História All Of Me - Capítulo 47


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Drama, Justin Bieber, Rock, Rock And Roll, Romance, Shows, Tour
Exibições 543
Palavras 1.286
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá, estou demorando porque não quero acabar com essa fanfic. Beijos!

Boa leitura, espero que gostem.

Capítulo 47 - Coffee with Rome


Fanfic / Fanfiction All Of Me - Capítulo 47 - Coffee with Rome

Sophie Davis

O jantar com minha mãe tinha sido maravilhoso. Ela aceitou a proposta do Justin, mas como imaginado, nada de receber algo em troca. Compramos uma casa para ela próxima a nossa e na semana seguinte viajamos para a Califórnia para um almoço em família na casa do meu pai. Levamos Pattie e minha mãe conosco. Rome, meu irmão que fazia faculdade em outra cidade também viria. Combinamos de tomar café da manhã juntos para relembrar nossas manhãs sozinhos quando mudei-me para cá.

— E a faculdade?

— Daqui poucas semanas será a minha formatura.

— E eu só fico sabendo agora?

— Está uma correria, os convites nem estão prontos.

— Vou pedir ao Justin para adiar nossa viagem então.

— Você não me disse que iriam viajar?

— Estou falando agora. — sorrimos — Ele propôs uma viagem de casal, minha mãe vai ficar com a Mel durante as duas semanas que ficaremos fora.

— Imaginei que seria pelo menos um mês.

— E ficar longe da minha filha durante tantos dias? Ainda não me sinto bem em relação a isso.

— Qual o destino?

— Surpresa.

— Gosto disso. Algo me diz que coisas boas vão acontecer.

— Como?

— Um pedido de casamento.

— Não viaja.

— Vai me dizer que isso não passou pela sua cabeça?

— Não. Nós nos reconciliamos tem poucos dias e está cedo para um pedido de casamento.

— Cedo? Você é a mãe da filha dele.

— Isso não quer dizer que ele deve me pedir em casamento. Justin não é do tipo que se casa.

— O antigo Justin, talvez este novo que está agindo como um homem de verdade pense diferente.

— Você acha mesmo?

— Eu tenho certeza. Se ele não fizer isso eu prometo enforcá-lo, porque sinto que criei esperanças no seu coração.

— Muitas esperanças.

— Vou esperar uma ligação escandalosa e repleta de emoção.

— Você será o primeiro a ficar sabendo caso este seja o plano do Justin.

— Ouvi o meu nome? — questionou Justin chegado por trás de mim.

— O que faz aqui?

— Gostaria de bater um papo com Rome.

— Sente-se.

— Coisas de garotos, Sophie.

— Estava planejando voltar com Rome para a casa do nosso pai.

— Pode usar o meu carro. — disse me entregando as chaves.

— Prefiro chamar um táxi.

— Qual é Sophie, pode pegar e ir para a casa do seu pai.

— Se algo acontecer com o seu carro você me mataria.

— O Justin de dois anos atrás faria isso, eu não.

— Você está me assustando. —com um olhar desconfiando peguei as chaves e despedi saindo da cafeteria.

— Não mereço nenhum beijo? — perguntou Justin me puxando pelo braço.

— Acho que não. — sorri encarando seus lábios.

— Certeza? — insistiu aproximando nossos corpos e apertando a minha cintura.

— Estamos na entrada na cafeteria.

— Eu sei e não me importo. Você sabe que eu só sairei daqui se você me der o que eu quero.

— Acabaríamos na prisão.

— A segunda parte pode ficar para mais tarde quando voltarmos para casa.

— Confesso que gosto da ideia.

— Eu sei.

Suas mãos que antes estavam na minha cintura subiram em direção ao meu rosto onde ele acariciou e segurou firme enquanto selava nossos lábios. Sua boca era macia, mas firme, e ele mordeu o meu lábio inferior e chupou o superior bem de leve. Seu beijo tinha gosto de menta e meus joelhos enfraqueceram. A cada beijo apaixonado eu sentia maior necessidade de mantê-lo por perto. Sempre que nos beijamos ou quando estamos juntos, sinto-me completa e especial. Justin sempre teve o dom de fazer com que eu me sentisse especial e única, agora que estamos investindo na nossa relação notei que isso está ainda mais forte. O que sentimos um pelo outro é muito forte.

Caminhei em direção ao estacionamento com o rosto queimando de vergonha. Avistei fotógrafos disfarçados e pensei em voltar para avisar ao Justin que a mídia logo divulgaria que ele estava em um novo relacionamento, mas fiquei com medo dele sair querendo quebrar à cara deles e achei melhor ir para a casa do meu pai. Assim que cheguei fui ajudar sua esposa e minha mãe na cozinha. Melanie estava brincando com Angel no jardim onde pude ver através da janela. Eu estava me sentindo tão realizada que a felicidade mal cabia no peito. Rome e Justin sumiram a manhã toda. Telefonei algumas vezes e Justin dizia estar resolvendo algumas coisas e que só chegaria poucos minutos antes do almoço. Gostei de saber que eles estavam juntos, seria a oportunidade dos dois se conhecerem mais e quem sabe criarem um vínculo de amizade como Ryan e eu. Ele estava trabalhando no novo Justin e queria começar a mudar as coisas me agradando, por isso imagino que reservar algumas horas para sair com o meu irmão seja para me ver feliz.

Assim que terminamos de organizar nosso primeiro almoço com a família completa, busquei Melanie no jardim para dar-lhe um banho. Ela reclamou de sono e após o banho deitei com ela na cama do quarto que meu pai havia preparado especialmente para ela assim que ela nasceu e acabei caindo no sono também.

 

(...)

Justin Bieber

Combinei de sair com Rome, pois sabia que Sophie ficaria feliz e seria a oportunidade perfeita para conhecê-lo melhor e criar um vínculo de amizade. Passamos a manhã toda juntos e ele me ajudou com alguns planos que estive fazendo durante algum tempo. Voltamos para casa pouco antes do almoço e subi para matar a saudade das minhas garotas. Fui até ao quarto da Mel e encontrei as duas deitadas na cama dormindo. Imaginei que Sophie estava desconfortável, pois a cama de solteiro parecia ainda menor com as duas deitadas sobre ela. Acariciei sua cabeça e sussurrei em seu ouvido até ela abrir os olhos lentamente e sorrir ao ver-me.

— Gostaria muito de ser a Melanie para estar sendo esmagado com seus braços magrelos.

— Você é ridículo.

— Estou a fim de levar você comigo para nosso quarto e fazer amor com você.

— Meus pais estão lá embaixo.

— E nós aqui em cima. Prometo ser silencioso.

— Eu não consigo e você sabe.

— Pode ser debaixo do chuveiro.

— Você é muito malandro.

— Apenas quero fazer o que você quer que eu faça.

— Estou cansada.

— Eu sei meu amor, acordamos muito cedo para vir pra cá. — beijei sua bochecha e ela sorriu — Mas eu prometo deixá-la descansar depois do nosso banho.

— Parece que você não faz sexo há meses.

— Dois anos, Sophie. Você vai ter que me recompensar por todo o tempo perdido.

— Acho você muito safado.

— Você adora.

— E você é irresistível.

— Assim como você.

Fomos até o quarto e entramos no banheiro aos beijos. Segurei seus quadris com as duas mãos e a ergui até suas pernas ficarem enroscadas na minha cintura. Afastei nossas bocas fazendo uma trilha de beijos em seu pescoço e dei uma leve mordida em seu ombro nu. Senti sua pele inteira arrepiar-se. Abaixei minha cabeça e coloquei um de seus mamilos na boca, chupando com força. Sophie deu um grito e agarrou meus ombros. Ela encarou meus olhos e eu não desviei o olhar dela enquanto enfiava um dedo em sua intimidade e ela soltava um gemido. Seus dedos dos pés se curvaram quando foi penetrada com dois dedos meus.

— Puta que pariu Sophie, molhadinha e quentinha do jeito que eu gosto. —minha respiração estava ofegante assim como a dela — Eu preciso que você goze para mim. Goze na minha mão, Sophie.

— JUSSSSSSSTIN! — o grito alto escapou de sua boca e suas unhas apertaram meus ombros.

— Você é linda e sua bocetinha é tão doce quanto o resto de você. — falei colocando os dois dedos dentro da boca. — Vamos terminar este banho porque depois do almoço pegamos o primeiro avião de volta para casa. Você vai estar nua na minha cama antes que este dia acabe.


Notas Finais


Será que agora tudo vai dar certo ou irei surpreendê-las novamente? kkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...