História All that matters - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Candice Swanepoel, Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Ryan Butler
Personagens Candice Swanepoel, Chaz Somers, Christian Beadles, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Ryan Butler
Tags Belieber
Exibições 36
Palavras 1.304
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lírica, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HEY MEUS GOSTOSOXXX
DEMOREI NÉ?
ME DESCULPEM! Essa semana eu estava sem nenhuma criatividade então não deu pra escrever nem uma letra.
Espero que me perdoem e
BORA LER CAMBADA 💝🦄💝🦄

Capítulo 5 - O melhor dia de todos


                 ESTER SOARES

Quando Justin fez a pergunta eu fiquei em um completo choque. Minha única reação foi dar um pulo do sofá com os olhos arregalados e me perguntar se eu tinha ouvido corretamente.

-- E então? -- Justin perguntou me tirando de meus devaneios.

-- É claro! -- falei e corri pra abraçá-lo. Joguei meus braços por cima de seus ombros o apertando fortemente, sentindo o mesmo retribuir meu abraço.

-- Então você vai ter que arrumar as malas e ficar se comunicando comigo por essa semana. -- falou se destanciando um pouco.

-- Tudo bem, só que eu vou ter que falar com a minha mãe. -- falei olhando pra ele.

-- Ok, se por algum acaso ela não deixar, me liga, eu vou te passar meu número.

-- Tá, mas eu acho que ela vai deixar sim. -- falei quase convicta.

-- Se você diz. -- falou e deu de ombros.

-- Eita! Que horas são? -- perguntei ao Justin.

-- São... Não sei. -- falou e sorriu amarelo.

-- Nossa! Ajudou muito. -- falei irônica o fazendo rir. Fui ver as horas no efraldino (meu celular) e vi que já eram quatro horas da tarde, ou seja, eu estava no quarto com o Justin à três horas e a Nivia ainda está lá fora. Arregalei meus olhos

-- Caralho! Porra! Puta que me pariu! Fodeu! Eu estou fodida! A Nivia! -- falei em português fazendo o Justin me encarar confuso.

-- Que que você disse? -- perguntou Justin confuso, deu até vontade de rir dele.

-- Depois te falo. Justin a minha amiga ainda está lá fora, sendo que a gente está aqui já tem três horas. -- falei e o mesmo arregalou os olhos.

-- Eita porra! Coitada! Eu vou pedir pros seguranças trazerem ela aqui. -- falou e se distanciou um pouco e ligou pra alguém (creio eu que seja algum segurança).

Depois de alguns minutos desligou e se sentou na cama me chamando pra sentar ao seu lado. 

-- Eles vão trazer ela pra cá. - falou e eu assenti sorrindo. Sério, eu ainda não acredito que eu estava do lado do homem que eu mais amo nesse mundo.

-- Por que você tá sorrindo que nem uma idiota? -- perguntou Justin me fazendo semicerrar os olhos.

-- Não vou falar, você me chamou de idiota, ridículo, seu gay! -- falei e gargalhei alto vendo sua expressão mudar pra bravo.

-- Do que você me chamou Ester? -- perguntou fazendo com que eu arregalasse os olhos.

-- De lindo, gostoso e maravilhoso. -- falei e me joguei em cima dele e o abracei.

-- Eita, que assim eu me apaixono. -- falou em um tom brincalhão.

-- É a lei do retorno. -- falei e pisquei pra ele.

-- ESTER! -- Escutei a voz de uma puta, cujo se chama Nivia.

-- TÔ AQUI PIRANHA. -- gritei em inglês a Nivia também falava inglês. 

-- AQUI ONDE CARALHO? PORRA ESTER, EU NÃO SOU ADIVINHA NÃO. -- gritou fazendo eu e o Justin rir.

-- AONDE TU TÁ RESTO DE ABORTO? -- perguntei fazendo o Justin gargalhar me fazendo rir junto.

-- RESTO DE ABORTO O TEU CU. EU TÔ... AI CARALHO! PORRA! EU NÃO SEI. -- gritou me fazendo rir.

-- TU TÁ EM FRENTE A UMA PORTA BRANCA NÃO TÁ? -- gritei indo até o corredor que levava até a porta de entrada com Justin me seguindo.

-- ESSA PORRA AÍ MESMO! -- gritou e logo eu chegueI na porta.

-- Cheguei! -- falei alto no ouvido dela, fazendo ela dar um pulo de susto. Gargalhei

-- Ester eu vou te calar. -- falou em português. -- Eita que ele é mais gostoso ainda ao vivo né? -- falou ainda em português me fazendo rir com a cara de confuso do Justin.

-- Tem como vocês falarem em português, porque eu não tô entendendo porra nenhuma. -- Justin falou me fazendo gargalhar.

-- Eu sou a Nivia. -- Nivia falou estendendo a mão pro Justin.

-- Eu não preciso nem me apresentar. -- Justin falou me fazendo rir fraco.

-- Justin agora a gente precisa ir se não minha mãe me mata. -- falei abraçando ele.

-- Mas já? -- falou fazendo cara de cachorro que caiu da mudança.

-- É! Mas já? Porra, agora que eu cheguei tu quer ir? -- Nivia perguntou me fulminando com o olhar.

-- Tá bom eu fico, mas eu vou ter que ligar pra minha mãe. -- falei fazendo os dois concordarem.

-- Eu também vou ter que ligar pra minha. -- Nivia falou dando de ombros.

-- Pera, vou ligar pra ela agora. -- falei fazendo os dois me olharem.

Ligação on:

-- Oi mãe. -- falei em inglês.

-- Que que você quer menina? E por que você tá falando inglês? - falou em português.

-- Mãe eu consegui conhecer o Justin. -- falei e ouvi o grito dela. Minha mãe ama o Justin.

-- Meu Deus! Eita Jesus! Ele tá aí? Meu genro tá aí? -- Minha mãe chamou o Justin de genro fazendo ele rir e me olhar tipo: Eu sei, que você fala que eu sou seu marido.

-- Sim, eu tô aqui! -- Justin se intrometeu na minha conversa, fazendo eu semicerrar os olhos e olhar pra ele, o fazendo rir.

-- Jesus Cristo! Oi, Justin. -- Minha mãe falou me fazendo rir.

-- Oi!!! - Justin falou empolgado me fazendo rir.

-- Então mãe. -- falei. -- Eu vou demorar um pouco pra chegar em casa, tá? -- perguntei.

-- Tá bom, mas não chega muito tarde! -- falou me fazendo rir.

-- Tá bom dona Ana. -- falei, a chamei assim porque o nome dela é Ana.

-- Me respeita garota! Agora eu tenho que desligar porque o feijão tá no fogo, tchau. -- falou e desligou na minha cara me deixando boquiaberta.

-- Credo. -- falei fazendo o Justin e a Nivia rirem. -- Tô com fome. -- falei passando a mão na barriga.

-- Normal, você só vive com fome. -- Nivia falou dando de ombros e o Justin riu.

-- Vamos comer. -- Justin falou e começou a andar pra algum lugar e eu comecei a fazer uma dança estranha.

-- Vamos. -- falei e sai correndo atrás do Justin. 

-- ME ESPERA! -- Escutei Nivia gritar e eu ri, ouvindo a risada de Justin.

¤•¤•¤•¤

Depois de termos comido quase tudo da geladeira de Justin estávamos jogados - literalmente - em sua cama fitando o teto.

-- Vocês sabem que amanhã vão estar em todos os jornais, não sabem? -- Justin quebrou o silêncio.

-- Sabemos, mas foda-se, isso não importa, o que importa é que eu te conheci, vou te acompanhar na Purpose tour e passei o dia com você. -- falei fazendo ele sorrir.

-- Não se preocupa Justin. -- Nivia falou e ele sorriu mais uma vez.

-- Agora a gente precisa ir mesmo Justino. -- falei me levantando junto com Nivia fazendo ele me olhar confuso.

-- Justino? Que porra é essa? -- falou e eu ri.

-- Seu novo apelido. -- falei e ri.

-- Tá né! -- falou e abraçou eu e a Nivia. Estávamos saindo pela porta quando Justin nos impediu.

-- Espera. -- falou fazendo a gente parar. -- Toma e depois vão no backstage, ok? -- falou nos entregando dois ingressos pro show. Arregalei os olhos.

-- CARALHO! EU TE AMO! -- gritei e pulei em cima dele o abraçando.

-- Também te amo. -- falou me fazendo ter um enfarte -- Vou pedir pro Mike levar vocês em casa, ok? -- perguntou.

-- Mas é longe daqui. -- falei.

-- Não tem problema, passem o endereço pra ele e Ester não esquece de falar com a sua mãe. -- Justin me lembrou me fazendo sorrir.

-- Tá bom, tchau. -- falei o abracei mais uma vez e saímos do quarto encontrando Mike na porta.

-- Qual o nosso destino? -- falou me fazendo rir

-- Favela do Vidigal. -- falei descemos até o estacionamento, entramos num carro muito foda e logo ele deu partida.

Esse com certeza é o melhor dia da minha vida. Valeu a pena esperar tanto tempo.


Notas Finais


Espero que tenham gostado
BEIJOCAS NA BUNDA 💝🦄💝🦄


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...