História Alien Boy - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Aliens, Jikook, Mistério, Namjin, Romance, Vkook, Yaoi, Yoonseok
Visualizações 68
Palavras 3.106
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


* Vejo vocês nas notas finais*

Boa leitura... :3

Capítulo 3 - Capítulo II


Fanfic / Fanfiction Alien Boy - Capítulo 3 - Capítulo II

Capítulo II  - Você não é um alien, definitivamente, não! 


 " Acreditar não dói, o difícil é me provar que existe." 


 ~×~ 


 Alternava o olhar entre seu primo e o relógio. Seus olhos castanhos vagavam pela casa enquanto pensava alto e suspirava, desistindo de achar algum interesse que não fosse seu primo ou seu colchão com barbante. Apenas indagava a si mesmo o porque de seu Tio não lhe falar sobre seu primo. Porque esconde-lo? Não era errado se vestir com um colchão, era estranho, mas não errado. Encostou seu queixo na mesa e observou as mãos de seu primo agarrarem o pedaço de pizza - que antes estava no prato - e levou para dentro do colchão. Imaginava o quão imundo poderia estar dentro daquele estofado, poderia estar cheio de comida ou pior, somente o pensamento lhe fez fazer uma careta e balançar a cabeça com repulsa. Revirou os olhos ao ver seu primo pegar um copo em silêncio e novamente esconde-lo para dentro do colchão. Era um buraco negro? Pensou e riu contido pelo pensamento infantil. 

 ---- Do que está rindo terráqueo? - pergunta seu primo e Jeon suspira cessando a risada, levantando da cadeira e tirando o prato da mesa, pondo na pia logo em seguida. Olhou para a neve através da janela e bufou. 

 ---- Por que não pergunta ao seus amigos alienígenas? Eles devem saber de muitas coisas. - falou ironicamente e ouviu um pequeno rosnadinho de raiva.

 ---- Por que eles não estudam espécies burras como você, seu terráqueo acéfalo. - rebateu levantando da sua cadeira e indo em direção a escada, logo colocando o pé no degrau. Jeon o olhou indignado.- Quando omma Jin chegar, avise que estou em uma interconexão estelar e não quero interrupções.

---- Interconexão estelar... Aham, claro. - falou audível apenas para ouvir um resmungo indecifrável em resposta. - E eu sou integrante do High five. 

 Foi direto para o sofá e bufou pegando um travesseiro pequeno e colocando em seu rosto. Encostou-se devagar, deitando-se completamente e pegou o controle da televisão na mesinha da frente. Ligou, passando os canais que interessavam e deixou ligado em um desenho qualquer. Uma solidão abateu em seu peito assim que lembrou que estava longe de casa, da sua "família" e do seu antigo quarto. Mordeu os lábios fechando os olhos e logo adormecendo. Sua mente esvaziava a medida que o sono pesava e o frio fazia seus músculos encolheram e procurarem um conforto, de alguma forma sentia se seguro quando dormia dessa forma. Sua consciência voava alto em pequenos devaneios e pensamentos, alguns tristes, outros felizes, mas sempre o traziam calma. Abriu os olhos ao pensar novamente em seu pai, gostaria de não ter lembrado dele, mas era inevitável quando lembrava de sua frase.

 ---- " O difícil é me provar que existe"... - falou para si mesmo e automaticamente lembrou de seu primo.- Faz sentido.

 ---- O que faz sentido? - ouve uma voz e a porta abrir, mostrando seu Tio Jin com algumas compras na mão e seus cabelos cheios de flocos de neve. Seu tio andou até si e fitou-lhe nos olhos, sorrindo feliz e entusiasmado.

 ---- O que o papai falava, é mais fácil acreditar do que provar para alguém que existe. - respondeu ajeitando se no sofá para que seu Tio se acomodasse ao seu lado. 

 ---- Concordo, afinal, o que vale é a sua crença não a dos outros... ninguém precisa provar nada a ninguém, não vale a pena. - completou rindo em seguida de forma doce. Jeon o olhou e sorriu fraco. - Como foi o dia? Eu sei que não passei longas horas fora como disse, mas eu realmente estava preocupado com vocês sozinhos e... 

 ---- Tio Jin, por que ele usa um colchão? - pergunta direto e seu Tio pareceu empalidecer. - Por que ele fala coisas estranhas sobre aliens e essas coisas? - pergunta outra vez vendo seu Tio parecer nervoso.- Por que não nos apresentou antes?

 Jin passou alguns segundos em silêncio e olhava para um ponto qualquer, impossibilitando que Jungkook visse seu nervosismo estampado em seu rosto. Respirou fundo, lambendo os lábios e abrindo a boca nervosamente. Ajeitou-se no sofá agora olhando para os olhos questionadores de seu sobrinho, podia-se ver a dúvida na expressão de Jeon. 

 ---- No jantar conversamos melhor sobre isso, sim? - Jeon, mesmo relutante, afirma. 


 ¥¥¥ 


 Jimin olhava para o céu, deixando seus cabelos voarem, seu colchão cobria seu corpo pequeno e escondia seus pés com meias. Seu telescópio estava ao seu lado e uma suave música de sinos deixava o ambiente calmo, o frio da noite invadia seu quarto junto de pequenos flocos de neve. Soltou o ar, percebendo uma pequena nuvem de sua respiração. As estrelas de luz, estas feitas pela lanterna que havia no meio de todo o quarto, deixava o ambiente quase uma galáxia pequena. Sorriu, fechando os olhos e ouvindo novamente os sinos pendurados sua janela, balançando de acordo com a pequena brisa que entrava. Espirrou baixo e riu de si mesmo, levantou e fechou as portas da janela, cobrindo a tão amada imagem do céu estrelado e dos flocos de neve caindo com cuidado. 

 --- Boa noite...- sussurrou olhando uma última vez para o vidro da janela e fechou as cortinas.

 Retirou seu colchão e correu para o banheiro, retirando suas poucas roupas e tomando seu banho quente. Assim que terminou, vestiu suas roupas frouxas e suas meias cheias de pequenos planetas. Sentou em sua cama e enrolou-se todo no lençol fofinho, seus cabelos continuavam molhados, mas não se importou, queria ficar no quarto esperando até que sua Omma o chame para o jantar e ele possa vestir seu tão amado futon. Pensou olhando para o teto com desenhos de constelações e planetas. Seus olhos corriam pelas estrelas de escorpião e desviavam para a ursa maior, Vênus estava ali próximo e logo Saturno chamou a atenção pelos seus anéis, a lua ficava ao lado da terra e a estrela dalva brincava ao seu lado. Mordeu os lábios olhando para a constelação das três Marias e Cruzeiro do Sul, a estrela intrometida o fazia rir baixo toda a vez que desenhava a cruz com os dedos. A via láctea em seu quarto era tão linda quanto a de fora, amava cada uma daquelas estrelas e é claro, a vida que existia além delas. 

 Por que não existiriam, se ele mesmo já viu? 

 Ouviu alguém bater em sua porta e correu para responder com outra batida. Sua omma tinha criado esse código para saber se estava bem. 

 --- Filho, vamos jantar... fiz aquela pizza de chocolate que gosta para a sobremesa e aquela sopa de estrelas da Omma...- falou e seus olhos brilhavam. 

Amava a sopa de estrelas. Mesmo que fosse apenas uma sopa de carne com pedaços de carne em formato de estrelas e pães com granulado acompanhando.

 --- Tudo bem Omma, só vou colocar minha proteção...- respondeu se referindo ao colchão no chão.

 --- Meu amor... Pode ir sem ele? Só por hoje? -- pediu Jin com cuidado e paralisou.

 --- Mas omma, eu não posso sair sem minha proteção... Eles vão reclamar comigo... Não posso deixar que os humanos vejam minha imagem...- respondeu confuso e ouviu um suspiro pesado. 

 Pensou por alguns segundos, ficar algumas horas não o faria mal, eles entenderiam, não? Sorriu um pouco.

 --- Por favor, meu anjo, só hoje...- insistiu sua Omma e fechou os olhos, encostando a testa na porta gelada.

 --- Tudo...bem...- falou com voz baixa e Jin sorriu agradecido. 

 --- Estou te esperando aqui em baixo.

 Ouviu os passos se afastarem e suspirou. Abriu a porta e olhou o corredor vazio, andou devagar e com passos leves até a a escada, sua omma esperava encostado no corrimão e parecia conversar com alguém. Gelou, esqueceu que tinha visita em casa e fez menção de voltar, porém sua omma já havia o visto.

 --- Filho, ande...- pediu e negou com a cabeça e viu a expressão de seu omma mudar para triste.- Por favor... 

 Engoliu a seco,não queria que seu primo o visse do jeito que ele era e nem mesmo do jeito que seu primo era, era difícil demais. Tinha medo de que o mesmo percebesse que ele era realmente um alien, ou melhor, duvidasse disso como ele fez o dia todo. Queria trancar-se no quarto novamente e nunca mais sair até que o mesmo fosse embora. Jin percebeu e fechou os olhos frustrado, não tinha como não adiar isso, Jeon já esperava as explicações de seu tio e cruzou os braços sobre o peito, cansado. Provavelmente o outro não queria sair. Ansioso, suspirou e ouviu passos leves na madeira do corredor de cima. Ele não iria descer. Jin batia o pé olhando para o filho, implorando para que o mesmo descesse.

--- Filho... Eu estou pedindo...- falou Jin cansado e Jeon ouve um suspiro.

 O mais velho dali sorriu ao perceber seu menino descer, mesmo que hesitante. Com passos lentos, os pés pequenos desciam os degraus bem devagar e hesitavam algumas vezes. Assim que chegou perto de seu omma, escondeu-se nas suas costas e fechou os olhos com força, não queria ter que passar por aquilo, mas Jin era o humano mais importante para si e não queria o ver triste de novo como alguns anos atrás. Mesmo que signifique ser exposto para outro humano, principalmente se ele fosse irritantemente desagradável.

 --- Jimin, ande, conheça seu primo...- chamou Jin e respirou fundo.

 Com cuidado foi aparecendo e dando vista para o humano a sua frente. Abriu os olhos com cuidado e deparou-se com belas íris negras, parecidas com buracos negros e várias estrelas em voltas, estas sumindo na imensidão negra. Os cabelos castanhos com algumas mecha loiras bem leves, deixavam sua imagem serena, o corpo alto o assustou um pouco mas logo viu que era magro e esguio, apenas os braços pareciam ter uma leve forma. Usava um moletom cinza e meias brancas nos pés. Prendeu o ar por deparar-se com o par de íris lhe encarando. Eram buracos negros, tinha certeza disso. Parecia que todas as suas estrelas que tanto gostava eram atraídas para aquele olhar pesado, seu primo era parecia sugar tudo ao seu redor.

 Jeon ao contrário quase paralisou, o garoto pequeno a sua frente usava uma blusa frouxa de linho branca, um lado caia em seu ombro e suas mãos eram cobertas pelas barras grandes demais, a calça vermelha e frouxa de moletom, com tornavam suas pernas e desviam para os pés com meias infantis de planetas. Seus olhos vagavam pelo corpo pequeno e paravam nos cabelos rosas que caiam em seus olhos castanhos de maneira bagunçada, os lábios eram fartos e um pouco ressecados. Ambos se encaravam encantados, Jimin quase sentia seu corpo ser puxado para mais perto e Jeon estava hipnotizado pelo garoto a sua frente. Aquele era o estranho que andava com o colchão? Ficou tão surpreso que pendeu a cabeça para o lado e viu o outro ter um pequeno susto. 

 --- Este é seu primo Jimin, Jeon Jungkook. Jeon este é Park Jimin, meu filho.- falou Jin percebendo a longa troca de olhares entre os dois.

 --- Terráqueo...- sussurrou Jimin e Jeon suspirou sorrindo cínico. 

 --- Alienígena fajuto...- sussurro também em resposta e o corpo do garoto ficar tenso. 

 --- Então... Vamos comer? - perguntou Jin quase se arrependendo em mostrar o filho com aquele clima tenso que havia estabelecido.

 --- Claro.- falou Jeon indo até a mesa e vendo o garoto a sua frente correr para perto de seu tio. 

 Sentaram-se e comeram em silêncio. Jin bebia sua sopa com calma e Jimin não parava de encarar o outro, tanto que Jeon sentiu-se incomodado com o olhar perdido do primo em si. Engoliu a seco e abriu a boca para falar mas logo fechou, resolveu devolva o olhar do outro e encostou o queixo na mão, deparando-se com um pequeno susto do outro. Cada movimento seu parecia assustar o Park, como se ele fosse nocivo ou doente para ele. Viu o primo abrir a boca e suspirar baixo, abaixou o olhar e terminou sua sopa em silêncio, ouvindo seu tio ir até o telefone que havia tocado na sala. Assim que seu tio levantou, olhou novamente para Jeon, dessa vez de forma que evidenciasse sua curiosidade com o mesmo. Jimin estava fascinado, como alguém tão desagradável tinha praticamente um universo em seus olhos? Mordeu os lábios e viu Jeon praticamente secar sua boca, seguindo os movimento de seus dentes. 

 --- Então... Você é o terráqueo...- falou devagar e Jungkook revirou os olhos. 

 --- E você é o estranho naquele colchão...- respondeu e Jimin apertou os punhos. 

 --- É minha proteção... 

 --- Proteção...De que? Não há nada que te afete aqui e além do mais você fica falando esses negócios sobre aliens... - comentou e Jimin observou o outro. 

 --- Lógico que há, você é um dos motivos de não me deixarem sair da minha proteção. Não sabia que havia um terráqueo que nem você... 

 --- Como? - pareceu confuso e Jimin levantou de sua cadeira.

 --- Desculpe, não converso com humanos como você, melhor nos mantermos longe... Você é estranho demais...- respondeu e Jeon levantou também indignado.

 --- Eu sou estranho? Eu? E você é o que? Um garoto que fala que é um alien e vive em um colchão e chama de proteção, é super normal.- falou e Jimin abaixa a cabeça. 

 --- Eu sou um alien, não vê? - pergunta cansado e também incomodado com a fala do outro. 

 --- Não! Você não é um alien, definitivamente não! - reforçou e Jimin pareceu estuda-lo em silêncio.

 --- Qual o seu problema?- pareceu perguntar para si mesmo.

 --- Qual é o seu problema! - insistiu e Jin vendo a discussão desligou imediatamente.

 --- Você é o humano mais estranho que já vi, tenho que estudar sobre isso...- falou e Jeon o olhou incrédulo.

 --- Que porra você está falando?

 --- Os meus superiores devem saber o que você é, não tem como alguém ser dessa forma... pelo menos não com o que me disseram sobre a terra...- falou consigo mesmo, ignorando completamente o primo confuso. 

 --- Ei, eu estou aqui! - bateu o pé e Jimin suspirou curioso. Jeon Jungkook era alguém estranho. 

 --- É... Jungkook... - Jin tentou intervir mas Jungkook não deu ouvidos. 

 Era brincadeira, não era? Não tinha como alguém estar falando sério sobre aquele assunto como aquele louco a sua frente. 

 --- Você só deve estar brincando...

 --- Eu não brinco com sua espécie, aliens não fazem isso, não seja ignorante terráqueo.- repreendeu Jimin e Jungkook aproximou.

 Olhou nos olhos do outro e Jimin sentiu seu sangue paralisar e logo tremeu, Jeon o olhava com intensidade, seus olhos escuros o puxavam para mais perto, era tão fácil se perder neles. Não tinha como uma pessoa ter buracos negros em seus olhos, não era possível. Respirou fundo sentindo o perfume do primo e percebendo ser bem suave, ao mesmo que marcante. Jeon era o terráqueo mais estranho e fascinante que já vira.

 --- Não chegue perto, não quero ser engolido pelo seu escuro...- pediu e Jeon aproximou-se mais ainda, estava com raiva.

--- Engolido? Do que está falando? 

 --- Como você pode ter esses buracos negros em seus olhos? Como não morre engolido por si próprio? Que eu saiba todo tipo de matéria ao redor de um buraco negro no espaço é atraída para mais perto até se extinguir. Como não suga o a si próprio? - pergunta assustando Jungkook. 

 --- Pera... do que está...- antes de terminar a frase o primo correu para a escada.

 --- Só peço que não se aproxime terráqueo, nem mesmo verás minha imagem humana e nem terá minha presença neste período. Algo está muito errado com você...- gritou indo para o quarto e fechando a porta. 

Jeon ficou confuso no meio da cozinha. Jin suspirou cansado, mais uma vez frustrado. Devia tantas explicações que já enchia sua cabeça de preocupação. Jungkook olhou para seu tio e o mesmo sorriu amarelo e tremeu pelo olhar do outro. 

--- Tio Jin... Ele está brincando não está? - perguntou vendo seu Tio engolir seco.

 --- Jeon... Temos que conversar sobre algo... e não é nada agradável...- confessou seu tio e apenas bagunça seus cabelos.- Ele não está brincando. 

 --- Então o que é? Ele não é um alien e...

 --- Jungkook, isso só fica entre nós... mas por favor, pode perguntar tudo, tudo, mas não peça para ele provar que é um ser de outro mundo.- pediu e Jeon o olhou incrédulo.

 --- Mas.... 

 --- Jeon, ele não é um alien, eu sei disso, mas ele... - respirou fundo.- Ele acredita que sim e pode negar o quanto quiser, mas não peça para ele provar que é um... Como você mesmo disse, o difícil é provar que existe... Não o instigue a provar...

 --- Por quê? --- Eu não quero que ele se machuque de novo, não o peça para provar. Aqui dentro ele é um alien e pronto. - olhou nos olhos de Jeon.- Eu conheço pessoas como você, sei que é cético e gosta que provém tudo para si, mas eu peço, pelo bem de seu primo. 

 Jeon sem entender, olhou o tio cansado e o mesmo parecia esconder tudo de si. Apenas assentiu e observou o pequeno sorriso no rosto alheio.

 --- Que bom que entende, desculpe-me ter que esconder tudo de ti, mas é necessário... Além do mais... Você é esperto, descobrirá sozinho...- falou com um pesar. Jin apertou seu ombro de forma carinhosa e riu fraco. 

 --- Vai ver que vai ser até engraçado se entrar na onda...

 Jungkook logo entendeu o que seu tio quis dizer e ele não estava certo. Jeon era cético, tão cético que estava prestes a pedir para que o primo provasse o que dizia. Então tinha alguma coisa por trás de tudo... e ele descobriria. Mas o que seria? Será o motivo de Jimin ser assim? Será que tinha algo tão sério para que seu tio agisse daquela forma? Mas o que ele queria dizer com 'entrar na onda'? Pensou. Ele teria que mentir, era isso. Juntou todas a falas do tio e ele estava pedindo para que mentisse, fingindo que o estranho daquela sala fosse realmente um alienígena. Sendo que ele não era... Bufou sentindo-se obrigado a aceitar o pedido de seu tio, vai ver ele poderia descobrir algo.

 Porém, sabia bem que havia uma pulga atrás de sua orelha.

 Seu primo acabava de virar um mistério, assim como seu tio que sorria bobo agora. 

 Poderia estar no meio de loucos?


Notas Finais


Oiiiiiiiii! Desculpas pela demora, não era minha intenção demorar tanto! Principalmente meses! Mas eu tinha motivos...

Olha eu escrevo minhas estórias pelo celular e meu touch tá quebrado, não dá para digitar, sem contar que durante esses meses eu estava tendo umas crises com minha família e não estava bem, entendem? Eu estava abatida e farta mas hoje estou bem melhor, tô att todas as minhas fanfics novamente. Tudo com calma. Então hoje foi a vez dessa!

Espero que entendam a minha demora e não tenham abandonado a fic, sério ela tem muita coisa ainda para acontecer. Eu achei o capítulo curto, mas eu tive que atualizar, para pelo menos manter ela ativa. E agora vai ter mais mistério kkkkkkk
Bom aposto que sabem algo sobre o Jimin...
Espero que tenham pessoas que estejam nas teorias kkkkkkk por que aqui é MT coisa que aconteceu...
Bom espero que tenham gostado e até o próximo, prometo não demorar tanto quanto esse.
Mais uma vez, desculpem-me pelo atraso, é por que realmente não dava mesmo.
Eu amo vocês meus bolos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...