História Além da Fronteira do Real - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Alex, Gay, Lobisomem, Magia, Mayck, Romance, Sexo, Sobrenatural
Exibições 38
Palavras 2.078
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá gente!
Boa noite!
Esse capitulo é dividido em três partes!
Algumas coisas do passado vão vir a tona e vocês vão começar a saber do passado dos personagens.

Boa Leitura!

Capítulo 15 - Lembranças. (parte 01)


No capitulo anterior...

Mayck trancou a porta do Apartamento, pegou Alex nos braços e o levou para o quarto, tirou suas roupas o deixando apenas de coeca. Ele viu o corpo do garoto e teve vontade de tê-lo em seus braços, mas se conteve. Colocou roupas limpas em Alex o cobriu com o lençol e o deixou dormir tranquilo. Foi até a sala, pegou o outro menino e o levou para um dos quartos vagos do apartamento e o pós na cama. Mayck observou o menino e viu sua pele clara, seu rosto tranquilo dormindo, seus cabelos finos, curtos, arrepiados e pretos, seu corpo que não era magro, mas não era forte. Ele deu um breve sorriso achando o garoto bonito e saiu do quarto voltando para sala onde se acomodou no sofá e adormeceu (...)

 

Novo capítulo...

Alex acordou pela manhã com o sol entrando pela sua janela, ele estava com o corpo um pouco dolorido, mas conseguia se movimentar totalmente. Ele não se lembrava de muita coisa, a última coisa que viu foi do rosto de Mayck em sua frente. O menino levantou-se, olhou a hora, ainda era cedo, tomou banho, trocou a roupa e quando saiu do quarto encontrou Mayck dormindo no sofá.

– Mayck! – Sussurrou Alex alisando o rosto do garoto. – Acorde!

– Oi! – Falou Mayck sonolento – Alexander! – Ele deu um pulo assim que viu quem falava com ele. – Você está bem?

– Estou sim! – Disse Alex – Graças a você! Obrigado!

– Graças a Deus! – Disse Mayck lhe dando um beijo. –  Você vai para a faculdade?

– Claro que sim! Eu tenho prova hoje.

– Nossa! Eu tinha esquecido!

– Será que eu posso ir embora agora? – O menino desconhecido surgiu surpreendendo Alex e Mayck.

– Você? – Perguntou Alex espantado.

– Alexander Ferraz!  Então você é o Alex que todos falavam? – O menino falou tão surpreso quanto Alex. Mayck não entendeu nada.

**********

Assim que o dia amanheceu, o Pai de Nick reuniu os três filhos para um comunicado.

– Fala logo pai! – Disse Nick apreensivo.

– Estamos todos de mudança para cá! Precisamos por um fim nesse mostro de uma vez por todas.

– O senhor! Aqui? – Falou Nick surpreso.

– Sim Nick! Quando chegamos ontem viemos preparados para passar o tempo que for necessário aqui!

– Mas... O que o senhor pretende se mudando para cá? – Questionou Nick ao pai.

– Além dos lobisomens, preciso ficar mais perto dos meus netos. Que a propósito estão sumidos desde ontem!

– O Adrian está viajando com a escola e o Mayck está por ai. – Respondeu Nick, antes mesmo de o pai perguntar.

– Que espécie de pai é você que não sabe onde anda seu filho? O que ele fazia na floresta com um bando de jovens em noite de lua cheia?

– Pai não questione o modo como crio meus filhos! – Respondeu Nick irritado com o pai.

– Como não? Eu sempre soube o paradeiro dos meus filhos! – O velho elevou a voz.

– Você sempre se preocupou em ser um ditador. Nunca nos deu espaço para respirar e viver! – Disse Nick ainda mais irritado com o pai.

– Gente, vamos manter a calma! – Falou Lionel tentando apaziguar a briga estava prestes a começar.

– Você que não sabe o que é ser responsável! Esta dando tanto espaço de mais para seus filhos respirarem e vai terminar perdendo as redias. Seja um pai e não um fantoche.

– Eu sou irresponsável? – Agora Nick estava de pé e falando mais alto que o pai. – Não seja hipócrita pai! O senhor foi tão responsável que a nossa mãe morreu tentando socorrer a Miranda enquanto o senhor estava bêbado, caído na cama, por causa de uma rapariga que lhe deu um pé na bunda! E por sua culpa a Miranda e a mamãe estão mortas, então não abra a boca para falar de responsabilidade porque você não tem moral para isso! Dos meus filhos eu sei cuidar!

Todos estavam perplexos com o que Nick avia dito, o seu pai estava sem ação, não sabia o que dizer e a única coisa que fez foi acertar um soco na cara de Nick que sentiu o sangue escorrer por sua boca.

– Não... Não me julgue! – Disse o velho ofegante e com os olhos marejados de lágrimas lutando para sair.

– Isso é verdade pai? – Questionou Marlon ainda sem palavras, mas o velho ficou calado e sentou-se com as mãos cobrindo o rosto. – RESPONDE! – Gritou Marlon quando viu o pai sentar-se sem dar resposta.

– Vamos manter a calma, por favor! – Disse Lionel um pouco alterado também. – Pai você vai ter que me explicar essa história! E você Nick como sabe disso?

– Eu sou o mais velho e eu vi tudo!

Lembrança 01...

A mãe estava louca porque todas as noites o pai saia com a desculpa que ia caçar, sempre há mesma hora e depois de uma mesma ligação. Eu tinha dez anos, mas lembro de tudo! Certa noite a mãe nos colocou dentro do carro e seguiu o pai e viu quando ele entrou em um motel com uma mulher mais jovem e bonita. A mãe quase morreu de tristeza e desde esse dia começaram as brigas. O pai disse que ia deixar a mulher, mas nunca deixou até o dia em que a infeliz extorquiu tudo que pode dele e fugiu com outro cara. Ele se afundou na bebida e todas as noites chegava embriagado, brigava com a mãe e jogava na cara dela que amava a maldita. Não sei como ela aguentava tudo isso, eu perguntei varias vezes o porquê de ela não ir embora, mas ela dizia que amava muito a gente, vocês eram muito pequenos e com toda certeza ele não ia abrir mão dos filhos e íamos ter que nos separar. – Nick respirou fundo tentando não chorar – Uma noite ele chegou bêbado e deixou a mala de drogas de caça largada no chão da sala e enquanto ele ia para o quarto discutindo com a mãe a Miranda, que só tinha dois aninhos, abriu a mala e espetou em si mesma um dardo de extrato de oleandro. A mãe viu, mas já era tarde, ela já estava chorando com o dardo cravado em sua coxa. A mãe fez de tudo para o pai se levantar para leva-la para o hospital, mas ele estava bêbado de mais e disse para deixa-lo em paz. A mãe pegou o carro e saiu para socorrer nossa irmã, mas na estrada foi surpreendida por um lobo e perdeu o controle do carro. A última coisa que eu lembro antes de acordar no hospital foi o grito de desespero da nossa mãe...

**********

– S... Sebastian! – Disse Alex gaguejando. – O que... O que você... Meu Deus! – Alex não conseguia raciocinar.

– Alexander... Quanto tempo! – Disse Sebastian a Alex. – Eu... Como... Como você está? Eu nem desconfiei que era você!

– Pera ai! – Disse Mayck – Vocês se conhecem?

– Sim... – Disse Alex sentando-se no sofá tonto.

– De onde vocês se conhecem? – Perguntou Mayck curioso.

– É uma longa história. – Respondeu Sebastian – Mas simplificando ele era namorado da minha irmã e nós... Nós fomos grandes amigos até... – Alex interrompeu Sebastian o impedindo de revelar alguma coisa do seu passado misterioso.

– Cala a boca Sebastian! – Esbravejou Alex assustado com o rumo que a conversa estava tomando. – Fica com essa língua dentro da boca. Eu quero esquecer o meu passado!

– Desculpas! – Sebastian falou surpreso com o jeito de Alex o tratar. – Mas, achei que você já tivesse superado aquele ano! Nunca achei que encontraria você em Seattle.

– Todo o meu passado resolveu me acompanhar até Seattle! – Disse Alex revoltado. – Puta que pariu! Será que eu não posso ter uma vida normal e sossegada?

– Todo o seu passado está aqui? – Perguntou Sebastian sem entender.

– Sim! – Disse Alex. – Primeiro o Ezequiel, depois o Jackson e agora você!

– O Jackson e o Ezequiel estão aqui? – Perguntou Sebastian surpreso.

– Será que alguém pode me explicar o que esta acontecendo aqui? – Falou Mayck irritado por não esta entendendo nada – Alexander!

– Desculpa Mayck, mas agora eu preciso ir! – Disse Alex se levantando do sofá – Eu tenho prova na faculdade e estou atrasado!

– Alexander? – Questionou Mayck.

– Bom eu também tenho que ir. – Disse Sebastian – Preciso passar em casa antes de ir para o trabalho.

Sebastian agradeceu e se despediu rapidamente sem dar tempo de Mayck fazer mais perguntas, mas ele não estava satisfeito com Alex escondendo o seu passado dele e agora que estavam a sós era a hora de saber o passado do menino.

– Alexander! Eu quero saber se esse cara... Vocês... – Mayck estava fantasiando uma história. – Porra! Quantos caras vocês já pegou em?

– Eu não admito que você fale assim comigo! – Falou Alex irritado. – Que tipo de pessoa você acha que eu sou para me vir com essa porra dessa pergunta? Você não sabe de nada da minha vida! E que direito você acha que tem sobre mim?

– Alexander! Tente entender... Eu não sei nada sobre você! Sobre o seu passado! E a cada segundo aparece um cara novo... Eu... Eu não sei o que pensar...

– Você vai ficar pensando o que quiser! Se você acha que eu sou esse tipo de pessoa fica longe de mim! – Gritou Alex revoltado. – Eu não pedi para você fazer parte de minha vida! Você quis! Então se você não pode esperar até a hora de eu achar que devo contar tudo a você se sinta livre para sumir da minha vida. Eu não tenho condições emocionais para passar por outro relacionamento problemático!

Alex pegou a mochila e saiu de casa batendo a porta deixando Mayck sozinho. Ele caiu em si e ainda tentou ir atrás, mas Alex já tinha pego o elevado e ido para a faculdade.

– DROGA! – Esbravejou Mayck chutando o elevador!

**********

– Que prova miserável! – Falou Derek a Alex e a Maysa.

– Foi muito tensa! – Disse Maysa concordando com Derek – Alex o que você achou?

– Oi? – Disse Alex sem saber do que Maysa falava. – Você perguntou alguma coisa?

– Nossa! Alguém está longe! – Disse Derek. – A Maysa está perguntando o que você achou da prova.

– Achei que seria pior! – Disse Alex. – Ele cobrou alguns detalhes difíceis de lembrar, mas deu para fazer uma prova boa.

– É serio isso? – Disse Derek. – Eu e a Maysa passamos a noite toda estudando enquanto você estava em coma sobre ação do haloperidol e ainda diz que a prova não foi tão ruim. Cara você não é normal, foi à mordida não foi?

– Eu não disse que ia tirar uma boa nota! Só disse que olhando o jeito de bruto e chato do professor achei que a prova fosse ser pior. – Disse Alex.

– Alguma coisa está preocupando você não é? – Perguntou Maysa.

– Não é nada! – Disse Alex – Eu briguei com o Mayck antes de sair de casa!

– Primeira briga do casal é? Relaxa em breve vocês fazem as pazes. Esse é o melhor momento da relação à hora das desculpas – Brincou Derek – Depois só é se agarrar e o resto vocês sabem... – Alex parou de andar e olhou para Maysa e Derek assustado e pálido.

– Quem... Quem... Disse que... Que somos um casal? – Perguntou Alex perplexo e gaguejando.

– O Mayck! – Respondeu Derek, mas Maysa lhe deu um beliscão e olhou para ele com raiva. – Ai! Não sabia que era segredo.

– Seu idiota! – Disse Maysa olhando feio. – Se acalme Alex!

– Filho da... – Alex se revoltou e os meninos viram seus olhos mudarem de cor e suas garras crescerem, mas ele se segurou cravando as garras na palma das mãos e apertando forte a ponto de escorrer sangue e pingar no chão. – Ele não tinha esse direito! Eu mato ele!

– Alex sua mão! – Disse Maysa pegando em seus braços e o fazendo abrir as mãos, mas o ferimento havia curado, só havia sangue. – Já curou? Por que você fez isso?

– A dor me trás de volta ao estado humano. – Disse Alex limpando as mãos com um pedaço de papel que Maysa tinha tirado da bolsa e lhe dado. – Acho que posso me controlar assim. Mas o Mayck me paga!

– Ele não falou porque quis – Disse Derek. – Saiu no momento de desespero. Você tinha acabado de praticamente pular pela janela.

– Isso não justifica! – Disse Alex ainda tentando controlar a raiva e a vergonha.

– A culpa foi minha! – Disse Maysa. – Eu joguei na cara dele que nós éramos seus melhores amigos e que ele não era ninguém importante. Então no momento da raiva e desespero ele disse que vocês estavam juntos.

– Que ódio do Mayck! –  Esbravejou Alex – Desculpem não ter dito antes é que eu não sabia como... É uma serie de coisas... Eu estou quase enlouquecendo (...)


Notas Finais


Espero que tenham gostado!

Até a próxima...
Estejam preparados para saber o que de tão sombrio tem no passado de Alexander...

Abraço!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...