História All Of Me - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Drama, Justin Bieber, Rock, Rock And Roll, Romance, Shows, Tour
Visualizações 1.267
Palavras 1.409
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


// Palavras Que Ferem

Que rápida haha
Perdoe se houver erros, boa leitura!

Capítulo 26 - Words That Hurt


Fanfic / Fanfiction All Of Me - Capítulo 26 - Words That Hurt

Justin Bieber

— Vou pegar algumas coisas e te encontro daqui trinta minutos.

— Eu iria te socar se me dissesse o contrário.

— Eu sei. — sorri e Alfredo saiu.

Eu não estava pronto para encarar Sophie. Eu não estava pronto para ouvi-la falando sobre as últimas notícias porque ela iria me machucar com suas palavras. Só que as coisas mudaram e ela iria precisar de mim, mesmo se quisesse que eu voltasse para casa. Ela tem Beatrice, sua mãe Valentine estará lá, seu namorado também, mas comigo é diferente e por mais que neguemos isso, sabemos que é a mais pura verdade. Batidas frenéticas na porta me fez agradecer a Deus por tê-la trancado, deveria ser uma fã louca ou o idiota do Alfredo me apressando. Pensei em muitas pessoas, mas não nela.

— Sophie? — perguntei espantado enquanto ela me empurrava para longe.

— ME EXPLICA QUE PORRA ESTÁ ACONTECENDO, JUSTIN. — gritou me encarando — FALA QUE É MENTIRA E QUE VOCÊ NÃO ESTÁ FAZENDO ESSA MERDA.

— Que diabos você está fazendo?

— Eu preciso de explicações. Explicações, merda!

— Eu também, Sophie, não estou entendendo nada.

— NÃO SE FAÇA DE DESENTENDIDO!

— PARA DE GRITAR.

— NÃO, EU NÃO VOU PARAR DE GRITAR ENQUANTO VOCÊ ME EXPLICAR PORQUE DIABOS ESTÁ SE DROGANDO.

— Ah, é isso.

Agora a ficha caiu. Ela não sabia do seu irmão. Tudo que ela queria fazer armando este escândalo era saber se eu estava usando drogas, então à ficha caiu novamente e percebi que a pessoa que iria dizer-lhe sobre a morte de seu irmão, seria eu. Ótimo jeito de começar o dia. Ela ainda estava gritando feito uma maluca, mas eu estava com o pensamento longe tentando encontrar alguma maneira de contar essa tragédia para ela, já que Sophie estava muito alterada.

— Sophie, se acalma!               

— EU NÃO QUERO ME ACALMAR, PORRA!

— Para de gritar, merda. Precisamos conversar.

— É claro que precisamos, foi exatamente por isso que eu vim até aqui seu idiota.

— Sophie.

— CALADO! Eu precisava vir nesta merda e ouvir de você. Christian vai falar um monte porque sai enquanto ele dormia, mas eu pouco me importo com isso agora.

— CALADA VOCÊ, PORRA! Você não pode aparecer do nada falando um monte de merda e ainda exigir que eu fique ouvindo seus gritos. Precisamos conversar, mas é sobre outra coisa.

— NÃO TENTE MUDAR DE ASSUNTO.

Fechei meus olhos e apertei seus braços tentando ao máximo manter o meu controle.

— Depois que eu conversar com você sobre um assunto muito sério, você pode me perguntar o que quiser sobre essas merdas que estão sendo divulgadas, tudo bem? Não precisa continuar gritando, porque estamos bem próximos e não sou surdo.

— Eu estou muito nervosa.

— Eu sei que está, mas para conversarmos você precisa se acalmar. O que eu tenho a dizer não é nada legal, por isso preciso de você relaxada.

— Você sabe que eu não consigo.

— Mas é necessário, por favor, controle o que você está sentindo.

— O que você tem que me contar? É sobre...

— Não é sobre o que está acontecendo comigo, tem a ver com você, por isso preciso que não se altere.

— Você está me assustando.

Eu estava prestes a contar, quando seu telefone celular tocou. Era Christian.

“Eu precisei sair”.

“Sim, eu não estava me aguentando, por isso decidi vir atrás do Justin”.

“Eu sei que foi um erro, mas eu precisava fazer isso”.

“Sim, ainda estou aqui”.

“Não, não quero que venha”.

“Daqui a pouco volto para casa, por favor, entenda isso”.

“Obrigada por confiar em mim, tchau”.

— Você precisa voltar?

— Não enquanto você me explicar que merda está acontecendo. Por que Beatrice está na minha casa? Eu pude ouvir a sua voz do outro lado. O que está acontecendo?

— Ela foi fazer uma visita.

— E não me avisou?

— Ela combinou de ir com a Valentine. — merda, falei demais.

— Com a minha mãe? Como assim elas se falaram?

— Sophie.

— O que aconteceu? — perguntou com a voz falha.

— Você precisa se acalmar.

— Eu já estou calma, caralho! — apenas encarei e ela soltou um longo e forte respiro. — Tudo bem, pode falar.

— Venha aqui. — puxei suas mãos e a abracei bem forte.

— Justin.

— Fique! — insisti apertando seu corpo contra o meu. — A sua mãe tentou te ligar, mas não conseguiu completar a ligação e pediu ajuda da Trice, mas ninguém conseguiu falar com você, então elas conversaram com Christian e por isso foram até a sua casa, você chegou aqui pensando que ele estava dormindo e que não notou sua saída, mas ele provavelmente já estava acordado.

— Por que ele não me impediu de vir?

— Não é isso. Ele não sabia que você veio até aqui, provavelmente imaginou que você havia sido informada com o que acontecera e deixou você esfriar a cabeça.

— E o que exatamente aconteceu? — perguntou erguendo a cabeça e me encarando com os olhos marejados.

— Caralho, Sophie.                       

— Eu preciso saber.

— Eu sinto muito, mas Michael teve que partir. Assassinaram-no e infelizmente os médicos não conseguiram salvá-lo.

Podia sentir as batidas de seu coração. Seu corpo estava tremendo e ela começou a chorar desesperadamente. Senti-me destruído ao vê-la tão frágil. Nada podia ser feito, então apertei o abraço enquanto seu corpo amolecia e juntos sentamos no chão. Ficamos assim durante alguns minutos, até ela se soltar de mim e me encarar com seu olhar obscuro.

— VIU O QUE ACONTECEU COM O MEU IRMÃO? FOI POR CAUSA DAS DROGAS. QUER QUE TE ACONTEÇA O MESMO? É ISSO, NÃO É?

— Sophie, você precisa se acalmar.

— ME ACALMAR? O MEU IRMÃO ESTÁ MORTO, JUSTIN.

— Eu sei e sinto por isso, mas você não tem o direito de me falar essas coisas.

— EU AMAVA VOCÊ. — merda, ela estava falando coisas sem nexo. — Na verdade eu ainda amo você. — a raiva em sua voz era nítida — Eu confiava em você. — prosseguiu enquanto abaixava seu tom de voz. — A gente sempre contava tudo um para o outro e você foi fraco.

— Por que está falando da gente?

— Eu vim aqui para fazer isso, então cala a sua boca e só abra novamente quando eu terminar de dizer tudo que está preso aqui. — disse apontando para seu coração.

— Eu não vou ficar ouvindo essas merdas. Escute você, nunca existiu amor entre nós, você se iludiu com essa merda e na primeira oportunidade arrumou um namorado. Era apenas uma atração, nada, além disso.

— Estava disposta a deixar tudo para trás por causa de você.

— Não, você não estava Sophie. Eu fui atrás de você há quatro meses e você simplesmente entrou com Christian e permitiu que eu fosse embora.

— Você quis ir embora.

— Eu nunca quis ir sem você, não depois de perceber que eu estava apaixonado por você.

— Você é um mentiroso, sua vida é feita de mentiras, nada sobre você é verdadeiro. — revelou limpando as lágrimas e travando o maxilar. — Olha só para você, olha como você está destruído por causa das drogas. Você está magro, com o olhar profundo e fede a álcool e a cigarro. Você não é o mesmo Justin, esse cara que eu estou olhando é uma pessoa totalmente diferente e eu tenho nojo dela. Eu tenho nojo de você.

— Sophie, vá embora antes de se arrepender por tudo que está me dizendo.

— A única pessoa que vai se arrepender é você por ter escolhido essa vida de merda. Escolheu Candice para ser uma das várias vadias que transam com você. Você está disposto a destruir a sua vida porque você é fraco, você é um drogado, seu bastardo idiota.

— Vá embora.

— EU AINDA NÃO ACABEI!

— Era isso que eu queria e o que você queria.

— O que?

— Isso mesmo que ouvi, retire-se do meu quarto.

— Do que está falando?

— Você está assim porque foi fraca e transou comigo. Eu não quis algo sério e você se acha no direito de dizer essas coisas pra mim. VOCÊ É UMA VADIA, SE MANDA.

— Mas...

— Não existe um “mas”, você desabafou e eu fiz o mesmo, e sim, você está certa ao dizer que eu vou me arrepender. Eu já me arrependi e me arrependi de ter dormido com você. Este foi o maior erro que cometi, pode ir embora.

Não era isso que eu queria dizer e certamente ela não queria ouvir. Eu não queria magoá-la novamente, mas o que ela me disse deixou-me completamente destruído. Sophie nunca fora tão dura em nossas brigas e eu pude sentir que ela estava sendo sincera ao dizer tudo aquilo. Se a sua intenção era me deixar ainda pior, ela conseguiu.


Notas Finais


Estou com pena do Justin, partiu meu coração escrever isso.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...