História All Of Me - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Drama, Justin Bieber, Rock, Rock And Roll, Romance, Shows, Tour
Exibições 1.032
Palavras 1.113
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Este capítulo foi escrito para que vocês pudessem entender o motivo da fuga da Sophie, por isso ficou pequeno.
Boa leitura!

Capítulo 30 - Family


Fanfic / Fanfiction All Of Me - Capítulo 30 - Family

Sophie Davis

Meu pai ainda me encarava sem entender a minha presença. Ele convidou-me para sentar e eu lhe pedi um tempo para começar a dar as devidas explicações. Não nos víamos há muitos anos e aparecer de repente o abalou muito. Eu também sentia o mesmo. O meu medo era dele não me ajudar. Mas assim que eu explicasse a minha situação, ele ficaria com pena e iria me estender a mão. Desde que ele e mamãe se divorciaram, anos atrás, nunca mais nos vimos. Ele me mandava dinheiro, apenas isso. Um moça muito bonita entrou na sala após ser chamada pelo homem a minha frente com um copo de água gelada e me entregou.

— Obrigada. — agradeci pegando e bebendo um gole. — Imagino que esteja curioso com a minha presença repentina.

— Digamos que, confuso. Como você está, Sophie?

— Para falar a verdade, estou nada bem. Eu nunca procurei você, porque não estava precisando de ajuda e eu me lembro da última vez que te vi.

— Falei para me procurar apenas se precisasse.

— Sim.

— Desculpe-me, filha.

— Tudo bem. Provavelmente você tinha motivos para não querer ver seus filhos.

— Eu fiquei sabendo sobre Michael. — comentou com o olhar triste.

— Quem avisou-lhe?

— Nunca perdi vocês de vista. — ele fechou o notebook e me encarou. — O que está acontecendo?

— Acabei de fugir do meu casamento.

— O QUE?

— Não precisa gritar. Quando eu terminar de falar tudo que preciso, você vai entender o meu lado.

Meu pai digitou alguns números no telefone que estava sobre a mesa e falou enquanto me encarava — Clarice, não deixe que ninguém me atrapalhe. Terei uma longa conversa com minha filha e preciso ficar a sós com ela. — a moça concordou e ele levantou-se para trancar a porta. — Pode começar.

— Eu sou apaixonada por outro garoto, mas esse não foi o motivo da minha fuga. Eu estava disposta a me casar com meu atual ex-namorado, mas descobri coisas que fizeram com que eu mudasse de ideia. Eu iria fugir, mas quando soube que Christian tinha uma noiva grávida em outra cidade, agi rapidamente. Imagino que eles estavam quase se casando ou algo do tipo, mas não queria ser a culpada pela destruição de uma família. Um bebê, como ele foi capaz de enganar nós duas? Se ele tinha uma vida com essa garota, ele não tinha o direito de querer casar-se comigo. Então fugi, faltando duas horas para o casamento. — levantei e fiquei na frente do meu pai. — Olha, eu não queria vir atrás de você, não depois de você ter abandonado a sua família, mas você é a única pessoa que pode me ajudar e eu preciso me esconder até estar preparada para dar as caras.

— Como descobriu que ele tinha outra família?

— Eu suspeitava que ele estava me traindo com a ex, mesmo ele afirmando que ela tinha uma família e que vivia longe de Atlanta. Realmente ela vivia longe, mas a família dela é ele e o bebê que ela está esperando. Acabei ouvindo uma conversa sem querer, depois vi mensagens dos dois e fotos deles juntos. Como eu precisava ir embora, não revelei a ele que eu sabia do seu segredo. Deixei-o plantado e vim para cá.

— Eu não o conheço, mas o odeio por ter feito isso com você.

— Não quero que se preocupe com isso ou que sinta pena de mim. Temos coisas mais sérias para nos preocuparmos e eu preciso da sua ajuda. Por favor, se alguém procurar por você querendo saber sobre mim, finja que não me conhece, como fez durante todos esses anos.  Posso contar com a sua ajuda?

— Fico feliz que tenha vindo ao meu encontro. — nos abraçamos após tantos anos.

— Quando eu me sentir mais segura, quero que mande buscar minha mãe. Vou precisar muito dela.

— Tudo bem. Hoje você passa à noite na minha casa e amanhã vamos encontrar um lugar para você morar.

— A sua família não vai se importar?

— Clair adoraria conhecê-la. Rome está na faculdade e Angel tem apenas seis anos.

— Então eu tenho dois irmãos?

— Rome está no penúltimo período da faculdade e Angel está na escola. Tenho certeza que eles vão adorar conhecê-la.

— E eu adoraria conhecê-los. Principalmente Rome, após perder Michael me senti muito sozinha, apesar de que não o via há muito tempo.

— Vamos pegar as suas coisas para que você possa descansar.

Jamais imaginei que o meu pai fosse me tratar assim no nosso reencontro. Faziam anos que não nos víamos e fiquei surpresa com a preocupação dele comigo. Ele havia reconstruído sua vida e era advogado. Durante o trajeto até a sua casa, conversamos sobre ele e eu terminei de falar sobre a minha vida. Muita coisa estava por vir.

 

(...)

A casa que meu pai vive com sua família é grande e elegante. Os móveis são todos modernos e o jardim é simplesmente fantástico. Angel deve ser muito mimada, pois notei vários brinquedos de criança por onde passei. As fotos da família estavam espalhadas em todos os cômodos e por um instante, senti meu coração apertar. Sempre quis um pai presente. Uma família perfeita, como a deles parecia ser. Minha mãe e eu passamos por trancos e barrancos por causa do meu irmão e ver George, meu pai, tão feliz me incomodou um pouco. Quando planejei minha fuga, custei encontrá-lo. As últimas notícias que tinha sobre ele, era que ele vivia na Europa. Agora ele vive em San Diego na Califórnia e o agradeço por isso, sempre quis estar aqui. Por fotos a cidade é linda, mas pessoalmente é simplesmente incrível.

— Sophie? — uma mulher elegante chamou pelo meu nome enquanto eu me dispersava.

— Olá! — estendi a mão e nos cumprimentados. — Você deve ser Clair.

— Sim, é um prazer conhecê-la. Seu pai deve ter lhe contado que sempre quis conhecer você e seu irmão. É uma pena que tenha acontecido aquela tragédia, mas você vai adorar Rome. Em breve você vai conhecê-lo, enquanto aguardamos o retorno dele, venha comigo para que Angel conheça sua irmã mais velha. — convidou me guiando pela casa. — Angel, venha conhecer sua irmã. — chamou algumas vezes antes da garotinha de olhos azuis aparecer.

— Você é a Sophie?

— Sou. — sorri junto com ela.

— Você é muito bonita.

— Obrigada, mas acho que você é mais bonita ainda.

— Gosta de brincar de boneca?

— Eu adoro.

— Quer brincar comigo?

— Claro que sim. — peguei em sua mãozinha — Clair, se precisar de ajuda em algo me chame.

— Brinque com ela até o jantar ficar pronto, depois irei mostrar o seu quarto e quem sabe não conversamos sobre coisas de meninas enquanto você se ajeita?

— Eu adoraria.

Peguei aquele avião pensando estar sozinha e acabei encontrando uma nova família no outro lado do país.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...