História All Of Me - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Drama, Justin Bieber, Rock, Rock And Roll, Romance, Shows, Tour
Visualizações 1.786
Palavras 1.600
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sinto que vocês querem me matar, mas eu tinha me esquecido da fic kkkkkkkkkkkkkk
Enfim, minhas aulas voltaram e fiquei três dias escrevendo este capítulo, pois a cabeça tava meio fraca para pensar.
Não ficou grande como queria, mas espero que gostem.
Boa Leitura ♥

Capítulo 15 - Canadian Warriors


Fanfic / Fanfiction All Of Me - Capítulo 15 - Canadian Warriors

Sophie Davis

Dias mais tarde

Férias. Nada mais gostoso que respirar o ar as férias. Peguei meu carro e resolvi almoçar em um restaurante. Estava cansada para cozinhar algo. Faculdade de administração deixa qualquer um louco. Fiz meu pedido e enquanto aguardava, recebi um sms.

“Conhecer as montanhas rochosas Canadenses e ficar hospedado em Vancouver ou assistir os Lakers derrubaram o Bulls no Staples Center com direito a um passeio na praia La Jolla para comemorar?”

Era Christian.

Sophie: “Pensei que já estivesse fora de Atlanta. Eu escolheria o jogo dos Lakers, mas se você quer descansar, vá para Vancouver”.

Christian: "Eu realmente preciso descansar, mas este jogo será muito importante para meu time e eu seria louco em não ir. Concorda?”.

Sophie: "Completamente! Vá ao jogo e seja o amuleto do nosso time, e sobre a praia, nunca a visitei, mas pelas fotos que vi, imagino que seria um ótimo lugar para descansar e comemorar a vitória dos Lakers”.

Christian: "Obrigado pela atenção, Sophie”.

Sophie: "Por nada. Mande fotos”.

Ultimamente Christian estava meio que afastado. A gente não conversava mais sobre nós e ele não me ligava com tanta freqüência como antes. Sentia que ele estava fugindo de mim, ou então era apenas uma paranoia.

 

(...)

Eu tinha acabado de sair do banho e vestido uma roupa quando escutei batidas na porta. Não estava esperando ninguém e não imaginava quem poderia ser.

— O que você está fazendo aqui? — perguntei surpresa vendo Christian.

— Beatrice me contou que seu carro te deixou na mão, então, pensei que você estivesse deitada na sua cama chateada por não ir ao show dos meninos e não pensei duas vezes para vir rapidamente te buscar, mas amanhã você vai passar o dia todo comigo.

— Tipo um trato?

— Exatamente.

— Está ciente que irei te dar um abraço bem apertado agora, né?

— Espero que você esteja ciente que lhe darei muitos beijos quentes.

— Fico feliz por isso, estava sentindo muita saudade dos seus beijos e das suas mãos.

— Só? — perguntou com um sorriso maroto nos lábios.

— Você sabe que não. — sorri de volta e o abracei apertado. — Muito obrigada por isso, eu não iria conseguir chegar a tempo se fosse de ônibus. Isso é muito importante para mim.

— Eu sei que é, Beatrice foi bem clara na ligação.

— Entre, vou preparar algumas coisas para levar e podermos ir.

— Não esqueça dos biquínis.

— Biquínis? — perguntei confusa.

— A mensagem que te mandei mais cedo. — a ficha estava caindo. — Por que diabos eu iria ao jogo dos Lakers sem a torcedora mais gata para me acompanhar?

— Isso é melhor do que um pedido de casamento. — Saí da sala sorrindo como uma boba e fui arrumar minha mala.

 

Justin Bieber

Shrine Auditorium, Los Angeles, Califórnia.

23h30, Sexta.          

Estávamos na Califórnia há três dias nos preparando para a nova etapa de nossas vidas. Hoje a banda faria o primeiro show antes da turnê pela Europa e eu estava bastante animado e também assustado. Todo reconhecimento que a Canadian Warriors estava conquistando nos últimos meses, nos deixara felizes e realizados. Não imaginávamos que a banda chegaria tão longe e que as pessoas aceitariam tão bem. Quando chegamos, notei uma fila enorme, e a multidão começou a gritar quando nos viu chegar, como se fôssemos uma banda reconhecida mundialmente. Sem brincadeira, havia centenas de pessoas na fila.

— Preparados? — perguntou Beatrice no camarim toda animada.

— Preparados. — soamos em coro.

— Boa sorte, meninos, vocês merecem demais tudo que está acontecendo e eu estou bastante feliz por isso.

Abraçamos em grupo e aquela voz apareceu.

— Posso participar?

— SOPHIE? — gritou Beatrice surpresa.

— Boa noite, gente. — ela abraçou a amiga e veio em nossa direção.

— Beatrice disse que você não viria.

— Meu carro me deixou na mão e não daria tempo de pegar um ônibus naquele fim de mundo.

— Fico feliz por vê-la neste dia tão importante para a banda.

— E eu feliz pelo Chris ter aparecido na minha casa de surpresa para me trazer. — Christian se aproximou e ele a puxou pela cintura. Sophie estava agindo normalmente, como se a gente não tivesse discutido no dia que fui embora.

Fizemos uma roda e oramos. Demos nosso grito e nos abraçamos para ir ao palco.

— Boa sorte, Justin. — ela se aproximou e passou os braços em volta do meu pescoço. — Eu sei o quanto essa fase é importante para vocês e o quanto vocês sonharam com isso, principalmente você. — sorrimos — Suba naquele palco e dê o seu melhor. Hoje será o começo de tudo e esse show vai ser o melhor da sua vida. Eu estarei lá na platéia cantando todas as músicas e prometo gritar muito.

— Obrigada por tudo, Sophie, sem seus conselhos e palavras de conforto, eu teria desistido há alguns meses atrás. Sua amizade é muito importante pra mim e eu não quero nunca que você se afaste. — A gente se abraçou emocionados.

— Boa sorte. — repetiu.

Sophie se afastou caminhando em direção do Christian e quando ele a beijou, senti meu estômago revirar-se.

— Você teve muitas oportunidades de fazer diferente.

— Eu sei.

— Mas não aproveitou nenhuma delas.

— Eu sei.

— Era para ser você no lugar dele.

— Eu sei porra, chega!

Ryan tinha razão, eu tive muitas oportunidades e não aproveitei nenhuma delas, Sophie fizera de tudo para que a gente ficasse juntos, mas eu sempre estraguei tudo. Era sim, para ser eu no lugar do Christian beijando-a, mas eu fui tão idiota que não arrisquei, eu ao menos tentei para ver se daria certo. O medo que eu tinha de magoá-la sempre falou mais alto do que à vontade de tê-la em meus braços. Sophie mexia com meu coração e meu cérebro de uma maneira muito estranha. O que eu sentia em relação a ela, era muito novo para mim, pois nenhuma garota tinha conseguido fazer com que eu me sentisse tão bobo. Então, Sophie apareceu.

— Agora é tarde demais.

— Minha vez de dizer, eu sei.

Sophie estava sorrindo como uma garotinha apaixonada. Ela conversa olhando nos olhos dele e a cada minuto, eles se beijavam. Eu estava feliz por ela. Feliz pelo Christian, mas não podia negar que aquilo estava me incomodando e agora eu não tinha direito de mudar essa situação. Peguei minha guitarra e fui em direção ao palco acompanhado por Alfredo e Ryan. A platéia vibrou assim que pisamos naquele enorme e luxuoso palco. As luzes piscavam freneticamente e Alfredo começou o solo na bateria, seguido por Ryan na guitarra até a música começar. Cantamos três composições nossas antes de conversarmos com o público.

— BOA NOITE GENTE. — todos gritavam e Sophie pulava como prometera no camarim. — Costumamos variar em cada show, e hoje, vamos dançar ao som de John Mayer. Pedido da nossa fã número 1. — Não era uma merda de um pedido. Eu decidi cantar aquela música por saber que Sophie adorava e pela letra fazer todo sentido.

Não é um momento bobo

Não é uma tempestade antes da calmaria

Esse é o final e ofegante suspiro

Do amor que estivemos mantendo

Parece que não posso mais te segurar como quero

Então eu posso te sentir em meus braços

Ninguém virá te salvar

Demos muitos alarmes falsos

 

Estamos afundando

E você pode perceber isso também

Estamos afundando

E você sabe que fracassamos

Minha querida

Nós estamos calmamente dançando num salão em chamas

 

Vá chorar por isso, porque não vai?

Vá chorar por isso, porque não vai?

Vá chorar por isso, porque não vai?

Minha querida

Nós estamos calmamente dançando num salão em chamas

Calmamente dançando num salão em chamas

Não acha que já deveríamos saber?

Não acha que já deveríamos ter aprendido?

 

Sophie Davis

Shrine Auditorium, Los Angeles, Califórnia.

Justin estava de sacanagem com a minha cara, ele não tinha o direito de cantar essa música. Podia ser qualquer uma menos essa.

— Vamos dançar?

— Pode ser na próxima?

— Algum problema?

— Não consigo concentrar, só isso.

— Ex?

— Não. — gargalhei — Eu adoro essa música e quero curtí-la.

— Menos mal.

— Bobo.

Christian me abraçou por trás e eu fechei meus olhos enquanto Justin cantava “Slow dancing in a burning room”. Ele sabia o quanto eu amava as músicas e a voz do John. Ele sempre cantava para mim quando eu estava pra baixo e eu sentia falta dele. Sentia falta de estar com ele, nem que fosse discutindo, mas a gente não podia ficar juntos. Ele tinha razão quando me disse que nossos mundos eram diferentes, então, Christian apareceu do nada e estava conseguindo fazer eu me esquecer da atração que sentia pelo Bieber. Sorri por pensar nisso e me virei, o encarando.

— Eu adoraria beijar você ao som desta música. — Christian segurou meu rosto e me beijou. Seus lábios se abriram e sua língua entrou faminta na minha boca, ali mesmo, na frente de todo mundo. Ele me beijava com intensidade.

— Quando você me beijou nas outras vezes que nos encontramos eu não senti seu piercing.

— Tem algumas semanas que coloquei, o que achou?

— Viciante.

Eu não ia conseguir parar. Eu nunca havia precisado de sexo como agora, após nosso beijo, mas estava sendo impossível me controlar. O beijo de Christian estava tão louco e quente quanto eu. Ele mordeu o meu lábio inferior e chupou minha língua. Então apertou minha cintura e aproximou ainda mais nossos corpos. Eu precisava dele imediatamente.

— Ei, casal. — Beatrice disse afastando a gente. — Aqui não é um quarto de motel.

— Trice.

— Desculpa amiga, eu sei que você sente vergonha dos meus comentários, mas eu não podia deixar isso passar. — ela sorria animada.

Continuamos todos juntos curtindo e assim que os meninos se despediram do público, fomos para uma boate comemorar o sucesso que tinha sido o show.


Notas Finais


* A música que Justin cantou e foi adicionada no capítulo, é a "Slow dancing in a burning room" do maravilhoso John Mayer.
* O QUE ACHARAM? Será que Sophie desistiu mesmo do Justin? Será que vai existir algo mais sério entre ela e Christian? O que vocês imaginam que vai acontecer nos próximos capítulos?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...