História All Of The Stars - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Emma Swan, Jennifer Morrison, Lana Parrilla, Morrilla, Once Upon A Time, Ouat, Regina Mills, Swan Queen, Swanqueen
Exibições 301
Palavras 1.726
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Orange, Romance e Novela, Saga, Yuri
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Mais um capítulo pra vcs e espero que gostem. Se gostarem, por favor, comentem/favoritem, nao custa nada, isso é muito importante pra mim, para saber que ainda estão gostando da minha fic ;)

Boa leitura e até a próxima! ^^

Capítulo 11 - A Festa do Caos



A noite pairava no ar, a cada segundo mais gente entrava no Granny’s. O lugar estava decorado com lindas fitas azuis em forma de faço,  nas janelas.  Balões brancos e azuis rodeavam uma mesa grande no centro do cômodo com vários doces em cima, junto com dois bolos, um em cima do outro, coberto com pasta americana azul marinho e uma vela de carrinho vermelho. Luzes coloridas piscavam sem parar nas paredes, que também era coberta por alguns adesivos grandes de espadas e escudos, monstros marinhos e de terra.  David se gabava para seus amigos, falando como conseguiu derrotá-los sozinhos, enquanto os mesmos ficavam boquiabertos. 


Mary Margaret conversava com Belle, que trouxe, assim como Branca havia pedido, Zelena, que revirava os olhos cada vez que Mary falava sobre como é bom fazer o bem. Belle e a ruiva se entreolhavam, e assim que seus olhos se encontravam, a morena de olhos azuis sorria, enquanto a outra virava sua cabeça para o lado, fingindo um leve desinteresse no lindo sorriso que Belle esbanjava.


Henry brincava com Neal, conversava com ele, fazendo caretas,  dando um docinho em sua boca e mostrando alguns presentes embrulhados. Os anões gritavam e festejavam, pela bebida ser gratuita naquele dia.


Emma caminhava de um lado para o outro na frente da porta, esperando Regina que não havia chegado ainda. Começou a se perguntar se de fato ela não estaria zangada por não a terem contado antes sobre o aniversário. 


— Você vai afundar o chão. — Comentou Zelena para Swan, que colocou a mão na cintura, pensando em dar um bela resposta. —  Andar de uma lado para o outro não vai fazer Regina acelerar os passos no scarpin dela. — Ironizou, fazendo Belle a olhar surpresa, tentando entender como aquelas palavras poderia se encaixar em um contexto que não fosse amoroso.


— Hein? — Perguntou a morena, Zelena deu de ombros.
— Escuta aqui... — Swan estava a ponto de responder a ruiva, quando sentiu um cheiro de perfume que sabia bem de quem era. Regina abriu a porta, entrando sorrindo para os que se viraram com o barulho que a porta fez. Com um abraço tímido, cumprimentou a loira.


— Regina, fico feliz que tenha vindo. — Mary se alegrou, a abraçando forte. 
— Onde está o principezinho? — Perguntou, animada. — Trouxe algo para ele.
— Não precisava se incomodar. Obrigada! — Agradeceu Mary, sorrindo ao Mills mostrar uma caixa embrulhada com papel de presente.
— Mas ela nem se incomodou, bastou estalar os dedos. — Debochou Zelena, rindo. A prefeita a encarou, era incrível como ninguém tinha uma resposta rápida para dar à ela.
— Maninha! — Regina forçou um sorriso. — É um prazer ver você aqui, irritando os convidados. — Disse em um tom de brincadeira,  fazendo Mary , Emma e Belle rirem. Belle sentiu uma pontada em sua barriga, seu bebê a havia chutado forte  a fazendo exprimir sua dor oralmente  e massagear o local do golpe.


— Está tudo bem, verme? — Perguntou a ruiva, tentando ao máximo esconder sua preocupação. 
— Sim. O bebê apenas me deu um chute. — Disse, fazendo uma careta de dor, fazendo pouco caso.
— É melhor você se sentar, ficar muito tempo em pé pode fazer mau. — Afirmou Branca, apontando uma das mesas para que fosse se sentar.
— Mãe, ajuda ela. — Pediu Swan.
— Eu a levo. — Disse Zelena, negando a ajuda que Mary iria dar à Belle. A morena de cabelo curto concordou com a cabeça,  deixando a ruiva colocar um dos braços de Belle no seu pescoço e segurar a cintura dela para guiá-la até a cadeira mais próxima.


— Emma, — Regina a chamou atenção. — me ajude com algo. — Disse, entregando o presente de Neal para Mary e segurando a mão da loira, a direcionando para o banheiro. Analisou o lugar, e percebendo que as duas estavam sozinhas, a prefeita puxou Emma pela cintura,  a envolvendo em um beijo desesperado. As mãos da xerife percorriam loucamente o corpo de Regina, pressionando cada vez mais em seu corpo, apertando os lugares que alcançava.


— E-Era para isso a minha ajuda? — Perguntou cinicamente, enquanto Regina beijava e mordiscava seu pescoço.
— Sim! — Afirmou, entre beijos e subia até chegar novamente na boca de Swan. — Vai me ajudar a apagar esse fogo que estou sentindo por você agora. — Ela empurrou Emma na parede, de modo que a mesma deu um leve gemido. No mesmo segundo, a porta se abriu, era David, que arregalou os olhos quando viu Regina pondo Emma contra a parede, segurando seus punhos.


— Mas o que está acontecendo aqui? — Perguntou, rude. Claro que sabia o que estava acontecendo, mas a única coisa que conseguiu sair de sua boca foi isso.
— Acontece que você errou de banheiro, esse é para as damas. — Regina se distanciou de Emma, fingindo que nada de anormal estava acontecendo ali. O corpo de Swan esquentou, sentiu seu rosto avermelhar de vergonha. 
— Vo-Você.... Vocês... O que... — Encantando não completava nenhuma pergunta, estava em choque com o que acabara de ver.
— Ela tem razão, pai. — Emma olhou para Regina . — Olhe a plaquinha acima da porta antes de entrar nos lugares, mocinho. — Balançou a cabeça, concordando consigo  mesma. 
— M-Mas esse é o banheiro dos homens. — Afirmou, apontando desajeitado para a porta. Sua voz, apesar de trêmula, espalhava irritação pelo lugar. As duas se entreolharam, sem saber o que fazer.


— Nesse caso, — Começou Mills. — erro nosso. Vamos embora, senhorita Swan. — Disse, indo com passos largos e rápidos para fora do banheiro, Emma fez a mesma coisa, sem olhar para a cara do pai.
— Esperem! — Berrou, em vão,  as duas já estavam longe para que o pudessem escutar. As duas riam enquanto se direcionava para a mesa onde Zelena, Belle, Henry e Neal estavam. Se sentaram.


— Maninha, que danada! Entrou no banheiro masculino com a loirinha para um romance. — Observou, rindo alto.
— Por falar em romance, — Regina quis revidar, coçou a garganta, olhando para a irmã e logo para Belle, fazendo a ruiva entender exatamente o que Mills falaria em seguida. Seu sorriso desapareceu e o de Regina surgiu. Emma e a  grávida olharam para a morena, esperando a continuação de sua fala. — Não me diga  que você realmente... — Ela não se conteu, gargalhou,  batendo palmas, como se alguém a tivesse contado uma das melhores piadas. Zelena se irritou, saiu do lugar batendo os pés, sumindo ao adentrar a porta de trás do balcão. 


— Eu perdi alguma coisa? — Perguntou Emma, confusa com a reação da ruiva.
— O que foi isso? — Belle se pronunciou. Regina limpou as lágrimas de riso.
— Tem haver com Hades? — Voltou a perguntar a loira.
— Ela está gostando de alguém? — Henry se enfiou na conversa. Mills riu.
— Um dia vocês saberão. — Fez um mistério,  se recompondo e se virando para Neal, acariciando sua cabeça, olhando para a porta que Zelena havia entrado. — Ou não. 

 


As horas se passaram voando, conversas entre as pessoas começa, acabava e recomeçava.  A Vovó aninhava a pequena Robbie, Mary alimentava Neal com um bolinho, Henry e David cochichavam algo no canto e  Emma e Belle conversavam. Regina, se sentindo culpada, foi atrás de Zelena. Entrou na mesma porta que a irmã havia entrado horas atrás, olhou em volta das prateleiras cheias de garrafas com bebidas alcoólicas. Suspirou ao não encontrar a irmã, pensou por alguns segundos que talvez ela tivesse ido para a casa, mas lembrou que sua filha estava com a vovó e que nunca a deixaria para trás. Então, Mills continuou o que, em sua cabeça,  denominou “caçada à bruxa”. Olhou com toda atenção os espaços entre uma prateleira e outra. Regina deduziu que ali era um depósito de alimento, por haver comida e bebidas.


Já estava prestes a desistir quando escutou um barulho de garrafa tocar no chão atrás dela. Ela se virou, olhando fixamente cada ponto, até ver Zelena na curva da parede, sentada, abraçando seus joelhos, com o rosto escondido.


— Zelena... — Regina a chamou. Já não estava brincando, estava séria, sentindo muito arrependimento por, mesmo não ter falado nada diretamente, causar angústia no coração da irmã. 
— O que foi? — Perguntou,  fria, enquanto levava uma garrafa de whisky à boca, digerindo o líquido. 
— Vovó vai adorar saber que tem uma bêbada tomando toda a bebida cara dela. — Brincou, tentando amenizar a tensão, se sentando ao seu lado. A ruiva revirou os olhos, dando mais um gole e deixando a garrafa ao seu lado, que logo foi parar nas mãos de Regina, que, igualmente, o tomou. — Você gosta dela, não é? — Zelena arqueou as sobrancelhas. 


— De quem? — Perguntou. — Belle? — Sorriu. — N-Não. — Disse, insegura, deixando sua cabeça encostar na parede, olhou para cima, pensativa.
— Ah! — Regina exclamou, olhando para ela. — Você gosta. — Afirmou. A ruiva virou a garrafa em sua boca, a bebida caiu em sua boca como uma cachoeira.
— Ela é esposa do senhor das trevas, e está esperando um filho dele. — Disse, encarando a irmã. — Belle é uma miniatura de gente que não para de falar, me irrita.
— Você não precisa mentir para mim, Zelena. Eu sou sua irmã, apenas confie. Quero seu bem. —  A ruiva franziu as sobrancelhas,  se levantando rapidamente.
 — Já basta o grilo enchendo meu saco sobre confiar nele, não preciso de você também  para me dizer como devo agir e acreditar nas pessoas. — Ela alterou seu tom de voz, fazendo Regina reprovar sua atitude com a cabeça.  Mills estava prestes a dizer algo, quando foi interrompida com um barulho forte de vidro se quebrando. Ela se levantou rapidamente,  encarando Zelena, que igualmente se havia assustado com o barulho. Logo em seguida, escutou pessoas gritando, som de pessoas correndo.


— O que é isso? — Perguntou Regina, se aproximando devagar de Zelena, que estava parada, tentando escutar algo. No meio da gritaria das pessoas, choros sincronizados dos bebês e correria, Regina e Zelena escutaram “Fique longe de mim!”, vindo de Belle  e “Me solte!” vindo de Swan. O coração de Mills acelerou.


— Emma! — Gritou a morena, correndo em direção a porta.
— Belle! — Gritou  Zelena ao mesmo tempo que Regina. As duas correram em direção  aos barulhos. O receio da prefeita era grande, mas a vontade de  salvar Emma , de quem fosse, era maior, porque nada, absolutamente nada, pode deter alguém que ama e é amado... A ruiva abriu a porta, se desequilibrando e caindo para trás, nos braços de Mills, que a segurou. Zelena estava tonta, havia bebido muito.  As duas nada falaram, com um braço segurando a irmã, abriu novamente a porta com o outro, e se deparou com um caos.
 


Notas Finais


Huuummm!! E essa reação do David? Terá treta? Não vou dizer que não, mas tbm nao vou dizer que sim, fica aí a questão...hauahuaua


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...