História All my Loving - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Draco Malfoy, Hermione Granger
Tags Dramione, Harry Potter
Visualizações 43
Palavras 2.125
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Heeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeey leitores, tudo bem?????
Peço desculpas pela demora e agora estou de volta!!

Capítulo 9 - Secretos compartilhados


Fanfic / Fanfiction All my Loving - Capítulo 9 - Secretos compartilhados

POV.Narradora.

Hermione sentava na cama enquanto a Gina andava o quarto todo, seus pés batiam em piso o suficiente para abrir o buraco. A Granger não podia deixar de notar como ela era parecida com a Amy. Seus cabelos ruivos já cresciam a altura das costas, leve ,claro e brilhoso, sua pele era muito clara, olhos castanhos claro que parecia verdes. Era baixa e magra, sua cintura era fina e seios médios, não eram maiores e também não era menores. Seus lábios tinha cor nudez e ciclos maiores naturalmente. Hermione sempre se invejava pela beleza da sua melhor amiga, mas nunca deixou de admitir que ela era tão parecida com sua irmã, se perguntava se a Amy era uma Weasley perdida.

Balançou a cabeça afastando seus pensamentos ao observar o nervossismo da ruiva, ela parecia mais irritada.

-Eu juro que vou azarar aquela corvina, Hermione. Você vai ver.-Ela disse irritada, fazendo a castanha ficar em silêncio. Ela não se atrevaria interromper a amiga quando está nervosa.-Como aquela vadia pode dar em cima do MEU NAMORADO mesmo sabendo que eu estava em sua frente?

-Calma Gina, ela é só amiga do Harry.-Hermione disse acalmando a sua amiga.-Ela só estava dando parabéns pelo pomo que Harry pegou no jogo de Quadribol.

-Claro, como tipo: "Parabéns Harry por ter pegando o pomo, nós vemos na sala Precisa. Você conhece as regras do jogo de Quadribol? Ir atrás e pegar um Pomo, e nesse caso eu sou um pomo de Ouro". -Gina imitou a fala da Cho Chang com tom de sarcasmo, ainda irritada.-Isso é sim, ela dando em cima do meu namorado.

Hermione riu da drama da amiga.

-Ela não disse exatamente isso, eu estava lá.-Hermione disse abafando a risada enquanto a Gina lançava o olhar mortal para a melhor amiga.-Ela só desejou parabéns e sobre regras, mas não disse exatamente sobre ser pomo de ouro. Deixa de drama.-Revirou os olhos.

-Drama? Aposto que por isso você não tem namorado pois não entende o que eu sinto. Ela estava dando cima dele, em outras palavras.-A ruiva falou ainda irritada e parou de andar e ficou na frente da Hermione que estava sentada na cama, notou a expressão indiferente da amiga.-O que foi?

-Nada.-Falou com voz falhando, Gina revirou os olhos impaciente.

-Nada uma ova, me fala o que é?-Pediu irritada e cruzando os braços, a castanha bufou.

-Tá. Eu estava pensando que acabei de notar que não tenho namorado.-Murmurou fazendo careta.-E lembrei do Rony....

Gina suspirou, não havia percebindo o quão estupida foi em falar alto sobre ela não ter namorado. Sabia muito bem da história sobre o Rony.

-Me desculpe, eu não notei que tinha tocando desse assunto.-Suspirou e se sentou na cama em frenta da amiga, suas pernas dobraram assim como as pernas da Hermione.-Mas você sabe muito bem pode contar comigo, certo?

A castanha suspirou, decidindo confiar da ruiva. Então encarou seriamente e olhando nos olhos dela.

-Nós não terminamos apenas por ele gostar da Clara McCall. Eu inventei.-Confessou desanimada, seus olhos encheram de lágrimas.-Depois de comerçamos a namorar quando Voldemort tinha morrido, estavamos juntos como vocês sabem, então Rony ficou distante depois de alguns meses e achei que era por causa da perda do Fred, mas....depois disso, Rony inventou uma desculpa para ir até o MInistério da Magia encontrar o pai, eu estava desconfiada. Eu sabia que não houve algo tratando de Ministério que mencione sobre seu irmão, então eu o segui de fininha e eu encontrei ele com a....-Fechou os olhos, como se não quisesse lembrar daquilo, mas ela lembrava.-Srta.Malfoy, ela estava o pagando, como se ele fosse contrabandista.

-O que?!-Gina arregalou os olhos, surpresa.-Mas espera, a Srta.Malfoy?

-Eu também não entendi porquê ela, mas pelo que entendi, ela estava o pagando para capturar os comensais de morte para chegar até o Lucius Malfoy.-Explicou séria.-Assim que eles me viu, ele tentou me explicar mas não dei chance, então não sei qual motivo real de tudo isso. Apenas terminei com ele porque ele era o contrabandista.

-O que ele fez é ilegal!-Gina grunhiu irritada, se levantando na cama.-Vou contar para mamãe!

-NÃO!-Hermione gritou num tom alto, assustada e negando com a cabeça.-Não faça isso, nem eu sei se era contrabando ou não, mas não conte a sua mãe até a gente descubra sem fazer merda, okay?

A ruiva suspirou e voltou a sentar na cama.

-Tudo bem, vamos descobrir sem contar para mamãe. Mas depois de tudo isso, por que voltaram a se falar?-Perguntou Gina ainda confusa.

-Para não complicasse ainda mais a sua familia. É claro que não falamos sobre aquilo e fingimos que aquilo nunca aconteceu.-Respondeu dando de ombros.-E agora, ele está por ai pegando algumas garotas.

-Desgraçado. Com a Srta.Malfoy como nossa professora da DCAT, será que eles ainda estão fazendo sei lá o que é que me parece ilegal?-Gina perguntou pensativa, preocupada com o irmão.

-Não sei, mas espero que tenham acabando, pois sinto que se eu soubesse, aquilo vai me decepcionar de verdade.-Falou a castanha pensativa.

-Espero.-GIna concordou.

 

......................................

Draco entrou em sala de DCAT de fininha e se sentou em uma das mesas qualquer comendo maça verde. O ceú na janela estava escurecendo e somente a lua iluminava pela sala, enquanto comia sua maça verde, escutou dois passos silênciosos aparecer. Bufou ao ver dois garotos que ele desejou não ter aparecido.

-Minha mãe ainda não apareceu.-Draco avisou para os garotos.-Agora fique satisfeito pelo dinheiro, Dylan Stuart.

-Era o minimo que posso receber.-Disse Dylan debochado.

-Não é boa hora de brigarem, se alguém nos viessem o que estamos fazendo, já era.-Ronald Weasley falou para os dois com expressão séria.-Sua mãe nos mandou esperar aqui, Malfoy?

-Sim, teria sido facil se fosse na Sala Precisa.-Ele bufou irritado, Rony suspirou alto.-Também teria sido facil de não tivessem aceitando o nosso acordo para chagar ao meu pai, sabiam?

-Você sabe que todas as respostas do seu pai vale muito mais, e ele sabe mais sobre quem é aquele misterioso Organização Anônimo.-Rony falou sério, o loiro bufou pela primeira vez que teve que concordar com seu inimigo.-Precisamos chegar até ele e convencer a revelar sobre aquele Organização, Draco. Pois eu temo que eles possam fazer algo ruim para os bruxos tanto quanto os trouxas.

-Não que eu fosse achar ruim, mas você quer mesmo colocar todas as pessoas que ama em perigo? Até mesmo a Granger e a McCall?-Draco pertguntou, Rony notou que ele não estava brincando. Sem ironias, sem deboche e sem sarcasmo.

-Eu sei os riscos e tenho que arriscá-lo.-Falou Rony firme.

-Então se prepare.-A voz da Narcisa apareceu, ela tinha acabando de entrar na sala, fechou a porta e colocou feitiço silencioso.-Por que esse membro da Organização Anônimo são espertos e vão descobrir sobre sua familia e amigos e vão atrás de cada um deles. Tem certeza de que quer continuar com nosso acordo?

-Certeza absoluta.-Disse firme, Narcisa avaliou o ruivo como se ele fosse capaz ou não em entrar no grupo. Assentiu e devolveu três sacos de galões para os três garotos.-Então qual é o plano, Chefe?

-Meu plano é que amanhã vocês três vão entrar em Azkaban, já falei com MInistério Kingsley Shacklebolt para que vocês pudessem entrar lá disfarçados e ele concordou, então quando vocês entrarem, torturem meu marido para conseguir a informação.-Falou fria como se não importasse com o sofrimento do Lucius.-Se ele recusar a falar, obriguem-o a beber o porção da verdade.

-Tem certeza, mãe?-Draco perguntou para a mulher que assentiu com sorriso amarelo.-Está bem. Faremos isso, mas como vamos fazer isso sem os dementadores por perto?

-Por isso eu trouxe esses colares.-Disse abrindo uma caixa marron que estava escondido atrás na sua mesa, os garotos se aproximaram curiosos. Os colares são iguais e havia uma cristal brilhando azul, como diamente.-Esses colares vão impedir de os dementadores enxergar vocês. Eu chamo de Filtros de perpeção, por mais muitos tenta mas impede de ver vocês.

-Ótimo, agora me sinto bem melhor.-Rony falou sarcasticamente.

-Bom, se alguém ver vocês, a obrigação é apagar a memória. E por fim, acho que vocês sabem muito bem o que fazer. Pode ir.

-Espera, o que a McGanagoll acha?-Dylan perguntou curioso, Narcisa suspirou.

-Fazemos parte da Ordem da Fênix, ora. Ela quem nos ordenou a procurar informações da Organização.

..........................................

Ter ataque de Pânico era umas das piores sensações que já teve durante nos últimos dias. Sentia seus pulmoes subir e diminuir rapidamente, suas mãos tremiam e por sorte ela estava sentada na cama, o quarto era escuro. Depois de passar por pesadelos que deixou ela de estado dessa, sentia-se sufocada, como se não pudesse respirar.

Era o mesmo pesadelo pelo menos três semanas, mesmo sonho, mesma sensação. Aquele sonho que lhe causava arrepios, um homem usando uma gravata borboleta roxo com um terno preto e um capa sobretudo da mesma cor estava entre os outros homens usando mascaras e capas negra. Ela não conseguia ver quem era o homem do seu sonho, o rosto estava borrando, nem dava para ver, nem também dava para reconhecer aquele voz. Mas sabia que ele era tão familiar. No sonho, parecia que ela estava dentro no corpo do homem, a conversa era tão estranha como algo do tipo:

"-Você sabe que está cobrando favores, Rafael. Você sabe que irei atras da sua familia se não me entregar aquele envelope que têm escondido há anos!-A voz do homem era tão fria que assustava a Amy. O homem encarava o velhote de gistalho, ele tinha rugas profundo no rosto e olhos quase branco, mas ele parecia enxergar perfeitamente. O velhote usava terno cinza e segurava um bengala com detalhe em Dragão cinza. O tal Rafael parecia assustado e ao mesmo tempo frio.

"-Não acho que será necessário. Já verifiquei o envelope e não há nada, apenas um papel vermelho, sem assintura.-Rafael respondeu, Amy podia sentir a raiva do homem crescer.

"Não importa! Eu quero aquele envelope! Terá que me devolver agora e terei que lhe mostrar mistericordia."-O dono da sua cabeça disse ainda com a voz raiva. O Rafael tremeu.

"-Não posso...não posso te devolver. Você sabe muito bem o risco da minha familia e não vou deixar que você leia aquela carta!-Rafael gritou se afastando e tirando algo na bengela, era uma varinha.

"-Explliarmus!-O outro seguidor gritou, a varinha do Rafael voou até do mesmo seguidor. O velhote engoliu em seco.

"-Prefiro morrer a te devolver.-Rafael disse, o homem que Amy estava dentro ergueu a varinha para no Rafael.

"-Então eu mandarei meus fieis seguidores irem até a sua casa achar o envelope, eles tem minha permissão de matar toda a sua familia. A sua filha....Katherine, esse é o nome? Pena que ela e a filhinha dela dentro da ventre não terão chance de viver.

"-Por favor.-Rafael implorou, mas o homem não mostrou piedade.

"-Avada Kedavra.-Uma luz verde iluminou para o Rafael que voou até a parede e caiu no chão. O velhote estava palido e olhos abertos, sem vida."

Amy suspirou, era o mesmo sonho estranho e assustador. Ela não pretendia ignorar aquele pesadelo, mas sabia que sonho era apenas sonho e nada disso era real. Assim que se levantou, sentiu seu corpo calor e isso lhe causava desconforto. Resolveu pegar suas coisas de banho e caminhou até o banheiro.

Era madrugada, mas para se livrar do calor e esfriar a cabeça, acalmar seu ataque de pânico, retirou sua pijama e fez coque em seu cabelo ruiva, viu a banheira que parecia uma piscina. Água estava cheio e tinha fumança por toda parte, sabia que a água era morna mas havia sabões também, pois estava cheio de bolinhas.

Assim que colocou seu pé na água, seu corpo inteiro arrepiava de frio e cantando sua coragem, enfiou seu corpo para água e se relaxou, fechou os olhos tentando esquecer sua imagem do sonho.

-Não sabia que você também toma banho na madrugada.-Amy se assustou com a voz conhecida, abriu os olhos desesperadamente e viu o Blás na sua frente de espaço, ele também estava ali relaxando. Parecia que estava ali fazia tempo.

-Eu...ah....eu estava com calor e resolvi me limpar.-Explicou e o moreno sorriu malicioso, a ruiva arregalou os olhos.,-Não é isso que está pensando.

-Não precisa se envergonhar, todo mundo faz isso quando sente desejos.-Falou fazendo a ruiva corar violentamente.

-Eu sei e faço isso as vezes, mas não é isso.-Explicou nervosamente e gaguejando.-Tive sonho ruim.-Falou tensa.

-Ah faz sentido.-Blas deu de ombros e suspirou.-Posso sair daqui se quiser ficar sozinho.

-Não precisa.-Amy disse sorrindo envergonhada.-Eu só...eu só queria me relaxar, mas pode se relaxar também aqui, afinal, o banheiro também é seu.

-Não é estranho para você? A gente na banheira pelados.-Ele observou, Amy concordou dando leve risada.

-Isso é um problema para você?-Ela perguntou divertida, o moreno sorriu malicioso.

-Não. Não mesmo.


Notas Finais


Gostaram???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...