História Alguém Como Você - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~Jungkookiao

Postado
Categorias NCT 127, NCT Dream, NCT U
Personagens Doyoung, Hansol, Jaehyun, Johnny, Kun, Mark, Taeil, Taeyong, Ten, Winwin, Yuta
Tags Boyxboy, Chittaphon, Gay, Kpop, Nct, Nct 127, Nct U, Taeten, Taeyong, Ten, Tentae, Tenyong, Yaoi
Exibições 129
Palavras 4.423
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente, eu to aqui nessa atualização repentina porque, bem, eu não consigo ficar com o capítulo rodando no computar sem ninguém ler, isso me dá nos nervos.

Mas aqui está o mais dramático capítulo da fanfic e eu espero de todo o coração que vocês gostem, como eu disse, as coisas iriam mudar a partir do capítulo anterior, e nossa espero que vocês realmente não me matem com essa atualização.

Ah, eu também prometo que respondo alguns comentários para interagir com vocês.

Boa leitura^^

Capítulo 9 - Voltamos ao Início


Acordo com TaeYong fazendo cafuné em mim. Pelo jeito, a noite eu cheguei mais perto dele e me aninhei em seu peitoral. Seu corpo é tão quentinho, não quero sair daqui nunca. Levanto apenas a cabeça e olho para ele que continua afagando meu cabelo. Ele deve ter acordado a alguns minutos, e por isso está tão vidrado em seu celular.

- Bom dia - eu digo fazendo sua atenção voltar para mim.

- Bom dia, Ten - ele diz com um sorriso e se senta direito na cama, eu grunho de frustração por ter saído do quentinho e me sento ao seu lado. Ele passa o braço pelo meu ombro me abraçando de lado. Seu toque me faz estremecer e eu coro. Ah, ele é tão fofo.

Vamos lá, Ten, não se iluda, ele é seu chefe. Mas com o jantar de ontem, olha, eu posso me acostumar com TaeYong me preparando comida todo dia...

- Eu preciso falar uma coisa para você, Ten. - Ele diz de repente me fazendo olhar diretamente para ele. Nós estamos tão perto. - Eu... - Ele tenta dizer. - Nós já...

Ele balança a cabeça negativamente.

- Nada. Acho melhor você ir tomar banho, pois, temos um longo dia. - Ele diz por fim e se levanta indo até a cozinha.

Será que eu fiz alguma coisa? 

Me levanto e vou até o banheiro. Ah, eu estou tão atraente! Não me surpreende o fato do chefe ter feito cafuné em mim e ontem um jantar daquele, eu estou com tanta sorte esses dias, e nada vai mudar isso!

Tiro minhas roupas e ligo o chuveiro. Fico pensando em coisas aleatórias até que eu volto meus pensamentos para TaeYong. O que ele queria me dizer? Essa dúvida martela na minha cabeça até que eu percebo que já fiquei por muito tempo no banheiro e o chefe deve estar preocupado com o horário. Eu me seco e me enrolo na toalha. Eu não levei a roupa pois não queria derrubar no chão e molhar por algum motivo.

Chego no quarto. TaeYong tinha arrumado a cama e dobrado as cobertas. Queria saber quando ele conseguiu tanta independência. Me troco - uma camisa branca e calça preta, um bom executivo, não é mesmo? - e vou até a sala esperar por TaeYong que fora tomar banho.

Me levanto e vou até a cozinha. Será que tem alguma coisa para comer?

Eu lembro que TaeYong foi comprar algumas coisas no mercado ontem, mas será que ele comprou pão ou alguma coisa do tipo? Eu estou morrendo de fome!

Abro a geladeira. Até que tem algumas coisas aqui. Pego um ovo e procuro uma frigideira. Vamos tentar alguma coisa "cultural" daqui, né?

Ligo o fogão que começa a fritar o ovo na hora quando sinto olhos sobre mim. TaeYong está parado na porta da cozinha com a toalha enrolada na cintura e um sorriso no rosto.

- Ovo frito, huh? - Ele diz chegando mais perto. TaeYong deve estar tentando me matar daquele jeito. Imaginei como seria tocar aquela pele úmida por ter acabado de tomar banho naquele momento. Seria o mais novo fetiche transar com meu chefe na cozinha?

- Ten?! - Ele me acorda dos meus pensamentos. - Você está queimando o ovo!

Eu olho para o fogão que está soltando mais fumaça do que deveria. Na verdade não deveria soltar fumaça nenhuma!

- Deixe que eu resolvo isso, Ten. - Fala TaeYong pegando a espátula da minha mãe e desligando o fogão.

- Depois de colocar o ovo em um prato, TaeYong me olha rindo. - Você só queimou um pouco, viu? Ainda dá para comer. Enfim, eu vou me trocar. Ah, eu vim só perguntar se você quer sair hoje a noite. Eu, você, seu irmão e Johnny. Vai ser bom.

Dou de ombros. 

- Claro. - eu digo e ele sai da cozinha. Olho para aquele ovo queimado. Ai ai, eu só faço merda.

 

-----///-----

 

- Vocês sabem o que fazer. - TaeYong diz alternando seu olhar para mim e Johnny. - Se eles por acaso lhes perguntarem algo, apenas digam coisas que possam convencê-los.

Faço uma careta.  - Achei que vocês já tinham fechado contrato.

- Quase, Ten, quase. Os donos podem muito bem mudar de opinião em um piscar de olhos. Então já sabem.

- Certo! - Eu e Johnny dizemos juntos.

- Agora, Mark - TaeYong se vira para o meu irmão. - Você fica aqui no salão. Se alguém perguntar alguma coisa, você elogia nossa empresa, okay?

- Aham, claro. Depois vamos almoçar não é?

- Claro, Mark. Saímos para qualquer lugar que você quiser, só fique aqui e faça o que eu pedi. Agora vamos, me sigam. - TaeYong começa a andar pelo corredor e eu e YoungHo seguimos ele.

 

 

- Boa tarde! - Cumprimenta uma mulher alta e loira com uma aparência velha mas que provavelmente era muito linda quando jovem.

Cumprimentamos de volta.

- Sou Jennifer - ela se apresenta sorrindo. - Eu sou a assistente pessoal do dono dessa magnifica editora. - Ela explica - O senhor Stephen está ouvindo tudo que falam aqui por meio de escutas e só assinaremos o contrato após uma pergunta, pois o chefe já se sente totalmente a vontade de assinar com vocês. A pergunta é simples: Por que vocês querem fechar contrato conosco? - ela pergunta com um sorriso no rosto.

Ótimo, achei que a pergunta seria diretamente para mim.

- Nós achamos que seria ótimo fechar contrato com a empresa de vocês simplesmente por que vocês são uma das maiores empresas do Estados Unidos, e a nossa é uma das maiores da Coréia. E se assinarmos, nossas vendas simplesmente vão aumentar, não só as minhas, como as suas também. - TaeYong disse por fim, ele realmente fala bem.

A moça olha para nós com um sorriso assustador no rosto e está balançando a cabeça. Provavelmente o senhor Stephen está falando com uma pela escuta em seu ouvido. Jennifer dá meia volta até um armário branco do lado da porta de onde ela abre mais algumas gavetas até achar o que estava procurando. Um papel branco com coisas escritas. O contrato?

- Como vocês devem ter percebido, eu estou escutando o chefe da outra linha e ele me disse que com certeza seria um bom negócio fechar com uma editora coreana grande como vocês, e está totalmente disposto em assinar com vocês nesse instante, aqui estão os papéis com as normas, e você - ela se direciona a TaeYong - pode assinar aqui. - Jennifer aponta com o dedo em uma das linhas.

TaeYong passa um bom tempo lendo as normas da empresa, até que dá um sorriso de lado e assina aquele papel. Uma felicidade inexplicável passa por todo meu corpo. Fechamos contrato com uma das maiores editoras do mundo! E eu vim aqui para ajudá-lo!

Jennifer pega o papel e tira uma cópia depois devolvendo o original para TaeYong. - O chefe agradece por assinarem conosco e obrigada a todos vocês também. - Ela sai da sala nos deixando sozinhos.

- Então é isso? - Eu digo sorrindo que nem um retardado.

TaeYong não consegue segurar o sorriso que é maravilhosamente lindo. - Acho que sim... Você querem sair mais tarde para comemorar? Eu conheço uma balada maravilhosa aqui perto.

 

-----///------

 

- Tem certeza que Mark pode entrar? - eu pergunto pela quarta vez na fila para TaeYong. E abraço meu irmão de lado que já está do meu tamanho ou maior. Puta merda o que ele comeu pra crescer tão rápido?

- Sim, Ten. Fica tranquilo, eu já disse, vim aqui muitas vezes quando tinha a idade dele.

Passamos pelo segurança que nem se importou por Mark passar, eu suspiro de alívio. Depois que fechamos contrato, almoçamos em um restaurante maravilhoso tudo por conta da empresa. Mark nos fez ir no Central Park depois do almoço, não que tenha sido ruim, na verdade lá é lindo também. TaeYong ficou puxando assunto comigo e Johnny falava algumas coisas no outro ouvido, os dois estavam me deixando louco. Quando saímos do Central Park passamos no hotel para trocar de roupa e fomos para a balada que o chefe falou, que é aonde estamos agora.

Assim que coloquei meus pés ali dentro senti que meus tímpanos iriam explodir. O barulho alto estourando meus ouvidos, pessoas dançando grudadas umas as outras e outras se comendo em um canto, um lugar maravilhoso.

Johnny e Mark vão para um canto me deixando com TaeYong. Eu vou até o banheiro pedindo licença para o chefe. O banheiro por algum milagre não era sujo mas era escuro. Me olho no espelho, eu estou lindo, não tenho motivos para ficar nervoso. Vai lá, Ten, aproveite, vai pegar alguém e para com esse nervosismos por nada!

Saio do banheiro me xingando mentalmente por ter saído de lá e me sento em um banquinho qualquer. Eu vejo as pessoas bêbadas e felizes passando, fico lá por alguns minutos o que me pareceram horas até que sinto alguém perto de mim.

TaeYong se senta do meu lado em um banquinho que fica na bancada que dava ao bar da balada. - Se divertindo? - ele pergunta me olhando sorrindo.

Abro um sorriso, mesmo que falso.

- Na verdade eu nem sei - eu digo simples vendo Johnny do outro lado da pista com um garoto, provavelmente dando em cima do mesmo, e Mark conversando animadamente com uma garota que parecia ser da mesma idade dele, me pergunto aonde ele aprendeu inglês. - Acho que preciso tomar alguma coisa para dar uma animada, não é?

Ele balança a cabeça e pega a minha mão entrelaçando nosso dedos. Uma sensação percorre meu corpo mas eu ignoro. 

- Uma Vodka com limão, por favor. - pede TaeYong ao bartender. Eu olho para ele. Não é muito forte, eu quase pergunto. - Calma, Ten. Eu vou tomar com você.

Ele obviamente está um pouco bêbado, não posso deixar ele tomar Vodka, isso seria errado!

- Sabe, Ten - TaeYong fala de repente pegando minha atenção -, desde o momento em que eu te vi naquele escritório, eu soube que... - ele trava assim que tenta completar a frase e se recompõe na cadeira como se tivesse saído de algum transe.

Mas de que porra ele está falando? Será que ele está bêbado demais? Agora que eu não deixo ele tomar álcool mesmo!

Ouço um murmúrio baixo vindo a minha frente. TaeYong estava chorando? - M-me desculpa, Ten. - ele diz choramingando. - V-você me perdoa?

- Calma... - eu digo passando a minha mão livre em seu cabelo. 

TaeYong olha para mim, seus olhos estão inchados e vermelhos, e lágrimas ainda molhadas escorrendo em suas bochechas. - Você não entende, Ten! Eu sempre fodo com tudo! 

- Não fale isso, TaeYong... - eu digo passando minhas mãos em seu rosto. - Você não fode com tudo! Olhe para onde você está. Olhe para tudo que você conquistou! Quantas pessoas não gostariam de querer estar aonde você está?

- Do que adianta tudo isso se eu não posso ter o que eu mais quero? Ten, eu quero você! - ele parou de chorar mas o caminho das lágrimas ainda são visíveis. - Eu quero te conquistar novamente. Quero ser seu, e quero acima de tudo, você seja meu! - Eu encaro TaeYong com um misto de dúvida e novidade, será que ele está muito bêbado? - Ten, eu te amo e sempre te amei. Eu te quero de volta. 

Eu te quero de volta.

De volta?

- Ten, eu quero estar com você para sempre. Mas tudo isso não vai adiantar de nada poi, tudo isso não vai passar de apenas uma viagem de negócios e, Ten, eu não quero ser mais uma boa foda! Se eu pudesse eu rasgava esse contrato agora e viveria apenas com você e para você! Mas eu não posso fazer isso por que... - Ele passa as mãos no cabelo bagunçando todos os fios.

- TaeYong, por favor, se acalma... Vai ficar tudo bem, eu juro... - eu falo abraçando ele querendo dizer um "Você já me conquistou" ou alguma coisa do tipo. Mas ele mexeu muito comigo nesses minutos, não sei mais o que pensar. Nenhum cara falou esse tipo de coisa para mim, ninguém nunca mostrou que se importava tanto comigo. E uma dúvida ainda martela na minha cabeça, ele disse "De volta" e que "Sempre" me amou, mas como se nos conhecemos há alguns meses? Eu preciso de explicações, mas não vai ser agora.

- Vamos para casa. - Ele diz se recompondo com um sorriso triste. - Eu vou no banheiro e já volto.

Eu concordo e me levanto caminhando até Johnny que está quase engolindo um garoto na parede.

- Johnny, vamos? - Eu digo sem animação e ele me lança um olhar acusador saindo de perto do garoto. 

- Para que? - ele diz rindo ironicamente. - Para seu novo namoradinho te foder a noite inteira? 

- Do que você...

- Você acha que eu não vi você e o chefe? Eu sou sou cego, okay? Depois de tudo você ainda...

- "Eu ainda" o quê, Johnny? Você melhor do que ninguém sabe que não temos nada. - Eu falo alto tentando não chorar na frente de todo mundo. - Você é o maior otário que eu conheço! Acham que todos precisam junto de você. Abra seus olhos, você tem um namorado . Eu achava que você pelo menos tinha vergonha na cara de parar de dar em cima dos outros sendo que tem o HanSol! - eu digo transbordando de raiva sem perceber da pequena ironia que eu acabei de dizer. - Você é um canalha! Eu te odeio Seo YoungHo! Achei que você se importasse comigo ou com pelo menos a porra da minha felicidade! Mas pelo jeito eu me enganei. Passar bem, eu cansei.

Saio pisando duro da balada deixando Johnny e Mark para trás, o meu irmão do jeito que é deve estar acalmando o YoungHo. Sento no chão da rua como um bêbado que foi chutado da festa e vejo os carros passarem na rua. Parabéns, Ten, você se fodeu outra vez!

- Ten? - Alguém me chama de longe. Eu nem olho. - Ten, você está bem? - É TaeYong, eu reconheço a voz dele quando chega mais perto de mim.

Eu não respondo, só me levanto do chão e abraço ele fortemente para afastar todos os pensamentos negativos por um instante. Eu estava precisando disso, dele.

Ele se afasta de mim e levanta meu queixo me fazendo olhar para ele. - Meu Deus, Ten, o que aconteceu?

- Nada, eu estou bem sério, só precisava tomar um ar - eu digo afastando minha cara. - E então vamos? 

Começamos a andar até o hotel, ninguém falou nada, as costas de nossas mãos se tocavam a cada segundo me fazendo sentir alguns tremeliques diferentes. TaeYong para de repente mudando a rota para a direita. 

- Mas, o hotel não é para lá? - eu pergunto e TaeYong ri.

- É sim, Ten, mas eu quero te levar para comer alguma coisa. - Ele diz sorrindo e com os olhos brilhando. Ele pega minha mão e entrelaça com a minha. TaeYong começa a correr e eu corro com ele. 

- Pra que essa pressa? 

- Eu não quero que feche!

Corremos mais um pouco sentindo a brisa da noite como dois adolescentes que fugiram de casa para ir numa balada, até que chegamos em uma praça aonde haviam vários food-trucks espalhados e o que parecia ser uma feirinha com várias lampadas penduradas dando um ar rústico e moderno.

- E aí? - ele pergunta sorrindo. - Quer comer alguma coisa?

- Eu quero o que você quiser. Você que manda hoje.

- Ótimo, espera sentado nesse banco eu já volto. 

Eu olho em volto, aqui é realmente um sonho. TaeYong é um sonho. Eu nunca me senti desse jeito antes.

Depois de alguns minutos, TaeYong volta com dois cachorros quentes. - Eu não lembro do que você gostava, então espero que goste das mesmas coisas que você gostava... antes. - Ele diz me dando um dos lanches em sua mão e eu digo um "Obrigado".

TaeYong começa a conversar comigo sobre coisas banais mas que me fazem sorrir a todo momento, ele realmente é tudo que eu esperei até hoje. Será que eu estou começando a gostar dele? Mas eu nunca me senti assim desde que... Enfim. 

O chefe e eu terminamos de comer e TaeYong começa a me olhar de um jeito diferente. - Chefe, você está bem?

Ele sorri.

- Eu já disse que você fica lindo com essa carinha de dúvida? - TaeYong passa a mão na minha bochecha acariciando aquele lugar até que começa a chegar mais perto. Eu me perco em seus olhos e quando percebo já estamos nos beijando, um beijo apaixonado e jovial, sua língua explorando cada local da minha boca suavemente. Isso com certeza é um sonho. Separamos nossos lábios, sua boca estava vermelha e inchada o que mais parecia com um convite para mais.

- Ten, eu vou... - Ele tenta dizer mas as luzes da praça desligam. 

- Acho que já estão nos expulsando, né? - eu digo rindo. - Vamos?

TaeYong concorda sorrindo. Ele é lindo.

Andamos todo o trajeto de mãos dadas e falando de tudo que podíamos, como se o tempo quase não tivesse passado para nós, como se ainda fossemos apenas adolescentes descobrindo o primeiro amor.

 

-----///-----

 

Chegamos no hotel e TaeYong sobe as escadas comigo e sinto como se meu coração fosse explodir a cada minuto, nossas mãos entrelaçadas faziam todas as sensações que eu estava sentindo ficarem melhores. Chegamos na frente do quarto, TaeYong me olhava o tempo todo isso fazia meu nervosismo aumentar a cada segundo. O que esse garoto fazia comigo? O chefe soltou nossas mãos para abrir a porta, eu senti um vazio de repente mas depois ele voltou quando ele pegou-a de volta. Num ato de instinto eu puxei ele para o mais intenso beijo que eu já tive, ele me beijou de volta com a mesma intensidade. Depois de conseguir abrir a porta me beijando, TaeYong fecha a porta do quarto de hotel e me beija mais necessitadamente explorando cada canto da minha boca, caminhamos pelo corredor - ainda grudados - aos tropeções. Aquele garoto é o pecado em pessoa.

TaeYong me prensa contra a porta do quarto tentando achar a maçaneta, quando a encontra ele abre a porta e caminha em direção a cama. Eu sei que ele está bêbado pelo gosto de sua boca, eu não vou negar eu também estou um pouco, mas é aquele velho ditado: aproveita enquanto é jovem por que uma hora você vai estar muito cansado. O chefe me joga na cama desgrudando nossos lábios por alguns segundos e ficando por cima de mim. Olho para ele, seus lábios inchados deixam tudo mais erótico e excitante. Ele começa a desabotoar sua camisa e joga no chão sorrindo de lado e se deita por cima de mim novamente me beijando. Passo minhas mãos pelo seu corpo chegando em sua ereção que antes era mais fraca e massageio a região fazendo TaeYong arfar.

- Ten... - diz TaeYong descendo os beijos até meu pescoço - você não sabe quanto tempo eu esperei por isso... - Ele começa a dar alguns chupões na minha pele. Isso vai deixar marca já estou sentindo.

TaeYong me ajuda a desabotoar minha camisa e a joga para o lado. O mesmo abre o ziper da minha calça e os beijos que antes desciam apenas para o meu pescoço agora descem por toda extensão do meu corpo até chegar ao meu membro latejando dentro da boxer e enfim ele abaixa a mesma fazendo com que meu pênis salte para fora. O chefe começa a me chupar, sua boca quente faz movimentos de vai-e-vem no meu membro. - Hyung... - Eu gemo por puro instinto mas isso faz com que TaeYong vá mais fundo e eu balanço meu quadril cada vez mais para alcançar o máximo de prazer. Me debruço na cama olhando os cabelos do chefe indo para trás em sincronia, aquela é a melhor cena que se poderia ver em qualquer lugar. Sinto meu ápice chegando e aumento o ritmo das minhas estocadas em sua boca. TaeYong percebe que eu estou prestes a gozar e para de me chupar e fica de pé me olhando e sorrindo de lado. Eu gemo de frustração. TaeYong finalmente abre o zíper de sua calça e a tira, aquela visão devia ser colocada em um pôster, ou melhor, todo dia na minha cama. TaeYong abaixa a boxer devagar, aquilo era uma tortura para mim, eu me sentei e ajudei a abaixar, seu membro estava duro e o chefe sorria de lado. - Calma, Ten, temos a noite toda ainda.

O chefe me beija novamente passando sua ereção sobre a minha e dando um certo prazer um para o outro. TaeYong aprofunda nosso beijo, ele arfa a cada momento enquanto simulava que me estocava me fazendo arfar de prazer. - Chefe... Por favor... Vamos logo...

- Mas por quê você quer ir logo? - ele pergutou no meu ouvido, aquela voz rouca me fez delirar e meus pelos eriçaram com aquela toque. TaeYong passa suas mãos em todo meu corpo até que chega na bunda e aperta a mesma. Um gemido longo sai de mim sem que eu deixe e TaeYong sorri de lado. Aquele menino é com certeza o maior dos pecados.

TaeYong me vira de barriga para baixo rudemente e bate na minha coxa, outro gemido rouco escapa de mim e ele se excita mais com aquilo tudo. Ouço uma gaveta batendo e depois de alguns segundos um TaeYong sentado nas minha costas me surpreende pegando meus dois braços e amarrando com uma gravata acima de mim. Aquilo era uma tortura eu sabia disso. - Hoje, eu quero você só para mim. - Ele fala chegando mais perto de mim. Ele está me deixando louco, eu não conhecia esse lado dele mas poderia facilmente me acostumar. TaeYong fica de joelhos no chão atrás de mim e afasta minhas pernas para então pressionar os lábios contra minha entrada ele começou a lamber a mesma me fazendo gemer alto, ele o fez de cima para baixo suavemente sua língua me dava um certo prazer que fazia com que eu grunhisse a cada segundo passado ali. TaeYong agarra minhas coxas firmemente enquanto continuava a me lubrificar com a sua língua.

- H-hyung... - eu gemo rebolando contra o rosto de TaeYong e o mesmo para no momento se afastando. E eu grunho frustado. Tento olhar para cima, para ver TaeYong, mas não consigo pois ainda estou de barriga para baixo na cama. Eu mordo fortemente o travesseiro soltando um gemido arrastado ao sentir algo duro entrando em mim. - Você gosta disso, Ten? Calma, são só meus dedos ainda... - Seus dedos penetram em mim completamente começando a fazer movimentos suaves e depois aumentando a velocidade quando TaeYong tira de mim bruscamente.

- P-por que você...?

- Eu quero te sentir, Ten. - ele diz com a voz carregada de luxúria e me vira outra vez mas dessa para que eu olhe ele. Ele está com a pele úmida, talvez esteja suado e seu cabelo se prende contra a testa molhado, ele está tão... maravilhoso.

TaeYong passou seu membro contra a minha entrada me provocando e eu rebolei contra ele tentando acabar com aquilo logo, queria poder tocá-lo, queria poder sentir sua pele quente. O chefe pega um tubo de lubrificante pequeno perto do canto da cama e praticamente joga o líquido em sua mão e depois passa em toda a extensão de seu membro, olhando diretamente para mim e volta para aonde estava - me provocando com seu membro passando em mim. TaeYong pressiona seu sexo contra minha entrada devagar me fazendo gemer palavras desconexas e arrastadas. Ele começa a se movimentar começando com movimentos vagarosos para que eu me acostume com a dor presente naquele momento. - Ah, h-hyung. - Eu gemo rebolando contra seu membro e TaeYong começa a ir mais rápido cada vez mais.

- Ah... Ten... Você é tão gostoso... - Ele geme deitando em mim e me beijando ainda com os movimentos apressados e urgentes de mim. Tento levantar a mão para tocá-lo, mas lembro que ele me amarrou e gemo de frustração e prazer.

TaeYong sai de mim de repente me fazendo olhar o mesmo com dúvida. Ele me vira de repente outra vez arrancando a gravata das minhas mãos com um movimento brusco e me deixando de quatro. "Empina para mim, Ten-ah" Faço o que ele pede e o mesmo desfere um tapa contra as minhas nádegas. "Isso..." Ele diz quase que gemendo, eu poderia gozar só com aquelas poucas palavras. TaeYong se posiciona em cima de mim começando os movimentos rápidos novamente. - Ah... chefe...

Começo a me masturbar freneticamente com TaeYong em cima de mim indo com movimentos cada vez mais necessitados contra a minha entrada, desferindo tapas em toda aquela região. TaeYong cravou as unhas na minha pele e começou a ir mais rápido gemendo palavras sujas mas totalmente excitantes para mim. "Ah... Ten..." Ele geme e sinto que meu ápice está cada vez mais perto quando com um gemido arrastado eu desmancho contra o colchão. TaeYong ainda está indo mais rápido quando depois de alguns segundos também goza contra mim e cai ao meu lado me beijando. "Ah, Ten, eu te amo tanto". Ele diz passando as mãos no meu cabelo.

O cheiro de sexo no quarto me deixa com cada vez mais sono. Preciso tomar um banho. Me levanto da cama e TaeYong se debruça na mesma. - Aonde você vai?

- Tomar um banho. - eu explico sorrindo com a cena que está na minha frente, um TaeYong com outra áurea, talvez com uma expressão mais leve do que o normal, ele está tão lindo. - Quer ir comigo?

Eu provavelmente o surpreendi com essa pergunta, mas ele se levanta me segue até o banheiro e liga o chuveiro, ficamos lá um tempo, TaeYong passava o sabão em mim fazendo espuma como se fosse uma mãe cuidando de seu filho, as vezes roubava uns beijos de mim me fazendo sorrir. Eu nunca estive tão feliz na minha vida toda.


Notas Finais


E então? O que vocês acharam?

Eu não estava mais aguentando essa tensão entre TaeTen e resolvi deixar tudo rolar. Espero que vocês não me matem.

Eu peço desculpa pelo lemon merda, quando eu escrevi ele foi um sufoco, quem me segue no twitter deve ter me visto morrendo na timeline.

Enfim, é isso, até mais!

Twitter: @sailoryuta @fckyixwng


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...