História Alien e Anjo, um amor proibido. - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Alien, Amor, Anjo, Céu, Mistico, Mitologia, Romance
Visualizações 9
Palavras 2.550
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Desculpem a demora.. Espero que gostem! Boa leitura. :)

Capítulo 20 - O início da longa jornada.


Fanfic / Fanfiction Alien e Anjo, um amor proibido. - Capítulo 20 - O início da longa jornada.

-Enfim, brincadeiras a parte, amanhã é o grande dia. - Disse Lucas sério. - Espero que estejam prontos para dar a sua vida no campo de batalha, não será fácil, mas vamos conseguir e prometo que farei de tudo para protege-los, vamos mostrar pra esses demônios e deuses a nossa força. Espero vocês amanhã para podermos partir juntos. - Afirmou Lucas olhando cada um nos olhos.

Todos assentiram com a cabeça e algumas palavras foram ditas, e cada um foi para sua determinada casa para descansar bastante e estarem bem dispostos amanhã começar a longa e difícil jornada.


​Lucas tinha acabado de sair do banho e encontra a sua Dora dormindo um sono profundo, Lucas ajeita sua namorada na cama e fica observando aquele rosto angelical e lindo, ele deita ao seu lado e fica acariciando os cabelos da mesma e da um leve selinho em seus lindos lábios, ele olha e pensa em tudo o que passou até agora, que valeu muito mais do que todos os séculos de sua existência, Lucas pensa consigo mesmo e tudo o que está fazendo é para o bem de sua namorada, e jamais deixaria ninguém machuca-la, faria de tudo para deixar ela bem, pois ela a ensinou o que é o amor, ela mostrou pra ele uma razão para viver, ele vive para ela e por ela ele faria tudo e a protegeria de todos, mesmo que custasse sua própria vida. Lucas fechou os olhos e ficou com os pensamentos em sua linda alien até dormir, pois amanhã o dia prometeria ser longo, mas ele repetiria tudo apenas para ver o sorriso de seu amor e sabia que ao lado dela poderia fazer tudo, mesmo que isso tenha incluído matar o seu antigo companheiro.

Lucas acorda com os primeiros raios de sol em seu rosto, olha para o lado e ela ainda está ali dormindo com o seu rosto angelical, ele deixa leves selinhos no rosto de sua namorada e diz:

-Meu amor? Está na hora de acordar, vamos? – Diz Lucas enquanto olha os lindos olhos de Dora se abrindo para mais um novo dia.

-Mas já? Tá tão cedo... – Dora reclama fazendo pirraça para acordar.

-Temos que sair bem cedinho hoje, temos que nos encontrar com todos no Palácio do Pai Celestial, ele quer dar um último aviso antes de sairmos. – Explica Lucas tentando acordar sua bela adormecida.

-Tudo bem, tudo bem.. – Fala Dora se espreguiçando. – Vou indo na frente tomando banho, pode ser? – Pergunta Dora se levantando.

-Poder até pode né.. Mas você não acha que seria muito mais divertido se você tivesse a minha companhia em seu adorável banho, madame. – Brinca Lucas esboçando um leve sorriso em seus lábios.

-Você não cansa né? – Diz Dora rindo dando um leve tapinha nos braços de Lucas. – Mas já que é o nosso último momento de descanso, acho que te darei um desconto seu safadinho. – Dora fala passando os dedos pelo peito de seu namorado.

-Por isso que eu te amo garota. – Afirma Lucas com um sorriso vitorioso pairando sobre sua boca.

-Oh, menos hein.. Vai tirando essa roupa ai que eu vou encher a banheira. – Diz Dora se levantando da cama e indo em direção ao banheiro do que agora é o quarto dos dois. – Estou esperando meu amor.

Assim que Dora entra no banheiro, Lucas rapidamente se despe completamente, tirando camisa, calça e sua cueca. Quando ele entra no banheiro, observa Dora apenas de roupas íntimas ligando a torneira para encher a banheira, quando ele a abraça por trás a pegando de surpresa despejando beijos em seu pescoço.

-Aproveite meu amor, que te recompensarei muito mais nessa manhã do que em todas as nossas noites. – Disse Lucas entre os beijos que dava no pescoço de Dora. – Aproveite..

-Vamos ver meu amor, dê o seu melhor. – Diz Dora fechando os olhos para sentindo os lábios de seu namorado dando leves chupões no pescoço de Dora, subindo para suas orelhas dando leves mordidas e lambendo-as para excitar a pequena menina.

Lucas continua com a boca em torno do pescoço de Dora, mas suas mãos não ficam quietas elas passam pela barriga de Dora, subindo e apertando os seus seios ainda tampados pelo sutiã. Dora que por sua vez não se faz de inocente, segura uma mão de Lucas em seu peito, fazendo-o aperta-lo ainda mais, e com sua outra mão levantada puxando os longos cabelos do menino.

Sentir Dora pressionar sua mão contra o peito dela estava fazendo Lucas ficar muito excitado e animado com a reação de sua namorada, conseguiu perceber que a mesma tinha “entrado no clima” que ele queria que acontecesse. Lucas virou Dora para sua frente e a pegou no colo pressionando-a contra a parede do banheiro. Lucas da uma enxurrada de beijos molhados e sedentos na boca de Dora, onde as línguas dos dois exploravam toda região onde pudessem alcançar.

Dora logo passa suas mãos nas costas de Lucas arranhando-o fazendo com que ele soltasse leves gemidos de dor, o que deixava-a muito mais do que satisfeita, e pretendia fazer muito mais só naquela manhã. Porém Lucas não deixaria aqueles arranhões ficarem por isso mesmo, ele arrancou ferozmente o sutiã de Dora com a boca e começou a chupar seus peitos percebendo que em poucos segundos os mesmos se encontravam rígidos e Dora segurava a cabeça de Lucas o pressionando contra seu peito. Lucas chupava, lambia e mordia de leve o bico dos peitos de Dora, fazendo-a se enlouquecer de tanto prazer que aquele menino podia dar para ela. Entre os gemidos de Dora, Lucas podia escutar a menina pedindo incessantemente:

-Mais, mais.. Eu preciso de mais.. – Dora suspirava em meio aos gemidos pedindo por mais, enquanto Lucas chupava seus peitos a deixando extremamente excitada.

Lucas colocou Dora em pé novamente e o mesmo se ajoelhou, Dora ao ver a cena sabia exatamente o que lhe esperava, e ela só aguardava tudo com a maior vontade de ter aquele menino todo dentro dela. Lucas que se encontrava ajoelhado, retirou a calcinha de Dora com a boca, podendo sentir o doce gosto que saia da intimidade de Dora, ela se encontrava completamente molhada tendo diversos orgasmos a cada toque que sentia de seu namorado.

Lucas a sentou na beirada da banheira, voltou a se ajoelhar e botou suas mãos na coxa de Dora abrindo as pernas dela, dando passagem para sua boca se encontrar com a intimidade de Dora, e assim foi feito. Lucas adentrou toda a intimidade de sua namorada, lambendo-a e chupando-a por completo, não deixando nenhuma parte ficar de fora, ele a penetrava com a língua e fazia vários movimentos com a mesma dentro de Dora, fazendo-a ofegar e quase implorar para que ele adentrasse ela mais fundo.

Os dois ficaram por bastante tempo assim, Lucas a lambia e segava todo o doce líquido que Dora despejava em seus lábios por motivo do tamanho prazer que Lucas concedia para ela. Dora não parava de gemer e chamar pelo nome de seu namorado, puxando seus cabelos enquanto sentia toda a boca de Lucas preencher a sua intimidade.

Depois de mais um tempo assim, Lucas se levantou e beijou novamente os lábios de Dora com um lindo beijo apaixonado e molhado, compartilhando com ela o seu próprio líquido que restava na boca de Lucas. Ele a direcionou para dentro de banheira, fazendo-a sentar em seu colo e sentindo a ereção de Lucas perto de sua entrada.

Lucas fazia Dora rebolar em cima de si para a mesma sentir a ereção de Lucas tocando-a. Os dois trocaram mais beijos, mordidas e chupões, Dora chupava o pescoço de Lucas enquanto o mesmo a penetrava com três dedos os movimentando no interior da menina, fazendo-a gemer enquanto chupava-o.

Dora se abaixou um pouco indo de encontro ao membro de Lucas e o abocanhou, ela chupava-o e lambia-o fazendo vários movimentos com a língua enquanto masturbava-o, deixando seu amado ofegante e gemendo pelo  nome dela.

Lucas que não mais aguentava de tanto prazer pegou Dora e a posicionou, ela sabia muito bem o que estava por vir, colocou-a em cima de seu membro fazendo-a abaixar de leve, e quanto mais Dora se abaixava, mais o membro de Lucas penetrava-a. Dora quicava no colo de Lucas pulando sentindo o membro dele a preencher por completa, os dois gemiam alto e ficavam ofegantes, Dora sentia cada vez as estocadas de Lucas aumentarem, ficando mais rápidas e fundas fazendo-a gemer muito mais e arranhar o peito do mesmo de tanto prazer que os dois proporcionam para si, Lucas ao mesmo tempo apertava os peitos de Dora, fazendo-a gemer incessantemente.

Ficaram assim por mais tempo e Lucas podia sentir várias vezes o líquido de Dora escorrendo pelo seu membro e ele pode perceber que sua namorada estava muito mais do que satisfeita, foi então que o mesmo se sentiu livre para despejar todo o prazer que sua namorada o proporcionou. Lucas olha para o semblante de Dora e a mesma já sabe o que acontecerá, ele a estoca muito forte, tirando vários gemidos dela, porém tira seu membro de dentro dela, despejando o seu líquido na mesma hora.

Dora chupa o membro de Lucas, que se encontrava sensível, fazendo o mesmo gemer e se contorcer de prazer. Ele vai até Dora e a puxa para um beijo apaixonado e cansado depois do lindo ato de amor dos dois namorados, terminado por ali a sua diversão.

-E então o que achou meu bem? – Pergunta Lucas ofegante.

-Você sabe o que eu achei, o meu corpo fala por mim. – Dora responde, despejando um selinho na boca de seu namorado. – Bem .. precisamos tomar banho e ir amor, não podemos nos atrasar.

-Vem meu amor, deixa eu te limpar todinha. – Diz Lucas com um sorriso safado entre os lábios.

Os dois tomam um banho e vão para  o quarto para que possam trocar de roupa e se arrumarem para poderem ir, enquanto estavam colocando as roupas, o casal escuta batidas na porta de seu quarto e a voz de Júlia chamando-os para ir.

-EIII, VOCÊS VÃO SE ATRASAR, PRECISAMOS IR!!! – Exclama Júlia querendo adiantar os dois.

-Pode ir na frente, ainda temos que tomar café, avisa para eles que estamos a caminho, nos encontramos lá Júlia. – Pede Dora, não comentando sobre o acontecimento mais recente.

-Okay! Então já estou indo. –Diz Júlia seguindo para o Palácio do Pai Celestial.

Lucas e Dora, vão para a cozinha e comem qualquer coisa que encontram. Os dois pegam o cavalo e seguem direto para o Palácio do Pai Celestial, chegando lá encontram o resto do pessoal antes de entrarem para a sala do trono:

-Oi pessoal, desculpem o atraso, aconteceram algumas coisas, mas bem.. Aqui estamos né? – Diz Lucas se desculpando com um sorriso bobo estampado em seu rosto.

-Algumas coisas? Sei bem o que é isso.. – Vini faz um gesto com as mãos deixando Dora e Julia envergonhadas, mas tirando gargalhadas de Lucas.

-Es-está, tu-tudo bem Lucas.. – Julia aceita as desculpas de Lucas, mas fica incrivelmente envergonhada com o comentário de Vini.

-Bem pessoal, vamos? – Dora fala com o pessoal e entra na sala sendo antecedida pelo seu namorado.

Os cinco entram na sala da trono e encontram o Pai Celestial a espera deles, e Lucas já direciona a palavra para o mesmo:

-Então Pai, aqui estamos como o senhor pediu. Precisa falar  conosco? – Pergunta Lucas olhando para o seu Pai.

-Então, eu os chamei aqui para lhes desejar boa sorte na sua jornada. Não será algo fácil e vocês tem o destino do mundo em suas mãos, mas escolhi vocês por serem os melhores em que posso confiar e acredito que não me decepcionarão. – O pai afirma olhando para os cinco e o semblante de alguns muda para uma expressão de nervosismo. – Para ajudar em sua jornada, eu mesmo forjei com os meus poderes armas para vocês usarem que serão essenciais em todo o trajeto, pois encontrarão inimigos e precisarão de ser fortes.

Enquanto o Pai Celestial falava, um anjo serviçal entregava as armas para os cinco. Para Júlia 1, um arco com dominação elemental terra, para a Julia 2 um arco com dominação em ar, para Vini um cajado com especialidade no elemento fogo,  para Dora, a harpe com dominação em trevas e finalmente, para Lucas a velha espada que o acompanhará em diversas guerras santas, uma espada com dominação elemental em luz e trevas.

-Bem, isso é tudo o que tenho para falar agora. Vocês precisarão passar pela Floresta Negra, e encontrarem o Xamã e só com a ajuda dele conseguirão encontrar o caminho até o Olimpo, que é onde tudo começa. – Explica o Pai Celestial. – Bem, boa sorte. Eu acredito em vocês.

Depois de ouvirem o Pai Celestial falar, um flash de luz percorreu a sala e os cinco se encontravam em uma floresta densa com árvores enormes. Tinham sido teletransportados para a floresta em que o Pai tinha mencionado, a jornada dos cinco só estava começando e eles não sabiam o que os esperavam pela frente.

-Pelos meus cálculos, chegaremos na aldeia do tal Xamã amanhã de manhã, então vamos ir andando e montaremos um acampamento a noite e revezaremos a vigia. – Lucas da as ordens e os outros o seguem floresta a dentro.

Depois de alguns metros andando, o grupo escuta barulhos de cavalos e percebe que os mesmos vão aos seus encontros. Os quatro cavalos tinham as marcas do Pai Celestial, foram dados de presentes para ajuda na longa estrada, os cinco montaram nos cavalos, Dora foi com Lucas em um, e foram em direção a aldeia.

Depois de andarem por vários quilômetros, a lua já dominava o céu escuro e os grupo já tinha terminado de montar o acampamento, foram três cabanas, onde Lucas e Dora vão dividir um, as duas Julias outro e Vini ficara com a menor onde dormirá sozinho. Depois de acenderem uma fogueira, o grupo foi deitar e ficou combinado de Vini ser o primeiro a vigiar o acampamento, e assim foi feito.

Dentro da barraca, Dora já estava dormindo e Lucas ainda demorava a pegar no sono, o nervosismo da jornada e tudo o que havia passado estava rondando seus pensamentos o impedindo de conseguir descansar um pouco. Dora notou a inquietação de Lucas e o perguntou:

-Não consegue descansar meu amor? – Pergunta Dora preocupada.

-Essa situação e tudo o que vai acontecer, não consigo parar de pensar nisso tudo. – Lucas confessa com um tom de voz preocupado.

-Calma meu bem, tudo vai ficar bem. Vem deita aqui vou te fazer dormir. – Dora fala, aconchegando a cabeça de Lucas em seu peito, passando os dedos pelos fios de cabelo do namorado, e a mesma começa a cantar.

 

“Meu anjinho, meu amor

Está na hora de dormir

Dorme, dorme meu anjinho adorado,

Que seu amor está ao seu lado.

Meu anjinho, meu amor

Está na hora de dormir

Dorme, dorme meu anjinho adorado

Que seu amor está ao seu lado.”

 

Depois de terminar de cantar, Dora escuta a respiração pesada de Lucas e percebe que ele conseguiu dormir, ela da um selinho em sua cabeça e diz:

-Não tenha medo meu amor, eu estou ao seu lado e sempre estarei. Vou te proteger. – Diz Dora fechando os olhos para descansar junto ao namorado. – Eu te amo muito.

 

Continua...


Notas Finais


Até o próximo capítulo! Obrigado por lerem! ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...