História All I wanted was you - Capítulo 51


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Camreng!p, Hayley Williams, Jeremy Davis, Lucia Vives, Veronica Iglesias
Exibições 1.151
Palavras 1.502
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 51 - Segunda temporada: 51


Três semanas depois

POV. Verônica

Estava no escritório da minha casa estudando para uma prova bimestral que ia ser realizada na próxima semana, quando acordei hoje cedo deixei a Lucy dormindo e desci para estudar, nem tomei café ainda, ando um pouco depressiva pela morte do meu avô, ele era a única pessoa que me entendia, quando assumir para minha família sobre minha sexualidade todos ficaram contra mim até meus pais, minha mãe ficou dias sem falar comigo, já meu pai a única coisa que ele dissera foi “Mulheres não podem gerar filhos para assumir a empresa” depois disso não tivemos uma relação tão boa, meus tios não deixavam eu chegar perto de meus primos porque eu podia levar eles para mal caminho, meu avô foi o único que disse que me aceitava do jeito que eu sou, que não existe amor só entre homem e mulher, eu amava meu avô era um pai que não tenho.

 

- Merda. – Falo esticando o pescoço por estar tanto tempo com ele curvado. Droga, droga, droga.

 

Me levanto da poltrona com as mãos ao pescoço por está dolorido, me sento novamente olhando aquele envelope branco em cima da mesa. Suspiro pela milésima vez por tudo que anda acontecendo comigo.

 

Flash Back.

 

- Eu Marco Iglesias, deixo meus bens a minha neta Verônica Iglesias, deixo minha empresa mais ela só irá assumir com seus vinte e cinco anos, para não se preocupar com sua faculdade, sei que ela será capaz de cuidar da empresa como eu cuidei, deixo minha enrança para que possa ajudar, gastar e viver, mais dinheiro não é tudo minha neta gaste com sabedoria ajude como eu ajudei, não dependa dele, ganhe ele porque se um dia gastará em outro não terá. Para meu filho deixarei outro metade de minha enrança. – Quando o advogado do meu avô terminou de lê o testamento do mesmo meu pai foi o primeiro a se pronunciar.

 

- ISSO NÃO É POSSIVÉL? – Ele bate contra mesa enfurecido e minha mãe tenta aclama-lo. – É só isso que diz ai?

 

- Infelizmente sim senhor. – O advogado diz ajeitando sua mala e tirando de lá um envelope. – Senhorita Verônica. – Ele me estende o envelope branco e eu levanto a sobrancelha em confusão. -  O senhor Iglesias me pediu que a senhorita ficasse com uma cópia do testamento, e ele também me ordenou que lhe desse isto. – Me entende o envelope e um canivete prateado tirado de seu terno.

 

Eu amava esse canivete sempre que pedia ele ao meu avô ele negava dizendo que criança não podia brinca ou mexer com coisas afiada.

 

- Bons senhores tudo o que eu tinha que fazer já foi feito e dito. – Assenti, ele se levantou todos os acompanhando. – Agora se me derem licença eu preciso ir, e meus pêsames.

Fim do Flash Back.

Abri o envelope tirando de lá o canivete prateado onde estava gravado com as seguintes palavras em negrito “Iglesias” uma lagrima solitária desce pelo meu rosto, eu já nem tinha o que chorar todas as lagrimas secaram acho que essa foi a última, sorri com meu pensamento idiota.

 

- Amor? – Ouço a voz de Lucy e saio correndo para fora do escritório.

 

- O que houve? Está sentindo alguma dor? Que ir ao médico? – Digo e a mesma sorri do meu desespero.

 

- Não, eu só acordei e não vi você na cama. – Diz alisando sua barriga onde se encontrava com o pequeno aparecimento da mesma Lucy estava com três meses e nove semanas, eu estava mais nervosa que ela a sua primeira consulta ouvimos o coração do pequeno, agora na próxima à medica disse que vamos poder ver o sexo dele. Eu já sou apaixonada por ele ou por ela. – Onde estava?

 

- Estava estudando para uma prova da faculdade que haverá na próxima semana, desculpe assusta-la. – Ela nega com a cabeça me dando um selinho. – Seu filho está com fome, e eu também. – Amo quando ela se refere a mim como mãe do seu filho, e irei cria-lo como se fosse meu próprio.

 

- Irei prepara umas panquecas você quer? – Ela assentiu passando a língua entre os lábios. – Tudo bem irei fazer um café da manhã deliciosa para os meus dois amores. – Ouvi um “quero waffles também” e caímos na risada.

 

Passamos à manhã assim entre brincadeira caricias e preocupação da minha parte, quando deu 21:00, a Lucy já tinha dormindo em meus braços no sofá, estávamos assistindo um filme, a peguei no colo carregando-a para o quarto no andar de cima e à deitando na cama, quando sair do quarto a campainha tocou.

 

- Já vai! – Falei mais não tão alto por causa de Lucy, abri a porta dando de cara com as meninas. – Há olá.

- Sai vero não vim aqui para ver você. – Dinah disse me empurrando ao entra pela porta.

 

- Educação mandou lembranças. – Falei para ela que me mandou um dedo do meio. – o que vocês estão fazendo aqui? – Dei passagem para outras entrarem.

 

- Não tínhamos nada para fazer e pensamos, por que não ir atentar nossa amiga Vero? – Mani falou logo se sentando ao sofá e Camila e Lauren assentiram fazendo o mesmo.

 

- Cadê a Lucy?

 

- Ela acabou de pegar no sono então a levei para o quarto. – Elas assentiram. – Então o que vamos fazer?

 

- Que tal um filme? – Camila sugeriu e concordamos. – Qual?

 

- Que tal cinquenta tons de cinza? – Olhamos pra mani com cara de taxo e ela se encolheu levantando as mãos como rendição.

 

-Anjos da lei? – Lauren diz com o controle da Netfilx apontada para Tv com o filme citado.

 

- Nunca assistir esse. – Digo.

 

- Eu também nunca assisti é sobre o que?

 

- Eu sei lá Dj eu também nunca assisti. –Lauren diz franzido o cenho. – Foi aleatório na escolha.

 

- Ok chega vocês duas vamos logo com isso e bota esse filme! – Camila toma o controle na mão da namorada e dá o play no filme. – E calem a boca estão ouvindo? – Assentimos rapidamente e nos acomodamos. 

 

(...)

 

Já se passava da meia noite quando o segundo filme terminou Lauren dormia toda debruçada no sofá, Dj morreu no outro, mani também dormia por cima de Dinah, Camila comia alguma coisa que roubou de minha geladeira, eu nem podia dizer nada eu já roubei e assaltei a geladeira dela.

 

- O que tanto você come? – Ela colocou sua mão sobre o peito e arregalou os olhos ao me olhar.

 

- Merda Vero, que me matar sua vadia! – Sussurrou, soltei uma risada baixinha. – Pensei que estava dormido. – Lambeu a colher.

 

- Não consigo dormi. –Ela assentiu metendo outra colherada do que comia na boca. -  O que você está comendo?

 

- Sorvete. – Ela olhou para a pote em suas mãos e me encarou novamente. – Não se importa né?

 

- Não pode comer à vontade. – Ela novamente olha para o pote de sorvete em suas mãos largando o mesmo na mesa de centro e sai correndo.

 

O que foi isso?

 

Corro atrás dela pelo corredor onde a mesma entra no banheiro se debruçando na privada e se desmanchando em vômitos, nojenta!

 

- O que foi isso Mila? – Seguro seus cabelos a ajudando a não se sujar.

 

- E-eu acho que estou gravida. – Arregalo os olhos.

 

- Como assim gravida?

 

- Ué gravida, um bebê. – Ela se levanta dando descarga, baixou a tampa se sentando passando as mãos pelos cabelos. – Por favor não conte isso pra Lauren.

 

- Por que?

- Por que eu ainda não tenho certeza. –Assinto. – Também o medo de como será sua reação.

 

- Ela te ama. –Ela me encara e vejo seus olhos marejados. – Ela irá amar saber que a mulher que ela ama terá um filho dela. – Não chora ok? – Ela assentiu novamente passo os dedos em seus olhos, limpando as lagrimas que teimavam em sair. – Já fez o teste?

 

- Não eu ainda não fiz, só sei que nessas últimas semanas eu ando tendo muitos enjoos, tonturas frequentes, eu ando vomitando nas escondidas por causa da Lauren. – Voltou a chorar. – Eu tenho muito medo da reação dela.

 

- Como eu disse ela ama você sua boba.

 

- Cadê a Verônica que eu conheço? Porque essa daqui em minha frente não é ela. – Sorri de lado a abraçando. – Obrigada.

 

- De nada amigos servem para essas coisas né? – Assentiu. – Agora vem, vamos dormi.

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...