História All For You - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Aria Montgomery, Ashley Marin, Byron Montgomery, Caleb Rivers, Ella Montgomery, Emily Fields, Ezra Fitzgerald, Hanna Marin, Ian Thomas, Jason Dilaurentis, Jenna Marshall, Jessica DiLaurentis, Lucas Gottesman, Maya St. Germain, Melissa Hastings, Mike Montgomery, Mona Vardewaal, Noel Kahn, Paige McCullers, Pam Fields, Personagens Originais, Peter Hastings, Spencer Hastings, Toby Cavanaugh, Veronica Hastings, Wren Kingston, Yvonne Phillips
Tags Alison Dilaurentis, Aria Montgomery, Ashley Marin, Byron Montgomery, Caleb Rivers, Ella Montgomery, Emily Fields, Emison, Ezra Flitzgerald, Ezria, Haleb, Hanna Marin, Jason Dilaurentis, Jenna Marshall, Jessica Dilaurentis, Lucas Gottesman, Maya St Germain, Melissa Hastings, Mike Montgomery, Mona Vanderwaal, Noel Kahn, Paige Mccullers, Pam Fields, Personagens Originais, Peter Hastings, Pretty Little Liars, Spencer Hastings, Spoby, Toby Cvanaugh, Verônica Hastings, Wren Kingston, Yvone Philips
Visualizações 78
Palavras 2.760
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


EU SINTO MUITO MESMO, MEU DEUS, ME DESCULPEM

Capítulo 20 - Goodbye


Fanfic / Fanfiction All For You - Capítulo 20 - Goodbye

Toby colocou suas mãos ao redor de Spencer e a pegou no colo, levando-a em direção a cama. Spencer colocou suas mãos na barra da camisa de seu namorado, no intuito de tira-la, o que ele fez logo de imediato. Enquanto Toby tirava sua camisa, Spencer distribuía beijos de desejo em seu corpo. Spencer e Toby voltaram a beijar-se com tamanha intensidade. A morena foi colocando seu corpo para trás, fazendo o rapaz seguir-te, eles se beijaram, como se aquele fosse o último momento que passariam juntos. Toby começou a desabotoar os botões da camisa de sua namorada delicadamente, enquanto a beijava. Enquanto seus lábios estavam colados, com um movimento rápido, tirou o resto da camisa de Spencer. Toby caminhava com sua mão quente pelas curvas de seu corpo, e a morena fazia o mesmo. Beijavam-se intensamente, tentando ao máximo permanecer com seus corpos colados.

Spencer e Toby beijavam-se intensamente, quando o ar faltou, o rapaz percorreu o corpo de sua namorada com a boca, da forma mais delicada possível. Spencer beijou seu pescoço até chegar em seu ouvido, o rapaz com intensos olhos azuis, gemeu em resposta, o que foi uma iniciativa para que continuasse. Suas intimidades se chocaram, esperaram por aquilo, então, ambos gemeram. Toby não perdeu tempo e selou novamente seus lábios, com uma de suas mãos percorrendo o corpo de sua amada enquanto a outra pousava delicadamente em seu rosto. Um beijo calmo, que ganhava intensidade à medida que o tempo passava, estavam apreciando o sabor da boca amiga. O coração de Spencer parecia que sairia da caixa torácica e respirava com dificuldade.

- Toby – Pediu prazerosamente em uma súplica por mais – Por favor...

O rapaz a beijou de forma mais intensa e urgente, as mãos de Spencer percorreram mais uma vez seu corpo e ela aproveitou para sentir os músculos de seu namorado. As mãos da morena chegaram na barra da calça de Toby, suas mãos tremiam tanto que necessitou da ajuda dele para tira-las. Após jogar sua calça em algum lugar do quarto de Spencer, Toby voltou a beija-la em seu pescoço, e foi descendo por seu colo, até chegar em seus seios, onde os apertou. Retiraram o resto de roupa que ainda restava, ficando nus sobre os lençóis finos da cama de Spencer. Os gemidos de Spencer se fizeram mais altos e precisos. A morena abriu suas pernas, dando permissão para que Toby finalizasse. O rapaz se encaixou entre suas pernas e Spencer, que pôde sentir seu membro entrando lentamente. O rapaz começou a deslizar para dentro de Spencer devagar, sentia apenas o prazer, mas logo veio o leve desconforto seguido da ardência. Toby notou o desconforto de sua namorada e começou a recuar, fazendo-a segurar em seu braço com força pedindo por mais.

Toby voltou a deslizar para dentro de Spencer, que reprimiu um gemido de dor. O rapaz ficou parado por um breve tempo, para que sua namorada pudesse se acostumar com a sensação. Em um pedido silencioso, Spencer moveu seu quadril em direção à Toby, que entendendo o que ela queria, começou a se movimentar vagarosamente, uma sensação incrível, algo bom demais. Eles se beijavam com calma, mas depois que a dor passou, Spencer queria mais, ansiava por mais.

- Toby, mais forte – Pediu ela em meio a gemidos de prazer.

Spencer notou um sorriso se formar no canto de sua boca e logo em seguida ele começou a acelerar seus movimentos. Entrava e saia com seu membro, do corpo de Spencer, rapidamente e com força. A morena já não sentia mais dor, pelo contrário, estava entorpecida de prazer. Instantes depois sentiram, juntos, um tremor percorrer seus corpos, seguidos de uma onda de prazer, ao mesmo tempo que Toby gemeu alto, um liquido quente escorreu de dentro de Spencer.

 

[...]

- Sra. Hastings, eu entendo que precise recomeçar – Começou Tanner – Mas se a senhora sair da cidade com sua filha agora, os responsáveis podem demorar para ter uma audiência.

- Desculpe tenente – Pediu Verônica – Spencer poderá ajudar no que precisar, contanto que esteja longe desta cidade.

- Entendo – Disse Tanner – Obrigada por tudo.

- Não, obrigada eu – Agradeceu. – Sabe, nunca em toda minha vida eu imaginei que isso aconteceria com a minha família. Minha própria filha e meu marido...

- Sra. Hastings, isso acontece – Confortou Tanner – Não se preocupe. Criou sua filha bem, mais infelizmente ela foi corrompida.

- Para onde ela vai? – Perguntou Verônica

- Radley, assim como Alex, Jenna e Bethany – Respondeu – Antes de uma audiência, precisam todos estarem aptos para tal.

- Entendo

- Não se preocupe, cuidaremos de tudo – Disse Tanner por fim – Foque em começar uma vida nova com sua filha. Farei o possível para não as envolver.

- Obrigada – Respondeu Verônica saindo da delegacia.

Sra. Hastings entrou em seu carro e desabou, não se permitia chorar nem mesmo um minuto. Aquela família era difícil, ela sabia, mas tinha passado dos limites. Todos da cidade já estavam informados sobre o caso, uma cidade pequena, com um acontecimento como aquele, era insano não ficar sabendo. Precisava recomeçar sua vida o mais longe daquela cidade, onde erros não eram permitidos serem cometidos.

Passou o resto da tarde fora arrumando e adiantando tudo para a mudança que aconteceria em três dias. Talvez a parte mais difícil seria contar a Spencer e tentar faze-la ir. Como era muito influente, Verônica havia entrado em contato com seus amigos advogados de Washington, estava animada por uma nova vida. Longe de todo mal que já havia sofrido.

 

[...]

- Eu te amo Spence – Disse Toby quando sua namorada encostou a cabeça sobre seu peito.

- Não quero nunca mais ficar sem você – Spencer fechou seus olhos enquanto seu namorado afagava seu cabelo delicadamente.

- Não ficara – Respondeu ele.

Ficaram assim, Spencer com a cabeça sobre o peito de Toby que afagava seu cabelo e cobertos pelo lençol que estava na cama, durante mais algum tempo. Spencer sabia que precisava conversar com o rapaz sobre tudo que havia acontecido, mas não queria estragar o momento.

O celular de Toby apitou em sinal de mensagem minutos depois, fazendo-o virar para pega-lo. Ele leu o conteúdo da mensagem e começou a se levantar.

- Preciso ir, tenho que resolver algumas coisas sobre Jenna – Comentou ele, vestindo sua roupa.

- Fique mais um pouco – Pediu Spencer

- Adoraria ficar – O rapaz depositou um beijo em sua testa.

Spencer estava de pé, havia vestido a blusa de seu namorado.

- Acompanho você até a saída – Disse ela

Toby descia a escada, de mãos dadas a Spencer, enquanto ela o seguia. Ele terminou de vestir-se, colocando sobre seu corpo a jaqueta de couro costumeira que usava na noite anterior.

- Eu te ligo mais tarde – Disse ele a abraçando.

- Vou ficar esperando – Respondeu Spencer aprofundando seu rosto no peito do namorado.

Se despediram e Spencer subiu para seu quarto. Separou uma roupa e foi para o chuveiro.

A agua em temperatura ambiente, entrou em contato com seu corpo. Passou a mão pelos cabelos castanhos e fechou seus olhos, lembrando do momento maravilhoso que tinha passado com Toby. Estava feliz, depois de muito tempo, podia ter esperança de continuar sua vida normalmente com a pessoa que amava.

O sabão foi passado em cada curva de seu corpo, onde, quando tocava, a fazia arrepiar, lembrando dos toques de seu namorado, o que a fez sorrir. Passou o shampoo em seu cabelo, enxaguando e logo em seguida passando o condicionador, após um pequeno tempo de espera, o tirou, deixando que a agua levasse a espuma ralo à baixo.

Ficou por mais algum tempo, relaxando. Quando enfim saiu, olhou-se no espelho, se permitiu olhar sua aparência, estava feliz, feliz como nunca havia se sentido durante muito tempo. Tudo fazia sentido agora, mesmo que tivesse sofrido muito, isso seria apenas uma cicatriz, nada mais importava, pois Toby era tudo em sua vida.

Spencer caminhou até seu quarto, enrolada em sua toalha, fechou a porta, um costume que tinha mesmo estando sozinha. Terminou de secar-se e começou a vestir-se, começou colocando sua calça jeans vinho, uma blusa na cor gelo, sua jaqueta de jeans claro por cima, calçou sua sapatilha e deixou seus cabelos soltos, para que secasse naturalmente.

Estava pronta, apenas pronta para ficar em casa, não tinha planos de sair. Pegou seu celular e desceu as escadas, parando brutalmente no meio dela.

- Mãe?

Spencer voltou a descer a escada com passos largos, e correu para os braços abertos de sua mãe.

- Eu sinto muito – Disse Verônica a sua filha

- Está tudo bem – Respondeu com lágrimas nos olhos.

As duas sentaram de frente para outra e Verônica começou a conversa.

- Podemos deixar tudo para trás, isso será apenas uma lembrança.

- Como assim? – Perguntou Spencer secando suas lágrimas e engolindo sua saliva

- Podemos recomeçar Spence – Respondeu – Washington nos espera.

- Mãe, eu não posso ir – Disse Spencer a olhando incrédula enquanto levantava-se – Tenho a escola para terminar, minha, nossa vida está toda aqui. Não podemos ir.

- Sim, podemos! E iremos Spencer – Rebateu autoritária – Eu só quero o melhor para você. Iremos em três dias.

- O que? Três dias? – Perguntou com as mãos na cabeça – Quando pretendia me contar isso?

- Não foi algo que eu decidi tão rápido – Respondeu – Eu só quero o melhor para você Spencer, e o melhor agora, é ficarmos longe deste lugar. Longe dessas pessoas. Entenda isso.

- Você é inacreditável – Disse Spencer enquanto batia a porta as suas costas, ainda ouvindo sua mãe chamando.

 

Spencer dirigiu, dirigiu até o único lugar onde se sentia livre na cidade. O mirante, seu lugar especial junto de seu namorado.

Saiu do carro quando chegou ao destino, abriu e bateu a porta do veículo com força. Pegou uma pedra que tinha em sua frente e jogou penhasco à baixo, com raiva. Depois pegou outra, e outra, até que não tinha mais forças. Caiu de joelhos próximo a pedra na qual ficava com Toby quando ia até lá.

Permaneceu ali, chorando.

 

A tarde passou, Spencer não saiu de seu lugar. O telefone tocava freneticamente, era Toby, mas ela não atendeu nenhuma vez.

Quando o telefone tocou novamente após um bom tempo, ela apenas o olhou e ignorou a chamada de seu namorado.

- Isso doeu – Disse ele as suas costas

Ela o olhou, de olhos inchados e nariz vermelho, indicando choro.

- Achei que se eu ignorasse, você não ligaria mais – Falou Spencer voltando sua atenção para a paisagem da cidade – Como me achou? Me rastreou?

- Não preciso de rastreador, eu te conheço como a palma da minha mão. – Respondeu ele sentando ao seu lado. – O que houve?

- Toby, não tem uma maneira fácil de dizer – Começou ela. Aquela era a hora – Sua mãe não cometeu suicídio, Bethany a matou.

O silencio prevaleceu, Toby estava visivelmente incomodado com a situação.

- Eu sei – Disse ele após longos minutos de silencio

Spencer não entendeu o que estava acontecendo.

- Descobri a pouco tempo – Terminou ele.

Toby contou a Spencer que havia descoberto quando estava na delegacia, vendo Jenna dar seu depoimento.

- Eu sinto muito – Disse Spencer

- Não quero falar sobre isso – Falou Toby encarando a cidade à sua frente. – O que aconteceu com você?

- Eu vou embora da cidade – Começou ela a responde-lo – Daqui a três dias.

Aquelas palavras foram como um soco no estômago de Toby. Em um momento estavam felizes juntos e no outro poderiam estar separados e infelizes com outras pessoas.

- O que está querendo me dizer? – Perguntou ele tentando fazer com que suas palavras não saíssem tão falhadamente.

- Talvez devêssemos terminar – Disse ela, fazendo com que todas as lágrimas que estava segurando saísse de seu globo ocular.

- Spencer, não! – Exclamou ele. Havia lágrimas de tristeza escorrendo por sua face.

- Toby, não posso ter um relacionamento a distância, isso não é saudável, para nenhum de nós – Argumentou a moça.

- Spencer, eu posso continuar te amando de um milhão de milhas de distância. – Disse ele voltando sua atenção para moça.

- Não se trata de amar – Começou ela o olhando também – Eu nunca irei parar de te amar

Eles ficaram em silêncio. Até que Spencer se levantou e Toby fez o mesmo.

Spencer fez menção de que andaria de volta para seu carro e Toby segurou em seu braço.

- Por favor, fique – Implorou ele chorando

- Me deixe ir, por favor – Falou ela com a voz falha. Sua vista estava embaçada devido as lágrimas que estavam presentes naquela região.

Toby a soltou relutantemente, acabara de deixar o amor de sua vida ir embora. Quando amamos algo, não podemos deixar ir nem por um segundo, porque podemos nunca mais vê-la.

 

[...]

Aquele era seu último dia na cidade, suas amigas tinham acabado de ir embora, Spencer estava no celeiro, arrumando os últimos detalhes para a mudança. Toby havia tentando falar com a mesma, desde a noite que se viram pela última vez. Sabia que se fosse se despedir de uma maneira boa, não conseguiria nunca seguir sua vida. Era necessário que seu coração fosse partido, mas no processo, o de Toby também seria.

Foi tirada de seus pensamentos quando uma voz masculina, seguida de batidas frenéticas, foram ouvidas do outro lado da porta.

- Spencer? Spencer?

Ela conhecia bem aquela voz doce, Toby. Correu até a porta, e ficou atrás da mesma, em silêncio. O rapaz tentou abrir a porta, que não obteve sucesso devido a fechadura.

- Spencer, eu sei que está aí – Insistiu ele

Spencer permaneceu em silêncio, tentando controlar sua respiração e as lágrimas que caiam.

Como em um filme de romance, onde o mocinho e a mocinha estão se separando, uma música se fez presente na cabeça de ambos, uma trilha sonora triste, idealizando o momento.

Vim para te encontrar, dizer que sinto muito

Você não sabe como é amável

Tinha que te ver, lhe dizer que preciso de você

Dizer que te escolhi

- Se eu tiver que quebrar uma janela, apenas para poder me certificar de que você esteja bem, eu juro por...

- Não, eu estou aqui – Respondeu Spencer de olhos fortemente fechados

Conte-me seus segredos, faça-me suas perguntas

Oh, vamos voltar para o começo

Correndo em círculos, lançando a moeda

De cara numa ciência à parte

- Você pode me deixar entrar? – Perguntou Toby com a voz falhada, estava chorando – Por favor...

- Eu não posso fazer isso neste momento – Respondeu com as lágrimas caindo descontroladamente.

- Eu quero falar com você, vamos lá Spencer – Dizia Toby tentando faze-la mudar de ideia, enquanto empurrava com um pouco de força a porta.

- Eu não posso fazer isso Toby – Disse ela com seu coração apertado enquanto tentava fechar a porta – Vá embora, por favor! Acabou

Ninguém disse que seria fácil

É uma pena nos separarmos

Ninguém disse que seria fácil

Mas também não disseram que seria tão difícil

Oh, me leve de volta ao começo

- Não, não, espere! – Exclamou Toby

- Por favor! – Disse Spencer chorando igualmente Toby.

- Spencer, podemos fazer dar certo – Insistiu o rapaz, tentaria de tudo, mas não iria aceitar perde-la tão fácil

Eu só estava analisando números e figuras

Montando o quebra-cabeças

Questões da ciência, ciência e progresso

Não falam tão alto quanto meu coração

- Não Toby, não podemos – Respondeu tentando fechar a porta, sem sucesso

- Spencer, apenas me ouça – Disse Toby desesperado, conhecia o gênio forte que Spencer tinha. – Apenas abra a porta

Diga-me que me ama, volte e me assombre

Oh, e eu corro para o começo

Correndo em círculos, nos ocupando à toa

Voltando a ser como éramos

- Não posso fazer isso – Respondeu ela em prantos – Não torne tudo mais difícil Tobias

- Spencer, eu te amo – Toby falou com a cabeça encostada na porta, que Spencer havia acabado de fechar por completo. Virou de costas e deslizou seu corpo por ela, sentando no chão, ainda insistindo – Por favor, eu te amo.

Spencer amava o rapaz, mas não podia se dar ao luxo de sofrer no futuro, não podia fazer o rapaz sofrer mais para frente. Era melhor acabar com tudo agora.

Spencer deslizou para o chão, onde ficou encostada na porta, assim como Toby, porém, do lado contrário.

- Eu nunca vou deixar de te amar – Respondeu ela alto o suficiente para que ele pudesse ouvir.

Ninguém disse que era fácil

É uma pena nos separarmos

Ninguém disse que seria fácil

Mas também não disseram que seria tão difícil

Eu estou voltando para o começo

- Adeus Spencer – Disse Toby por fim, ainda chorando.


Notas Finais


Roupa Spencer: https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/736x/b7/ae/f3/b7aef32beeb16a266bf02bd1123c0142--pll-outfits-school-outfits.jpg
Antes de começarmos, esse momento hot, gente, eu nunca, nunca, nunca escrevi um momento hot, esse foi o primeiro, então espero que tenham gostado.
Começou tudo de boa, eai... PÁ! UM TIRO! EU TO SANGRANDO! MORTA!!
EU SINTO MUITO, MEU DEUS, EU TO CHORANDO MUITO, AAAAA EU SOU UM SER HUMANO HORRIVEL, EU TO SOFRENDO MUITO, SOCORRO!!!
GENTE EU SINTO MUITO MESMO, ME DESCULPEM, SOCORRO, EU SINTO MUITO!!
EU TO CHORANDO E GRITANDO INTERNAMENTE.
AMO VCS

KISSES
- B


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...