História All Of The Stars - Clexa - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias The 100
Personagens Bellamy Blake, Clarke Griffin, Costia, Lexa
Tags Clarke, Clexa, Elycia, Lexa, The 100
Visualizações 361
Palavras 1.087
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Survival
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 26 - Clarke - Clexa (Parte 1)


Fanfic / Fanfiction All Of The Stars - Clexa - Capítulo 26 - Clarke - Clexa (Parte 1)

Clarke

Naquele mesmo dia pedi que Bellamy buscasse Brian na escola e pedi que ficasse com ele até domingo, então eu o buscaria em sua casa.

Qualquer coisa poderia acontecer nesse (re)encontro e eu não poderia arriscar de jeito nenhum que Lexa descobrisse sobre meu filho, pelo menos não ainda.

Fiquei até mais tarde na empresa, e quando cheguei em casa fui direto para o chuveiro e depois para a cama, a casa era estranha sem ele por perto, o barulho dos pezinhos correndo pelo chão frio faziam muita falta.

Brian não costumava ficar com o pai, até porque, ele não gostava muito, os pais de Bellamy são legais com ele mas ele diz que não se diverte. Não é para menos, aqueles dois são extremamente ranzinzas, nunca vou esquecer, me fizeram fazer três exames de DNA para terem certeza que eu não estava dando um golpe no filho deles.

.....

No dia seguinte, fiquei andando pela casa na parte da manhã, arrumei algumas coisas no quarto de Brian, não que eu precisasse fazer isso, mas gostava de mexer nas coisas dele e saber que voltaria logo. Toda mãe fica com o coração apertado quando um filho passa a noite fora, mesmo que seja com o pai dele.

Quanto mais contava os minutos, mais devagar as horas passavam, mas finalmente passaram. Vesti uma roupa confortável, com um short e uma blusa simples e fui para a lanchonete da rua 59 na hora marcada.

Confesso que fiquei esperando por, pelo menos, 30 minutos, estava quase decidida a ir embora quando ela chegou.

- Ah! Seu relógio mandou lembranças! - Brinquei assim que Lexa se aproximou da mesa, ou ela estava muito atrasada, ou tinha feito de propósito para ver se eu a esperaria.

- Sempre tão simpática né Griffin. - Falou se sentando na cadeira bem a minha frente.

Nós pedimos dois shakes e a observei enquanto fingia olhar o cardápio. Ela ainda era do jeito que me lembrava, olhos bem verdes, cabelos castanhos, pele, aparentemente, macia, nem parecia que haviam passado mais de seis anos.

Vi seus olhos chegarem aos meus passando sobre o cardápio bem a sua frente, então ela o dobrou e o colocou de lado sem tirar os olhos de mim.

- Que foi? - Ela perguntou com uma voz doce.

- Nada, olhar não tira pedaço.

- Era com esses olhares que tirávamos bem mais que alguns pedaços. - Ela brincou e depois riu, arrancando um sorriso de mim também.

- E qual o problema? Não sou mais casada.

- Desculpa, mas tenho namorada.

Oi?! Aquilo era sério? Ela falou em um tom de gozação como se gostasse de ver minha cara de surpresa. Lexa ainda mexia muito comigo.

- Sem problemas, eu não sou ciumenta.

Bem nessa hora nossos shakes chegaram e ela tomou um gole de imediato, lambendo os lábios enquanto meus olhos seguiam o movimento de sua língua.

- Você pode não ser, mas ela é.

- Desde quando é fiel Lexa?

- Desde sempre. - Eu gargalhei com aquilo e ela simplesmente sorriu. - Pelo visto nada mudou. - Ela continuou. - Você continua com os joguinhos e essas suas cantadas baratas.

- Ha! Como se eu fosse a única!

- Vamos Clarke, quero saber da sua vida, o que fez nesses seis anos? - Agora ela realmente me convenceu que estava interessada.

Hãn...me deixa pensar...além de ter um filho?

- Nada demais, continuo cuidando da minha empresa.

- Sua empresa? Pensei que era do Bellamy.

- Ele passou para o meu nome, disse que tinha mais a ver comigo do que com ele, e hoje vejo que estava certo.

- Nossa... - Parecia uma palavra inofensiva, mas Alexandra Woods tirou uma com a minha cara.

- Não acredita? - Perguntei.

- Eu não disse isso.

- Mas parece que não acreditou. - Insisti.

- Calma. Esta na defensiva Senhorita Griffin. - Senti suas mãos apoiarem todo peso daquela frase na mesa.

- Vamos ao que interessa, e você? Só foi para o Reino Unido para arrumar uma namorada?

- Na verdade não. Fiz minha faculdade e tenho uma vida muito boa por lá. - Ela me respondeu no mesmo tom irônico que perguntei.

- Me diga uma coisa, - Diminui o tom da voz. - ela é melhor que eu na cama?

- Bem, só provando as duas ao mesmo tempo para saber.

Não adiantava, o ego de Lexa estava alto demais para conseguir encosta-la na parede.

- Pode começar comigo se quiser. - Provoquei.

- Vou pensar no seu caso.

Não sei descrever aquela cara que ela fez, mas sei que tive vontade de jogar tudo aquilo no chão e transar com ela ali mesmo.

Meu Deus! Como Alexandra Woods estava gostosa, era até difícil de acreditar!

.....

Agora nossas conversas estavam bem mais abertas, ela até me contou sobre algumas garotas que ficou e eu apenas ouvi, não tinha muito o que contar já que não fiquei com ninguém nesses últimos anos. Foi difícil, mas meu pequeno precisava de mim.

Quando percebi já estávamos no segundo shake, dessa vez Lexa não me deixou pagar. Pois é, parece que o tempo a ajudou muito, tanto financeiramente quanto fisicamente.

- Quer uma carona? - Perguntei.

- Não precisa, vou pegar o táxi.

- Qual é Lexa, eu não vou tentar te agarrar. - Ela riu.

- Tudo bem. - Falou aceitando a carona.

Ela entrou no carro logo depois de mim e eu a levei para o alto de uma montanha. Sempre vi essas coisas em filmes e sempre quis saber se daria certo. Bem, se desse certo com a Lexa, com certeza daria com qualquer um.

- Não ia me levar para o hotel? - Ela perguntou assim que estacionei o carro naquele lugar deserto.

- Na verdade eu disse que te daria uma carona, não disse o destino.

O sol já estava se pondo e ela manteve o olhar nele enquanto seus últimos raios atravessavam as janelas do carro em nossa direção.

- Você prometeu que não ia me agarrar.

- Mas eu ainda nem fiz nada! - Falei me defendendo.

- Eu sei, mas te conheço.

- E tem mais, eu não falei que não ia te agarrar, eu disse que não tentaria te agarrar.

- Ta! E qual é a diferença?

- A diferença é que eu não vou tentar.

Soltei meu cinto e logo em seguida soltei o dela.

- Sai do carro.

Lexa me olhou e só saiu quando viu que eu também sai, a levei até a parte de trás e abri o porta malas. Eu tinha deitado os bancos e colocado algumas almofadas entre outras coisas mais confortáveis, minha intenção não era transar com ela, mas se ela pedisse eu não negaria, só queria tê-la para mim um pouco.

Que graça tem ter um carro grande se não posso usar como quero?


Notas Finais


Continuo??
~StoriesOfADream


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...