História Além da Última Estrela - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Peter Pan
Tags Fadas, Peter Pan, Terra Do Nunca
Exibições 13
Palavras 1.105
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Magia
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Essa sou eu?


Fanfic / Fanfiction Além da Última Estrela - Capítulo 2 - Essa sou eu?

Acordo no domingo de manhã com o barulho da minha mãe fazendo alguma coisa na cozinha. Ela adora cozinhar, por isso é auxiliar de chefe de cozinha, não sei como ainda não estou uma bola de tanto comer suas delícias culinárias.

 Ontem, sábado, foi um dia calmo, sem nada para fazer de especial, então arrumei meu quarto, limpei o banheiro, reguei as flores do jardim, passei um pano nas escadas que levam da sala de estar para os quartos e o banheiro no 1° andar, assisti um pouco de icarly e miraculous, depois fui para o meu quarto, li e dormi.

  Ao contrário de hoje que vai ser um dia corrido. Assim que eu receber meu certificado de formatura e minha menção honrosa de melhor aluna da classe e ficar até a meia-noite na festa, meu pai vai me trazer para casa para uma festa de comemoração com nossos familiares.

  Ela não tem preferido entre seus três filhos, claro. Ela só adora paparicar a gente. No aniversário de dez anos do Mick ela convidou todos os alunos da turma dele, alugou cama elástica, escorregador inflável e aquelas paredes para escalar, comprou um quebra-cabeça de dez mil peças que ele pediu e uma bicicleta. No primeiro dia de aula do Jody na primeira série ela tirou umas quinhentas fotos e depois fez um álbum só delas, além de ter feito um lanche que daria para ele e mais cinco crianças comerem. Apesar de mamãe nos mimar ela nunca deixou de nos ensinar a ser gentis. E mesmo que ela tenha gastado tanto com nós não significa que sejamos ricos, temos bastante dinheiro, mas não somos ricos. Claro, papai também nos ensinou a trabalhar duro pelo que queremos, não ser preguiçosos, a ajudar sempre quem precisa e a sermos corajosos. Pode-se dizer que somos a família perfeita, mas é obvio que a gente briga de vez em quando, nada que não possa ser resolvido com uma conversa calma e um pedido de desculpas.

  Saio da cama, quase me arrastando pelo chão quando caminho até a janela e a abro para deixar o sol da manhã banhar meus braços e pernas descobertos pelo pijama de blusa regata e shorts. Fico olhando para o jardim da parte de trás da casa até uma joaninha pousar na parte inferior do meu pulso e desaparecer. Arregalo os olhos, isso acabou de acontecer? Olho direito para o meu pulso, nele a um desenho de joaninha, passo o dedo para ver se sai, nada, esfrego os olhos e olho de novo, sumiu, deveria estar vendo coisas por causa do sono.

 -AAHHHHHHHHHHH! – Alguém berra as minhas costas e pula em mim – Booomm dddiiaaaaaaaa!!! – Grita Jody no meu ouvido.

 - Bom dia seu macaquinho – digo, segurando duas pernas enquanto ele enlaça os bracinhos ao redor do meu pescoço – o que você está fazendo acordado logo de manhã cedo, pode me dizer?

  - Mamãe disse que hoje é um dia importante para você, que você vai se formar no ensino médio, apesar de eu não saber o que isso significa – dou risada do seu jeito - então vim dizer parabéns.

 - Obrigada – nesse momento sinto o meu amor pelo meu irmão – então o que você acha de irmos explorar o fantástico reino da cozinha? – Brinco.

  - Vamos lá – ele grita estendendo o braço.

   Vou correndo em direção a escada, cento no corrimão e escorregamos.

  - Uhhhuuuuuuu! – Gritamos juntos. 

 Quando entramos na cozinha minha mãe já arrumou toda a mesa para o café da manhã, assim que me sento percebo algo diferente.

  - Mãe, por que você colocou um lugar a mais?

 Nesse momento sinto uma mão tampar os meus olhos.

  - Advinha quem é – uma voz cantarola no meu ouvido

  - Tia Vivian? – Tiro as mãos dos meus olhos e viro a cabeça – Ai meu Deus! Tia Vivia – pulo da cadeira para abraçá-la. Ela ri.

 - Olá minha lindinha ou melhor lindona, olha só pra você! Eu sumo por dois meses e você vira uma garota toda formosa cheia de curvas.

 Eu coro com os comentários dela.

  - Não é pra tanto né – respondo.

  Ela sorri e se volta para o Jody.

  - E esse homenzinho aqui, hein? Da última vez que te vi você estava desse tamainho – ela faz o gesto com as mãos.

 A manhã passa divertida com a presença da Tia Vivian, até é claro chegar a hora de eu ter de me arrumar para o baile, isso as duas horas, sendo que o baile começa as oito e meia, isso me daria seis horas para eu me arrumar. SEIS HORAS. Minha mãe e tia as vezes exageram. Por mim eu só tomava banho, colocava o vestido e sapatos, fazia uma trança no cabelo e pronto. Mas não, eu tive de tomar um longo banho passando cremes no corpo, depois fazer maquiagem, arrumar o cabelo, fazer a unha, algo que eu só deixei passar base, vestir o vestido, colocar o sapato, passar o perfume e voilà.

  Dou uma olhada no espelho e fico atônita, eu estou... bonita. Meus cabelos parecem sedosos presos num coque meio solto que mostra parte de cachos perfeitos, meu rosto está destacado com a pouco mas bem-feita maquiagem, e os vestido realça as poucas curvas que tenho e me deixa parecida com uma fada.

  - Nossa... – toco meu cabelo – essa sou eu?

   - Sim – responde minha tia com um sorriso – essa é você.

 

    Chego na festa as oito e quarenta. Quando entro no corredor que leva ao salão de festa encontro a professora de química, nossa regente, organizando uma fila para os alunos formandos entrarem no salão. Me aproximo.

  - Oi professora!

  - Willint! Graças aos céus! – Ela parece histérica – você treinou o discurso? Lembra do ensaio? E aliás porque você chegou atrasada?

  - Desculpe, eu treinei o discurso e lembro sim do ensaio, mas demorei por que minha mãe e minha tia quiseram me deixar uma princesa, só que não deu muito certo.

 - Pelo contrário – Ela diz olhando eu dos pés a cabeça com o sorriso – você está magnifica – ela chega perto do meu ouvido – e não sou a única que acha isso.

  Primeiro fico confusa, franzo a testa, mas depois olho para os lados e intendo. Praticamente todas as três turmas do terceiro ano estão olhando na nossa direção, olhando pra mim na verdade, alguns garotos olham para o meu corpo com cobiça, enquanto algumas garotas com inveja. Quase dou risada com isso. Elas estão com inveja de mim.

 - Mas agora chega de papo, vá para o seu lugar na fila, atrás do Willian – antes que eu vá ela segura meu braço – Boa sorte Willint.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...