqueta. A pobre menina estava se sentindo como se as paredes estivessem se fechando ao seu redor, ela estava abalada, assustada e simplesmente com medo, de alguma maneira ela conseguiu ter forças para chegar até aqui, no presídio feminino da Califórnia, o lugar onde Taeyeon estava indo para viver uma grande parte de sua vida, longe de Tiffany ou de qualquer ser humano, tirando as prisioneiras ao seu lado. Havia se passado um mês desde o julgamento, e Tiffany estava surpresa com ela mesma por ter ido até lá por vontade própria. Ela queria ver Taeyeon, mesmo que ela estivesse em um macacão laranja e seu cabelo estivesse espetado em todas as direções possíveis, ficar sem ela por mais um mês ou dois era algo que ela não queria. Ela pode não ser capaz de tocá-la ou ouvi-la como antes novamente, mas isso é tão bom quanto o que ela estava esperando, ela parecia absolutamente hedionda e Tiffany odiava isso.

A ruiva sentiu como todo o seu corpo tremeu mais do que o necessário. Ela fez o seu caminho até a mesa onde uma mulher loira estava sentada, ela se endireitou na cadeira quando ela se aproximou.

-Oi.- Ela disse calmamente olhando para a loira.- Eu sou uma visitante para Kim Taeyeon. Eu tenho horário.

Primeiro a mulher a olhou confusa e teclou algo em seu computador, seus dentes raspavam e prendiam seus lábios carnudos, seu batom ficou um pouco manchado. Tiffany queria dizer a ela, mas mesmo que não quisesse que isso acontecesse, ela sabia que sua voz iria quebrar-se assim que saísse de seus lábios.

-Você é Tiffany Hwang?- Ela perguntou. Tiffany apenas balançou a cabeça.- A Tiffany Hwang?

-Eu suponho que sou.- Ela murmurou de volta conseguindo segurar a voz firme.- Posso vê-la?

-Tem certeza?- Perguntou a mulher.- Esta será a sua última chance.

-Tenho certeza.

Ela olhou para Tiffany, suas sobrancelhas finas subiram quando ela continuou a digitar em seu computador, seu olhar cintilou de volta para a tela apenas quando Tiffany se virou e olhou para o nada, as pontas dos seus dedos encontraram seu caminho até a bainha de sua camisa, ela a puxou, ouvindo os cliques das unhas da loira contra os botões do teclado. Logo ela lhe entregou algumas folhas de papel.

-Assina para fins de segurança que você concorda em ter guardas em torno de você.- Tiffany não tinha escolha, mas assinou porque obviamente, caso contrário ela não poderia ver Taeyeon. A loira a agradeceu quando ela deu os papéis agora assinados e lhe disse para sentar em um dos sofás enquanto ela faz algumas chamadas. Tiffany não achou necessário ter policiais com ela sabendo com mil por cento de certeza que Taeyeon não iria lançar um único dedo contra ela, mesmo assim a ruiva teve que se sentar e esperar lá por pelo menos quarenta minutos antes de um homem e uma mulher com uniformes da polícia aparecer na frente dela e pedirem para ela ir com eles.

-Você tem trinta minutos.- Eles disseram. Tiffany teria que tirar o melhor proveito da situação.

Ela foi levada para uma sala cheia de portas e janelas mínimas. Tiffany pôde ver como algumas prisioneiras começaram a bater nas janelas e nas portas. Elas eram das celas da prisão, Tiffany havia adivinhado. Ela ecoou em todo o corredor, logo ela se aproximou mais dos policiais, era como se ela não pudesse sentir nada, ela se sentia vazia e fria, Tiffany nem sequer sabia se ela estava feliz ou infeliz. Tiffany olhou para cima quando a mulher parou e começou a olhar através de uma grande quantidade de chaves trancadas em um anel. Ela começou a destrancar uma porta, Tiffany imediatamente ficou mais quente quando o pensamento de Taeyeon estar ali cruzou sua mente e ela estava prestes a entrar mas foi puxada e afastada pelo homem. Ele disse que iria entrar em uma sala separada para que elas pudessem falar livremente através de um telefone. Tiffany sabia exatamente o que ela estava falando, ela nunca tinha feito algo assim antes, ela se sentiu fria novamente.

-Eu realmente só tenho trinta minutos?- Ela perguntou baixinho olhando para o homem. Ele era muito magro e de pele escura, tinha olhos castanhos. Ele parecia ter uma boa aparência.

-Sim.- Respondeu o oficial. Tiffany olhou para cima e para baixo.- Se você fosse um membro da família você poderia ter uma hora, mas já que você está em um relacionamento perigoso com ela, nós não podemos lhe oferecer mais.

Tiffany olhou para ele novamente, mal percebendo que ele tinha desviado o olhar. O oficial estava olhando para ela também, Tiffany o odiava por ele ser mais baixo. Era como se apenas Taeyeon fosse permitida.

-Por quê?- Perguntou Tiffany.

-Nós não sabemos o que ela pode fazer.

-Talvez ela não vá fazer nada.

-Talvez ela vá.

Tiffany rosnou para ele, mas rapidamente o deixou ir quando ouviu sons amaldiçoados de tropeço nos corredores como ‘’Deixe-me ir” e ‘’Eu posso andar sozinha” ecoando entre as paredes. Ela sabia que era Taeyeon, ela teria reconhecido essa voz e esses murmúrios a uma milha de distância. Tiffany respirou fundo quando o homem abriu uma porta e de repente eles estavam em uma sala retangular que foi dividida por algum tipo de vidro e bancos de madeira juntamente com cadeiras em ambos os lados da mesma. Não havia muitas pessoas lá, cinco deles, na verdade. Eles estavam conversando com todos os tipos de pessoas, alguns deles pareciam tristes e uma mulher ruiva com um grande bebê na barriga estava chorando junto com o homem no outro lado em um uniforme laranja. Tiffany só podia supor que ele era o pai. Ele não queria escutar.

-Você pode sentar aqui.- Disse o policial puxando uma cadeira para Tiffany ao lado de um homem moreno e seus cinquenta anos que estava falando com uma mulher jovem. Sua filha, provavelmente.

Tiffany sentou olhando para o assento vazio na frente dela, Taeyeon ainda não havia chegado.

-A conversa será gravada. Você pode falar livremente embora nós estejamos aqui.- Disse o oficial em seguida e sorriu um pouco. Tiffany apenas olhou para ele com uma expressão vazia, foi quando ela finalmente viu o emblema conhecido em seu quadril esquerdo. Clark.

-Existe algo que eu não estou autorizada a dizer?

-Informações pessoais.- Disse Clark. Tiffany apenas balançou a cabeça, ela realmente não ouviu nada quando grandes portas duplas do outro lado abriram e Taeyeon apareceu. Sua expressão era tão pálida quanto a de Tiffany, seu cabelo estava maior, suas bochechas estavam rosadas e ela olhou para a ruiva que estava olhando para trás. A mulher falou com Taeyeon, as mesmas coisas que Clark disse à Tiffany, provavelmente. Ela parecia não ouvir, Tiffany observou quando ela pegou o telefone ao seu lado. Levou um momento para entender que ela deveria fazer a mesma coisa. Ela moveu a cadeira mais perto da mesa de madeira e tomou o seu próprio telefone com a mão trêmula, olhando para Taeyeon através do vidro. A ruiva tomou um ou dois minutos para descobrir que elas foram autorizadas a falar. Taeyeon foi a primeira a quebrar o silêncio.

-Olá.- Ela disse.

-Oi.- Tiffany respondeu. E o silêncio se fez presente novamente. Tiffany brincava com sua jaqueta.

-Eu escrevi um artigo.- Tiffany informou.

-Oh, é mesmo?

-Sim.- Taeyeon limpou a garganta. Ela parecia tão doente, Tiffany mal conseguia olhar para ela. A baixinha estava mais magra e pálida, os seus olhos eram sem brilho.

-É sobre o quê?- Perguntou Taeyeon, segurando o telefone entre o ouvido e o ombro quando ela começou a mexer na manga do seu uniforme hediondo. Estava grande nela.

-Sobre você.- Tiffany respondeu.- Sobre nós.

Taeyeon acenou com a cabeça afundando em sua cadeira, suas algemas pareciam apertadas em seus pulsos apesar de terem chegado mais estreitas. Tiffany sentiu um nó na garganta maior do que ela havia sentido depois que ela havia deixado Taeyeon. A baixinha apenas ficou lá enquanto Tiffany se virou e olhou para seus pés, tentando pensar em algo para dizer, ela ainda queria muitas respostas, mas ela só tinha mais alguns minutos. 

-Quanto tempo eu tenho?- Ela murmurou para Clark, olhando para ele por apenas um segundo, ele olhou para um relógio que estava pendurado na parede.

-Vinte minutos.- Respondeu o oficial e Tiffany suspirou passando a mão pelo cabelo. Isso não estava indo como ela havia planejado. Ainda com uma expressão vazia, Tiffany voltou-se para Taeyeon. Ela estava tremendo tanto quanto Tiffany, sua boca estava abrindo e fechando como se quisesse dizer algo, mas toda vez que ela tentou foi como se alguém a impedisse. Ela engasgou e limpou a garganta, e Tiffany choramingou no telefone.

-Você está tão magra.- Taeyeon sussurrou quando Tiffany estava prestes a dizer o mesmo.

-Você também.- Ela respondeu puxando um pouco suas mangas.- Você está comendo, certo?

-Na verdade não...- Taeyeon confessou. Tiffany sentiu a pequena contração que todo o seu corpo teve.- Eu não posso mais.

-Quanto tempo se passou desde a última vez?- Tiffany perguntou cuidadosamente, começando a ficar preocupada.- Você tem que se cuidar, Taeyeon.

-Eu não sei.- Taeyeon deu de ombros, rindo nervosamente.- Três dias, talvez.

Tiffany sabia que Taeyeon dizia a verdade, vamos dizer que ela comeu há três dias, talvez ela não coma por quatro dias antes disso, em seguida, dois dias antes disso, Tiffany sentiu-se mal, ela precisava vomitar. Ela sabia o quão horrível tinha sido quando ela não havia comido por si mesma durante uma semana, ela tinha sobrevivido comendo frutas e tinha furtivamente uma lata de comida em seu quarto de vez em quando. Era uma maravilha que ela não tivesse ficado louca.

-Por que você parou?- Tiffany perguntou.

-Porque eu sinto sua falta.- Taeyeon respondeu. Tiffany fez uma careta e olhou para longe, colocando a mão sobre os olhos, evitando algumas lágrimas que ameaçaram descer no mesmo instante.

-Pare com isso.- Disse ela ao telefone.- Pare. Apenas pare.

Ela olhou para cima quando ouviu gemidos de Taeyeon, mantendo a mão sobre sua boca enquanto observava ela. Taeyeon não segurava o telefone ao ouvido mais, apenas segurava na mão enquanto ela pressionava ambas as mãos nos olhos. Ela estava tremendo e seus cabelos estavam fazendo o mesmo, o tecido laranja de seu uniforme recebia pequenos pontos molhados, sua respiração ficou presa na garganta.

-Eu só queria um amigo ou alguém.- Disse ela francamente, mas Tiffany ainda podia ouvi-la.- Eu não queria que tudo se transformasse nisso.

Tiffany ficou quieta olhando para Taeyeon enquanto ela chorava, ela se inclinou para frente e cruzou os braços sobre a mesa, colando a testa em seus antebraços. Ela ficou lá por um tempo e só chorava, Tiffany fazia o mesmo, mas ela conseguiu manter a calma. Ela recusou o lenço que Clark lhe ofereceu. O homem da polícia apenas deu de ombros, completamente intocado pela situação toda. Tiffany não o entendia.

-Nós fomos para a escola juntas.- Disse Taeyeon trêmula.- Fiquei duas classes abaixo de você, e você nunca reparou em mim, mas eu ainda não conseguia manter meus olhos longe de você. Eu não sei o porquê, eu nunca havia tido uma queda por alguém antes, então eu pensei que era porque você tem um lindo sorriso.

Tiffany engoliu em seco, mas manteve o silêncio. Ela iria receber as respostas para toda as suas perguntas agora, não é?

-Você se mudou no dia 14 de junho, um dia depois da formatura.- Taeyeon continuou, olhando para Tiffany que olhava de volta.- Eu fiquei em Seul e fui mandada embora depois de um tempo por minha mãe, quando ela ficou bêbada. Ela só me jogou para fora e eu fui para a casa de uma amiga, vivi lá por um tempo até que eu pudesse fazer um plano. Eu acabei me envolvendo com ela e acabamos por adotar uma criança, mas ela me mandou embora porque eu me recusava a transar com ela. Então resolvi colocar o plano em ação, voei para Seul e fiquei lá por um tempo na casa do meu irmão durante o tempo restante que eu pensei que precisava, mas não foi por muito tempo. Eu encontrei uma casa no Alasca e fiquei lá por quatro anos, mas então eu tive o suficiente.

-O que aconteceu?- Tiffany respirou fundo, apertando os dedos em seu telefone.

-Eu comecei a me sentir solitária, eu precisava de companhia.- Taeyeon chorou, mas logo limpou seu rosto.- Então eu fui para Seul novamente, eu precisava de algo. De alguém. Então eu vi você, eu te reconheci imediatamente, mas obviamente a minha paixão já tinha passado.

Tiffany corou levemente brincando com uma corda solta em sua jaqueta.

-Então...- Taeyeon continuou.- Eu te levei comigo. Eu sabia que era você, então pensei que seria menos perigoso. E o resto você sabe.- Tiffany apenas piscou, suas mãos caíram do telefone para seu colo, ela olhou para a mais baixa que estava tremendo e choramingando como se ela nunca tivesse feito outra coisa. Ela estava feliz por não poder ouvi-la mais, ela se acalmou depois de alguns minutos, mas ainda soluçava. Devagar ela estendeu a mão e bateu a ponta do dedo no vidro entre elas, ou o que fosse. Tiffany não tinha energia para perguntar.

Tiffany molhou os lábios enquanto observava Taeyeon acenar para baixo, para o seu telefone. Ela entendeu que a baixinha queria ouvi-la, então ela levantou o telefone ao ouvido, tomando uma respiração profunda, Taeyeon fez o mesmo e desviou o olhar por um segundo. Tiffany queria se aproximar e secar suas bochechas, mas não podia. A prisioneira estava em silêncio por vários minutos antes dela realmente tomar coragem de falar novamente.

-Eu te amo.- Disse ela, depois de um milhão de anos. Tiffany deixou cair o telefone de surpresa.- Eu te amo tanto, Tiffany.- O coração da ruiva parou e ela pensou que iria morrer por um momento. Taeyeon se quebrou ali mesmo, ela estava sorrindo e chorando ao mesmo tempo, ela socou a parede de vidro que as separava e chutou a mesa de madeira. O oficial de polícia do lado de Taeyeon a agarrou e a segurou de volta e mais dois policiais apareceram do nada, segurando-a de volta também. Eles começaram a puxá-la para cima da cadeira e Tiffany balançou a cabeça, batendo com a mão na parede também.

-Nós ainda temos cinco minutos!- Ela gritou no telefone e aparentemente eles podiam ouvi-la, porque pararam por um instante, olhando um para o outro. Ambos assentiram e soltaram Taeyeon que imediatamente pegou o telefone novamente, tropeçando na cadeira e caindo de joelhos. Tiffany se aproximou.

-Eu não sabia...- Taeyeon ofegava.- Eu não sabia que iria me apaixonar por você.

-Eu não me importo.- Tiffany gritou, olhando para ela.- Você não pode simplesmente dizer coisas desse tipo e em seguida sair!

Taeyeon sorriu tristemente e riu dando de ombros.

-Sinto muito.- Disse ela, batendo com o punho na parede.- Eu sinto muito, Tiffany.

-Quantos anos você vai ficar?

-Doze.- Disse Taeyeon com a voz embargada. Seu lábio inferior tremeu.- Por sequestro, abuso e um bilhão de outras coisas que eu nem sequer ouvi.

Tiffany cobriu o rosto com a mão novamente, mordendo o lábio inferior para não deixar um novo conjunto de lágrimas rolarem pelo seu rosto já molhado.

-Você não pode esperar que eu espere por você durante doze anos.- Choramingou. Taeyeon soltou uma risada ofegante.

-Tenta, Tiffany.- Ela implorou. Tiffany olhou para cima quando ouviu pequenas batidas no vidro. Ela não pôde deixar de sorrir quando viu a mão de Taeyeon aparecer contra a dela.- Por favor?

-Você age como se estivéssemos em um filme da Disney.- Ela riu, colocando sua própria mão no vidro sobre a de Taeyeon. Estava frio.

Taeyeon também sorriu.

-Então espere por mim como as princesas fazem.- Ela sussurrou. Tiffany entendeu que ela estava com medo dos policiais a ouvirem. Tiffany percebeu que ela deveria ficar quieta também.

-Você realmente acha que eu vou esperar doze anos sem um único beijo ou uma única xícara da merda do seu chá?

Taeyeon riu, parecendo genuinamente feliz pela primeira vez em muitos meses.

-Tente, Tiffany. Peço que espere por mim.

Tiffany suspirou, esfregando os olhos. Ela se sentiu como se estivesse sonhando, ela não sabia se era um sonho ou um pesadelo feliz. Ambos, talvez.

-Eu vou tentar.- Ela concordou em seguida, olhando para ela. Taeyeon sorriu.- Mas se eu seguir em frente eu não quero que você tente me trazer de volta, certo?

-Tudo bem.- Disse ela.- Combinado.

Tiffany acenou com a cabeça e lambeu os lábios olhando para baixo. Ela realmente estava magra e pálida, seu pai tinha perguntado muitas vezes o porquê ela parecia não estar se cuidando direito, mas ela nunca teve a coragem de dizer a ele que ela tinha perdido o apetite porque Taeyeon não estava lá.

-Hey Tiffany...- Taeyeon a chamou em seguida.- Você me ama também?

Tiffany olhou para ela e em seguida para Clark, ele parecia impaciente, ela deve ter apssado o último minuto de sua meia hora. Tiffany se sentia quente. Amada. Procurada. Necessitada. Tudo.

-Sim.- Ela acenou com a cabeça, descansando seus lábios em seu antebraço que estava descansando sobre a mesa também, ela ainda não havia notado que ela tinha afundado para o chão.

Taeyeon sorriu, olhando para longe por um segundo ou dois e depois para Tiffany novamente. Toda a sua cor parecia estar de volta, Tiffany estava louca. Ela não deveria, mas ela fez. Ela amava Taeyeon, e ela também a amava. Isso era tudo o que havia para ela.

-Eu quero te beijar.- Disse Taeyeon, Tiffany riu baixinho.

-Desculpe.- Ela disse simplesmente.- Talvez algum outro dia.

Tiffany teve que sair exatamente três minutos depois, qualquer um que tivesse passado pela mesma coisa teria chorado e gritado, mas Tiffany não. Ela sabia que Taeyeon queria ela tanto quanto Tiffany a queria. Ela sorriu, cruzando os braços sobre o peito, ela havia prometido para Taeyeon que iria tentar, de modo que era o mínimo que poderia fazer, ela prometeu le visitar de vez em quando também, mesmo não sendo todos os dias. Isso também foi algo que Tiffany sentia como se fosse sua responsabilidade.

O sol estava brilhando quando ela saiu, movendo sua jaqueta sobre seus ombros. Estava quente mesmo que estivesse nublado, Tiffany tomou uma respiração profunda.

-Desculpe-me?- Tiffany piscou quando ela virou a cabeça para olhar a mulher bonita com um curto vestido de verão verde em seu corpo, juntamente com um chapéu cinzento na cabeça. Tiffany percebeu imediatamente a semelhança entre ela e Taeyeon. Era irmã de Taeyeon, tinha certeza disso.

-Olá.- Disse Tiffany, andando por três degraus para que ela pudesse ficar na altura dela.

-Você é Tiffany Hwang, certo?- Perguntou ela sorrindo.- A que Kim Taeyeon sequestrou?

-Sim.- Disse Tiffany, franzindo as sobrancelhas.- Por quê?

-Nenhuma razão.- Ela sorriu, cruzando os próprios braços sobre o peito. Ela era realmente bonita.- Eu só não achava que ela realmente faria isso.

-Você sabia disso?

-Não exatamente...- Ela deu de ombros.- Ela só me escreveu algumas cartas reclamando sobre como ela não queria ficar sozinha.- Taeyeon havia dito a mesma coisa para a ruía, como ela queria ficar sozinha, mas não só.- Ela tem autofobia, você pode ver isso.- Disse ela, girando um pouco seus calcanhares.- Muitas pessoas não levam isso a sério, mas eu acredito que é uma doença real. Ela não teria chegado ao extremo se estivesse apenas inventando.

Tiffany acenou com a cabeça. Autofobia é o medo de estar sozinho. Michelle, sua irmã, tinha isso também. Ela sempre andava com uma menina ou menino com ela, alegando que ela seja o amor de sua vida o tempo todo. Foi por causa disso que Tiffany pdoeria entender.

-Ela gosta muito de você, e você sabe.- Disse Hayeon.- Ela não é louca, apenas desesperada.

-Você tem certeza disso?- Tiffany riu, um pouco incerta.- Quer dizer... Ela fez algumas coisas desagradáveis.

-Eu tenho certeza.- Hayeon acenou com a cabeça, olhando para seus pés.- Ela ainda é uma adolescente, ainda está aprendendo.

-Qual a idade dela?

-Dezenove.- Disse Hayeon.- Ela já passou por mais coisas do que você imagina, por isso não acho que ela é imatura ou qualquer coisa assim.

-Dezenove? Hm...- Tiffany murmurou.- Posso perguntar uma coisa?

-Claro.

-Ela... Ela era realmente virgem?- Tiffany perguntou, visivelmente envergonhada.

-Hm... Eu não sei...- Tiffany riu, se sentindo bizarra por ter feito esse tipo de pergunta.

Hayeon também riu e acenou com a cabeça, passando por ela. Tiffany assistiu ela, sorrindo quando ela se virou, ela olhou para ela e em seguida desceu os passos e colocou os braços ao redor de seu corpo. Ela a abraçou por pelo menos vinte segundos. Tiffany cuidadosamente segurou-a pela cintura.

-Obrigada.- Disse Hayeon.- Sem você ela provavelmente estaria morta.

-Morta?- Perguntou Tiffany. Hayeon assentiu.

-Sim.- Disse ela.- Eu suponho que você encontrou a gaveta.

Tiffany franziu as sobrancelhas.

-O que tinha nela?

-Heroína.- Disse ela sorrindo tristemente.- Se ela estivesse sozinha por mais um mês ou dois, ela provavelmente não estaria mais entre nós.
Tiffany engoliu em seco e olhou para os próprios pés e então para a rua, um táxi passou por elas e buzinou para uma mulher que estava andando na rua com um poodle.

-Não há problema.- Tiffany murmurou. Hayeon abraçou-a novamente e disse um pequeno ‘’Tchau’’ antes de correr para o presidio. Tiffany suspirou, mas decidiu não pensar nisso. Taeyeon estava melhor, isso era o que importava.

O fato sobre os doze anos seguintes foi que, tecnicamente, Tiffany não esperou por Taeyeon. Levou dois anos para encontrar uma nova mulher, Elise. Era uma professora, ela era amorosa e solidária e até mesmo engraçada, e muito boa de cama, mas ainda que Tiffany gostasse muito dela, ela não estava feliz. Elas ficaram juntas há cerca de três anos até que ela teve o suficiente e simplesmente a deixasse. Tiffany não chorou uma única lágrima.

Então apareceu Sooyoung, uma web designer que tinha uma cicatriz por cima do ombro de um acidente na infância, Tiffany se perguntou várias vezes se gostava dela, mas percebeu que não quando Sooyoung um dia lhe perguntou se ela queria se divertir um pouco com duas de suas amigas. Ela só durou três meses e Tiffany percebeu que na verdade, ela era lésbica apenas para Taeyeon. A baixinha foi especial, ela havia tomado conta dela como ninguém, apesar dos momentos tensos que tiveram, Tiffany sabia que era apenas uma parte de um relacionamento, e que Taeyeon era muito extrema. Mas ela sabia a causa, e não lhe importava se as pessoas diziam que ela era perigosa.

-

Foi no décimo quarto dia de agosto quando Tiffany finalmente percebeu que ela não queria ninguém além de Taeyeon. Ela continuou a encontrar-se com Hayeon, que aparentemente falava com Taeyeon no telefone dia vinte de cada mês. Às vezes Hayeon convidava Tiffany para que ela também pudesse falar com Taeyeon, mas isso só aconteceu duas vezes antes do policial descobrir, mas Tiffany queria falar mais com ela, e por isso ela esperou por mais quatro anos. Ficou solteira e passou um tempo com as amigas, esperando até o dia em que Taeyeon viria até sua porta para passar o resto de sua vida com ela.

Foi no décimo nono dia de setembro, quando Tiffany estava sentada em seu apartamento que tinha comprado apenas há um ano ou dois atrás, ela acariciava o cão que ela havia comprado por cerca de quatro anos até então. Esse foi também o dia em que Taeyeon tocou na porta e Tiffany levantou os olhos do livro e retirou os óculos de leitura, ela acabou por coloca-los de volta e disse para Prince, o cão, para parar de latir na porta. Tiffany passou a mão pelo cabelo quando ela alcançou a maçaneta e a girou, apenas empurrando Prince de volta com o pé.

-Calma.- Ela murmurou, mas o cão não ouviu e acabou pulando sobre a pessoa que se encontrava atrás de sua porta. Tiffany olhou para ela e de repente não conseguiu dizer uma palavra sequer. Ela ficou olhando para a garota baixinha com os cabelos negros e lábios finos que estava do lado de fora de sua porta.

-Oi.- Disse Taeyeon. E Tiffany estava feliz pela primeira vez em um longo tempo. Tão feliz que não conteve as lágrimas que desciam pelas suas bochechas em questão de segundos.


Notas Finais


calma que tem só mais uma coisinha que posto quando eu voltar da escola


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...