História All Of Me - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Drama, Justin Bieber, Rock, Rock And Roll, Romance, Shows, Tour
Exibições 1.456
Palavras 3.331
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpe a capa horrorosa (kkkkk) tentei colocar o rosto do Chris na foto, mas não ficou muito legal.
BOA LEITURA, espero que gostem!

Não se esqueçam de ler as notas finais.

Capítulo 16 - Kiss Cam


Fanfic / Fanfiction All Of Me - Capítulo 16 - Kiss Cam

Sophie Davis POV

Los Angeles, Califórnia.

Estávamos reunidos no backstage para parabenizar a banda pela grandiosa apresentação e em nenhum momento, Justin me deu atenção. Ele estava me evitando desde o final do show. Sinceramente, eu não fazia ideia do motivo dessa sua atitude.

Enquanto estávamos todos em um grande roda tomando conta da metade do barzinho próximo ao Shrine Auditorium, senti falta da presença de Justin. Porém, como estávamos todos animados com o show e eu ansiosa pelo jogo de amanhã, ninguém percebeu que Justin não estava entre nós. Mandei um whatsapp e ele rapidamente visualizou, mas não respondeu. Avisei a Christian que iria tomar um ar e ele se propôs a ir comigo, mas eu neguei, ele ficou visivelmente chateado, mas não me impediu.

— Justin, algum problema?

— E por que teria algum problema, Sophie? — ele respondeu com outra pergunta friamente.

— Sei lá. — dei os ombros — Você não quis ficar conosco e nem respondeu minha mensagem.

— Talvez eu não estivesse afim.

— Credo. Me desculpe se acabei me preocupando com você. Não precisava ser grosso.

— Aquela música não foi feita para você beijar o Christian. — então era isso?

— Ficou maluco?

Slow Dancing in a Burning Room, é a sua música. Não sua música com um cara. Eu sempre cantei ela para você quando você estava se sentindo para baixo.

— É só uma música.

— Não, Sophie. Não é só uma música. É a sua música, a nossa música.

— Então você está com raiva porque eu beijei o Christian enquanto você cantava essa música? — fechei os olhos e respirei fundo — Qual a necessidade disso, Justin? Sério. Não consigo te entender.

— Eu não preciso ser entendido.

— Mas eu quero. Você anda agindo tão previsível. Um dia me trata com grosseria e no outro fica com raiva de mim por algo banal. O que está acontecendo com você? — Ele teria respondido se Christian não tivesse aparecido.

— Gente, o que houve? Justin some por quase 1 hora e você vem atrás para saber o que está acontecendo, mas também some.

— Estou tentando compreender o que se passa nesse cérebro do Justin, mas ele não colabora.

— O que houve, cara?

— Nada. Eu só estou cansado e resolvi dar uma volta aqui fora.

— Precisa conversar?

— Já estou fazendo isso, Chris. Talvez ele só precise conversar com uma garota.

— Exatamente. — Justin confirmou.

— Não se preocupe, está tudo bem. Justin sempre agiu estranho assim. Daqui alguns minutos voltamos. — me aproximei de Christian e ele deu um beijo em minha testa saindo em seguida.

— Tudo bem. Agora me diga o que está acontecendo com você.

— Eu estou bem.

— Não é o que parece, Justin. Você está muito afastado e isso deixa todos preocupados. Não quer mais ser famoso?

— Claro que eu quero. Isso é o meu sonho, Sophie. — ele dizia sorrindo com os olhos brilhando. Prometo que está tudo bem, é que esse show foi uma loucura e eu ainda estou tentando me recuperar. Eram pessoas demais.

— Vai se acostumando. — eu sorri animada — Este é apenas o seu começo. Espere só pela turnê.

— Obrigada por se preocupar comigo, Sophie. — ele agradeceu me abraçando forte.

— É tão difícil me segurar quando estou em seus braços. — falei baixo e sorrimos. — Eu não quero bagunçar as coisas. — me afastei e o encarei. — Vamos?

— Claro.

Christian Beadles POV

Já era tarde quando voltamos para o meu apartamento. Precisávamos descansar, pois o dia seria longo e a noite também. Sophie estava bastante animada para assistir o jogo e conhecer a praia La Jolla. Eu estava feliz por ter conseguido trazê-la comigo e muito empolgado. O que eu estava planejando durante toda semana, deveria sair do jeito certo.

— Eu vejo seus olhos azuis todas as vezes que eu fecho os meus.

— Quando eu não estou com você é como se eu estivesse sozinho comigo mesmo.

— Que clichê. — ela sorriu alto.

— Você sabe como estragar o clima, né Sophie?

— Pensei que você não agiria da mesma maneira que eu.

— Isso não é uma brincadeira sobre frases românticas, Sophie. Eu fui sincero quando disse.

— Fico feliz que tenha sido.

— Está animada para o jogo?

— Você não imagina o quanto.

— Eu também estou.

— Você já foi em tantos.

— Mas, amanhã será especial.

— Isso tudo porque iremos juntos? — ela sorriu divertida.

— Exatamente por isso.

Só de olhar para ela, meu corpo estremecia e minha mente se enchia dos mais variados pensamentos eróticos.

— Vem cá – eu disse puxando Sophie e beijando seus lábios macios. — Eu quero aproveitar seu beijo do começo ao fim.

Passei a ponta da língua pelos seus lábios, umedecendo–os. Eu ficava tão excitado quando estava a sós com ela. Sophie moveu–se sobre o sofá, vindo para o meu lado, se inclinando. Meus olhos estavam presos nela. Trocamos um quente e com movimentos lentos, como se estivéssemos combinando o próximo passo.

Sophie fechou seus olhos enquanto eu massageava seus seios. Os mamilos já estavam rígidos e ela gemia a cada toque. Ela sentia meu volume dentro da calça e rebolava em meu colo. A cada vez que minha língua se esfregava pela dela, meu pênis pulsava. Ela sabia como me deixar louco. Minha mão subiu por toda sua coxa, até eu sentir meus dedos na curva do seu traseiro. Puxei-a como se houvesse jeito de ficarmos mais colados do que já estávamos. Ela estava com o cabelo esparramado na cama, com os olhos fechados pelo prazer.

Ela sugou o ar entre os dentes e soltou um gemido, movendo o quadril contra o meu para que pudéssemos agir mais rápido. Beijei toda a extensão de seu corpo e parei no meu ponto preferido. Sua intimidade. Ela tinha um gosto tão bom. Uma onda de calor atravessou–a e ela apertou o lençol entre os dedos formando nós brancos. Eu senti Sophie gozando em minha boca, e a força como ela puxava meu cabelo conseguia me deixar ainda mais excitado.

Afastei suas pernas e fiquei sobre ela. O movimento foi rápido demais, quase agressivo. Sophie prendeu uma das pernas em minha cintura e sentiu a pressão da cabeça do meu pênis deslizando pela sua boceta quente e escorregadia. Eu estava dentro dela. Movi o quadril, penetrando até o fundo e ficando lá por algum tempo, até ela me sentir tremer e derramar meu gozo dentro dela.

(...)

Sophie Davis POV

“Bom dia, Sophie.

Pensei em chamá-la para podermos tomar café da manhã juntos, mas você estava cansada e muito linda enquanto dormia, por sinal. Não demoro, sinta-se à vontade. Preparei um café da manhã para você com as coisas que encontrei na geladeira, não sei se vai gostar.

À noite passada foi incrível. Você é uma garota incrível

- Chris.”

Eu estava sorrindo como uma idiota. Uma completa idiota. Parecia aquelas adolescentes apaixonadas pelo gato da escola. Mas, eu estava. Christian tinha me conquistado de uma maneira tão especial, que eu sinto falta dele quando ficamos muito tempo separados. Sempre que nos encontramos, nos divertimos, sorrimos o tempo todo e nunca discutimos. E para um relacionamento, esses são pontos a mais. Eu adorava estar com ele. Ele sabe como tratar uma garota e conseguiu me conquitar.

— Pensei que te encontraria dormindo. — disse Christian entrando e me tirando dos meus pensamentos.

— Acordei fazem alguns minutos apenas. — falei enquanto passava geleia na minha torrada. — Onde estava?

— Fui comprar algumas coisas para levarmos no passeio.

— Poderia ter me acordado.

— Leu meu bilhete?

— Está bem guardadinho. — sorri.

— Prometo fazer isso mais vezes.

— Acho muito romântico. Continue fazendo mesmo, vou adorar e guardar cada um deles.

— Você é linda 24 horas por dia, Sophie. — confessou se aproximando e selando nossos lábios.

— Está querendo algo, Christian? — provoquei.

— Você sabe que o termo “vinte e quatro horas” faz sentido em tudo que eu digo? — perguntou com malícia.

— É claro que eu sei. Apesar do pouco tempo, te conheço muito bem. — sorrimos e nos beijamos.

(...)

Faltavam algumas horas para o início do jogo e eu estava bastante animada. Justin já havia me levado em jogos anteriores, mas Christian parecia tão feliz por estar fazendo isso, que decidi não contar sobre isso. Mas, ainda assim, eu estava ansiosa pelo jogo.

— Se apresse Christian, ou vamos chegar atrasados.

— Não se preocupe.

— Lakers. L A K E R S.

— Sophie! — ele me encarou gargalhando — Estou começando a sentir ciúmes de você.

— Eu adoro os jogadores de basquete. Mas, fique tranquilo, prometo não trocá-lo.

— Vou confiar em você.

— Obrigada pelo voto de confiança.

(...)

Christian Beadles POV

Estava tudo saindo como planejado. Hoje eu iria dar um passo à frente e tinha quase certeza, que Sophie queria o mesmo que eu. Estar com ela me faz bem. Me sinto diferente. Sophie desperta algo em mim que não consigo explicar. Desde o dia em que a vi naquela boate, tive certeza que valeria a pena seguir em frente com ela. Eu sentia falta dela. Falta dos seus beijos, abraço, sorriso e do seu lindo olhar. Seus lindos olhos me deixava hipnotizado. E ela estava ciente de tudo isso.

— O que foi?

— O quê?

— Está pensativo.

— Ah! Não é nada demais.

— Certeza? Você está esquisito.

— Está tudo bem.

Ela não insistiu.

(...)

Justin Bieber POV

Atlanta, Georgia

Já estávamos de volta em Atlanta e resolvi sair para me distrair. Ficar em casa pensando demais, não estava me fazendo bem. Liguei para Ryan, que entrou com contato com algumas garotas e segui para seu apartamento que não ficava tão longe do meu. Eu estava disposto a mudar o que estava acontecendo antes que fosse tarde demais. Então, nada melhor que muita bebida e garotas.

— Olá, Bieber.

— Kristen? — estava surpreso. — Não nos vemos há quanto tempo?

— Muito tempo. — ela sorriu e me abraçou.

— Como tem passado?

— As mil maravilhas. Fiquei animada com a ligação de Ryan. — ela se aproximou e colocou a mão direita sobre minha coxa. — Estava com saudades, Bieber.

Kristen e eu nos conhecemos há alguns anos atrás em um dos shows que fiz com os meninos em Decatur. Tivemos um lance por algum tempo, nada sério. Na época, Sophie era apenas uma desconhecida. Kris a uma garota perfeita para quem deseja se divertir. Ela sabia como tratar um cara na cama e eu adorava seu talento.

— Confesso que eu também. O que andou fazendo durante tanto tempo?

— Estava saindo sério com um cara.

— Kristen Adams saindo sério com um cara? — perguntei soltando um sorriso. — E por que não estão juntos?

— Você me conhece muito bem, Bieber. Essa história de viver com uma pessoa só, não é a minha praia. Prefiro sair e me divertir. Sou nova, gosto disso.

— Eu agradeço.

— Bobo. — sorriu dando um tapa em meu braço. — Quando quiser é só falar.

Eu queria agora. Queria me distrair e esquecer as sensações causadas por uma loira gostosa que estava do outro lado da cidade com meu amigo.

— Podemos ir para o meu apartamento.

— Fiquei sabendo que não é tão longe. — ela disse mordendo os lábios.

— Gosto de garotas informadas. — levantei e dei a mão para que ela fizesse o mesmo. — Ryan, estamos indo.

Ele acenou com a cabeça sorrindo e fui para o meu apartamento acompanhado pela minha velha amiga.

(...)

Sophie Davis POV

Staples Center, Los Angeles - CA

A fila estava enorme e eu encarei Christian com fogo nos olhos. Eu não podia acreditar que perderia o início do jogo porque ele ficou enrolando no telefone assim que estávamos saindo de seu apartamento.

— Qual é Sophie?

— Olha só o tamanho disso. — respondi voltando os olhos para aquelas centenas de torcedores.

— Que preguiça é essa, mocinha?

— Não fode.

— Pode ter certeza que vou, mas não agora. Precisamos entrar.

— Incrível sua capacidade de levar tudo para o lado da malícia.

— Só não quero que você fique estressada, amor.

— Odeio filas.

— Por isso não vamos ficar nela.

— Vai fazer o que? – perguntei assim que paramos de andar.

— Boa noite Blake, como vai sua família?

— Todos bem, obrigada Senhor Beadles. – agradeceu um senhor moreno e alto.

— Essa é Sophie.

— Satisfação em conhecê-lo senhor Blake.

— Digo o mesmo. — seu olhar voltou para Christian — Ela é uma bela moça, senhor.

— Realmente. A mais bela de todas. — Chris confirmou apertando minha cintura.

— Obrigada. — sorri envergonhada.

Christian entregou nossos ingressos e Blake nos desejou um bom jogo.

— Essa moral toda porque você frequenta todos os jogos?

— Meu avô é um antigo torcedor do Lakers e também sócio. Agradeço a ele por ter feito essa escolha e me proporcionar isso.

— Uau! Seu avô é um senhor esperto.

— Meu avô é um exemplo de homem. – ele falava aquilo com brilho no olhar e eu fiquei ainda mais encantada. – Hoje será uma noite maravilhosa, Sophie.

— Tenho certeza que sim. Já está sendo, te garanto isso.

— E eu garanto que será ainda mais.

— Isso tudo porque confia na vitória do nosso time?

— Também.

Percebi que ele não iria me revelar do que se tratava. Decidi não insistir.

(...)

Último intervalo e os Lakers venciam por 89x73. Estávamos animados e Christian me mostrou uma moeda antiga dizendo que ela trazia sorte. Sorri daquilo e continuamos observando o telão e os casais assustados com a famosa “Kiss Cam”. Estava sendo bastante divertido até a câmera parar na gente. Arregalei os olhos assustada e Christian me puxou, selando nossos lábios num beijo apaixonado e duradouro.

— Chris! — disse empurrando-o levemente — Já pararam de nos filmar.

— Não podemos continuar?

— Bobo. — sorri e segurei em seu rosto com as duas mãos — Você sabe que nossos beijos longos nos levam para outro caminho. — disse tomando um gole de cerveja.

— Quer namorar comigo, Sophie? — perguntou Christian de repente fazendo com que eu me engasgasse.

— Christian! — exclamei cobrindo o rosto com as mãos.

— Desde o dia da boate a gente vem se encontrando e nós combinamos quando estamos juntos. Eu gosto de estar na sua presença, te acho bastante divertida e sinto sua falta quando volto para minha casa. Se oficializarmos essa relação maluca que estamos mantendo, nossos encontros seriam mais frequentes e você não precisaria achar que estava tomando o meu tempo ou me atrapalhando em algo. E muito menos, se sentir sem jeito estando em meu apartamento.

— Estamos no intervalo de um jogo, Christian. — eu ainda não conseguia acreditar.

— Por isso decidi pedir agora, para não atrapalhar o jogo.

— Como se fosse fácil voltar a se concentrar.

— Se você não quer dar este passo, sem problemas. Eu prometo que não ficarei chateado. Mas, responde algo concreto logo. — ele parecia desesperado.

— Me desculpe. — sorri — É que você me pegou de surpresa.

— E então?

— Seria ótimo oficializarmos nossa relação. — enfim respondi sua pergunta com um sorriso no rosto.

— Prometo que amanhã entrego a sua aliança.

— Aliança?

— Sem aliança não é oficial. — ele sorriu — Eu teria trago comigo hoje, mas fiquei com medo de perder ou você encontrá-la antes da hora.

— Quer dizer que já comprou?

— Hoje cedo, quando te deixei dormindo, fui buscá-la. Espero que você goste do modelo que escolhi.

— Como você disse anteriormente, nós combinamos. — sorri e segurei sua mão — Tenho certeza que vou gostar. Obrigada pela surpresa e também por ter escolhi o local perfeito para fazê-la.

Eu estava feliz. Christian estava feliz.

Não tinha passado em meus pensamentos que ele iria fazer isso. Estávamos bem sem um pedido concreto, mas isso foi um passo muito importante e eu estava animada por ele ter dado este passo. Era um sinal que ele queria isso tanto quanto eu.

Christian Beadles POV

Confesso que me desesperei quando Sophie não respondeu a minha pergunta assim que a fiz. Eu estava certo que aquele era o momento perfeito e não podia esperar até chegarmos à praia para podermos oficializar nosso relacionamento. Estava contente por ela ter aceitado, pois estava achando que ela gostava de Justin. Mesmo pensando assim, eu iria fazer de tudo para que ela não se lembrasse dele um dia sequer.

— Vamos nos levantar cedo, Sophie. — avisei enquanto caminhávamos até o carro.

— Imaginei que sim. — ela sorriu — Mas não me importo. Estou muito feliz.

— Posso saber o motivo? — perguntei me fazendo de desentendido.

— Os motivos. — corrigiu ela — A vitória do nosso time e o seu pedido surpresa. — beijei seu rosto e voltamos para o meu apartamento.

(...)

— Você gosta do Justin? — perguntei assim que saí do banho. Ela me encarou assustada.

— Por que está me perguntando isso, Christian?

— Seja sincera comigo.

— Christian, qual a necessidade? Justin e eu somos amigos.

— Amigos também se apaixonam.

— Você me pede em namoro e agora vem com esse papo?

— Me responde Sophie.

— Você não deveria ter feito essa pergunta. — ela jogou o celular em cima de uma mesinha e se deitou cobrindo o rosto. — Obrigada por estragar a minha noite maravilhosa. Boa noite.

Eu sou um idiota.

Optei em não insistir e vesti uma bermuda para dormir. Seria difícil pegar no sono com o “estragar a minha noite”. Eu planejei por semanas este pedido para no fim da noite, acabar estragando o clima perfeito. Eu deveria ter questionado sobre isso antes do pedido, mas do nada me lembrei da proximidade dos dois e não resisti. Eu queria saber. Eu precisava saber. Ela não podia ficar comigo gostando de outro. Justin não é o cara perfeito. Eu também não sou, mas Sophie merecia alguém que a tratasse bem e que não saísse com várias garotas uma única noite. Justin era assim, mulherengo. Sophie era doce, apesar de estressada e grossa às vezes. Sophie era amorosa, carinhosa, atenciosa e preocupada. Ela é a garota perfeita e merecia ser tratada como uma princesa.

A luz que iluminava o meu lado da cama continuava acesa. Eu continuava com os olhos abertos encarando o nada. Meus pensamentos estavam a mil e a vontade de acordá-la para me desculpar pela pergunta idiota que tinha feito, foi-se embora assim que ela se sentou na cama e olhou em minha direção, no fundo dos meus olhos.

— Eu já gostei do Justin. Eu já quis transar com ele diversas vezes e ele sabe disso. Já nos beijamos, mas apenas isso. A última vez que isso aconteceu, nós já nos conhecíamos. Justin nunca quis algo a mais. Ele nunca se aproveitou da minha vontade para me levar pra cama. Justin sempre foi muito cavalheiro comigo e dizia que não poderia fazer isso comigo, porque eu era uma garota especial. Eu fiquei louca de raiva e muito triste. Mas passou. Eu conheci você, que sempre esteve presente fazendo de tudo para que eu me sentisse especial. Não que Justin não agisse assim, mas com você estava sendo diferente pelo fato de querer algo mais sério. Você não é o cara de uma noite só. Christian, você é o homem que a maioria das mulheres sonha em ter e eu dei a sorte de encontrar você. Não se sinta confuso, eu não mentiria para você. Estou feliz contigo. Você desperta algo em mim que nunca foi despertado antes. Nós temos uma ligação muito forte e eu pretendo que continue sendo assim. Não se sinta ameaçado pelo Justin, ele não é um concorrente. Agora somos eu e você. ChriSophie, caso fôssemos um shipper — sorrimos — Existe apenas nós dois. Amigos, ficantes, namorados e confidentes. Eu aceitei o seu pedido, pois me sinto bem ao seu lado e eu amo quando você fala aquelas frases clichês. Eu aceitei o seu pedido, porque é com você que eu vejo um futuro, porque é com você que eu me sinto especial. Com o Justin me sinto especial sendo amiga, porque nós dois conversamos sobre tudo, sabemos os segredos um do outro e porque ele canta John Mayer para mim quando estou triste. Agora com o Christian Beadles, me sinto especial como mulher. Entendeu?

— Não haveria explicação melhor. — respondi abraçando Sophie — Me desculpe por ter feito essa pergunta idiota, eu estava com medo de acordar e você não estar mais aqui. — agora estava encarando seus belos olhos — Obrigada por ser tão incrível mesmo chateada. — sorrimos — Eu amo você, Sophie.

Eu também te amo, Christian. — nos beijamos.

Era exatamente isso que eu precisava ouvir como resposta. Sophie é a garota ideal e eu vou lutar por ela até que não seja mais possível. Até ela achar que não vai dar mais certo.


Notas Finais


GENTE, mil desculpas pela demora.
A faculdade vem apertando muito e confesso que nos primeiros dias, havia me esquecido da fic kkkkkkkkkk.
Espero que esse capítulo tenha compensado a demora.
Peço que tenham paciência, mas vou me esforçar para não demorar tanto.

OBRIGADA pelos favoritos, beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...