História Alice of Human Sacrifice - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Vocaloid
Personagens Gakupo Kamui, Luka Megurine
Tags Drama, Romance, Terror
Visualizações 22
Palavras 1.295
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Violência
Avisos: Homossexualidade, Mutilação, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá Pessoal,
Boa leitura!

Capítulo 1 - Prólogo


                                                                                      -1990-

Numa noite de completa escuridão da noite gélida em novembro, um menino caminhava desnorteado na neve, solitário e sem ter para onde ir, com frio e fome rezando para que aquilo fosse apenas mais um sonho e que quando acordasse as cartas desaparecessem e pudesse sorrir para a mãe como sempre fez.

__Não quero mais sonhar com o pais das maravilhas.. – Era as únicas palavras que saiam da boca do pequeno repetidamente – Onde está a mamãe?

Olhou para as estrelas e deu um sorriso inocente, levou seu braço direito até a testa e derramou-se em lagrimas enquanto ainda dissera tais palavras, caindo de joelhos em seguida. E depois de alguns soluços, sentiu uma mão pesada e parcialmente grande em seu ombro, soluçou mais uma vez e olhou para trás, já que conhecia o toque do mesmo não se surpreendeu e apenas soltou um grito estridente.

__Eu não quero. – Respondeu ao toque em outro grito – Não quero mais sonhar com o pais das maravilhas!

Teve sua boca tapada pelas grandes mãos do homem assustando-se por um momento, logo encarou o largo sorriso que o sujeito tinha no rosto.

__Sabe o que tem que fazer depois de usar as sete cartas, não sabe?! – O homem sussurrou e o menino assentiu tremulo pelo frio e o medo que sentia do mesmo

O sujeito de chapéu e roupas negras definitivamente desajeitas parou de sorrir e estalou os dedos, e o pequeno perdeu consciência perdendo então noção de tempo e espaço, caiu desacordado no chão sendo coberto pela neve da rua  deserta.

                                                                                                        *****

 

Anos depois

Acordei suando frio e arrepiado, mãmae me fitava com olhar preocupado e Lily abraçava as pernas dela parecendo estar com medo. Eu já até sabia do que se tratava eu havia sonhado de novo, mas para mim isso já era comum e não estava nem um pouco preocupado em saber quais foram as minhas reações dessa vez.

__Gakupo. – Minha mãe me chamou

Eu dei um meio sorriso para conforta-la.

__Não se preocupe mãe, eu estou bem! – Afirmei e dei um beijo na bochecha dela – Lily pode ir buscar meu café, por favor?! 

A pequena assentiu saindo dali, eu acariciei os cabelos de minha mãe já que ela ainda parecia preocupada.

__Filho estamos preocupadas... – Mamãe finalmente afirmou enquanto me observava se arrumar para Universidade – Liliam ficou assustada com seus gritos ontem!

''Não se preocupe..'' 

Murmurei para ela e dei-lhe um beijo na testa saindo dali e indo até a cozinha para pegar meu café – Tchau maninha! – Me despedi saindo da casa quase correndo

Fui até a garagem e peguei o carro logo seguindo para a universidade, mas bem, acho que chegou a hora de eu me apresentar. Eu me chamo Gakupo Kamui, tenho vinte e três anos e sou um cara bem na minha, tenho poucos amigos somente dois para falar a verdade, Kaito e Len que são os únicos que eu não trocaria por ninguém, curso o segundo ano de Astronomia e sou apaixonado pelo universo e principalmente as estrelas, posso ser certamente considerado como antissocial em questão das outras pessoas e não costumo me dar bem com qualquer um.

Agora falando dos sonhos, desde quando eu era bem pequeno tenho o mesmo sonho toda a noite. No sonho um homem de roupas negras e chapéu sempre me da quatorze cartas e me diz para usar sete delas,o problema é que eu nunca sei como as devo usar e nunca dá tempo de perguntar isso para ele. Eu sei que o menino do sonho sou eu, já que quando eu tinha quatro anos minha mãe verdadeira morreu em um incêndio em casa e foi assim que minha ''mãe'' atual me adotou, e me trouxe para morar com ela, meu ''pai'' adotivo morreu alguns anos depois de ataque fulminante e dois meses depois minha irmã Lily nasceu. Ou seja,eu sou praticamente ''O homem da família.'', ainda falando das cartas que apesar de ser um sonho apareceram no meu quarto de verdade quando eu ainda estava no colegial, o que realmente me assustou muito, eu ainda as guardo até hoje já que acredito que vou descobrir como usa-las. Enfim, curso Astronomia até as 6h30 da tarde e depois vou trabalhar até as 10h00 da noite em uma agencia de modelos como recepcionista de eventos. 

__Preparado para a apresentação? – Kaito surgiu e perguntou, entrando no carro e em seguida fechando a porta do carona – Porque eu estou desesperado..

__Você parece um aluno do ensino médio! – Debochei – Eu nasci preparado, é só um astrônomo importante. Não é o imperador que vai assistir não! – Ele arfou

__Diz isso porque não sabe oque é fazer tudo de ultima hora. – Ele devolveu pegando alguns papéis em sua pasta e lendo o discurso novamente 

Não demorou muito e nós já havíamos chegado, estacionei o carro atrás do carro da namorada de Len e nós dois então seguimos para a sala. Nos sentamos e o professor não demorou a chegar e ao lado dele estava o tal astrônomo importante, pediu silencio e o primeiro trio começou a se apresentar. Depois desse ainda houveram mais dois trios e depois era a nossa vez, subimos até o pequeno palco improvisado da sala e nos posicionamos, Len foi para o computador, Kaito para o microfone e eu para o telescópio.

Kaito começou a falar.

__Primeiramente bom dia a todos, estamos aqui hoje em nome do universo. – Disse ainda um pouco inseguro e fez sinal para que Len acionasse as estrelas 3D – Podemos observar que de tempos em tempos...

__''Diga que você quer sair, Gakupo!'' – Ouvi a conhecida voz daquele homem dos meus pesadelos afirmando, mas  decidi ignorar pois acreditava fielmente ser coisa da minha cabeça – '' Chegou a hora de usar as cartas...''

__Como eles disseram o universo é como.. – Ouvi de novo no meio da explicação de Len – ''Diga que você quer sair, precisa usar as cartas.'' – A voz insistiu e eu ouvi um som agudo doloroso que me fez sentir um enorme dor na parte esquerda da cabeça – ''Se não o fizer a dor vai se prolongar, diga que quer sair é uma ordem...''

E logo terminou seu longo discurso, Len apresentou várias imagens e deu explicações adicionais as de Kaito e depois de meia hora era a minha vez de falar. Fui até o centro do pequeno palco e Kaito me entregou o microfone, fechei os olhos e quando ia começar a falar começo a escutar a maldita voz na minha cabeça de novo.

__Com licença, me desculpem preciso sair é uma emergência! – Afirmei quase não aguentando a dor e pude sentir os olhares mortais de Kaito e de Len e sai da sala ainda com a dor me batendo por conta dela em alguns armários e então resolvi a interrogar.

__O que quer que eu faça? – Quase gritei o as pessoas no corredor me fitaram como se eu fosse louco – Vamos faça isso parar.

__''Convide as pessoas para o pais das maravilhas... A três quilômetros daqui há um restaurante, a dona é Meiko Sakine, ela deve ser a primeira a ser convidada, lembre-se de fazer tudo em silencio e no final de o valete de espadas a ela. O endereço está no seu  bolso esquerdo! O corpo deve ser desmembrado...'' – A voz apenas afirmou e o som que me fazia sentir a dor desapareceu

Eu sabia que se não fizesse isso a dor voltaria e poderia voltar ainda pior, não seria uma coisa fácil matar alguém mas era uma cosia que eu sabia que teria que conseguir. Fui até meu carro, peguei o endereço no meu bolso e o li em seguida então dei partido e segui para onde minha primeira vitima ou seja a primeira Alice se encontrava.

__Droga. – Murmurei repreendendo a mim mesmo – Você não quer fazer isso Gakupo...

 

 

Continua...

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...