História Além da Fronteira do Real - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Alex, Gay, Lobisomem, Magia, Mayck, Romance, Sexo, Sobrenatural
Exibições 43
Palavras 1.550
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá gente!
Aqui está o novo capitulo...
acharam que eu não ia postar mais hoje não é!
Mas é que cheguei tarde da Faculdade!

Boa leitura...

Capítulo 14 - Briga de cachorro grande.


Quando Mayck, Maysa e Derek estavam prontos para ir embora com os meninos já no banco traseiro do carro o Alfa apareceu na frente bloqueando a passagem (...)

 

– Estou quase certo que estamos no caminho certo – Falou o velho a Nick, pai de Mayck.

– Pai! Esse seu equipamento está com algum problema. Estamos há quase uma hora nessa trilha e não tem sinal nenhum de lobisomem. – Disse Lionel.

– Eu sei o que estou fazendo e o radar nunca erra.

– Eu concordo com o Lionel. – Disse Nick ao pai.

– Você não me falou onde está o Mayck, não o vejo há muito tempo.

– Está por ai com os amigos! Sabe como são os jovens de hoje em dia.

– Ele tem o sangue do avô! – Disse o velho. – Deve estar em algum lugar com uma linda garota. – O pai de Mayck revirou os olhos sabendo que a probabilidade de o filho estar com um garota era mínima, ainda que ele estivesse em uma balada.

– É possível! – Disse ele dando um sorriso imaginando a reação do pai se soubesse que o neto estava gostando de um garoto.

**********

– O que é essa coisa? – Perguntou a Maysa apavorada.

– Entrem no carro agora! – Disse Mayck pelo canto da boca e correndo para dentro da Ford Ranger seguido de Derek e Maysa.

O Lobo se aproximava vagarosamente e Mayck ligou o carro pronto para atropela-lo. Quando ele ia acelerar o Lobo se transformou em um homem e Mayck pode ver o Alfa na sua forma humana.

– Não seja tolo garoto! – Gritou o homem. – Você tem duas coisas que me pertencem. Eu as quero de volta.

– Meu Deus! Ele vai matar a gente. – Disse Derek em desespero ao lado de Mayck no banco da frente.

– Não vai! – Disse Mayck a Derek. – Por algum motivo ele quer o Alexander e esse outro cara do lado dele e sabe que se alguma coisa acontecer conosco o Alexander jamais faria o que ele quer.

– Não tenha tanta certeza disso Mayck Smith! – Gritou novamente o alfa. – Eu não sentirei nenhum remorso de cravar meus dentes na sua jugula.

– Me entregue para ele. – Disse Alex no banco de trás, ele já estava com os sentidos quase recuperados. Só não sentia o corpo. – Ele não vai me fazer mal.

– Isso está fora de cogitação! – Disse Mayck. – Eu não vou entregar você a esse mostro.

– Você não tem escolha! – Retruncou Alex.

– Tenho sim. Ele só chega junto de você por cima do meu cadáver.

– Seu tempo estar se esgotando Smith – Esbravejou o Alfa dando um passo em direção ao carro. Mayck apertou o acelerador com força fazendo barulho, mas sem tirar o carro do lugar.

– Eu vou arrancar com o carro! Se segurem. – Disse Mayck quando dois carros, igual o dele, chegou por trás atirando contra o Alfa, que voltou a sua forma de lobo e correu para dentro da floresta.

– Mayck! – Gritou Nick de dentro do outro carro. – Saia daqui agora!

Mayck deu partida no carro acelerando a toda velocidade e saindo dali.

Os Caçadores desceram do carro e se enfiaram na floresta atrás do Alfa que desapareceu entre as arvores. Os homens começaram a caça-lo com óculos de visão noturna. Dois dos rapazes que estavam ajudando a família viram a criatura se movendo no escuro e partiram atrás dela.

– Ele está por aqui. – Disse o moreno mais alto ao outro rapaz que estava com ele.

– Para onde ele foi? – Respondeu o menor.

Alguns segundos depois o Alfa surpreendeu os dois. O menor tentou atirar, mas já era tarde, o lobo já havia rasgado a garganta do maior. O sangue jorrava enquanto o homem se debatia no chão e outro não sabia se o socorria ou se ficava atento ao próximo ataque. Não demorou muito para a criatura rasgar a garganta do menor deixando os dois cadáveres no chão banhados de sangue.

Nick, Lionel, Marlon e seu pai chegaram ao local e viram a cena dos dois homens mortos com a garganta rasgado.

– Miserável! – Disse Marlon – Droga! Esse filho da puta vai pagar caro por ter tirado a vida do Rick e do Carlos.

– Vamos embora daqui! – Disse o pai. – Não vamos conseguir alcança-lo a pé! Temos que descobrir a sua identidade, pegá-lo na forma de lobo requer um plano muito bem elaborado.

– O pai tem razão! – Disse o Lionel – Vamos sair daqui. Somos um alvo fácil.

**********

Mayck chegou em frente do prédio de Alex ,estacionou o carro e o pegou no colo para levá-lo para cima enquanto Maysa e Derek cuidavam para subir com o outro menino.

– Em fim em casa. – Disse Alex assim que cruzou a porta nos braços de Mayck. – Obrigado! – Mayck o beijou e Alex retruncou. – Mayck cuidado!

– Meu Deus Alexander você quase me mata do coração. – Disse Mayck aliviado colocando Alex sobre o sofá.

Alguns minutos depois Derek cruzou a porta quase desfalecendo com o garoto misterioso no seu braço.

– Quem são vocês? Eu exijo saber o que vão fazer comigo! – Resmungava o menino e Derek o pós no outro sofá deitado. – O que vocês fizeram comigo! Eu não sinto meu corpo.

– Cala a boca garoto! – Esbravejou Mayck. – Não vamos te fazer mal. Salvamos a sua vida.

– Salvaram de quem? Do Alfa? – O menino sorriu ironicamente. – Sabe há quanto tempo eu espero por uma matilha? Há três meses e hoje fui recrutado por esse alfa e vocês estragaram tudo! – Mayck se aproximou do menino e disse.

– Você não quer ser da matilha desse Alfa! – O menino sentiu ódio no olhar de Mayck. – Caso contrário eu mato você aqui e agora!

– Mayck! – Gritou Alex – Você... Você não seria capaz de matar alguém.

– Esse cara e louco! Eu quero ir embora daqui! – Disse o menino transtornado e assustado.

– Ele quer ajudar aquele mostro a acabar com vidas.

– Eu não quero acabar com vidas. Só estou tentando sobreviver. Minha matilha foi morta por caçadores e eu agora sou um Ômega. Ômegas morrem rápido!

– Quem é você – Perguntou Alex ao menino. – Não cheguei a ver você nem no carro nem na floresta. Estava escuro de mais e essa voz... Eu conheço você?

– Se eu tivesse conseguido ver seu rosto eu diria, mas não tive a chance! Fui atingido por alguma coisa que me deixou invalido. Só consigo mexer a boca. – Respondeu o menino de maneira malcriada.

– Chega! – Disse Derek. – Temos que resolver isso logo. A lua continua cheia e essa coisa não vai durar a vida toda.

– O Derek tem razão. – Disse Mayck pegando na bolsa uma maleta com seringas e um frasco com um remédio.

– O que é isso? – Perguntou a Maysa enquanto Mayck preparava duas seringas com o líquido

– Haloperidol! – Respondeu Mayck. – Vou seda-los. Só iram acordar amanhã.

– Eu não quero. – Protestou o menino desconhecido.

– Não vou deixar você virar um lobo e atacar a gente. – Disse Mayck.

– Eu tenho alto controle tá! – Respondeu o menino. – Eu só me transformo quando quero.

– Como você consegue? – Perguntou Alex.

– Não importa! Não confio em você! – Mayck se aproximou do menino e injetou o sonífero enquanto ele protestava. O mesmo fez com Alex e ambos apagaram.

– E agora? – Perguntou Derek. – O que faremos?

– Vocês podem ir para casa! – Mayck respondeu – Eu vou ficar aqui até eles acordarem e até conseguir arrumar um excelente motivo para dar ao meu avô sobre o que diabos eu estava fazendo no meio da floresta, em noite de lua cheia, com o carro repleto de gente.

– Tem certeza que você e eles ficaram bem? – Perguntou Maysa.

– Sim! Podem ir sem medo! – Respondeu Mayck. – E obrigado por tudo! Não teria conseguido sem a ajuda de vocês.

– Não há o que agradecer. – Disse Derek apertando a mão de Mayck e dando um abraço no menino. – Estamos juntos agora para o que der e vier.

– Agora sei por que o Alex gosta tanto de você! – Disse a Maysa sem jeito. – Eu te julguei mal, me desculpe por tudo, pelos absurdos que falei. E obrigado por salvar nosso amigo!

– Não se culpe! Eu faria o mesmo no seu lugar! Você não me conhecia e só estava tentando proteger o Alexander. Então eu que agradeço!

– Amigos? – Disse Maysa estendendo a mão para Mayck, ele sorriu e puxou Maysa para um abraço apertado.

– Vocês são os melhores amigos do Alexander e isso faz de vocês meus melhores amigos! – Respondeu Mayck soltando Maysa e sorrindo.

– Meu Deus! Temos que estudar Maysa! A prova de Anatomia é amanhã. – Disse Derek com a mão na cabeça.

– Droga! É verdade! – Respondeu a Maysa atormentada. – Precisamos ir.

– Tudo bem! – Mayck sorriu e eles se foram.

Mayck trancou a porta do Apartamento, pegou Alex nos braços e o levou para o quarto, tirou suas roupas o deixando apenas de coeca. Ele viu o corpo do garoto e teve vontade de tê-lo em seus braços, mas se conteve. Colocou roupas limpas em Alex o cobriu com o lençol e o deixou dormir tranquilo. Foi até a sala, pegou o outro menino e o levou para um dos quartos vagos do apartamento e o pós na cama. Mayck observou o menino e viu sua pele clara, seu rosto tranquilo dormindo, seus cabelos finos, curtos, arrepiados e pretos, seu corpo que não era magro, mas não era forte. Ele deu um breve sorriso achando o garoto bonito e saiu do quarto voltando para sala onde se acomodou no sofá e adormeceu (...)


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Amanhã tem mais!
kkkkkk

Abraço!
Comentem gente! Deem a opinião de vocês...
Perguntem, façam especulações, questionem...
Quero saber como andam as expectativas, não se acanhem...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...