História All that matters (camren) - Capítulo 77


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Ally Broke, Camila Cabello, Camren, Charlie Puth, Dinah Jane, Fifth Harmony, Justin Bieber, Lauren Jauregui, Normani, Selena Gomez
Exibições 477
Palavras 1.495
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha quem voltou! Boa leitura! ;) Desculpa a demora, amores!

Capítulo 77 - Almoço.


POV Camila

Estava deitada na cama ao lado de Lauren. Fazia cerca de três horas que havíamos chegado de viagem e ela estava dormindo. Depois que ela ficou doente passamos dois dias dentro do hotel em Budapeste e mais três passeando pelo local. Ainda encontramos Harry e Louis por lá e passamos um dia todo juntos.

Lauren perguntou se eu queria ir para a minha casa, mas eu não estava a fim de ver meu pai então perguntei se podia ficar com ela pelo resto do dia. Ela concordou e ali estávamos.  Senti meu telefone vibrar e ao olhar no visor vi que era meu pai me ligando.

Ligação on

- Alô.

- Pode falar.

- Fiquei sabendo que você voltou de viagem. Quero que venha com a Lauren jantar comigo amanhã.

- Vou ver se ela quer.

- Certo. Está tudo bem?

- Claro. Até mais.

Ligação off.

Quando voltei o olhar para minha namorada ela estava me observando com uma cara adorável de sono.

- Quem era? – Perguntou enquanto tentava sem sucesso, vestir seu sutiã.

- Meu pai. Ele quer que a gente jante com ele amanhã.

- Eu não estou com a mínima vontade de encontra-lo, Camz. Você pode ir se quiser e... – A interrompi.

- Seria muito reconfortante se você estivesse lá comigo. Eu estou muito magoada com ele e ainda não conversei direito com a minha mãe. Apenas por mensagens de texto. Por favor, Lolo.

- Você sabe que ele está com outra mulher, né? – Lauren me perguntou enquanto virava de costas para que eu arrumasse sua roupa intima.

- Sei. Quero saber quem é. – Respondi sem fazer o que ela me pedia. – Por que quer colocar sutiã?

- Você quer que eu fique sem?

- Eu não me importaria. – Lauren riu.

- Tudo bem. Eu vou com você amanhã nesse jantar. – Meu celular vibrou.

– É o meu pai. Mandou um endereço.

- Onde fica? – A morena perguntou e eu li o que estava escrito na mensagem. – Camz! Esse é o endereço da Taylor. A minha ex que você encontrou comigo no banheiro daquela vez que...

- Eu sei quem é. Será que ela é a nova namorada dele?  - Perguntei.

POV Lauren.

- Não sei Camz. Vamos descobrir amanhã, meu amor.  – Me levantei e vesti uma camiseta que não sabia se era minha ou dela.

Era óbvio que eu sabia que novamente, Camila estava em perigo. E o pior era que nem sua mãe poderia protegê-la agora que estava longe. Durante a viagem eu havia conversado com meus sócios e decidido que abriríamos uma sede da gravadora em Los Angeles apenas para que eu pudesse resolver tudo o que precisava sem ter que ficar por NY.

Não queria ter que voltar a viver em Los Angeles, mas a segurança de minha namorada estava em risco e Zac, o segurança que eu havia contratado já tinha sido dispensado. 

- Amor. Eu tenho que te contar umas coisas. Senta aqui comigo. – Falei para Camila e me sentei. Ela se aproximou e logo estava do meu lado.

- Pode falar.

- Lembra-se do Zac? Da escola?

- Claro que lembro. Ele é meu amigo. Não me responde, mas ainda é meu amigo. – Camila riu.

- Eu o contratei para te vigiar.

- Me vigiar por quê? Por que eu precisaria ser vigiada?

- Eu estava longe e não sabia se você estava bem.

- Poderia perguntar para as meninas. – Ela retirou sua mão da minha.

- Não briga comigo, amor. Eu só estava preocupada. Você me perdoa?  - Ela me olhou nos olhos.

- Não esconda as coisas de mim, Lauren.

- Eu não escondi. Aconteceram várias coisas. Eu me esqueci de contar. Juro, Camz. Eu ainda tenho mais uma coisa para te contar. – O celular de Camila vibrou e ela verificou a notificação.

- Selena reencontrou com a sua mãe.

- Que bom. Onde ela estava?

- Não sei. Seu pai passou um numero de telefone há um tempo e desde então as duas tem conversado. Então dias atrás elas marcaram um encontro e é isso, eu acho. Também não sei dos detalhes.

 - Ótimo pra ela. Deixa eu te contar a outra coisa. Pelo menos é uma coisa boa. – Sorri.

- Não vem com esse sorriso não, Lauren. Idiota!

- Idiota? Também não vou contar.

- Se quiser dormir na cama comigo hoje é melhor contar.

- A cama é minha.

- E você é minha.

- Faz sentido. Enfim... Fiz umas ligações enquanto você tomava banho em Budapeste. Consegui convencer os meus sócios a montarmos uma sede da gravadora aqui. Pelo menos até você terminar os estudos.  – Arqueei a sobrancelha na minha melhor tentativa de fazer a pazes.

- Isso é sério?

- Porque eu mentiria?

- Você jura?

- Claro amor. – Senti seus braços me envolverem em um abraço firme.

- Ainda bem. Passei todas às ultimas noites pensando em como sobreviveria sem você sempre por perto.

 - Eu também. Normani também poderá ficar. Justin não vai querer, já que está namorando uma menina de NY.

- Ele e a Sel não tem jeito. – Camila deitou e me puxou por cima dela.

- Sabe o que tem jeito? Você e eu. Para sempre. – Afirmei e senti seus lábios em meu pescoço.

- Para sempre. – Ouvi um sussurro vindo dela.

 

No dia seguinte fomos ao tão misterioso encontro. Quando chegamos, Alejandro estava a nossa espera.

- Olá, meninas! Que bom ver você filha. Papai estava preocupado. – Ele disse enquanto abraçava Camila. – Tudo bem, Lauren?

- Sim.

- Vamos entrar. Ela está nos esperando.

Caminhamos pela casa até chegarmos onde o almoço estava sendo servido. Taylor falava ao telefone e quando nos viu desligou.

- Boa tarde! Mundo pequeno, não?

- Até demais. – Respondi. – Camila permanecia em uma estranha calma.

- Sentem-se. – Alejandro disse.

Sentei-me enquanto Camila caminhava pelo cômodo. Aparentemente tudo estava bem e isso dava confiança para os dois bandidos. Logo minha namorada se juntou a nós na mesa.

- Eu sei que é difícil, Mila, mas nos não controlamos o coração. Seu pai e eu nos amamos. Você entende, não é? Até porque seu relacionamento com... – Camila a interrompeu.

- Não se atreva a comparar meu relacionamento com essa palhaçada.

- Cuidado com as palavras. – Alejandro a repreendeu.

- Vocês acharam mesmo que eu ia sentar aqui e participar disso? –Camila riu e eu apenas observava a cena. – Só vim aqui dizer umas coisas.

- Você não me conhece. – Taylor retrucou.

- E nem pretendo. Agora quero que me escute bem. Você está morto pra mim. – Disse olhando para Alejandro. - Achou que ia ficar tudo bem? Que ia afastar minha mãe de mim e ia ser perdoado? Nem no seu mais belo sonho.

- Você vai sofrer as consequências de seu ato, Camila. Pode apostar.

- Não ameace a minha filha. – Alejandro gritou. – Você sabe que não é assim que funciona.

- Não é assim que funciona o que? – Perguntei.

- Fique fora disso, Lauren. – Meu sogro respondeu. – Não é da sua conta.

- Pelo contrario. Se envolver a Camila, me envolve. Achei que isso estivesse claro.

- Vamos embora, Lolo. Acho que não preciso nem dizer que não quero mais ver o senhor.

Senti a mão de Camila na minha e em seguida meu corpo foi puxado para fora dali. A rapidez com que caminhávamos e a força com que ela segurava minha mão estavam me machucando.

- Camz, meu braço. – Ela continuou até que chegamos ao carro.

- Desculpa.

- Tudo bem. Você está bem?

- Minha mãe não me responde mais. Ela disse pra eu parar de mandar mensagens.

- Sua mãe não faria isso, Camz! – Ela me entregou o celular e entrou no carro.

Após ler as mensagens vi que Sinu realmente havia dito, de forma rude, para que Camila parasse de procurar por ela. Entrei no carro e dirigi de volta para a minha casa. Quando chegamos, preparei um banho para minha namorada e a levei até lá. Enquanto eu a ajudava a se lavar, tentava mantê-la calma.

- Ela precisa de um tempo, amor! Além disso, ela sabe que eu vou cuidar de você.  – Ela apenas concordava com a cabeça. – Quer fazer algo? Qualquer coisa para animar a minha princesa.

- Eu o odeio, Laur! Odeio os dois.

- Não fala assim, amor. Isso não leva a nada.

- Não consigo evitar. Quando foi que ele virou essa pessoa? Ele nunca faria isso, Lauren.

Terminamos o banho em silêncio e a levei para a cama. Depois de muito pensar, decidi que só contaria a verdade a Camila quando resolvesse tudo. Ela não merecia sofrer por algo que não estava terminado. Naquele momento ela precisava de mim mais ainda e eu não podia arriscar contar sabendo que ela poderia ter raiva e ficar sozinha.

Se ela quisesse me odiar para sempre depois que eu prendesse o pai dela, tudo bem. Pois pelo menos eu teria certeza de que ela estaria segura. 


Notas Finais


Desculpeeeeeem! Tive que arrumar umas coisas e fiquei totalmente sem tempo pra nada! Mas estou de volta! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...