História All Of Me - Capítulo 46


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Drama, Justin Bieber, Rock, Rock And Roll, Romance, Shows, Tour
Exibições 877
Palavras 2.510
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá!
Particularmente eu gostei deste capítulo, porque Justin e Sophie puderam conversar sobre muitas coisas e eu amo essa versão 100% adulta deles, além do momento foto entre pai e filha.

Boa leitura, espero que gostem.

Capítulo 46 - Father and daughter


Fanfic / Fanfiction All Of Me - Capítulo 46 - Father and daughter

Justin Bieber

— Vou ficar mal acostumada. — sussurrava Sophie enquanto eu distribuía beijos por todo seu colo. Acordar ao lado de Sophie dois dias consecutivos estava sendo melhor do que imaginava.

— Quero acordar você assim todos os dias.

— Você anda tão romântico. Está me surpreendendo.

— Não gosta?

— Pelo contrário, estou adorando receber todo este carinho.

— Precisamos conversar com Melanie sobre nós dois. — ela ficou calada e inquieta. — Sophie, sabemos que este dia chegaria. Eu sei que você ainda está insegura em relação ao erro que cometi no passado, mas nós dois erramos e o destino novamente nos surpreendeu. Era para ser você e eu desde aquele dia que eu levei você para casa após o show, Sophie. Desde aquela época as coisas mudaram entre a gente e até hoje não sei como consegui ficar sem te tocar durante todo aquele tempo que dividimos sua casa. Era o seu rosto que eu via em todas as garotas que eu levava para dormir comigo.

— Você sempre demonstrou desinteresse.

— Você não faz noção do quão difícil foi tentar te ignorar. Todas as vezes que a gente se esbarrava eu sentia um calor no meu corpo e a única vontade que eu tinha era arrancar as suas roupas e meter forte em você.

— Justin, eu sempre agi na maior cara de pau e você me diz que tentava ignorar a vontade que sentia?

— Sophie, eu era um moleque. Você era a última pessoa que eu queria magoar.

— Talvez se você tivesse me magoado naquela época, não...

— Por favor, não diz mais nada. — a impedi de terminar a sua fala e levantei rapidamente da cama e caminhei em direção à sacada.

— Justin, desculpa. — pedia caminhando em minha direção e colocando a minha camiseta. — Eu não queria ter dito isto assim. Não da maneira como falei.

— Está tudo bem.

— Não, Justin. Não está tudo bem porque você saiu nervoso da cama.

— Eu não estou nervoso. — olhei para trás e senti vontade de beijá-la. Sophie estava muito sexy com o cabelo preso em um coque bagunçado e vestida com a minha camiseta. — Estou com raiva por eu ter cometido o erro de expulsá-la, porque agora eu te transmito insegurança e eu não quero isso, droga. Eu quero ficar com você porque eu amo você.

— Sou insegura comigo mesma, não com você. Eu acredito em tudo que você está me falando, mas o problema é comigo e não com você. Depois daquele episódio eu não consigo acreditar ou confiar nas pessoas.

— Eu quero ajudá-la com isso. Todos os dias eu vou provar para você que nada, nem ninguém irá destruir o que sentimos. Não vamos ficar mais nenhum dia separados, Sophie, nós somos um casal. Nós temos uma filha linda que amamos e que precisa da gente por perto. — Sophie me abraçou e começou a chorar — Hey, o que eu falei que te chateou? Sophie olhe pra mim. — pedi afastando nossos corpos e olhei em seus olhos.

— Você não disse nada que me chateasse. Você já foi assim alguns anos atrás, mas hoje o que eu vejo é um novo Justin e eu estou ainda mais apaixonada por ele.

— Por isso você chorou?

— Esperei ouvir isso de você há anos.

— E eu fui um tolo por ter esperado tanto tempo para poder te dizer isso. — segurei seu rosto e fiquei admirando seus olhos antes de puxá-la para um beijo. — Eu quero contar para todos que estamos juntos, mas precisamos conversar com Melanie antes.

— Ela é muito pequena.

— Sim, mas ela está tão envolvida nisso quanto a gente.

— Tudo bem.

— Vamos jantar juntos nesta noite. Vou reservar uma mesa afastada de todos para ficarmos a vontade e contar a ela sobre nós dois. Pode ser?

— Sim. Preciso ir para o outro quarto tomar um banho e me arrumar para o café da manhã, daqui a pouco ela deve acordar.

— Por que não toma banho comigo?

— E correr o risco dela me ver desfilando de toalha no corredor? Sem contar que Ryan está aqui porque bebeu muito ontem e não conseguiu voltar para casa.

— Sobre isso terei uma conversa séria com ele. Falei desde o início que na festa da nossa filha não teria bebidas alcoólicas e ele foi ao escritório beber uísque.

— Não brigue com ele.

— Só vou conversar.

— Deixe que eu falo. Às vezes você age com muita grosseria sem necessidade. Ryan não fez nada a ninguém, apenas dormiu no sofá da sua casa.

— Nossa casa.

— A casa é sua e da nossa filha apenas.

— Claro que não! Nós somos uma família.

— Você já disse isso.

— Então não seja teimosa.

— Vai com calma, acabamos de resolver nossa situação.

— Tudo bem, Sophie. Vá pegar as suas coisas, vou ficar esperando você para tomarmos banho juntos.

— Assim que Melanie acordar, ela vai até o meu quarto me procurar. Vamos ir com calma até conversarmos com ela, pode ser?

— Como você quiser, mas saiba que está me devendo isto.

Sophie sorriu e saiu. Tomei um banho gelado demorado e encontrei Melanie no corredor toda desarrumada e com a carinha de sono. Ela estava ainda mais encantadora, assim como Sophie quando acordava. Assim que ela me viu, veio correndo em minha direção e eu peguei-a no colo. Seus bracinhos curtos atravessaram o meu pescoço e ela deu um beijo na minha bochecha. Estava me sentindo o cara mais sortudo do planeta. Minha família é a mais linda do  mundo todo.

— Onde está sua mamãe?

— Miu.

— Eu acho que ela já acordou. Quer ir vê-la?

— Pinha.

— Roupinha? Mamãe banha você quando você acorda?

— Sim.

Caminhei em direção ao seu quarto e coloquei-a na cama. Revirei seu guarda-roupa e peguei um vestido amarelo claro.

— Gosta desse? — ela sorriu e cobriu o rostinho com as mãozinhas. — Não? O papai acha bonito. Qual você quer?

— Cesa.

— Princesa? — questionei com dúvida e ela confirmou sacudindo a cabeça. — Qual é o da princesa? — ela me olhou confusa e novamente revirei para encontrar. — Esse? — perguntei mostrando um vestido roxinho e ela confirmou. — Vem com o papai, vou dar-lhe um banho para podermos preparar o café da manhã para a mamãe.

— Café.

— Sim meu amor.

Coloquei na água quente e arrisquei a dar-lhe banho pela primeira vez. Quando descobri que era pai, comecei a ler todos os artigos disponíveis na internet e em revistas. Lembrei-me de algumas dicas que li e tentei seguir passo a passo. Confesso que estava nervoso, tive medo de cometer algum erro e machucá-la, mas ela sorria o tempo todo, sinal que eu estava fazendo tudo certo. Jamais me imaginei dando banho em uma criança e eu estava adorando. Melanie batia na água sorrindo e fazia careta, ficando ainda mais fofa. O banho durou poucos minutos. Sequei-a bem, vesti-a com seu vestido de princesa, penteei seus cabelos para trás, coloquei um sapatinho difícil de calçar em seus pezinhos e desci com ela para a cozinha. A casa estava um silêncio total. Sentei-a na cadeirinha e comecei a preparar nosso café da manhã. O meu celular apitou e enquanto aguardava o bacon ficar pronto destravei a tela para conferir. Mensagem da Sophie. Ela havia tirado uma foto minha dando banho na nossa filhinha e enviado com a legenda: “Ela não apareceu e resolvi ir até lá para saber se estava tudo bem. Não quis atrapalhar seu momento pai e filha. Fiquei ainda mais apaixonada por vocês dois, essa cena amoleceu o meu coração e me emocionei. Obrigada por estar dando o seu melhor. Nós duas amamos muito você”.

— Mama. — chamava Melanie.

— Ela já vai descer. — respondi com um sorriso bobo no rosto imaginando ela observando meu momento pai e filha.

— Bom dia família. — cumprimentou chamando nossa atenção. Seu sorriso era estonteante. — Princesa, você está linda. — elogiou dando um beijo na Mel.

— Eu tinha escolhido um amarelo, mas ela quis o da princesa.

— Foi difícil descobrir?

— Não, ela é muito esperta.

— Parece com você.

— Mas é linda como você. — sorrimos. — Preparei panquecas, ovos, bacon e suco de goiaba.

— Eu amo suco de goiaba, principalmente o que você faz.

— Foi de propósito.

— Eu sei. — sorriu. — Estou faminta.

— Eu sei. — repeti sua fala e servi a gente.

— Melanie, nós duas vamos morar com o papai. — ela surpreendeu-me dando início à conversa antes do jantar. — Tudo bem?

— Bem.

— Somos uma família agora, então vamos ficar juntos para sempre.

— Beijo. — Mel disse e Sophie foi beijá-la, mas ela cobriu o rosto com as mãos e negou com a cabeça. — Papa. — Sophie me encarou perplexa e eu comecei a rir descontroladamente.

— Como você sorri disto?

— Nossa filha é foda.

— Foda.

— Não filha, você não pode falar isso. Justin, eu já pedi uma vez.

— Desculpe meu amor, sempre acabo me esquecendo. Melanie é feio dizer isso, ok?

— Sim.

Não demorou muito até Ryan aparecer e tomar café da manhã com a gente. Contamos a novidade e ele nem demonstrou muito interesse, pois já estava na cara para todos que isso iria acontecer com a vinda de Sophie para minha casa. A tarde veio e fomos para a piscina. Beatrice, Alfredo, Ryan e os irmãos de Sophie também vieram para curtir à tarde com a gente. As crianças estavam brincando e eu dei um mergulho, nadando até a direção de Sophie.

— Você me pegou de surpresa falando sobre aquele assunto com Melanie hoje pela manhã.

— Eu sei que você está ansioso para mostrar ao mundo que está com a sua família, apenas ajudei você.

— Quer dizer que você não vai achar ruim os fotógrafos perseguirem a gente?

— Claro que eu vou, os odeio. — sorrimos — Mas de qualquer maneira eles iriam atrás de você hoje à noite. As pessoas amam você, elas precisam saber todos os seus passos.

— Se você achar que Melanie está sendo muito exposta tomarei providências imediatamente.

— Está tudo bem. Melanie é filha de um artista mundialmente conhecido e em algum momento isso iria acontecer. Eu só não vou aceitar que a machuquem tentando tirar fotos, mas garanto para você que pra mim está tudo bem.

— Eles não seriam malucos de machucá-la. Vou dar uma entrevista amanhã pela manhã com a banda e falarei sobre isso. Sem flashes.

— Sem flashes. — ela repetiu sorrindo e nos beijamos.

 

(...)

Bone's Restaurant — Domingo, 20h34.

Jantar com a minha família foi maravilhoso. Assim que chegamos ao restaurante havia fotógrafos nos esperando, saí primeiro do carro e pedi para que não usassem flashes em suas câmeras para não machucar os olhos da Melanie, pois ela é muito pequena. Entramos e logo fizemos nossos pedidos. Sophie contou mais algumas coisas de sua gravidez e nossa filha se divertia com seu biscoito em formato de estrela.

— Nunca passou pela minha cabeça que você fosse fugir do seu casamento e muito menos que estivesse grávida.

— Nem na minha. Um pouco mais de um mês após nosso último encontro eu comecei a me sentir mal e resolvi fazer um teste de farmácia. Quando deu positivo me desesperei, mas estava muito feliz. Sempre quis ser mãe e só de saber que o pai era você eu estava aliviada. Antes do casamento eu iria conversar com o Christian, mas antes disto acontecer eu descobri que ele estava com sua ex e que além de ser casado com ela, estava esperando um bebê. Senti-me horrível. Eu ia estragar uma família e também a minha visa, porque eu não o amava.

— Quando você apareceu nervosa no hotel me chamando de maconheiro bastardo eu ia contar, mas fiquei tão chateado com você que quis que você descobrisse sozinha.

— Me perdoe pelas palavras, eu me arrependi assim que terminei de falar.

— Está tudo bem. Eu também falei coisas horríveis. Que bom que crescemos mentalmente e hoje agimos conforme nossa idade.

— Depois que a gente quebra a cara aprendemos a agir de forma correta.

— Mudando de assunto, o que você pretende fazer no final deste mês?

— Encontrar um bom emprego e arrumar uma babá para a Melanie. Também gostaria de vender a minha casa na Califórnia ou alugar. Preciso mandar buscarem as minhas coisas até a próxima semana.

— Quanto as suas coisas, conversei com o seu pai e ele já tomou providência. Em relação ao emprego, você não precisa.

— Claro que preciso.

— Discordo. Tudo que você precisar eu vou dar para você e também para Melanie.

— É lindo de sua parte fazer isso, mas eu não quero viver dependente de você. Formei em administração na intenção de trabalhar na área porque é algo que eu gosto, não porque preciso.

— Pensa mais se é isso que você quer.

— Justin, já está decidido. Vou conversar com algumas babás e escolher alguém de confiança para ficar com a Melanie enquanto estivermos fora. Posso arrumar um emprego de meio período, assim passo mais tempo com ela quando você estiver em turnê.

— Quero vocês duas me acompanhando na turnê.

— Ela é muito pequena para ficar viajando de cidade em cidade. Se para você é cansativo, imagine para ela que não entende o porquê de estar viajando.

— Não precisa ser sempre. Assim eu não vou sentir muito a falta de vocês duas. Tive uma ideia.

— Lá vem.

— Quero você tomando conta da administração da banda.

— Mas vocês já tem alguém que faz este serviço.

— Tínhamos.

— Eu não quero ser a culpada pela demissão de alguém.

— Não se preocupe. O pai da Beatrice não estava satisfeito e demitiu nosso administrador há algum tempo. Ele adora você e todos sabem que você é competente. O que acha? Diz que topa.

— Eu seria louca se não aceitasse. Bom que se alguma vagabunda se aproximar de você com segundas intenções, eu acabo com todas elas.

— Com você sendo a minha garota não tenho olhos para nenhuma outra.

— Preciso filmar você dizendo isso.

— Está duvidando?

— Estou surpresa.

— Vou falar com ele amanhã e logo trago os papéis do seu contrato.

— Tudo bem, chefinho.

— Isso soou muito sexy. Acabei de imaginar você vestida como uma secretária e... — calei rapidamente quando me lembrei da nossa filha.

— Quase. —Sophie disse segurando o riso.

— Você está encarregada de realizar este meu desejo.

— Pode deixar.

— Quero levar você para uma viagem no final do mês.

— Por isso perguntou o que eu iria fazer?

— Sim. Podemos pedir a sua mãe para ficar com a Mel, prometo que será uma rápida viagem. Eu sei que você não está acostumada a ficar distante dela durante muito tempo.

— Para onde pretende me levar?

— Surpresa.

— Tenho certeza que vou adorar.

— Acabei de ter uma ideia. — ela sorriu divertida e assentiu com a cabeça para que eu pudesse prosseguir. — Sua mãe foi para a Califórnia para poder te ajudar, o que acha de convidarmos ela para morar em Atlanta? Com o dinheiro da sua casa, você pode comprar outra aqui para ela ou até convidá-la para morar com a gente. Assim você não precisa se preocupar com nossa filha ficando com uma pessoa desconhecida. Podemos oferecer um salário para isso.

— Ela não aceitaria nunca receber dinheiro para olhar a neta.

— Seria uma maneira de retribuir.

— Amanhã vou convidá-la para jantar conosco e conversamos com ela sobre isso, pode ser?

— Claro. Quer voltar para casa?

— Sim, já está tarde e Melanie deve estar com sono.

Paguei a conta e fomos embora para casa.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...