História Além do Limite - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Holland Roden, Jeremy Bieber, Justin Bieber
Tags Holland Roden, Justin Bieber, Romance
Exibições 20
Palavras 2.123
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ahn... Oi gente!
▪ Justin Bieber como Justin Bieber
▪ Holland Roden como Memphis Hudson
▪ Jensen Ackles como Jake Hudson
▪ Ji Chang Wook como Ji Chang Wook
▪ Ryan Butler como Ryan Butler
▪ Tyrese Gibson como Roman Pierce
▪ Miles Teller como Thomas Hood
▪ Gina Carano como Gina Glaskov
Lembrando que nenhum dos personagens me pertence – infelizmente – apenas a personalidade.
Boa leitura!! <3

Capítulo 2 - O Começo.


“Ela apareceu, me tomou para si, como uma criança inocente toma um brinquedo.”

Los Angeles ─ Califórnia, 20h28min

 

─ Permissão para invadir, Senhor.

Viaturas cercavam o perímetro, um armazém aos pedaços. Poucos imaginariam que ali, naquele lugar, trabalhavam as mentes mais presunçosas de todos os tempos.

Nerds idiotas com o QI alto. Pensou o chefe de policia.

─ Ainda não.

─ Mas senhor...

─ Eu disse ainda não. – grunhiu.

 

Do lado de dentro a correria era percebida, homens com armas em punhos diante as janelas quebradas e sobre os telhados preparados para qualquer movimento suspeito.

─ Eles ainda não avançaram. – JC disse olhando as câmeras.

─ Cercaram a parte leste do armazém. ─ Jordan informou pelo rádio. ─ Oeste Livre, como o planejado senhor.

Apertando o botão do rádio, Justin responde:

─ Valeu Jordan.

─ Drew, seu pai na linha.

Suspirando, Justin pressiona o botão do mini fone de ouvido.

─ Fala coroa.

─ Eu espero que você saia vivo dessa, porque eu irei fazer questão de chutar a sua bunda moleque! ─ gritou.

Com uma careta seguida de uma risada nasalada Justin diz:

─ E eu espero que você não tenha começado a ver briga de mulheres na geleia sem mim, porque se tiver, eu que irei fazer questão de chutar a sua bunda, velhote.

─ Ora seu moleque...

─ Até mais bunda flácida. ─ Justin encerra a chamada, mas não antes de ouvir seu pai xinga-lo.

─ Eles estão avançando. ─ JC avisou.

─ Se eles pensam que irá ser tão fácil assim eles estão totalmente enganados. – sorriu o loiro com as mãos apoiadas na mesa. – Hora do show meus amigos.

  

Caos.

Tiros para todo lado, som de armas sendo carregadas e o barulho de balas que caiam ao chão.

 

Enquanto isso os quatros, vestidos de preto, caminharam até um corredor íngreme que tinha acesso ao subterrâneo.

─ Os carros já estão em posição. ─ Ryan comunicou olhando seu celular.

─ Ótimo. – virando de costas para seus amigos Justin proferiu.

Forçando seu corpo contra a porta de aço que se abriu ecoou pelo local, as luzes do teto piscavam e se ouvia o som das gotas de água da encanação caindo. Havia quatro carros, cada um andou em direção ao seu. Abrindo a porta do seu Mustang preto fosco, Justin apoiou um de seus braços no capo e o outro na porta.

─ Como vocês sabem, esse túnel irá diretamente para a fábrica abandonada no píer de Santa Monica, depois iremos passar pela estrada 405, e aí, é cada um por si. – Disse por fim entrando em seu carro e arrancando com o mesmo pelo extenso túnel.

─ Nos encontramos na Bat Caverna meus companheiros. – Ryan zoou, arrancando com o carro em seguida.

─ Estrada 405? Isso irá ser divertido.

─ Sabe o que irá ser, mas divertido meu caro amigo pastel de flango.  ─ Roman disse animado abrindo a porta de seu carro e apertando play em seu radio. O som de Back in Black de AC/DC ecoou por todo lugar. – Agora sim!

JC soltou uma gargalhada e os dois arrancaram com o carro.

 

Sentindo a terra tremer e as pedrinhas saírem do lugar, olhando para o chão, o chefe de polícia apertou os punhos sentindo a raiva se expandir em seu corpo.

─ Quero que olhem em cada canto disso aqui e encontre o lugar por onde esses malditos saíram! AGORA! – Gritou vendo os homens circularem pelo lugar, apenas um ficou em sua frente o olhando com receio.

─ Senhor. – gaguejou – Não acha que deveríamos acionar o FBI?

─ Não! – vociferou – Eu vou pegar aqueles caras, nem que eu tenha que rodar esse país, eu quero ver eles atrás das grades e não vou parar até que isso aconteça. – cuspiu – Agora vá fazer seu trabalho! – assentindo o oficial foi de encontro aos outros.

Olhando para o horizonte, ele sorriu de lado.

─ Eu ainda pego vocês.

Bom, pelo menos eles têm bom gosto. Pensou.

 

Duas semanas depois.

 

Manhattan ─ Nova Iorque, 09h24min

 

“Você está bem?”

“Sinto muito”

“Pobrezinha, tão jovem...”

Olhando seu reflexo no espelho, Memphis termina de pentear seu cabelo. Respirando fundo, colocando a escova na penteadeira e mais uma vez olha seu reflexo e o mar de lembranças vem á tona.  Já havia se passado dez anos, mas não era algo que o tempo pudesse apagar, ela viveria com aquilo sempre em sua mente.

Duas batidas na porta foram ouvidas e Memphis se vira a tempo de ver um de seus seguranças por apenas a cabeça para dentro.

 ─ Senhorita Memphis, seu irmão exige sua presença em seu escritório imediatamente. – Disse serio.

 ─ Obrigado Juan, diga que já estou indo. – e se vira para o espelho ouvindo a porta se fechar.

 ─ Vamos lá Memphis. – disse a si mesma – Você consegue.

 

O som do salto alto em contato com o piso de madeira ecoava pelo corredor, seu cabelo balançava de um lado para o outro conforme apressava os passos. Sempre achou essa casa exageradamente grande. Virando seus calcanhares para esquerda se deparou com dois brutamontes na porta os pegando de surpresa por vê-la ali, rapidamente abriram a porta deixando-a passar.

─ Memphis. – Jake se levantou indo em sua direção a abraçando. – Como está? – A examinou dos pés a cabeça. – Assim que soube peguei o primeiro voo para Nova Iorque.

─ Estou bem Jake. – sussurrou.

Dando as costas, Jake apoiou as mãos na mesa.

─ Eu sabia que algo iria acontecer. – grunhiu – Eu não tinha que ter deixado você sozinha.

─ Jake eu sei me cuidar. – disse ela começando a se irritar, ela não tinha mais oito anos.

─ Não Memphis. – se virou a encarando – você ainda não sabe se cuidar, está no começo dos treinamentos. – respirando fundo, seus olhos param em um dos quadros e depois se voltam a Memphis.   ─ Se descobrem que você... – Memphis o cortou.

─ Eles não vão Jake. – se aproximou o abraçando, sua cabeça batia em seu peito.

─ E se eles viram você? E se... – se desesperou.

─ Jake, está tudo bem.

─ Eu não sei o que faria se perdesse você.

─ Eu ainda irei encher muito você irmãozinho. – sorriu o abraçando apertado.

─ Eu sei que irá. – beijou sua testa.

─ Agora me conte exatamente o que aconteceu. – se sentou em sua cadeira examinando suas feições.

─ Bom... ─ Memphis começou, porém não sabia se contava o que de fato realmente aconteceu, não queria preocupar mais ainda seu irmão, sem contar que era capaz dele proibir de vez suas saídas de casa que nem eram tantas, levando em conta que tinha Thomas, ele com toda certeza seria crucificado. ─ Iria acontecer o jogo do Denver Nuggets contra os Knicks, e Jake. – se aproximou da mesa – Você sabe como eu sou apaixonada por basquete e sabe mais ainda que eu sou uma grande fã do Denver Nuggets. – suspirou – Eu pedi ao Thomas para que me levasse, e antes que você comece a fazer a terceira guerra mundial, quero que saiba que ele não queria me levar eu o implorei tanto que ele acabou cedendo, e eu não me arrependo de nada. – disse por fim.

Jake suspirou, sempre soube que Memphis era apaixonada por basquete, ele se lembra das contáveis vezes que assistia ao jogo dos Denver junto com seu pai e Memphis, ela com certeza era uma fã de carteirinha.

─ Memphis você terá que tomar mais cuidado na próxima vez, você está me entendendo?

─ Sim Jake... – abaixou a cabeça. 

A porta se abriu e ambos olharam a tempo de ver Thomas entrar.

─ Desculpa interromper, mas há uma pessoa querendo ver vocês.

─ Obrigado Thomas. – Jake agradeceu – E ah, eu ainda quero ter uma conversinha com você. ─ engolindo a seco Thomas assentiu e Memphis temeu pelo amigo.

Jake era muito protetor em relação á ela, e o entende de certa forma. Não foi nada fácil para um cara que tinha apenas dezessete anos cuidar de uma criança de oito anos de idade e de um bebê de apenas um ano e alguns meses. Por isso Memphis evitava ao máximo dar algum tipo de preocupação á ele, e mesmo se houvesse, ela não contaria.

Ele já havia muita responsabilidade á tomar e ás vezes Memphis se sentia culpada. Se seus pais não tivesse morrido Jack não estaria nessa vida, provavelmente já teria feito uma ou duas faculdades, já estaria em um trabalho fixo e honroso, e já estaria com sua família formada sem ter que se preocupar com irmãos.

 

Assim que os três adentraram ao hall de entrada a porta foi aberta por um segurança, Memphis sentiu o vento atingir seu rosto fazendo-a sorrir instantaneamente.

─ Olha só quem voltou. ─ alegremente Jake diz.

─ Oh meu Deus Gina! ─ Memphis exclamou correndo em sua direção. ─ Senti tanto a sua falta. ─ Gina a apertou mais em seus braços.

─ Você cresceu tanto. ─ se pronunciou pela primeira vez.

─ Foi apenas três anos Gina.

─ Você mudou muito em apenas três anos pequena. ─ afastou Memphis de si, podendo assim olhar ela melhor. ─ Você está tão linda.

─ É bom rever você também Gina, ah eu estou bem, obrigado por perguntar. ─ Jake dramatizou fazendo Gina e Memphis rirem.

─ Tem abraço para você também bonitão.

─ Como foi lá no Japão? ─ Jake indagou.

─ Foi complicado. ─ ela suspirou ─ Japonês é cabeça dura.

─ Desculpe interromper este momento de vocês. – Thomas pigarreou chamando a atenção.

─ Ah, olá Thomas.

─ Olá Gina. ─ Thomas sorriu.

─ O que houve agora? ─ Jake perguntou.

─ Estamos com um sério problema.

 

Los Angeles ─ Califórnia, 9h30min

 

“─ E voltamos agora com CNN News.”

“─ Olá, eu sou Natalie Allen.”

“─ E eu sou John Berman.”

“─ Um dos destaques que ocorreu nessa noite de sábado em Manhattan, Nova Iorque. Foi motivo de susto e medo para os fãs de Denver Nuggets e New York Knicks.“

“─ Durante o intervalo, um grupo de quatro pessoas encapuzadas invadiram a área vip e outro grupo invadiu as arquibancas.”

“─ Todos estavam armados.”

“─ Não se sabe o que de fato, realmente eles foram fazer, talvez apenas para dar um susto.”

“─ Um dos nossos internautas que estava presente conseguiu gravar o momento em que um dos encapuzados começou a atirar.”

“─ Fique agora com o vídeo.”

“─ Você está gravando é seu filho da ****?! Ótimo, só vou deixar um pequeno aviso. – se aproximou ─ Isso é apenas o começo. ─ soltou um sorriso maníaco ─ E ah, eu vou atrás de você gatinha. Eu estou de volta.”

“─ Oh meu Deus, o que foi isso John?”

“─ Eu realmente não sei Natalie.”

“─ Espero que a polícia tome providencias sobre isso.”

“─ Sim, esperamos mesmo, enquanto isso fique em alerta.”

“─ Fique agora com a nossa previsão do tempo.”

 

─ Cara isso não é nada bom. – Ryan se pronunciou.

─ Quem são eles? ─ JC perguntou.

─ Eu não sei, mas eu tenho a nítida impressão que já ouvi essa voz antes.

─ Vou checar a câmera de segurança. ─ JC saiu da sala sendo acompanhado por Ryan.

─ Você acha que eles vão ser um problema? ─ Roman perguntou.

─ Eu tenho certeza. ─ Disse Jeremy se aproximando.

─ Pai. ─ Justin o cumprimentou com um maneio de cabeça.

─ Durante esses três meses dois de nossos carregamentos foram roubados. ─ se serviu um copo de Whisky e dois cubos de gelo.

─ O que causou muito prejuízo. ─ continuou Roman.

─ E não somos apenas nós que eles estão atacando. ─ Jeremy suspirou ─ Russel me ligou e disse que mataram dezenas de homens dele. Esses caras ─ apontou para a imagem do vídeo focada em um dos caras. ─ Estão querendo alguma coisa, e nós vamos descobrir.

─ Que tipo de pessoa se colocaria em risco assim? ─ Roman perguntou inconformado  ─ Em plena rede nacional.

─ A do tipo que não está se importando com os riscos.  ─ respondeu Justin, categórico.

─ Descobrimos uma coisa, acho que vocês vão se surpreender. ─ JC e Ryan se aproximaram colocando o notebook na mesa de centro.

─ Nós checamos todas as câmeras de segurança, e uma coisa nos chamou a atenção. ─ Ryan disse olhando para cada um ali, mas parando alguns segundos a mais em Justin.

─ Desaceleramos o vídeo da câmera quatro de um dos corredores perto de uma das saídas de incêndio, e olhem isso.

JC voltou o vídeo e parou no momento em que aparecem duas pessoas, mas uma delas não era uma pessoa qualquer. Justin sentiu seu corpo gelar ao ver o vídeo sendo focado na garota com a feição assustada em quanto olhava para câmera.

─ Memphis...  

 

Continue...


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...