História All I wanted was you - Capítulo 66


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Camreng!p, Hayley Williams, Jeremy Davis, Lucia Vives, Veronica Iglesias
Exibições 659
Palavras 1.539
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá coelhas!

Ignore meus erros ortográficos!

Capítulo 66 - Segunda temporada: 66


- Vim buscar minha filha.

P.O.V Verônica.

Soltei uma risada sarcástica ao ouvi suas palavras. Ele olhava fixamente para minha pequena que me chamava puxando meus cabelos. Keanton deu um passo à frente estedendo os braços.

- Me dê ela. - Me afasto bruscamente apertando minha filha contra meu corpo.

- Você está muito enganado se acha que vai levá-la.

- Mas é minha filha! - Ele diz dando mas um passo.

- Isso não importa. Pai não é quem faz e sim que cria! 

- Me dê ela Verônica. - Nego é vejo ele trincar o maxilar. - Vou pedi mais uma vez.

- Ou você vai fazer o que. Me bater? - Pergunto calmamente.

Ele me olhava irritado e passava as mãos pelos cabelos como se tentasse se controlar para não fazer nada de errado.

- E como você sabe onde eu moro? 

- Tenho meus contatos.

- Vá embora Keaton. - Ele anda em minha direção tentando tirar Valéria dos meus braço mas eu fui mais rápida dando um soco em seu nariz o fazendo cair na grama. - Nunca mais. Está me ouvindo. Nunca mais toque na minha FILHA com essa suas mãos imundas.

- Sua desgraçada! - Falava com uma das mais mãos no nariz que sangrava. 

- Fique longe da minha noiva. Longe de mim. E principalmente, longe na minha filha! - Digo já alterada chamando a atenção de alguns vizinhos. 

- MINHA FILHA. NAO FOI VOCÊ QUEM FEZ! EU SOU O PAI DELA!

- Como eu disse antes. Pai não é quem faz e sim quem cria. - Ele se levanta do chão totalmente grogue com a mão ainda ao nariz. 

- Cadê à Vives? - Ele passa por mim entrando na minha casa.

Há mais esse cara que morrer! 

Ando atrás dele que entra no corredor que dava para cozinha.

- LUCIA! - Grita por minha noiva que aparece no final do corredor com uma feição espantada. 

- Keaton. O que está fazendo aqui! - Ela olha em meus olhos que queimavam de tanta raiva que eu sentia.

- Eu vim pegar o que me pertence. Mas essa idiota. - Aponta para mim. - Não quer me dar MINHA filha! 

Aperto meus punhos logo ouvindo grito vindo de minha noiva.

- SUA FILHA. DESDE QUANDO ELA É SUA FILHA? QUANDO EU MAIS PRECISAVA DE VOCÊ POR QUE EU ESTAVA GRÁVIDA DE SUA "FILHA"  O QUE VOCÊ ME DISSE!? -  Lucy gritava ao pé do ouvido dele que estava cabisbaixo. -  RESPONDE!

- E-Eu sinto muito Lu. 

- Não sinta. Não faça nada apenas vá embora da minha casa e de nossas vidas. - Sua voz saia chorosa olhei seu rosto que estava banhado em lágrimas.

Eu estava com uma vontade enorme de bater na cara desse desgraçado. Olhei para minha filha que olhava pra mim.

-Por favor Lu. Volta para mim eu prometo dar tudo de mim. Iremos criar à Raissa juntos.

Novamente olhei para minha noiva que chorava mais ainda. Quem é Raissa?

- Por favor Keaton vá embora. Por favor. - Cruzou o braço direito à cintura e o direito que limpava a lágrimas. 

- Me deixa levar à Raissa...

- O NOME DELA NÃO É RAISSA! E COMO VOCÊ PODE ME PEDI UMA COISA ABSURDA DESSA. - Fala exaltada batendo com a mão na parede. 

- Eu quero fazer parte da vida dela. - Ele olha pra minha filha.

- Leti mãe.

Ouço minha filha falar tentando tirar minha blusa.

- Leti mãe. - Valéria me olha apertando meu seio.

- Amor... - Ia chama sua atenção quando ouvi um estalo.

- Cretino! - Observo a confusão que ainda havia tendo por minha pequena te me chamado atenção. - Não apareça mas. 

Lucy anda até mim pegando minha filha e dando para ele. Mais o que...?

- Fala isso rápido! - Ela diz ríspida cruzando os braços. 

Sinto uma raiva imensa subi pelo meu corpo ao olha minha filha sendo abraçada por aquele infeliz. Ele dizia algumas coisas baixas enquanto ela tinha suas mãozinha agrarrada na camiseta dele.

- Leti mãe! - Ela estende os bracinhos para mim poder pega-la.

- Esta com fome meu amor? - Pego ela mais que depressa possível dos braços dele. - Vem vamos comer. - Ela solta um grito animado. Ela já entendia algumas palavras, quando falávamos em comer ela sempre soltava um grito em animação, quando era para tomar banho ela começava a chorar para dormi a mesma coisa sempre a mesma coisa.

Sair do corredor com ela ouvindo minha noiva murmurar "Você já demostrou ser um pai presente. Agora vá embora" Solto um risada baixa quando ouvi a porta da frente bater. Lucy entra na cozinha com uma carinha triste e logo abre um sorriso com um grito da nossa filha.

- TETI MAMÃE! 

- Tem alguém com fome. - Cantarola e logo soltamos uma risada.

- Depois que amamentar ela me chame para me dar um banho nela. - Ela assenti posicionando minha pequena no colo.

- Mais não acha que está cedo para banha-la. 

- Não importa. Só quero tirar o contato que aquele idiota deixou na MINHA FILHA. - Digo à última parte ríspida e ao mesmo tempo possessiva. Não sou maluca, só cuido do que é meu. Lucy me olha espantada assentindo. - E de preferência com água sanitária. -  Grito já subindo as escada para preparar o banho de Valéria ouvindo a risada da minha noiva. 

   E sim eu a pedi em casamento. A amo mais que tudo nessa vida. Amo elas.

- P.O.V Lauren.

Já fazia um bom tempo que eu estava na casa se Ally a mesma tinha ido no quarto dizendo ir pegar algo. Havia meses que eu não à via ela andava muito distante e ocupada. Olhei para minha filha no meu colo que dormia tranquila. 

Olho em volta daquela linda sala e algo me chamou atenção. Me levanto com cuidado para não acordar à Luana. Ando até à pequena mesinha de canto ainda com minha filha no colo não podia deita-lá no sofá se não ela ia acordar e iria criar um maior chororô, havia várias fotos da baixinha. Fotos de formatura algumas com amigos não conhecidos fotos com à família. E o que mais me chamou atenção foi um porta retrato onde havia uma foto de Ally e da minha irmã que beijava o rosto da minha amiga.

Elas se conheciam? 

De onde?

Nada minha vinha em mente.

- Pronto está aqui. - Ouço a voz de Ally olho para ela que havia sentado no sofá. - Que houve? - Pergunta confusa ao vê que eu à encarava.

Olho novamente para o porta retrato, mordo o lábio inferior e aponto para o objeto.

- Você conhece minha irmã? 

A encaro novamente e vejo ela ficar tensa. Ally passa as mãos pelo seus cabelos lisos e sinto ela nervosa. Escuto o barulho da porta sendo aberta mais pela parede que cobria a mesma não dava para ver quem entrou.

- Sim eu à conheço. - Ergo as sombracelhas para que ela continuasse. - E-Eu que dizer nós...

- Amor eu não encontrei os cooks. - Uma voz familiar entra por meus tímpanos vindo da cozinha e vejo Ally ficar mas tensa do que o normal. - E aquele atendente é muito mal educado. Como é mesmo o nome dele? - A "voz" que vinha da cozinha agora mexia nas panelas. - Johan. Jhon. Não, como é?

- É Joshua! - Ally grita mas não muito alto pela minha filha e me encarando. 

- Isso Joshua! Esse come merda me atendeu muito mal. 

Começo a andar até a cozinha quando sinto pequenas mãos no meu ombro.

-  M-Me desculpe. - Minha amiga pede e eu volto a andar entrando na cozinha. Arregalo os olhos olhando a imagem da minha irmã sentada no balcão.

- T-t-taylor! - Minha irmã me olha com cara de tédio e logo abre um grande sorriso olhando à sobrinha nos meus braços.

- Cadê o bebê da titia. - Minha irmã pega minha filha no colo que logo acorda. 

- O que está acontecendo aqui Allyson?

- E-Eu posso explicar. - Minha amiga segura meus ombros como se eu fosse fugir. 

Olho novamente para minha irmã que brincava com Luana que gargalhava.

- TAYLOR! - Grito assustando todas ali.

- Aí Lauren para de gritar. Você ainda tem essa mania de gritar por que ninguém te dar atenção? - Nego e dessa vez eu que passo as mãos pelos cabelos. - Amor eu estou com fome. - Minha irmã diz olhando para Ally que roia as unhas encostada no balcão.

- A-Amor!? - Digo incrédula.

- Oh você ainda não contou.

- Contou o que?

- Eu e sua irmã estamos namorando!

Tan Tan Tã!

- OQUE!? - Grito. - ALLY! COMO ISSO ACONTECEU!

- Para de gritar porra! - Minha irmã grita me dando um palmada na cabeça e eu à fuzilo com os olhos por xingar na frente da Luana. - Aconteceu e pronto.

- Não isso não pode.

- O que não pode Lauren. - Taylor diz ainda brincado com minha filha.

- Isso...

- Cala boca.

- Não...!

- Cala boca. -  Cruzo os braços com um bico nos lábios. - Sabe maninha a Camilinha iria adorar saber o que você fez com aquela revista pornográfica.

Coro lembrando daquele dia. Oh Deus!

- Ela não irá acreditar...

- Irá sim.

- Não vai porra! - Digo já exaltada.

- Porra. 

Arregalo os olhos ao ouvi minha filha xingar. 

- Porra. - Diz novamente empolgada batendo palmas. - Porra Porra.

Estou totalmente fodida!

.

.

.




Notas Finais


@COMENTEM! ❤😪


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...