História Algo Exatamente Assim - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Amor, Camila Cabello, Camren, Fantasia, Fifth Harmony, Homossexualidade, Lauren Jauregui, Novela, Romance
Visualizações 121
Palavras 2.058
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Poesias, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hi, Guys!

1/2

Por favor, tenha misericórdia de mim
Vá com calma com o meu coração
Mesmo que não seja sua intenção me machucar
Você está sempre acabando comigo
Por favor, tenha misericórdia de mim
Sou um fantoche sob seu controle
E mesmo que você tenha boas intenções
Preciso que você me liberte

Estou te implorando por misericórdia, misericórdia
Para com o meu coração
Estou te implorando por misericórdia, misericórdia
Para com o meu coração

Capítulo 21 - Mercy


Fanfic / Fanfiction Algo Exatamente Assim - Capítulo 21 - Mercy

Camila estava agitada, suas crises de ansiedade estavam cada dia mais forte.

Na noite passada tocou seu próprio corpo em busca de prazer. 

Então hoje resolveu correr e colocar as ideias em dia.

Estava cheia de uma tensão que tinha que ser descarregada.

Vestiu um moleton de corrida, amarrou os cadarços do tênis, ajustou os fones de ouvido no seu ipod, a primeira musica escolhida foi Bad Things

E saiu para a perfumada noite de outubro.

Coisas Más
Será que perdi a cabeça?
Será que estou ficando louca?
Se você soubesse das coisas más que eu gosto
Não acho que consigo explicar
O que posso dizer, é complicado
Não importa o que você diga
Não importa o que você faça
Eu só quero fazer coisas más com você
Tão bom, que não dá para explicar
O que posso dizer, é complicado

Uma leve brisa fazia sussurrar os galhos das árvores.
           Ela correu pela calçada, desviando para a rua sempre que passava por algum pedestre. 

Folhas caídas estalavam sob seus pés.

Correu mais de um quilômetro e meio antes que as tensões do dia começassem a se dissipar. Virou em um caminho bem iluminado que seguia o curso do rio e lançou os olhos sobre as águas escuras que corriam rapidamente.

Enquanto corria, Camila passou por diversos outros corredores e por inúmeros casais que passeavam. Muitas pessoas haviam optado por fazer exercício ao ar livre esta noite. 

Camila pegou-se pensando se Jauregui também estava descarregando suas tensões naquele exato momento. 

Sabia que ela às vezes usava os aparelhos de ginastica da academia  que tinha em sua casa, gostava de natação e também gostava de praticar squash.

Mas existiam outras maneiras de aliviar a tensão, outros tipos de atividades físicas que podiam ser praticadas na cama, mais precisamente. 

Camila sentiu um calor espalhando-se por sua pele, e sabia que isso não se devia apenas ao esforço da corrida.

Não queria pensar em Jauregui, mas era uma tarefa difícil, considerando que sua chefe tinha cias femininas de tempos em tempos, e estas mulheres provavelmente a enchiam de ofertas de sexo toda a semana e na maioria das vezes ela não recusara.

E as palavras de Jauregui não saiam de sua cabeça:

" Eu não namoro Baby, apenas faço sexo...eu fodo..."

 

Na manhã seguinte, tomou uma decisão mesmo que não desse certo tinha que tentar.

Ficou a semana inteira, pensando em arranjar uma desculpa para conversar com ela. 

Tinha que tirar a duvida colocar a prova e  saber se realmente a química que sentiu era apenas coisa de sua cabeça ou Jauregui também estava sentindo.

Precisou respirar fundo várias vezes antes de fazer o que tinha que fazer, esperou o final do expediente para entrar na sala. 

Começou a caminhar devagar, nervosa e entrou informal e sem bater.

- Olá! 

Lauren estava próxima à janela falando ao celular, fez um sinal para ela entrar.

Camila entrou, trancou a porta com a chave, achou um botão desligou a luz principal e deixou apenas uma luz fraca de canto, mas ela podia ver bem o rosto de Jauregui. Ela parecia rude, grande coisa, ela era estranha. Sexy e misteriosa. No fundo gostava disso.

Aproximou-se, com um sorriso nos lábios e sussurrou perto dela.

- Preciso falar com você!  Pegou o celular da mão dela e desligou.

- Sim, diga.

Camila olhou-a nos olhos, conseguiu o que queria, estava provocando-a

Ela arqueou as sobrancelhas, sem entender onde ela queria chegar. 

- Não estou entendendo o que você está querendo. E o que tem a me dizer?

- Não mesmo?  Quero você...

 

Camila empurrou-a na direção da parede e prendeu-a. Sua respiração estava ofegante enquanto ela beijava seu pescoço. E a respiração das duas se fundiu em uma só, tamanha aproximação. 

Subiu as carícias lentamente pelo queixo sentindo cada centímetro de pele se arrepiar sob seus lábios, sentia o perfume dela. Um cheiro que a deixava atormentada, mas que ao mesmo tempo a fazia ter vontade de agarrá-la e nunca mais soltar. 

Lauren estava imóvel em seus braços. Por um momento ficaram hipnotizadas uma no olhar da outra. Foi nesse pequeno devaneio que Lauren foi surpreendida pelas palavras da latina:

-Vai me dizer que você não gosta quando uma mulher te beija assim.

Disse, com o rosto escondido entre seus seios, beijando-os. Jauregui  se soltou envolvendo-a com os braços pelas costas e apertou-a junto a si, puxando-a finalmente para um beijo. 

Enquanto Lauren agarrava sua cintura. O beijo era quente e prazeroso. 

Cada uma degustava a sensação da maneira mais enlouquecedora possível. 

Os corpos completamente colados e os lábios encaixados de uma forma quase indescritível. Enquanto as línguas brincavam, suas mãos desenhavam as partes do corpo da outra, o beijo ficara mais rápido e profundo.

Já estavam sem fôlego quando Lauren recobrou o juízo e se afastou.

- Camila, o que você pensa que está fazendo? 

Ainda de costas e olhando pelo reflexo espelhado da janela. Mantinha a expressão séria quando virou para ela:

-Não estou entendendo o que você está querendo...

- É que me cansei de assistir vídeos eróticos e resolvi agir.

- O que?

- Cansei desse sexo imaginário com você, Quero algo mais palpável... Quero você...

- Camz, eu...

 

E com um olhar sensual, a latina se aproximou novamente, tocou sua clavícula, rodeando o dedo na estrutura óssea, fazendo-a arrepiar-se. 

Quando sua mão chegou ao pescoço dela, afundou os dedos na parte de trás dos seus cabelos, enquanto a puxava pela cintura com a outra mão.

- Camz!  Escuta-me, não posso continuar, não quero que seja só por uma curiosidade. 

Camila respirou por um instante, e começou ajeitar suas roupas.  

- Lauren, me diga sinceramente o que você quer de mim? Não aguento mais.

Jauregui se recuperou, passou por ela e bebeu num único gole uma dose de whiski, abriu a gaveta e pegou um maço de cigarros e jogou em cima da mesa, e falou gesticulando nervosamente com as mãos:

- Baby não podemos fazer assim deste jeito, nesta agitação, não quero ser só um objeto, não quero ter um caso com você, eu .....

Camila não esperou ela terminar de falar, e saiu correndo da sala.

 

De volta a sua mesa, não conseguindo se concentrar, pegou a bolsa e saiu irritada. No caminho de casa estava parada no sinal, pensamento longe quando um carro buzinou e acelerou a assustando. 

Recobrando o juízo continuou seu caminho e no fundo apenas uma pergunta continuava sem resposta. 

O que aquela mulher estava fazendo com ela? Nunca havia sentido nada daquilo por ninguém antes. 

Já em casa, seus pensamentos recaíram na lembrança dela a tocando. 

Seu olhar daquele jeito tão profundo.

E principalmente, a forma como ela havia chamado seu nome 

Mas o que ainda insistia em permanecer em sua cabeça a deixando mais confusa eram as palavras de Jauregui

 “Não quero ter um caso com você” 

- Estupida.... como pode ser tão idiota Camila...

Pelo menos era o que ela tentava repetir para si mesma. 

Tomou um banho e foi pra aula pensando no caminho que não tinha condições de continuar trabalhando com ela.

 

Jauregui fumava um cigarro na varanda do quarto tomando whisky a ultima dose da garrafa que veio consigo do escritório e ainda não havia encontrado a resposta para o que aconteceu esta tarde.

O que mais desejava era fazer amor com Camila, mas não assim deste jeito, se sentiu um objeto de desejo, sabia que muitas mulheres héteros tinham essas fantasias de transar com lesbicas, mas não esperava isso dela.

Estava planejando sair com ela, sem bebidas, queria jantar qualquer noite a luz de velas, e num clima romântico esperar o momento certo de leva-la para um motel, cobriria seu corpo com rosas vermelhas e seria como um príncipe que ela tanto sonhava, não queria ter um caso ou uma transa apenas, queria ter um relacionamento mais sério com ela, namorar do jeito que a pequena havia sugerido no ultimo jantar no Red, no momento achou loucura, mas depois pensando melhor, talvez fosse a hora de dar uma chance e ceder ao seu pedido. Mas não teve tempo de falar ou explicar porque ela saiu correndo da sala, e nos últimos tempos Camila não estava colaborando, andava rebelde com respostas secas a evitava com os olhos, fazendo uma besteira atrás da outra.

Primeiro a encontrou bêbada e drogada apos uma rave.

Estava se recuperando deste choque quando ela invade a sala falando que queria fazer sexo como nos vídeos eróticos por pura curiosidade.

Aquela mulher não parecia sua doce baby, estava decepcionada. 

Não queria ser usada e jogada fora, queria pela primeira vez ser amada na cama, queria passar a mão naqueles cabelos se perder naquele perfume.

Estava apaixonada e o que fazer, demorou tantos anos para assumir e agora, escapava de suas mãos, exatamente como o ultimo cigarro...

- Ahh Latina..se você soubesse que a vontade de ter você já é maior que tudo!

Tinha que deixar a latina esfriar a cabeça, amanha tentaria uma conversa com ela a levaria para jantar e arriscaria um envolvimento mais profundo, quem sabe uma tentativa de namoro.... um passo de cada vez...

Pegou o celular, precisava acalmar a pequena...

Imaginando que Camila estava na aula, mandou uma mensagem.

Apagou o cigarro, e se preparava para entrar no banho, quando ouviu seu celular tocar imaginou que fosse sua latina, mas no visor estava : Justin

"Sinal de problemas melhor atender".....

Lauren tinha um plano, mas o destino teve outro.

 

Faculdade

Camila estava perdida em seus pensamentos, imaginando porque Lauren a rejeitava tanto se quando a beijava demonstrava tanto desejo...

Foi só pensar nela que seu celular tocou e uma imagem das duas juntas sorrindo apareceu na tela "Lolo"

O aparelho tocou mais de uma vez e a latina preferiu não atender, logo chegou uma mensagem. 

“Baby, me desculpe se te decepcionei hoje à tarde com minhas palavras.  Sei que precisamos sentar e conversar olho no olho, não dá mais para deixar as coisas assim como estão,  ou vamos acabar enlouquecendo"  Fica bem. Boa noite e até amanhã. LJ

 

Realmente Jauregui tinha o dom de deixa-la com mais raiva ainda, o que pretendia com esta mensagem. Preferiu não responder, apenas ignorou. 

Não estava a fim de ouvir mais nenhum sermão pelo resto de sua vida.

- Cansei de você e de suas confusões Lauren Jauregui, vou seguir minha vida.

No instante em que recebeu a mensagem de Lauren ouviu alguns universitarios conversando sobre uma viagem para o Caribe, quase que adivinhando seus pensamentos um colega lhe convidou para se juntar a eles.

Camila ouvia tudo de boca aberta.

"Seria o destino que estava me dando uma segunda chance na vida "?

E Deus como ela havia gostado da ideia. 

E quem sabe aproveitava para ir até Havana em Cuba conhecer a fundo as suas raizes e ficar por lá e realizar o antigo projeto de viajar pelo continente Americano, que estava engavetado.

Iria com a turma, mas não voltaria em menos de um ano.

Chegou em casa aquela noite e foi pesquisar na internet, e descobriu muita materia e grupos de aventureiros ou mochileiros e que tinha até fundos e patrocínio de empresas de Marketing para isso com fins sociais. 

Viu um anuncio em uma Revista  de Turismo que estava recrutando jovens para varias áreas e atuar em campanhas de marketing como colaborador independente. Fez sua inscrição, era só esperar o agendamento para a entrevista e se tudo desse certo teria um novo emprego, e como sempre quis iria viajar ao mundo, livre sem horários e regras a cumprir, sua tão sonhada liberdade estava próxima....

E agora teria que conversar sobre sua decisão com seus pais e ver como o Sr Alejandro Cabello poderia  ajudá-la com os familiares, talvez eles até se animassem a visitar Cuba tambem, porque desde que sairam de Cojimar no passado por problemas politicos o casal Estrabão-Cabello nunca mais retornou.

E por ultimo vinha a parte mais dificil de sua vida, pedir demissão para a Chefe.

Mas isso não tinha coragem de fazer, não tão cedo e nem depois.....

Tudo o que ela menos queria era ir embora para longe dos olhos verdes, nunca estaria preparada para dizer adeus a Lauren Jauregui.

Antes de dormir usou seu Twitter para expressar sua tristeza.

“Todo mundo é capaz de dominar uma dor, exceto quem a sente.” 

De (William Shakespeare) por @CamilaCabello.

 


Notas Finais


Machine Gun Kelly, Camila Cabello - Bad Things

https://youtu.be/QpbQ4I3Eidg


Halsey - Colors

https://youtu.be/sPzun6GqDnA


Mercy - Shawn Mendes

https://youtu.be/f774p5_9DDg


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...