História All For Power - Interativa - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Adelaide Kane, As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones), Chris Hemsworth, Reign
Personagens Aegon Targaryen, Alys Karstark, Arianne Martell, Arya Stark, Ashara Dayne, Benjen Stark, Brandon "Bran" Stark, Brienne de Tarth, Cersei Lannister, Daenerys Targaryen, Eddard Stark, Garlan Tyrell, Howland Reed, Jaime Lannister, Jon Snow, Khal Drogo, Loras Tyrell, Lyanna Stark, Margaery Tyrell, Meera Reed, Oberyn Martell, Personagens Originais, Rickon Stark, Robb Stark, Sansa Stark, Willas Tyrell
Tags Aegon, Arryn, Baratheon, Blackfyre, Game Of Thrones, Greyjoy, Interativa, Jon Snow, Mormont, Reed, Rei Do Norte, Robb Stark, Stark, Targaryen, Tyrell, Westeros, Winterfell
Visualizações 87
Palavras 3.582
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Fantasia, Luta, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá!!
Queria dar dois recados para vocês antes do capítulo começar!
O primeiro é que eu dei uma mudada no tumblr. Para ir nas páginas das casa cliquem em "Menu" e eu coloquei o link das fichas no nome dos personagens então é só clicar no nome deles que o link abre numa nova guia. Os nomes que não tiverem link são meus!
Segundo: eu estava dando mais uma olhada nas fichas e eu vou pedir licença para algumas de vocês porque vou mudar algumas coisinhas básicas, sem é claro interferir na essência do personagem (é mais para dar certo com o contexto ou com os pais e família). Se vocês não gostarem é só me falar que eu tento encaixar o original de alguma forma.

Enfim, já enrolei vocês demais...
Boa leitura!

Capítulo 6 - Iminências da Guerra


[WINTERFELL]

 A caçula dos Stark observava toda a movimentação em frente ao castelo. Por algum motivo sua prima estava convocando alguns lordes e ladies do Norte para ir até Winterfell. Astrid tinha acabado de voltas dos bosques onde tentava achar um animal para caçar, mas voltou sem nada. Seu arco fora dado por seu primo Jon quando ela tinha apenas três anos antes dele embarcar no navio que acabaria por tirar a vida dele. Caminhava para dentro do castelo e quando chegou lá, uma das damas de companhia e amiga de Lyanna veio correndo dizendo que era para ela se trocar e ir para a sala do trono. Malina a apressou e conseguiu arrumá-la em pouquíssimo tempo. Agora usava um vestido azul marinho e Malina tinha feito rapidamente duas tranças com seu cabelo. Astrid andava rapidamente para o salão e a última vez que correu pelos corredores de Winterfell foi semana passada quando sua irmã Elaria tinha voltado de Dorne, mas a irmã estava mais fria com ela e Astrid não fazia ideia do que ela tinha feito.

 Quando entrou na sala do trono teve a visão de sua prima sentada no Trono de Gelo. Ela usava sua coroa feita de cristais que mais pareciam gelo na cabeça e um vestido cinza que tinha o lobo gigante da Casa delas bordado. Lyanna parecia um pouco intimidadora, mas exibia todos os traços de sua realeza. A loba gigante de sua prima, a Bailey, estava deitada ao lado do trono e ergueu a cabeça para Astrid no momento em que parou ao lado de sua irmã. Nem Astrid nem seus irmãos tinham um lobo, sua prima tinha encontrado Bailey ainda filhote e perdida embaixo da Árvore Coração no bosque sagrado quando ela tinha dezesseis dias de seu nome e Allaric falava que foram os deuses que mandaram a loba para a rainha a fim de compensar a perda de anos atrás.

 —Lady Flint, por favor, se aproxime – Lyanna disse com a voz alta e logo uma mulher alta com os cabelos morenos se aproximou junto com seus filhos.

 —Vossa Majestade – ela falou e seus filhos a acompanharam.

 —Espero que a viagem de Forte do Pavor tenha sido agradável.

 —Foi sim minha Rainha, é muito gentil de sua parte perguntar – ela responde e olha discretamente para seus filhos e eles a olham com um jeito esperançoso – Se me permite antes de tudo majestade, - ela começa e Lyanna acena positivamente com a cabeça – meus filhos, Danny e Eddard fizeram um presente para você e eles gostariam de entregar.

 —Então se aproximem, por favor – a rainha falou animada e notou os olhares de medo de Eddard para sua loba, enquanto Danny já se aproximava.

 —Majestade... tem certeza que ela não morde? – o menino pergunta.

 —Bailey só morde quem quer me fazer mal lorde Eddard, você irá me fazer mal? – ela perguntou e ele negou rapidamente com a cabeça – Então pode se aproximar que ela não irá fazer nada com você.

 Os gêmeos subiram as poucas escadas que tinha e mostraram para a Rainha no Norte um lobo esculpido na madeira e se surpreendeu com a capacidade dos dois e perguntou se foram eles mesmo quem fizeram.

 —Bom, nosso tio ajudou um pouquinho – Eddard falou.

 —Mas bem pouquinho mesmo – Danny falou quase instantaneamente e Lyanna não evitou seu sorriso – E eu amei sua coroa – ela fala mais animada.

 —Muito obrigada a vocês dois, eu amei o meu presente.

 Allaric notou que sua prima ainda segurava aquele lobo de madeira que os gêmeos de Janessa Flint fizeram. Observava Malina Reed ao lado esquerdo do trono e atrás de Bailey e sua tia Anne ao lado direito. O primogênito de Edric Stark estava ao lado da mãe e seus irmãos mais novos estavam em pé ao lado dele. Sabia da necessidade de ser amigável com seus vassalos, principalmente agora. Lyanna havia lhe falado tudo o que estava acontecendo e não podia negar que estava bem preocupado com o futuro do Norte. Observou lorde Marlon Manderly bem ao canto do salão conversando com um emissário de Porto Branco que tinha acabado de chegar. Seu irmão William deveria ter notado a mesma coisa, pois virou para ele com um olhar preocupado, como se estivesse imaginando o pior: os Greyjoy conseguiram conquistar alguma fortaleza. Contudo, não havia nada que os dois podiam fazer, pelo menos não agora.

 —Lady Selene Umber e lorde Jonnel Umber – Lyanna o despertou dos pensamentos com o nome que Allaric conhecia muito bem.

 Selene tinha sido mandada por seus pais a Winterfell para ser uma das damas de companhia da rainha e ela juntamente com Malina se tornaram muito amigas de Lyanna. Contudo, com a morte repentina do lorde e lady Umber, Selene teve que voltar para Última Lareira. Allaric admirava sua beleza, com seus cabelos loiros e seus olhos azuis, mas nunca tinha conseguido nada com ela, nem um beijo sequer.

 William já sabia do jeito com que seu irmão mais velho olhava para a lady Selene, afinal sabia que o mais velho parecia ser um ímã para garotas vaidosas e/ou ambiciosas. Nunca ia esquecer o dia em Allaric tentou beijá-la, mas tudo o que conseguiu foi um belo de um tapa que William começa a rir até hoje quando se lembra. Lyanna também ficou furiosa quando soube do ocorrido e disse que não era para ninguém mexer com suas damas de companhia.

 —Lembra-se do sorriso que Selene tinha no rosto quando tentei beijá-la? – Allaric começa falando um pouco baixo para o irmão, mas antes que Will conseguisse dizer algo, Elaria falou na frente.

 —Jura? Porque eu só consigo me lembrar do tapa que ela te deu nesse dia – Elaria fala debochando do irmão e Will não conteve sua risada, o que atraiu olhares rígidos de seu pai.

 —Tentem se comportar ao menos uma vez na vida, pode ser? – ele disse seco, mirando seu olhar na primeira filha. Os três irmãos notaram o olhar de sua mãe para Edric e depois se virou para eles.

 —Só tentem não dar risada alto, algum lorde pode achar que estão debochando dele e iria criar uma dor de cabeça a mais para nós – Amara fala docemente e seus filhos concordam com a cabeça.

 Elaria virou seu rosto para frente e encarava um ponto fixo na parede. Sabia que Astrid estava do seu lado e certamente se perguntando o que estava acontecendo com a relação das duas, mas nesse momento Elaria só tinha pensamentos para o problema em que tinha se metido.  Queria se ver livre de todo o julgamento que passaria se descobrissem que ela estava grávida, mas ao mesmo tempo não queria tirar esse bebê que crescia dentro dela. Ella tinha plena consciência que o único da família que ficaria irritado e não iria aceitar a situação era o seu pai. Talvez se tiver a proteção de sua mãe e de sua prima fosse o suficiente, ela sabia que as duas não tratariam seu filho ou filha de uma maneira diferente só porque seria um bastardo. Elaria olhou para Astrid e encontrou sua irmã com um sorriso no rosto, possivelmente tentando “refazer” as pazes, mas a mais velha deu um sorriso mínimo e voltou a olhar para frente, apenas para sentir uma mão pegando a sua num ato – mesmo que sem querer – reconfortante e então somente por esse momento Elaria se deixou ser reconfortada por Astrid e apertou um pouco mais a mão da mais nova.

 Selene estava de frente para sua Rainha e grande amiga. Na frente dos outros lordes não podiam demonstrar algum tipo de afeto, pelo menos não em assuntos oficiais. Seu irmão mais novo tinha insistido em vir com ela até Winterfell e então teve que deixar todo os assuntos de lady nas mãos de seu castelão, que na verdade era o Meistre do castelo.

 —Vossa Majestade – ela fala fazendo uma reverência e seu irmão a imita – Carregamos até Winterfell grãos para que possa abastecer a Vila de Inverno, já que os ventos estão esfriando cada vez mais.

 —É uma grande gentileza por parte de vocês dois e você está certa lady Selene, os ventos estão esfriando e como todos sabem: O Inverno Está Chegando – Lyanna falou e todos a olharam mais atentos – Não importa quantas vezes ele vá embora, o inverno sempre volta.

 A rainha ficou mais um tempo ouvindo os lorde e ladies declararem mais uma vez o apoio de suas Casas à Casa Stark e recebendo alguns presentes. De todos os deveres como governante, esse era o que Lyanna mais detestava. A loba-rainha não gostava de ficar sentada o tempo todo enquanto outros vinham a bajular para conseguir algo em troca. Com a ajuda de Selene e Malina, Lya tinha aprendido a ver quem queria tirar somente algum proveito da rainha. Fora também com Selene que tinha aprendido a ter um pouquinho de falsidade, mas aquele tipo “bom” de falsidade e que evita algumas brigas desnecessárias. Olhou para sua mãe que lhe ofereceu um sorriso de encorajamento, a fim de continuar com essas questões. Faltavam os Karstark chegar e assim poderiam dar início a reunião em que discutiriam sobre a questão dos Greyjoy e a possível ameaça de Daemon Targaryen.

 —Lady Malina – Lyanna se virou para a amiga que estava do seu lado e ela chegou mais perto – Onde está o lorde Karstark? – perguntou um pouco baixo e o barulho da conversa no salão contribuiu para que mais ninguém ouvisse.

 —Perdão Vossa Majestade, mas eu não sei a respeito dele. Até onde eu saiba eles não chegaram ainda – Malina respondeu no mesmo tom.

 Segundos depois da resposta de Malina, seu tio Sor Harrion Snow entrou no salão com sua armadura cinza estampando o lobo gigante da Casa Stark. Ele caminhava rapidamente e antes que tomasse seu lugar como Comandante da Guarda Real, sussurrou no ouvido da sobrinha que tinha chegado a notícia que por causa da neve e mais algum problema, os Karstark atrasariam um ou dois dias. Então Lyanna se levantou e bem no momento que fez o movimento, todos que estavam sentados repediram o movimento em respeito à Rainha. Bailey também se levantou, mostrando a todos seu imenso tamanho. A loba estava um pouco maior do que a rainha e o Meistre falava que ela ainda iria crescer, ficando do tamanho do Tornado, o cavalo negro de Lyanna, talvez Bailey chegasse a ultrapassar o cavalo. Foi inevitável não notar os olhos arregalados de Eddard Flint e Lyanna não foi a única a notar.

 —Senhores e senhoras, infelizmente os Karstark tiveram um problema no caminho e ocasionou no atraso deles – ela começou – Peço minhas desculpas, mas como todos sabem o assunto que iremos tratar exige a presença de todos, então devemos esperar que eles cheguem – ela terminou e vários lordes concordaram.

 —Todos estão instalados em aposentos reservados, então peço que tenham calma para que nossas criadas consigam mostrar a todos seus respectivos aposentos – a Rainha-Mãe se pronuncia e todos assentem, fazendo uma reverência para a antiga Rainha em uma forma de respeito.

 Após todo o falatório, Lyanna caminhou em direção à porta, querendo sair o mais rápido possível. Sor Harrion estava ao seu lado e caminhava com uma expressão séria também. Malina só não estava do seu lado porque Bailey ocupava o espaço, então a Reed estava mais atrás junto com Anne.

 —Quero saber dessa história de assassinato envolvendo um dos Karstark direito – ela falou muito séria e olhando para frente, mas Harrion sabia que era para ele – Eu não vou tolerar nada desse tipo debaixo do meu teto.

 

[Pyke]

 Katarina caminhava pelos corredores do castelo que um dia seria dela. Usava as costumeiras calças de couro que seu pai insistia em colocar defeito e falar que ela era uma mulher, então deveria se comportar como uma. Ele quer dizer ser submissa, pensava toda vez que Donel vinha com esse discurso. Nunca foi apegada ao pai, mas depois que ele mandou executar o soldado com quem ela estava namorando decidiu cortar de vez o único e fraco laço que ainda unia os dois. Pelo menos sua mãe tentava defendê-la e dizer que Kat podia e deveria usar calças, não que dava muito certo, mas pelo menos ela tentava.

 Estava completamente distraída quando sem querer esbarrou em seu pai no meio do corredor que mantinha sua costumeira face irritada. Ele apenas resmungou algo sobre olhar para onde andava, mas como a maioria das coisas que seu pai falava, Katarina ignorou completamente. A mais velha sempre teve um ódio quase que natural em si, mas nunca soube como ou o motivo e a única coisa que ela sabia é que com Ryden, ela se sentia “normal” e amada. Somente depois se deu conta que seu pai só existia para lhe arrancar toda a felicidade que ela começava a sentir e passou a remoer ainda mais aquele ódio que tinha por dentro só que dessa vez sabia para quem era direcionado seu sentimento. Ela estava indo para os cômodos do Meistre com o objetivo de tomar algo para diminuir com os pesadelos que tinha desde o dia em que Ryden fora executado bem a sua frente. Abriu a porta e ao invés de encontrar o homem velho, encontrou sua mãe colocando um papel em um corvo.

 —Mãe? – ela perguntou de imediato e Joanne fez um movimento para ela ficar quieta e entrar logo, fechando a porta – O que aconteceu? E porque não deu esse serviço ao Meistre?

 —Kat, eu... eu – Katarina viu a dificuldade que sua mãe estava tendo para explicar e ela não a culpava. Talvez se abrir com Meredith fosse melhor para a lady Greyjoy, já que Kat nunca deu muito espaço para sua mãe sempre ficando mais afastada, não que fizesse de propósito, mas era quem ela era.

 —Pode falar para mim, não vou falar nada para o pai.

 —Tudo bem, lembra-se de quando você tentou matá-lo para se vingar da morte de Ryden? – sua mãe perguntou e antes mesmo que Kat pudesse dizer o contrário, sua mãe a cortou – Nem adianta negar. Você saiu de dentro de mim e eu sei que foi você.

 —O que tem? – Kat devolve uma pergunta e sabia que em sua mãe ela podia confiar, tanto é que ela já tinha ajudado em alguns encontros escondidos com o soldado.

 —Decidi que já está na hora de executar esse plano. Chega de Donel Greyjoy atrapalhando a minha vida, a vida de meu irmão e principalmente atrapalhando a vida de minhas filhas.

 —Você quer mesmo matar ele? – Katarina pergunta com um sorriso no rosto, como se não estivesse acreditando no que acabou de ouvir.

 —Sempre quis matá-lo, mas me segurava por você, Meredith e Hera – quando sua mãe citou a mais nova, Kat se lembrou de que de longe ela era a mais apegada ao pai e ela seria a única a sofrer por ele. Ela é mesmo idiota para gostar dele – Posso contar com a sua ajuda?

 —Eu estou dentro desse plano desde o momento em que ele matou Ryden na minha frente – ela respondeu com certeza e sua mãe acenou com a cabeça.

 Depois disso as duas mandaram um corvo para Rochedo Casterly avisando seu tio, Leo Lannister dos planos de seu pai. Katarina bem sabia que Donel não era inteligente, mas ela nunca pensou que ele seria estúpido o suficiente para começar uma guerra em Westeros a pedido do Rei Daemon.

 Ainda com seu ombro doendo por causa do trombo com Katarina, Donel continuava sua caminhada até o porto. Ele precisava se certificar que os navios de guerra que estava mandando para o Norte, agora dessem conta do recado. Donel nunca pensou que seria tão difícil conquistar os nortenhos, mas o capitão de seu principal navio disse que os Stark tinham investido bastante na marinha e que eram capazes de fazer uma batalha naval. Subiu nos navios e se certificou pessoalmente se tudo estava certo. Quando a inspeção terminou, deu ordem para que eles seguissem para seu destino e ficou sentado em uma rocha que tinha ali perto, nas areias da praia. Gostava daquilo, olhar para o mar e ainda se admirava com a vista que tinha. Sentiu alguém lhe abraçar por trás, mas antes que pudesse dizer alguma coisa, viu que era sua filha mais nova e sua preferida, Hera.

 —Assustou papai? – ela perguntou sorrindo e Donel deu um pequeno sorriso.

 —Não, só estava pensando demais e você veio de repente – ele disse enquanto Hera passava a ficar mais ao seu lado.

 Hera não era nenhuma santa, pelo contrário, era muito rebelde a maior parte do tempo e seus pais tinham plena consciência disso. Tanto Donel e Joanne sabiam, por exemplo, que Hera já não era donzela e que ela fazia o que bem entendia com suas tentações carnais. O motivo de Donel estar falando que essa atitude de Hera estava tudo bem, causou uma fúria ainda mais gigantesca em Katarina que falava se a irmã podia dormir com quem ela quisesse, por que a mais velha não podia? Por que Donel havia matado Ryden?

 A verdade era que Hera sempre foi boa em manipular seu pai, muito melhor que as irmãs. O único empecilho era que sua mãe não era enganada tão facilmente assim. Hera não ligava para o que Katarina dizia ou pensava, assim como não ligava para o que Meredith também dizia ou pensava. O que a Greyjoy mais nova sempre pensava e queria era algum jeito de ter mais poder para si ou conseguir um jeito de aumentar o poder de seu pai. Ótima em manipular as pessoas, não seria tão difícil assim conseguir o que ela queria, ou pelo menos era o que ela pensava. Conversando com seu pai, passava a mão em seus longos cabelos castanhos para deixá-los do jeito que gostava. Falavam sobre os navios que Donel tinha mandado para fora das Ilhas de Ferro.

 —Não é nada que tenha que se preocupar Hera – ele disse olhando para frente. Hera pôde ver que os olhos de seu pai pararam num veleiro não muito longe da costa e nele via cabelos loiros soltos dançando com o vento – Meredith é muito boa em velejo, devia tentar um dia.

 —Claro pai – ela fala escondendo o desgosto na voz e vê seu pai saindo do lugar e indo em direção ao castelo – Meredith me ensinar alguma coisa? – ela faz uma pergunta retórica em tom de deboche – Somente quando os White Walkers existirem novamente.

 Velejar era de longe uma das coisas que Meredith mais gostava de fazer. A irmã do meio sempre sentiu as irmãs distantes para ter um bom relacionamento com elas e talvez isso fosse uma das coisas que Meredith menos gostasse. Ela ama suas irmãs, é verdade, mas não sente a conexão que acha que irmãs deveriam ter. Sempre foi mais próxima de sua mãe que qualquer outra das meninas e ela simplesmente amava a presença de Joanne.

 Mery sentia o vento em seu rosto e isso a fazia se sentir um pouco melhor. Conseguiu avistar seu pai e sua irmã mais nova na praia olhando para ela. Depois de mais algum tempo decidiu que era tempo de parar e voltar para o castelo, ver se sua mãe precisava de alguma ajuda. Mery ficou inconformada com seu pai quando há dois dias trancou sua mãe nos aposentos dele somente por causa de uma discussão. Ela tinha ficado muito brava e só não foi tirar satisfações com seu pai porque sua mãe a impediu. Katarina ficou furiosa com a atitude do pai e Mery percebeu que por mais que ela fosse fria e vingativa, Kat ainda se importava com a mãe. Meredith pensou que naquele dia, Kat matava o pai delas. A mais velha começou a gritar falando que Donel não podia tratar Joanne daquele jeito e a sua mãe tentava acalmá-la, mas nada adiantava. Mery concordava com Kat e por um breve momento quis ajudar sua irmã a matar seu pai. Quando chegou até a areia, Hera a esperava.

 —Nossa querida irmã! Como você é boa em velejo! – Hera começou falando e andando até Mery.

 —Porque sinto que você está sendo muito irônico comigo, querida irmã?

 —Eu? – Hera pergunta fingindo certo espanto – Nunca Mery.

 —Tudo bem Hera – Mery disse ajeitando seu veleiro na praia – No momento eu não estou com paciência para as suas ironias e manipulações – a Greyjoy do meio falou e deu as costas para sua irmã, caminhando para o castelo.

 —Desde quando está assim comigo irmã? – Hera pergunta tentando irritar Meredith um pouco mais.

 —Desde dois dias atrás – Mery virou subitamente e falando com raiva – Lembra-se desse dia? Nosso pai trancou nossa mãe em um cômodo o dia inteiro por causa de uma discussão. Quando ela pôde sair estava passando mal por não ter podido comer e mesmo assim você ficou do lado do pai.

 —Eu vou sempre estar do lado do nosso pai. São vocês que não conseguem ver o quanto de poder nós podemos conseguir se ficarmos juntos.

 Hera terminou de falar e Meredith pensou em gritar um pouco na cara dela para ver se a mais nova acordava para a realidade, mas do nada resolveu que aquilo não adiantaria de nada. Assim, Mery apenas deu as costas para a irmã mais uma vez e começou a ir para o castelo. Meredith não gostava daquela relação que tinha com Hera, mas ela não deixava as coisas fáceis. A única saída que Mery via era sair das Ilhas de Ferro para sempre, ela não aguentava mais nenhum momento naquele lugar junto com aquelas pessoas. 


Notas Finais


É isso ai!
Lembrando que as vagas ainda estão abertas até esse final de semana para as grandes Casas. As vagas para as menores ficarão abertas por mais algum tempo.
Conforme eu for recebendo mais personagens eu vou adicionando no tumblr.

Não se esqueçam de comentar e de me falar o que estão achando.
Para saber todos os aceitos é só acessar o tumblr: https://allforpower-fanfic.tumblr.com/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...