História Alice na Índia - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Maldição do Tigre, Alice no País das Maravilhas (Alice in Wonderland)
Personagens Absolem, a Lagarta, Alagan Dhiren Rajaram (Tigre Branco "Ren"), Alice Kingsley, Chapeleiro Maluco, Coelho Branco, Durga, Gato de Cheshire (Gato Risonho), Kelsey Hayes, Li, Lokesh, Nilima, Personagens Originais, Rainha Vermelha, Sohan Kishan Rajaram (Tigre Negro), Sr. Kadam
Visualizações 28
Palavras 1.908
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Luta, Poesias, Policial, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oio Gentem!!! Mais um capítulo pra vcs! A partir de hj vou chamá-los de meus Sonhadores, já q Alice sonha d mais. Boa Leitura! Bjim Bjim

Capítulo 2 - Lorenna


Fanfic / Fanfiction Alice na Índia - Capítulo 2 - Lorenna


P.O.V Alice

Quando o filme acabou assistimos mais um, "Palhaços Infernais", dei alguns gritinhos e tals mas não me assustou tanto. Subi as escadas indo em direção ao meu quarto, mas pra chegar até a porta dele tinha que passar por um corredor de dez metros, e eu só conseguia imaginar, que quando eu chegasse na porta e me virasse, "Ricky", um dos palhaços estaria na outra ponta do corredor, com seu bastão de baisebol, pronto pra me matar, então, sai ligando todas as luzes até meu quarto. Por sorte nenhum palhaço apareceu. Fui pro banheiro fazer minha higiene, saí e vesti meu pijama de bolinhas e fui me deitar. Peguei minha coberta e desforrei a cama. Assim que estava aconchegada, lembrei:

- Merda. Esqueci de desligar a luz. - ia me levantar, mas me lembrei da "brincadeirinha" de mau gosto dos meus pais, então resolvir dar o troco - MAAANHÊ! PAIIII! SOCORRO!!! AAAAAAAAHHHH! NÃO! NÃO! NÃO! AAAAAAHHH!!!

Escutei meus pais subindo com pressa até abrirem a porta. Meu pai foi o primeiro a perguntar:

- O que foi minha Sonhadora? Está tudo bem? O que houve? - assenti com uma carinha meio chorosa -

- O que foi minha querida? Por que gritou tanto? Alguém te fez mal? Um pesadelo? - minha mãe perguntou com espanto - 

- Fiquem calmos, é só que... - fingi hesitação antes de terminar -

- É só que... - meu pai perguntou -

- É só que esqueci de apagar a luz. - abri um sorriso debochado - Podem fazendo favor, oh não, favor não, podem fazer a obrigação de apagarem as luzes pra mim? Já que em nossa família ninguém faz favor pra ninguém. - meu pai falou isso uma vez, então, desde aquele dia, eu uso isso à meu favor -

- Sua trambiqueirazinha do País das Maravilhas! - minha mãe disse e levantou - Espero que sonhe com os palhaços querida. - ela disse isso com um sorriso no rosto, o que fez o meu sumir -

- Claro filha. E só tome cuidado com o "Ricky" tá? - ele foi até o interruptor e desligou - 

- Pai! - ele apareceu na porta - Pode deixar a luz do banheiro ligada? - ele sorriu e fez o que eu pedi -

- Medo de palhaços Alice? - ele sorriu debochado -

- O que? N-não, é só que eu posso querer ir no banheiro mais tarde e errar o caminho indo parar no corredor e acabar caindo da escada. - falei -

- Ata. Claro. Mas o "Ricky" vai estar lá embaixo pra te ajudar querida. Bom sonhos! - ele me deu um beijo na testa e saiu -

Minha bexiga pode estourar, mas eu não saio daqui pra ir no banheiro.


*no outro dia*

Bip Bip Bip Bip Bip

- Aaah! Merda de alarme! - desliguei e me levantei -

Era sábado e estava passando agora "Pequenas Empresas e Grandes Negócios". Sim. Eu acordo cedo no sábado só pra assistir isso. Fui ao banheiro e fiz minha higiene. Tomei um banho e quando saí de dentro do box paralisei de tanto frio. Corri até meu guarda-roupa e peguei minhas peças íntimas e vesti. Lá fora estava fazendo um pouco de frio. Resolvi vestir uma calça rasgada de cintura alta - todas minhas calças são desse modelo - e um cropped preto de mangas compridas, com um casaquinho xadrez vermelho amarrado na cintura e um tênis preto. Iria sair mais tarde então me arrumei antes. Deixei meus cabelos soltos. Eu tenho a pele clara e os cabelos negros e meus olhos são de um verde escuro.

Assim que estou pronta, desci as escadas e fui pra cozinha. Fiz meu café da manhã: ovos mexidos com pão, e coloquei em um copo um suco de manga de ontem. Comi mechendo no meu novo bebê: Teddy. Coloquei esse nome porque me lembra uma musiquinha que Xuxa cantava:

Teddy, o polvo...

E blá-blá-blá. Não lembro o resto. 

06:39

Marcavam o relógio de parede da cozinha. Essa hora o jornal já devia ter começado. Fui pra sala com o Teddy e liguei a TV. Nada de interessante. Desliguei e fui falar com a Lorenna, minha melhor amiga.

*conversa on*

Eu: Acorda Maria fudida!

Lolô: Tá na hora de ganhar dinheiro!

Eu: O dia já está raiando...

 Lolô: E a vadia o cú já está dando! 

Eu: É por isso que eu te amo Pulta!

Lolô: Todos me amam Lice, todos me amam

Eu: Quem te ama é Deus, nóis só te atura

Lolô: Você partiu meu coração

Eu: Mas que coração? 

Lolô: Vdd, n tenho coração 

Eu: Pq piranha n tem coração

Lolô: Mas como vc tem???

Eu: Pq eu sou a recatada do lar

Lolô:  Ah Tá! É mesmo

Eu: Sou sim, oitora tô batendo aí 

Lolô: Tá Lice, agr eu vou voltar a dormir 

Eu: Preguiçosa

Lolô: Querida hj é sábado

Eu: Mais um motivo pra acordar cedo, n tem aula então tem q curtir

Lolô: Chata, vou dormir e tô te esperando oitoras aqui em casa

Eu: Tá, bjos Pulta

Lolô: Bjos

*conversa off*

Sem mais nada pra fazer, fui ler. Peguei um livro na estante e deitei no sofá, "Quatro Vidas De Um Cachorro". Eu simplesmente amo esse livro tanto quanto o filme, mas como sempre, o livro é melhor. Começei a ler e quando deu 7 horas o papai desce pra tomar café.

- Oi filha. - ele disse indo até o sofá e me deu um beijo na testa -

- Oi pai. Tem ovo mexido no forno. - falei apontando -

- Uhm... você que fez? 

- Eu ia fazer ele inteiro mas deu merda e resolvi fazer mexido mesmo. - ele riu -

Comeu em silêncio e antes de sair me deu outro beijo na testa.

- Tchau Lice. - ele disse já saindo -

- Bom trabalho! - gritei na esperança dele me escutar -

- Obrigado! - gritou ele já lá fora -

Quando desse 07:30 eu iria sair. Continuei lendo e deu o horário. Fui pro meu quarto e peguei minha bolsa preta e sai. Passei pelo quarto da mamãe e disse a ela que estava saindo. Deixei ração pro Plutão, nosso husky siberiano, e saí. Peguei um taxí  e pedi pra ir pra Copacabana, a Lolô mora em um condomínio lá. O cara me deixou na porta do condomínio e eu paguei. Desci do carro e falei com o segurança de lá, meu amigo.

- Eaí Will! Cê gravou o que ela disse? - perguntei lembrando da música Pancadão -

- Eu quero o pancadão! - ele terminou - Eaí Lice! - demos nosso toque - Veio ver a Lorenna?

- Como diz o velho ditado:  "Se Maomé não vai até a montanha, a montanha vai até Maomé"! Aquela preguiçosa nem vai na venda aqui perto, quanto mais em Ipanema. - ele riu -

- É mesmo! Pode entrar Lice. Até!

- Até Will!

Fui até o apartamento dela e toquei a campainha. A mulher que trabalha lá, - já que eu não gosto de falar empregada - abriu a porta, a Maria. Assim que ela me viu me ajoelhei e falei:

- Maria! Ô Maria! Estoi enamorado por ti Maria! - rabetão -

- ela riu - Oi Lice! - abraçei ela - A Lolô ainda está dormindo. Como sempre. - ri -

- Eu acordo ela. E a Tia Gabi tá aqui ou já foi pro escritório dela? 

- Já foi. Não quer comer alguma coisa? - ela me perguntou indo pra cozinha -

- Não Maria, obrigada. Já comi. - falei e fui acordar a Lorenna -

Abri devagarinho a porta do quarto e a Cherry, sua gatinha, veio até mim e ficou se esfregando em minha perna e ronronando. Fiz um carinho em sua cabeça e fui até a cama da Lô. Estava tão bonitinha dormindo. Quem dera que fosse assim acordada. Cheguei perto do ouvido dela e sussurei:

- Sete dias... 

Ela morre de medo de filmes de terror e principalmente da Samara. Ela abriu os olhos de uma vez e ia gritar, mas tapei a boca dela e disse:

- Shh menina. É melhor não gritar. - soltei lentamente sua boca e ela se virou lentamente com um olhar assustado -

Assim que ela me viu começou a gritar:

- SUA QUENGA DOS INFERNOS! SUA PULTA MAL COMIDA! VADIA DO ESCAMBAL! QUER ME MATAR DO CORAÇÃO? - começei a rir -

- Mas que coração Flor? - ela me acompanhou -

- Verdade. Você me assustou Lice. Vou escovar meus dentes e tomar café, vem. - fiquei deitada mechendo no celular, ela saiu e gritou ao ver o Teddy.

- Aaahh! É como o meu! Papai me deu ontem um. Somos tão semelhantes em gostos que devíamos ser irmãs! - ela me abraçou -

- O papai me deu ontem também! E Deus só não nos fez irmãs pois sabia que uma mãe só não iria nos aguentar! - rimos - Vai banhar porquê vamos no shopping mais tarde. 

- Tá! - ela falou e foi banhar -

Abri o guada-roupa dela pra escolher suas roupas. Peguei uma calça pra ela rasgada, tipo a minha, um cropped branco de mangas compridas, um tênis branco e um casaco xadrez vermelho pra amarrar na cintura. Íamos como par de jarros mesmo. Ela saiu do banho e vestiu as roupas que escolhi. Deixou seus cabelos loiros soltos e pegou dois bonés de veludo, um branco pra mim e um preto pra ela, e duas chokers de veludo pretas para nós duas. 

Descemos 09:26 e a Lolô foi tomar café. Assim que ela terminou nos despedimos da Maria e fomos até a garagem do prédio pra pegarmos as bikes. Coloquei minha bolsa na cestinha e fomos. Demos um até mais pro Will e fomos pro shopping que tinha ali perto. 

"Estacionamos" as bikes e fizemos um sinal pra porta se abrir e ela obdeceu. - na verdade era automática, mas temos uma imaginação fértil - O cinema só abre 13:00, então aproveitamos. Fomos pra loja de jogos e recarregamos nossos cartões. Saímos de lá 12:03, e fomos almoçar em um restaurante de comida indiana, - o melhor de lá - terminamos e fomos em uma loja que vende capinhas e fizemos a festa. Comprei capinhas de todas as cores e estampas. Fomos para o cinema e compramos nossos ingressos pra assistir "Meu Malvado Favorito 3". Terminou o filme e fomos comer mais, passamos no Subway e comemos um Beef Bacon Chipotle de 30 cm. Passamos mais um tempão em várias lojas e compramos roupas e bolsas, deu 16:43 e fomos embora. Foi difícil andar de bicicleta com várias sacolas mas conseguimos. 

Chegamos e pedi um taxi. Cheguei em casa e fui banhar. Hoje era a noite da pizza aqui em casa. 

- Eu preparo o molho! - falei antes que alguém roubasse meu posto na cozinha -

- Eu preparo a massa! - Mighel disse -

- Então eu monto a pizza. - sobrou pra Kells -

Cada um começou com sua tarefa. Teve guerrinha de trigo, dedo cortado, queijo no chão e muito mais. Às 20:32 estávamos todos na mesa comendo nossa pizza de calabresa e bacon. - gordureira doida - Assim que terminei meu quarto pedaço falei:

- Eu guardo! 

- Eu seco! - Mighel gritou -

- Então eu lavo. - Kells disse e rimos -

Tarefas terminadas e fomos todos pra sala. Nossos pais já estavam lá assistindo Titanic. - eca - 

- Pópará! Pópará! - falei - Agora vamos assistir... - suspense que eu amo -

- Bam bam baaaam... - Mighel falou -

- Esquadrão Suícida. - Kells falou em uma voz meio aterrorizante -

Trocamos o filme e começamos a assistir. 02:36 estava eu e meus irmãos assitindo nossa série favorita na netflix, Supernatural, mas acabei dormindo.




Notas Finais


Obg por lerem meus Sonhadores! A foto da capa é a roupa da Lorenna. Até o próximo cap! Bjim Bjim


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...