História All Of Me - Second Season - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Alfredo Flores, Drama, Justin Bieber, Ryan Butler, Vanessa Hessler
Visualizações 226
Palavras 1.278
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


// Prólogo

Pensei em iniciar a segunda temporada de All of Me e espero que tenham gostado da novidade.
Boa leitura e não deixem de acompanhar.

Capítulo 1 - Prologue


Fanfic / Fanfiction All Of Me - Second Season - Capítulo 1 - Prologue

Justin Bieber

— Justin, diga que ela está mentindo ou que isso é apenas um terrível pesadelo.

Sophie apareceu de repente me assustando. Fechei os olhos e respirei fundo antes de olhar em seus olhos.

— Sente-se meu amor.

— Eu não quero me sentar, eu preciso que me explique o que acabei de ouvir.

— Explicar? Por um acaso é necessário? — Violet disse chamando nossa atenção.

— Cale a sua boca. — respondeu Sophie controlando sua ira. — Justin, explique agora o que essa vagabunda acabou de falar.

— Estou tão confuso quanto você meu amor.

— Não me chame assim.

— Sophie, por favor, não faça isso.

— Estou confusa e magoada, não me chame assim.

— Violet está enganada, Sophie.

— Enganada? Justin, gravidez não é engano. Veja os exames na mesa, Sophie, eu estou dizendo a verdade. Eu não gostaria que você tivesse descoberto desta maneira, sinto muito.

— CALE A MERDA DA SUA BOCA AGORA! — Sophie gritou descontrolada e eu a abracei para tentar acalmá-la.

— Você precisa se acalmar meu amor, isso não vai te fazer bem.

— EU DISSE PARA NÃO ME CHAMAR ASSIM. — gritou novamente usando toda sua força para se desfizer do abraço. — Como eu nunca suspeitei de vocês dois antes? Quer dizer, é claro que sentia ciúmes, mas nunca passou pela minha cabeça que vocês dois fossem amantes. Por mais que minha mãe tivesse me alertado sobre a aproximação da Violet com você, eu quis ignorar, porque eu sempre confiei demais em você, Justin. Eu não consigo acreditar que a gente vai passar por mais uma peça do destino. — Sophie olhou para cima e respirou fundo antes de nos encarar novamente. — Isso tem que ser mentira.

— Sophie, eu juro que nada aconteceu entre Violet e eu.

— Sério isso, Justin? Estou grávida de um filho seu e você me diz que nada aconteceu entre a gente?

— Se você não calar essa merda agora, eu juro que mato você. — anunciou Sophie com o maxilar travado próximo ao rosto de Violet, que se assustou. — Não fale mais nada, pois eu sou capaz de fazer isso e da forma mais lenta e dolorosa.

— Se acalme, por favor.

— Calado você também, seu estúpido. — disse virando-se e olhando em meus olhos. — Tire essa vagabunda da nossa casa antes que eu a mate de tanto bater. — pediu antes dar um soco em Violet e sair do meu escritório.

Eu estava ferrado.

 

[...]

Expulsei Violet da nossa casa e pedi aos seguranças que não deixassem ela se aproximar novamente. Voltei pra dentro e subi as escadas em direção ao quarto rezando para tudo ficar bem. Sophie sempre foi ciumenta, até mesmo antes de nos relacionarmos, mas nunca agiu assim antes. Ela já bateu, já gritou e xingou muito, mas pela primeira vez, Sophie agiu friamente. A noite seria longa e eu agradeci a Deus por Melanie e Lorenzo estarem na casa de Beatrice, pois um furacão estava dando as caras e eles se assustariam com nossos gritos.

— Ela já foi. — falei após fechar a porta do quarto.

— Você deveria ter ido junto. — disse colocando o celular no criado mudo.

— Precisamos conversar.

— Você deveria ter dito isso antes de eu escutar aquela conversa.

— Como, sendo que eu nem sabia?

— Vai dizer que não se lembra do dia que me traiu? Ou que ela estava mentindo na maior cara de pau e correndo o risco de perder o emprego?

— Eu nunca quis uma nova administradora.

— Agora vai colocar a culpa em mim por ter atendido ao seu pedido de dedicar mais aos nossos filhos até Lorenzo começar a ir para a escola?

— Claro que não.

— Então, sim, você quis uma nova administradora.

— Sophie...

— Justin, eu deveria estar gritando feito uma maluca ou ter quebrado todo seu escritório e a cara de vocês dois, mas estou tentando conversar para poder entender o que ouvi. Colabore.

— Eu juro que não sei como explicar. Violet apareceu do nada e disse que tinha um assunto sério, pedi para ela ir direto ao ponto e ela me joga uma bomba dessas e em seguida você aparece.

— Desde quando?

— O quê?

— DESDE QUANDO ISSO ESTÁ ACONTECENDO?

— Eu juro que nunca aconteceu nada entre nós dois.

— ENTÃO POR QUE ELA VEIO AQUI E DISSE ISSO? — gritou antes de deixar as lágrimas tomarem conta de seu rosto. Eu odiava ver Sophie chorar.

— Preciso que confie em mim.

— Estou confusa.

— Eu sei, mas ainda assim preciso que confie em mim e que tente se acalmar.

— Como você pede para eu me acalmar? Acabei de descobrir uma traição e um filho seu, Justin. É muita informação.

— Também foi muita informação quando te reencontrei e descobri que tinha uma filha.

— Você se lembra de o que aconteceu depois?

— Todos os dias, e eu sinto muito, por isso estou pedindo para confiar em mim.

— Eu não sei se consigo.

— Não me lembro de ter me envolvido com ela. Violet já tentou me beijar algumas vezes, mas eu nunca dei oportunidade para que isso acontecesse, exceto uma vez... — revelei fazendo-a me encarar perplexa. — Me escute até o final, por favor.

— Não posso ouvir isso.

— Você se lembra daquela briga que tivemos há alguns meses atrás e ficamos algumas noites separados? — ela assentiu e eu prossegui — Estava com a cabeça quente e decidi ir para o estúdio. Você sabe que eu sempre saio de lá renovado, mas assim que cheguei me encontrei com ela e bebemos muitas doses de uísque juntos conforme eu lamentava o que aconteceu entre você e eu, então Violet se aproximou e beijou meus lábios.

— Pare. — pediu e eu ignorei.

— Empurrei Violet e gritei com ela, que se desculpou e me ofereceu uma carona, pois estávamos bêbados e seu motorista nos levaria embora. Sophie, depois disso eu não recordo de mais nada. Acordei quase na hora do almoço com Violet me encarando com uma aspirina na mão e um copo com água.

— Você é um lixo. Estava tão bêbado que não se lembra do que aconteceu. Pense mais e tente descobrir como foi sua noite de amor com aquela vagabunda, porque agora você será pai de um filho dela. — Sophie se levantou para se distanciar de mim. — Eu gostaria de não ter escutado essa conversa, de não ter matado aquela vadia e você. Aqueles malditos exames comprovam a gravidez, os enjoos que ela teve durante as últimas semanas sempre que nos encontrávamos para tratar dos seus negócios também confirmam. Como fui tão cega ao ponto de não ter percebido nada? Eu me lembro de ouvir você com alguém no telefone falando dela assim que nos reconciliamos e agindo estranho quando eu cheguei avisando que as crianças estavam em casa. — ela passou a mão direita na cabeça e riu sem emoção — Foi naquela semana? Porque esperou passar dois meses para contar essa história? Estava bolando algo para me fazer acreditar e dizer “coisas assim acontece meu amor”? COMO TEM CORAGEM DE ME PEDIR CALMA? — gritou partindo pra cima de mim e me empurrando com força — VAMOS COMPLETAR CINCO ANOS DE CASADOS NO FINAL DA SEMANA. POR QUE FEZ ISSO COMIGO? POR QUE FEZ ISSO COM NOSSOS FILHOS? — a cada pergunta ela me empurrava com mais força. — Por que não bateu a real e terminou esse maldito casamento? Por que não me disse que estava infeliz? Quando tudo esta indo bem demais sempre acontece alguma desgraça.

— EU JURO QUE NADA ACONTECEU.

— PARA DE MENTIR, MERDA. NÃO SEJA AINDA MAIS ESTÚPIDO. — ela gritava e chorava feito uma criança. — EU TE ODEIO. — suas pernas bambearam e eu a segurei antes que ela caísse. — Sai de perto de mim.

— Você está bem? — perguntei preocupado, pois ela ficou pálida de repente.

— Estou ótima, idiota.

— Sua pele está pálida.

— Deixe-me sozinha.

— Não sem antes saber o que você tem.

— Um bebê.


Notas Finais


Justin e Sophie estão de volta e eu prometo muito drama para vocês ficarem iradas comigo.
Favoritem a segunda temporada de All of Me e deixe nos comentários seu user para que eu possa avisar quando sair novos capítulos.

Primeira temporada: https://spiritfanfics.com/historia/all-of-me-5015598
Grupo no face: https://www.facebook.com/groups/jdbimaginebelieber/
Meu perfil no TT: https://twitter.com/trustmejustinb


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...