História All Of The Stars - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alexandra Daddario, One Direction, Zayn Malik
Personagens Alexandra Daddario, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags A Culpa É Das Estrelas, A Ultima Música, Alexandra Daddario, Drama, Harry, Harry Styles, Liam, Liam Payne, Louis, Louis Tomlinson, Morte, Niall, Niall Horan, One Direction, Percy Jackson, Romance, Sexo, Zayn, Zayn Malik
Visualizações 34
Palavras 2.221
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yuri
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 32 - Thirty one


-Niall desce aqui que eu preciso falar com você – Zayn gritou da sala e logo ouviu os passos pesados do garoto na escada.

-Fala pai – o mesmo disse assim que chegou na sala e encontrou o moreno sentado no sofá segurando o que de longe parecia um papel branco, velho e bem gasto.

-Senta aqui – ele pediu sem nem ao menos olhar nos olhos azuis.

-Aconteceu alguma coisa? Eu fiz algo? – a preocupação do garoto fizera o moreno rir.

-Não meu anjo, você não fez nada é que – Zayn se virou de lado no sofá e ficou frente a frente com o filho. Era engraçado ver o quanto o garoto era parecido com o pai biológico. Cabelos castanhos escuros, como os natural de Niall, olhos azuis e pele branca com a bochecha rosada. Zayn tinha certeza que se Niall estivesse vivo os dois seriam confundidos como irmãos gêmeos – eu preciso te dar uma coisa.

- O que? – ele perguntou ficando na mesma posição do mais velho para encara-lo.

- Você sabe que eu não sou realmente seu pai, não é? – ele perguntou e o mais jovem assentiu fazendo careta.

-Aonde quer chegar com isso?

-Bom seu pai era meu melhor amigo – ele suspirou – quando ele estava doente no hospital passava horas sem fazer nada e nem ao menos conversava com ninguém, pelo menos até o momento em que descobriu que ia ter um filho – um sorriso brotou no rosto do adolescente – depois disso ele passava horas e horas escrevendo e escrevendo, nunca disse nem a mim e nem a sua mãe o que tanto ele escrevia – explicou apertando levemente o envelope manchado de preto em sua mão – quando ele terminou o que é que ele estava fazendo, colocou neste envelope – Zayn levantou o envelope e mostrou para o mesmo – ele me entregou e disse que quando você completasse 18 anos eu deveria dar isso a você, bom sei que oficialmente você só faz aniversario amanhã, mas acho que não tem problema – Zayn se levantou colocando a mão nos bolsos de sua bermuda – vou deixar você sozinho, qualquer coisa estou lá no fundo, temos que limpar a churrasqueira para amanhã.

O garoto estava estático, na verdade ainda não tinha conseguido formular que estava segurando as únicas palavras de seu pai para ele. Tudo estava rodando e a única coisa intacta era o envelope branco manchado em sua mão.

Ele sentia algo molhar sua face. Ele estava chorando. Nem lera ainda e já estava chorando. Respirou fundo e ajeitou a postura, o dorso de sua mão esquerda limpou os vestígios da agua salgada em seu rosto e logo ele abrira o envelope, três folhas, era tudo o que tinha ali. A primeira folha estava escrito, uma carta? Talvez, letras delicadas e redondas. Os olhso azuis passaram pela folha e começaram a ler mentalmente, ele jurava que podia ouvir a voz do pai lendo para ele.

“Filho, sei que isso pode ser estranho, mas eu tenho certeza que não estarei com você em seu aniversario, e a única saída que achei foi essa. Uma carta. Uma carta que estou escrevendo a meses.

Imagino que agora você já seja um garotão, 18 anos em, só tenho algo para te dizer, não beba muito você terá tempo para isso, quando eu bebi pela primeira vez acordei com uma dor de cabeça enorme no outro dia, acredite no seu velho/novo pai. É a pior sensação que pode existir.Acho que realmente não sei o que falar, então se tiver muitas besteiras durante a carta peço para que ignore. Eu queria poder estar ai com você, eu te segurei nos braços e olhei em seus olhos e te vi sorrir, você pareceu me entender quando eu disse que faria de tudo por você mesmo longe e que não era escolha minha não estar com você e sua mãe. Falando nela deve estar linda não? Quantos anos uns 36? E por favor me diga que ela casou com o Zayn, porque se ela não o fez serei obrigado a descer do céu e dar um cascudo naqueles dois.

Eu queria te dizer tantas coisas sabia? Te dizer para ter cuidado com suas companhias, dizer para ter cuidado quando se trata de garotas, você pode não saber mais o coração delas são frágeis e muito fácil de ser quebrado, não use drogas e não abuse do álcool, vá dormir cedo, não encha o saco da sua mãe, coma bem, se bem que essa eu não ia precisar falar, afinal você é meu filho, tenho certeza que deve comer mais do Anne e Zayn juntos, arrume uma namorada que de orgulho ouviu? Não va muito na onda do Zyan, ele sempre foi o Bad Boy, tantas outras coisas queria te dizer, mas o papel está acabando e tudo o que eu queria expressar não cabe aqui, na verdade mal cabe no meu peito.

Antes de te dizer um adeus, queria te fazer um pedido. Imagino que você tenha herdado os dons do pai e que saiba cantar e tocar violão, se não souber tem um dia pra aprender pois sei que Zayn deve ter te entregado esse envelope antes da hora. Mas enfim quero que leia os outros dois papeis e cante a musica que eu fiz para sua mãe e não esqueça de dizer a ela que eu a amo; Diga ao Zayn para cuidar dela e de você direito senão volto para assombrá-lo e não esqueça filho, mesmo que você não se lembre de mim eu te amo, amo tanto quanto amei sua mãe e bem mais do que um dia você amara alguém isso tenho certeza... Agora sim Adeus filho’’

-Adeus papai – Niall disse dobrando a folha novamente e pegando o envelope virou o mesmo a procura das outras duas folhas, mas para sua surpresa caiu mais alguma coisa de lá. Uma palheta azul.

Em uma das folhas estava a letra da musica e no final dela uma observação: “minha palheta preferida guarde-a como se fosse eu”. Um sorriso boba de felicidade se estampou no rosto do garoto enquanto ele deixava as lagrimas rolarem sem pudor. Na outra folha havia as notas que ele deveria tocar no violão.

-Niall me ajuda com, o que aconteceu? – Anne perguntou assim que passou pela porta da sala.

-Nada mãe – o garoto se levantou limpando as lagrimas – deixe-me te ajudar com as sacolas.

-Filho por que está chorando? – ela perguntou enquanto via o filho tirar as sacolas de sua mão e caminhar até a cozinha.

-Mãe, como meu pai era? – aquela pergunta com certeza pegou a morena de surpresa –e eu não quero dizer fisicamente.

-Niall era, bom simpático, romântico, amoroso, carinhoso, engraçado, amigo, companheiro, sonhador, comilão, tudo tinha um lado bom para ele e quando estava com ele os problemas no mundo simplesmente pareciam não existir – enquanto Anne falava Niall olhava a mãe admirado – sabe filho ele era assim, como você.

-Obrigado mãe – o garoto abraçou a mulher e lhe beijou a bochecha – preciso subir.

- O que foi isso?- Zayn perguntou selando os lábios da mulher 

-Não sei – ela deu ombros – me ajude a guardar isso –ela deu tapa de leve no ombro do homem o fazendo rir.

[...]

 -UHUM – um pigarro alto foi ouvido e logo todos os convidados da festa estavam prestando atenção no aniversariante que se encontrava no meio da lada ao olhar de todo mundo – eu queria pedir um minuto da atenção de todos os meus colegas e familiares – Niall pediu vendo Zayn abraçar Anne para tentar entender o que estava acontecendo – sei que em aniversários geralmente o aniversariante ganha presentes, mas hoje eu quero presentear minha mãe com uma musica, uma musica escrita por meu pai e deixada pra mim. A ultima musica composta por Niall James Horan – ele falou vendo a mulher sorrir enquanto os olhos ganhavam um tom avermelhado – desculpe qualquer coisa, tive apenas um dia para treinar –ele brincou ajeitando o violão em seu colo.

It's just another night (É apenas outra noite)

And I'm staring at the moon (E eu estou encarando a lua)

Saw a shooting star and thought of you(Vi uma estrela cadente e pensei em você)

Sang a lullaby by the water side and knew (Cantei uma canção de ninar a beira da agua e soube)

If you were here, I'd sing to you(Se você estivesse aqui cantaria pra você)

Mesmo depois de ter ido embora Anne podia sentir Niall ali com ela, e com aquela musica sendo cantada por seu filho era realmente como se ele tivesse reencarnado apenas por uma noite para vê-la e dizer tudo aquilo. Estava funcionando, ela sentia o coração bater mais forte e as emoções voltava em um turbilhão.

You're on the other side (Você está do outro lado do mundo)

As the skyline splits in two (E a linha do horizonte se divide)

Miles away froom seeing you (Milhas de distancia para poder te ver )

I can see the stars from America (Eu posso ver as estrelas da America)

I wonder, do you see them too?( Me pergunto, sera que você também?)

As memorias de quando ela o conhecera voltaram como flashes, o romance que eles tiveram, os sentimentos que sentiam, tudo o que faziam voltava e voltava e rodava e rodava em sua mente enquanto ela encarava o filho e puxava Zayn para mais perto de si.

So open your eyes and see(Então abra seus olhos e veja)

The way our horizons meet(Os nossos horizontes se encontrando)

And all of the lights will lead(E todas as luzes te guiando)

Into the night with me(Pela noite comigo)

And I know the scars will bleed(E eu sei que essas cicatrizes irão sangrar)

But both of our hearts believe (Mas nossos corações acreditam)

All of the stars will guide us home(Que todas as estrelas nos guiarão para casa)

Estrelas, o simbolo do amor deles. Os olhos azuis de Anne pararam na tatuagem que fizera no pulso. A primeira vez em que eles deitaram juntos sobre o ceu estrelado e deram seu primeiro beijo, os dias que passavam no hospital desenhando estrelas no pulso um do outro, e ela mal sabia que Niall estava lhe preparando isso.

I can hear your heart(Eu posso ouvi)r seu coração)

On the radio it beats(No radio, ele bat

They played "Chasing Cars" and I thought of us(Eles tocaram “Chasing Cars” e eu lembrei de nós)

Back to the time you were lying next to me(De volta para o tempo em que você se deitava ao meu lado)

I looked across and fell in love( eu olhei pro lado e me apaixonei)

Novamente a noite em que eles se beijaram pela primeira vez voltou em sua mente. Tocava Chasing Cars e eles estavam deitados um ao lado do outro antes dos lábios se selarem pela primeira vez. Ela só não sabia que o próprio Niall se lembrava desses pequenos detalhes.

So I took your hand (Então eu peguei sua mão)

And through all the streets I knew (E pelas ruas eu soube)

Everything led back to you(Tudo me leva de volta a você)

So, can you see the stars (Então você pod ever as estrelas)

From Amsterdam(De Amesterdã)

Hear the song my heart is beating to?(e ouvir o som do meu coração batendo?)

Ela realmente queria poder dizer que queria, mas ela não podia, não podia porque ele não estava lá, não de verdade. Ela olhou pra cima e pode ver lágrimas escorrerem pelo rosto do marido. Ela sorriu. Como pode alguém se fazer de durão e no outro minuto desabar em lagrimas com uma simples musica?

So open your eyes and see(Então abra seus olhos e veja)

The way our horizons meet(Os nossos horizontes se encontrando)

And all of the lights will lead(E todas as luzes te guiando)

Into the night with me(Pela noite comigo)

And I know the scars will bleed(E eu sei que essas cicatrizes irão sangrar)

But both of our hearts believe (Mas nossos corações acreditam)

All of the stars will guide us home(Que todas as estrelas nos guiarão para casa)

I can see the stars of America (Eu posso ver as estrelas da America)

Então a musica acabou e todos aplaudiram enquanto Anne finalmente se permitia chorar.

-Bom meu pai tinha mais um recado, primeiro é pra você papai – ele se virou para Zayn enquanto o mesmo encarou de olhos arregalados – Disse que se você não cuidar de mim e da mamãe direito ele volta para te assombrar – Zayn riu e assentiu como se dissesse que estava tudo bem e que cuidaria de tudo – e pra você mãe ele queria te relembrar que ele te ama.

-Eu também querido – ela sussurrou indo de encontro ao filho e o abraçando – Seu pai, ele estaria orgulhoso. Anne tinha certeza de uma coisa, Zayn tinha razão e Niall fora e sempre sera seu amor épico, aquela que ela vai lembrar para toda a vida, aquele passageiro e marcante, aquele que mesmo não terminado bem sempre trará boas lembraças...

“Na vida vivemos grandes amores, alguns passageiros e outros duradores. Aquele que for pra passar irá passar mas se foi amor mesmo não deixara marcas ruins, afinal amor mesmo que passageiro é algo bom, mas no final daquela estrada de amores você encontrara aquele que te esperou a vida inteira e por toda a vida estará ao seu lado”.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...