História Além de uma Amizade - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amigos, Amor, Drama, Reencontros, Romance
Exibições 6
Palavras 1.256
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Flasback

Capítulo 10 - Lembranças


Fanfic / Fanfiction Além de uma Amizade - Capítulo 10 - Lembranças

FLASBACK ON
POV Narradora

A festa de finalistas estava ao rubro. As miudas estavam lindas com os seus vestidos e a maquiagem. Os rapazes ficavam muito diferentes com fato e gravata.
Ele olhava á volta, procurando algo que o chamasse a atenção. Então viu-a. Ela estava mais linda e espantosa com o seu vestido vermelho. Ele foi ter com ela.
-Oi.- disse ele.
-Oi.- disse ela com um sorriso.
Ele nunca tinha reparado no sorriso dela. Era lindo.
-Vies-te acompanhada?- perguntou ele servindo lhe um copo.
-Não. Ninguém me convidou.- disse ela a olhar para o chão.
Ele aproximou-se mais dela, ficando á sua frente.
-Senorita, aceita ser o meu lindo par nesta espantosa festa?- disse ele, fazendo uma vénia.
Ela riu-se.
-Claro que sim. Seria um prazer.- disse ela.
Ele olhou-a nos olhos e o tempo parou.
Ele não sabia porquê, mas sentia-se diferente. Como se aquela sua colega pode se vir a tornar-se a melhor coisa da sua vida.
-Ana?- disse um colega seu, interrompendo o momento.
O Diogo percebeu que o seu colega queria falar com a sua parceira e foi andando.
Dentro dele nascia algo... Talvez ciúmes?
Ele e a Ana eram colegas há muito tempo, mas era como se naquele momento tivessem acabado de se conhecer. Nunca percebera o quanto era linda, o brilho dos seus olhos, o seu sorriso... E nem como detestava vê-la com outros rapazes. Provavelmente, porque antes ele não a falara tanto o quanto deveria.
Ele foi ter com os seus amigos que bebiam vodca escondida.
-E aí Diogo? Queres um pouco?- perguntou o mais velho.
-Porque não?- ele não queria tentar perceber o que sentia. Era algo novo e metia medo.
Logo depois de uns dois copos, ele viu a Ana sozinha e foi ter com ela novamente.
-Adivinha quem é?- disse ele tapando-lhe os olhos e falando perto do seu ouvido.
Ela arrepiou-se. Ele conseguiu sentir.
-Não sei. Talvez o rapaz lindo que me convidou para o baile?- disse ela.
Ele destapou-lhe os olhos e encarou-a sorrindo.
-Achas bonito, é?- disse ele.
Ela corou e pos uma madeixa para trás, que logo de seguida voltou para onde estava.
-Não te preocupes. Eu também te acho muito bonita.- e ao dizer isto, o Diogo colocou a madeixa dela atrás da orelha.
Ela fez um sorriso pequeno e olhou-o de uma maneira sexy.
Ele sentiu-se bem com aquilo e aproximou-se dela, fazendo as suas testas tocarem-se.
Começou a tocar uma música lenta e ele pegou-lhe na mão.
-Queres dançar?- perguntou ele.
Ela acenou afirmativamente.
Ele levou-a a meio da pista e começaram a dançar. Ela pos os braços á volta do pescoço dele e aproximou-se mais, atraindo olhar de muitas invejosas que dariam o pé ou braço só para estar com o rapaz mais bonito da escola.
A música acabou, mas eles nem deram por isso. Continuaram agarrados como se o resto do mundo não importasse.
Só ele e ela.
Ele passou a mão na sua face, fazendo ela tremer. Aproximou-se e. ..
-Diogo! Vem embebedar-te.- disse o seu melhor amigo.
Ele riu-se e ela virou a cara que estava corada. Que treta.
-Posso ir?- pediu ela.
-Tens a certeza? Eles podem ser um pouco malucos.- avisou ele, encarando-a.
Ele não queria embebedá-la.
-Não faz mal. Estou mesmo a precisar de uma boa vodca.- falou ela.
Ele encaminhou-a aos seus amigos.
Eles estavam na parte mais escura da festa, para ninguém ver as bebidas.
-Gente, esta é a Ana.- apresentou o Diogo.- Por favor, não a ponham bêbada.
Ela olhou para eles com um sorriso.
-Não oiçam o que ele diz, dêem me todo o que quiserem. Eu aguento.- disse ela.
O Diogo olhou-a com espanto.
Ela começou com uma vodca, a seguir 4 uísqui, duas cervejas e por fim 3 aguás-pés.
Aquela miuda era uma bêbada.
O Diogo aproximou-se da Ana depois de meia hora. Era horrivel dizer isso, mas ele achava ela tão linda bêbada.
Ele também já tinha bebido demais. Ele já tinha 15 anos e já bebia á muito tempo, mas naquele momento ele já se sentia um pouco tonto.
E algo lhe dizia que não era só das bebidas.
Ele olhou-a mais uma vez.
Ela dançava meio maluca e com um amigo seu. Ela já estava demasiado bêbada e não parecia saber o que fazia. Ele foi ter com ela.
-Ana, é melhor irmos.- disse ele.
-Calma aí Diogo. Deixa-me curtir com a tua amiguinha.- disse o seu amigo chegando mais perto dela.
O Diogo não aguentou e afastou o rapaz da Ana. Ela não parecia dar-se conta do que estáva a acontecer.
-'Tás te a passar ou quê?- disse o rapaz.
-Se te aproximas dela, vou-te estragar a cara.- ameaçou o Diogo.
-Então vem!
O Diogo já ia contra o gajo, mas o seu melhor amigo chegou e parou-o a tempo.
-Calma Aí, Diogo. Não queres arranjar briga logo na festa da escola.
-Mas ele...
-Sim, eu sei. Mas se eu fosse a ti, cuidava da Ana. Ela daqui a pouco está aos vómitos e denuncianos a todos.- avisou o amigo.
O Diogo olhou para a Ana e ela, realmente, não estava bem.
-Tens razão.- disse o Diogo.- Mas o que faço?
-Leva-a para casa.
-E como?
O seu amigo (vamos batiza-lo de T.P) deu lhe umas chaves.
-Leva-a de carro. São as chaves do Cristianinho. Não estragues o carro.
O Diogo agradeceu ao T.P e pego na Ana.
Dentro do carro e Ana tentava não vomitar, enquanto o Diogo conduzia o melhor que podia. Só esperava que não aparece-se a policia.
Ela, com um pouco de dificuldade, disse o caminho para casa e chegaram lá em 10 minutos.
-Obrigada...- disse ela abrindo a porta com dificuldade.
Ele ficou á espera que ela entrasse em casa, com medos que os seus pais estivessem em casa.
-Queres entrar. Não hà ninguém. -disse ela.
Ele ficou indeciso.
Estava com medo que algo lhe acontecesse e ela se magoa-se. Mas se entrasse, seria capaz de resistir á tentação?
Decidiu arriscar.
Entrou em casa e preparou-lhe um chá. A Ana vomitou algumas vezes e ele agarrava-lhe o cabelo para garantir que não se sujava.
-Vou só tomar banho.- disse ela e ele saiu da casa-de-banho.
O Diogo foi invandido por pensamento que não devia ter.
Dez minutos depois ela saiu da casa de banho. Vestia uns shorts e uma t-shirt.
O Diogo já tinha tirado o casaco e a gravata.
-Queres chá?- perguntou ele, chegando na sala com uma chavena.
Sentou-se ao lado dela e ela encostou a sua cabeça no seu peito e olhou-o.
Ela bebeu o chá e quando acabou, pos a chavena na mesa pequena que havia na frente.
Ela aninhou-se e olhou-o de novo.
Ele sentiu que devia ir, porque não ia resistir.
-É melhor ires descansar.- disse ele.
Ela continuou a olhá-lo.
Ele também.
Ela aproximou-se e ficaram a meros milimetros um do outro.
-Tens a certeza?- disse ele.
Ela acenou afirmativamente.
-Eu não quero fazer nada que..
Ele não acabou pois ela beijou-lhe.
Foi calmo e delicioso.
-Ficas comigo.
-Eu não te deixo.- prometeu ele.

FLASBACK OFF

POV DIOGO

Eu acordei. Aquilo parecia um sonho. Mas foi real.
Eu vivi aquilo com a Ana e agora perdi-a.
Olhei para a moldura e vi uma foto minha com a Ana.
Foi nesse momento que eu percebi!
Eu amava-a. E não percebi a tempo... Será que era tarde?
Já tinha passado 1 semana.
Eu ia arriscar. Vesti qualquer coisa e peguei no meu violão.
Eu sabia o que tinha a fazer.

Notas Finais


Amaram????


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...